UAU

Portfolio

Portefólio

CARMEN | Ballet Flamenco de Madrid
Porto e Lisboa | 26 a 29 Janeiro

Coliseu Porto | 26 Janeiro
Teatro Tivoli BBVA | 27 a 29 Janeiro

A história de Carmen, uma bela e temperamental cigana, desenrola-se no ano de 1830. O espírito livre desta mulher leva-a a apaixonar-se por D. José, o ingénuo cabo que cai de amores por ela, numa relação tão intensa que faz com que largue tudo e deserte do exército para se juntar ao grupo de contrabandistas do qual Carmen faz parte. Mas, quando ela se encanta por Escamillo, um bravo toureiro, D. José enlouquece e jura matá-la.

Concebido pelo Ballet Flamenco de Madrid, que nasceu da necessidade de romper com o pendor tradicionalista do flamenco, sem retirar a magia e a emoção da dança e música combinadas, Carmen foi construído em cima de uma linguagem contemporânea que se adapta a todas as plateias do mundo.

 

Os Dias Realistas | Ensaio Solidário
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa

10 Janeiro às 21h30

O Ensaio Solidário de OS DIAS REALISTAS teve um preço simbólico de 6€ e a totalidade da receita reverteu a favor da CRINABEL - Cooperativa de Solidariedade Social e Ensino Especial, CRL, fundada em 1975 por pais e técnicos, tendo como missão a educação, a reabilitação e a integração de pessoas com deficiência intelectual para o seu desenvolvimento integral. A receita foi 3.720€ e será utilizada na manutenção do Lar Residencial, fundado em 2004, que acolhe dez jovens e adultos portadores de deficiência intelectual que se encontram privados de apoio familiar.

 

Pedro Barroso | Cantos de Sempre
Teatro Tivoli BBVA | 7 Janeiro


Há poemas, temas, momentos e canções que nos ultrapassam e tornam-se marcos colectivos.

São vivências de uma geração, símbolos de resistência na luta pela Democracia, a Liberdade, a Diferença e o Sonho. Padrões de bruma e fantasia projectados no tempo. Perduram para lá de nós.
E quando - como me aconteceu - já estivemos no fundo mais fundo de tudo, há valores que redescobrimos bem maiores que a nossa finitude; superiores à ligeireza da vida. Coisas que fizemos mas se tornaram muito mais que nós; e essas, sim, é que vale a pena que nos sobrevivam e perdurem pelos tempos. São cantos de sempre. Referências indeléveis e raras. Há que nunca os esquecer.
Até ver, sobrevivi dura e dificilmente a essa memória de mim mesmo. Vivi o último breu e a sala ficou-me, de súbito, vazia após tantas noites de palavras e emoção. Mas vai ser bom voltarmos agora a enche-la, assim que subir o pano. Conto convosco para isso!”, Pedro Barroso

A Ópera Cabe no Bolso, Sabia?
Teatro Tivoli BBVA | 10 Maio 2016

Porque a música clássica também é divertida!

Diferentes cantores líricos vestem-se a rigor para recordar emoções e memórias da história da ópera.  “Barbeiro de Sevilha”, “Flauta Mágica”, “Bodas de Fígaro” ou “Carmen” são algumas das mais famosas árias de ópera que compõem o programa de A Ópera Cabe no Bolso, Sabia?

Apresentado pela Orquestra da Cidade, sob direcção do maestro Nuno de Sá, A Ópera Cabe no Bolso, Sabia? tem por objectivo conquistar novos públicos para a música clássica... porque a música clássica também é divertida!

M/6

A Viagem de Darwin
Prue dos Poetas | Templo Poesia | 18 Julho a 29 Maio

Pontuada por excertos dos poemas de Ruth Padel sobre a vida e obra do seu trisavô, Charles Darwin, a exposição A VIAGEM DE DARWIN ilustrava a viagem que Darwin fez a bordo do navio HMS Beagle (Dezembro de 1831 a Outubro de  1836) e cuja influência no seu trabalho foi determinante para a Biologia moderna.
A expedição do HMS Beagle, que visava o levantamento cartográfico da América do Sul, permitiu ao jovem naturalista Darwin (22 anos) conhecer e explorar novos territórios, estudando em detalhe as suas faunas, flora e geologia. As suas observações, minuciosamente anotadas, e as colecções de espécimes que construiu e enviou para Londres para estudo posterior, foram determinantes para a vasta obra que produziu, base do pensamento científico moderno.
Situado no concelho de Oeiras, o Parque dos Poetas é um espaço onde a história da Poesia da Língua Portuguesa é, de uma forma única, contada pelas artes da escultura e dos jardins. Ao longo dos seus 22,5 hectares, a poesia portuguesa é homenageada através de 60 poetas, e/ou sua obra, mais representativos, desde a fundação da nacionalidade até ao século XX, incluindo os países e territórios de expressão portuguesa, e pela visão de 40 dos mais significativos escultores do nosso tempo do espaço lusófono, em obras de diversas correntes estéticas da expressão escultórica.
Ao campo de futebol, fonte cibernética, Gruta de Camões e Ilha dos Amores, nesta última área acrescem um labirinto, o anfiteatro Almeida Garrett e o Templo da Poesia, espaço coberto e polivalente destinado ao acolhimento de eventos e manifestações culturais diversas. A Viagem de Darwin foi a primeira proposta da produtora UAU, convidada a dinamizar o espaço, para o Templo da Poesia. Mais do que um parque urbano, de grande qualidade paisagística, o Parque dos Poetas é o único “museu ao ar livre” de arte escultórica em Portugal e o maior da Europa.

AGA-BOOM
Teatro Tivoli BBVA 1 a 18 Dez | CAE Figueira da Foz 15 dez

Mais que um espectáculo, AGA-BOOM é um conjunto de momentos que se enraízam na memória de todos, fazendo rir, ou mesmo sorrir, muitos dias depois.

Na melhor tradição russa da arte de clowning, AGA-BOOM apresenta-nos personagens estranhas e irreais. Vindas de outro “mundo”, acabam envolvidas em situações bastante cómicas, pela simplicidade com que interagem com objectos do quotidiano de todos nós. O que será que acontece se carregar no botão que diz “Não Tocar!”? Se calhar.... nada....

Criado em 2002 por Dimitri Bogatirev, Aga-Boom tem por base a personagem que desenvolveu na década de 90 e com a qual revolucionou a importância dos números de palhaços nos espectáculos de uma importante companhia canadiana.

Longe de simplista, Aga-Boom é puro teatro físico, com uma linguagem universal e sem fronteiras de idade. Em palco, as situações sucedem-se a ritmo frenético, revelando um sofisticado sentido de humor capaz de cativar crianças e adultos. Sempre em crescendo, Aga-Boom termina de forma caótica, com interacção entre actores e público, numa “terrível” batalha de papel.

Assustados? Temerosos? Só se for por medo de soltar a criança que encerramos em nós!

AGA-BOOM é único e para toda a família!

M/3

Alice no País das Maravilhas
CCB | 6 a 8 Dezembro

Teatro Negro Nacional de Praga

A Alice do Teatro Negro Nacional de Praga continua no País das Maravilhas, mas já é adulta. Pelas mãos da famosa companhia checa, a magia do conto clássico continua de onde Lewis Carroll parou, ganhando contornos modernos sem perder a identidade que o tem caracterizado ao longo dos anos.

Uma evolução da milenar técnica chinesa de sombras, o teatro negro caracteriza-se pela escuridão do cenário, onde actores e adereços, iluminados por luzes ultravioleta, aparecem e desaparecem ao sabor da narrativa. Não verbal, o teatro negro combina diferentes disciplinas artísticas, como a mímica, o bailado e a acrobacia,  para criar uma experiência diferente de uma história tão bem conhecida.

É esta a essência do teatro negro que o Teatro Negro Nacional de Praga, com direcção artística de Pavel Marek, trouxe a Portugal, depois de excelentes críticas e salas cheias em mais de 30 países.

CCB | 6 a 8 Dezembro

M/6

animais exóticos invadem o teatro
Exposição | Teatro Tivoli BBVA

19 Julho a 4 Setembro

Descubra e interaja com diferentes espécies!

Exposição de aracnídeos, crustáceos, répteis, mamíferos e anfíbios provenientes dos diversos continentes e de ambientes diferentes como desertos, florestas tropicais, savanas, pântanos e montanhas rochosas. Uma mostra única, com cerca de uma centena de seres vivos, para delícia de toda a família.

Diário | 10h às 20h (última entrada às 19h)
Interacção com os animais | 11h e 17h

 

ARTE
Novo elenco e nova encenação: João Lagarto, Vítor Norte e Adriano Luz

Teatro Tivoli BBVA - 27 Jan a 27 Março
29 Março - TAGV, Coimbra
1 e 2 Abril - Theatro Circo, Braga
8 Abril - Cine Teatro, Anadia
9 Abril - Cine Teatro, Estarreja
14 Abril - Teatro José Lúcio Silva, Leiria
16 Abril - Auditório Municipal, Lagoa
30 Abril - Casa da Criatividade - São João da Madeira
7 Maio - Teatro Virgínia, Torres Novas
14 Maio - CAE Portalegre
20 Maio - CAE Figueira da Foz
21 Maio - Cine Teatro Constantino Nery, Matosinhos
27 Maio - Cine Teatro Avenida, Castelo Branco
28 e 29 Maio - Casa das Artes, Arcos de Valdevez
3 Junho - Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra
Teatro Sá da Bandeira - 9 a 19 de Junho


A compra de uma “tela branca com riscas brancas, transversais”, assinada pelo famoso pintor Antrios, não é consensual para 3 amigos de longa data. Conhecem-se bem mas têm gostos diferentes. Discutem-nos até à exaustão. Até se zangarem. Até dizerem tudo o que queriam e não queriam.
Assinado por Yasmina Reza, Arte é um texto belíssimo e sempre actual sobre a amizade, seus limites e valor. Mas, no fim, a questão permanece: Deverá dizer-se a um amigo querido que o quadro que comprou, e tanto aprecia, de nada vale?

Texto YASMINA REZA
Tradução ANTÓNIO FEIO
Encenação ADRIANO LUZ e CARLA DE SÁ
Cenografia e Figurinos RUI FRANCISCO
Música JOÃO LOIO
Desenho de Luz PAULO SABINO
Assistente de Cenografia JOANA SABOEIRO
Assistente de Figurinos MARIA LUIZ
Interpretação ADRIANO LUZ, JOÃO LAGARTO e VÍTOR NORTE

M/12

ARTE | Ensaio solidário
25 de Janeiro | Teatro Tivoli BBVA

O Apoio à Vida é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) nascida em 1998 com a finalidade de ajudar, acolher e formar adolescentes e mulheres grávidas cuja situação socioeconómica, familiar ou psicológica as impede de assegurarem sozinhas o nascimento e educação dos seus filhos.
O seu objectivo último é o de garantir que qualquer mulher, com dúvidas relativamente à sua gravidez, ou em dificuldades perante tal situação, possa ter alguém que a apoie.

CHAOS | Luis de Matos
29 e 30 Dezembro

Teatro Tivoli BBVA

Ilusão ou realidade?

CHAOS é o espectáculo que Luis de Matos, o mágico português mais premiado e distinguido de sempre, apresentou dias 29 e 30 de Dezembro no Teatro Tivoli BBVA.

Em cena desde 2012, CHAOS continua a conquistar o público que considera o espectáculo uma experiência mágica sem precedentes, uma colecção de mistérios tornados realidade em cada representação, uma viagem mágica, pessoal, intransmissível e memorável.

Em Luis de Matos CHAOS os mais estranhos elementos interagem de forma mágica e surpreendente. Saramago disse um dia que o “caos” é uma ordem por decifrar. Em Luis de Matos CHAOS, o “decifrar” não é uma opção. Os noventa minutos de espectáculo são uma combinação única da imaginação colectiva de todos que neles participam. Ilusão ou realidade? A escolha é sua!


Teatro Tivoli BBVA
29 e 30 Dezembro | 21h30
M/8

Clássicos são os Trapos!
Teatro Tivoli BBVA | 21 Junho

Rir num concerto de música clássica? Neste pode!

Um maestro, um comediante e uma pequena orquestra de cordas juntaram-se para desconstruir o preconceito existente entre a música erudita e o gosto pela sonoridade orquestral! Inserido no programa Orquestra da Cidade, em Clássicos são os Trapos!, o maestro Nuno de Sá e o humorista Carlos Moura interpretam e comentam as mais emblemáticas obras da autoria de Mozart, Bach, Mendessohn e Tchaikovsky, entre outros.

Esta dupla improvável tem uma missão árdua: mostrar que a música clássica não é chata!

M/6

Disney in Concert - Magical Music from the Movies
Porto, Lisboa, Portimão, Guimarães

Em Dezembro, a Lisbon Film Orchestra, sob direcção do maestro Nuno de Sá, voltou a encantar miúdos e graúdos com os mais famosos temas dos filmes Disney.

Os temas de O Rei Leão, A Pequena Sereia, Piratas das Caraíbas, Mary Poppins, A Bela e o Monstro, Aladdin e Frozen-O Reino do Gelo, entre outros, serão tocados por 55 músicos e cantados por 4 cantores, sincronizados com as imagens dos famosos filmes da Disney projectadas numa tela, proporcionando uma experiência musical de orquestra verdadeiramente mágica e um Natal ainda mais especial a todas as famílias.

Coliseu Porto | 5 e 6 Dezembro | 21h30
Campo Pequeno | 7 e 8 Dezembro | 7 Dez 21h30 e 8 Dez 16h
Portimão Arena | 10 Dezembro | 21h
Multiusos Guimarães | 18 Dezembro | 21h

M/6

Exótika
Auditório dos Oceanos | Casino Lisboa | 25 Maio

Com Felix Cane, campeã mundial de Pole Dance.
Único e extravagante, Exótika é um espectáculo de Pole Dance e contou com a participação de Felix Cane, campeã mundial desta arte e ex-acrobata do Cirque du Soleil nos espectáculos Michael Jackson "The Immortal" e "Zumanity", nos quais protagonizava um número de Pole Dance.
 Sinónimo de erotismo e sensualidade, Exótika remete-nos para o imaginário dos clubes nocturnos, contando-nos diferentes histórias através do movimento das diferentes personagens, como show girls, strippers, contorcionistas. 
Provocante e perturbador, Exótika é imperdível!
M/18

Fados de Coimbra em Lisboa
Teatro Tivoli BBVA | 16 Março

De Coimbra para Lisboa, uma experiência inesquecível!

Há na cidade de Coimbra um monumento do séc. XIV que se transformou, não num museu, mas numa catedral dedicada à música, o Centro Cultural e Casa de Fados àCapella.

Foi nesta emblemática casa de fados que um grupo de amigos,  músicos e amantes deste género musical, se reuniu com o objectivo de levar além-fronteiras, quer da cidade, quer do país, a beleza e sonoridade do Fado de Coimbra.

O Grupo de Fados àCapella conta com alguns dos melhores intérpretes e músicos da cidade dos estudantes, somando já inúmeras actuações em Portugal, no estrangeiro e, claro, na sua casa mãe, àCapella.

Com viola de Luis Ferreirinha, a guitarra portuguesa de Ricardo Dias, o acordeão de Ricardo J. Dias e as melodiosas vozes de José Vilhena e Nuno Correia da Silva, o Grupo de Fados àCapella transporta o seu público numa viagem no tempo e nas melodias que fazem do Fado de Coimbra um símbolo nacional, emocionando quem o escuta.

 

M/6

Fados de Coimbra | àCapella
Teatro Tivoli BBVA | 19 Outubro

Em Março prometeram conquistar Lisboa com a Canção de Coimbra. E fizeram-no!

Em Outubro, a viola de Luis Ferreirinha, a guitarra portuguesa de Ricardo Dias, o acordeão de Ricardo J. Dias e as melodiosas vozes de José Vilhena e Nuno Correia da Silva regressou ao Teatro Tivoli BBVA para mais uma viagem no tempo e nas melodias que fazem do Fado de Coimbra um símbolo nacional.

Original de Coimbra, é na antiga capela de Nossa Senhora da Vitória (fundada em 1361 e abandonada no século XIX) que o grupo de fados àCapella se apresenta diariamente, desde 2004. Antigos alunos de Coimbra, partilham a paixão pelo som da canção de Coimbra, que afirmam único pelas diversas influências que absorveu ao longo dos séculos. No seu repertório não trazem apenas o tradicional fado, mas também trovas, baladas e canções de intervenção, sempre acompanhadas pela imprescindível guitarra portuguesa.

M/6

Festival Iminente
Jardim Municipal de Oeiras | 23 a 25 Setembro

Festival urbano de arte e música.  O melhor teria sido ficar em casa.

Tudo o que se passou aqui foi demasiado novo, experimental, inédito. Iminente. Próximo, a acontecer no momento, urbano, explosivo, enérgico, excitante, efémero, imprevisível.

Tudo o que se passou aqui ainda não forafeito. Pelo menos por nós. Mas teve tudo para correr tão bem como correu. Curadoria do Vhils e da Underdogs. Produção da UAU, numa iniciativa da Câmara Municipal de Oeiras, com comunicação Solid Dogma.

O mais inovador line-up de artistas plásticos e de música portuguesa num festival nacional. Raro. Não havia provas que funcionasse. Tudo indicava que sim. Também foi a primeira vez que alguém teve a ousadia de juntar os mais relevantes representantes da nova arte e música nacionais num jardim em Oeiras. Juntas para 3 dias de festa, expressão e provocação artística.

A arte esteve exposta no espaço sem grandes barreiras entre ela e o público, ora integrando-se no ambiente, ora confrontando-o, ora já concluída, ora em execução durante o desenrolar do festival. Os artistas foram apenas aqueles que fazem aquilo que se “chama a cena da arte pública nacional”. Não foram todos. Não cabiam todos. Foi uma “cena” íntima. Mesmo próxima. Os palcos para as bandas e os músicos são três e estacam embebidos na vegetação, tipo camuflados, e deu mesmo para estar em cima dos músicos, e sentir tudo na pele. Um era numa estufa, o outro era entre árvores e a pista para os DJ Sets foi... surpresa. Não havia pó, porque o chão era de relva e outro tipo de flora, não houve confusões. Contou-se também com carrinhos de choque, carrosséis e outras “cenas” populares. E comida e bebida, claro.

Programa:

Dia 23 - 16h/02h
Paus | Linda Martini | Batida Dj Set | Dj Ride | Bbg Parkbeat | Dj Glue | Thunder & Co

Dia 24 - 16h/02h
Chullage | Halloween | Orelha Negra Dj Set | Keso | Dj Firmeza | Dj Marfox | Francis Dale

Dia 25 - 14h/20h
Ana Moura | Isaura | Dead Combo | Slow J | Sam The Kid + Dj Big Dj Set | Kalaf

Artistas Plásticos:
Add Fuel | Akacorleone | André da Loba | Bordalo Ii | Clemens Behr | David Oliveira | Mais Menos | Mar | Maria Imaginário | Mário Belém | Okuda | Pedrita | Pedro Matos | Vhils | Wasted Rita


Jardim Municipal de Oeiras | 23 a 25 Setembro
Preço único/dia: 2€
M/3

 

Improfado
CCB Pequeno Auditório | 14 e 15 Outubro

OS IMPROVÁVEIS levam o Improviso ao CCB!
IMPROFADO é uma peça de Teatro 100% improvisada, que nasce a partir da inspiração da letra de um Fado, escolhido aleatoriamente pelo público. Sem estrutura prévia, personagens ou textos pré-definidos. É uma viagem pluridisciplinar, uma criação colectiva que combina em palco artes como a Música, Pintura e Teatro.
Com Marta Borges, Pedro Borges, Telmo Ramalho, Ana Magalhães, Miguel Tapadas, Tiago Taron

M/16

Improkids
CCB Pequeno Auditório | 15 Outubro

OS IMPROVÁVEIS levam o Improviso para crianças ao CCB!
IMPROKIDS é um espectáculo de Comédia de Improviso para toda a família. Com cenas e histórias 100% improvisadas,  humor didáctico, divertido e com muita interacção com a plateia. Miúdos e graúdos sugerem, OS IMPROVÁVEIS criam tudo no momento! Cada espectáculo é único e irrepetível.
Com Marta Borges, Pedro Borges e Telmo Ramalho

M/6

Katia Guerreiro
CAE Portalegre

20 Maio | 22h

A digressão continua... Até ao Fim!

Até ao Fim é um disco de emoções. Emoções passadas, presentes e futuras. Editado em Novembro 2014, Até ao Fim é um trabalho que Katia Guerreiro terminou apenas quando garantiu que o sentia no seu todo. Paciente, Katia esperou pelos autores, compositores e músicos com quem queria fazer esta viagem. E ao longo dos 12 temas que o compõem, é este o fado que se ouve... e que Katia desde então partilha com o público.

Acompanhada por Luís Guerreiro e Pedro de Castro na guitarra portuguesa, João Veiga na viola e Francisco Gaspar no contra-baixo, Katia Guerreiro em concerto no CAE Portalegre dia 20 de Maio às 22h.

La Traviata
Coliseu Porto e Campo Pequeno | 25 e 26 Maio

Ópera em 3 actos.
A paixão de Alfredo Germont pela mundana Violetta Valery choca a puritana sociedade parisiense do século XIX, levando à separação dos amantes e à trágica morte por amor da protagonista.
Baseada na obra-prima da literatura, "A Dama das Camélias" (1848), de Alexandre Dumas Filho, "La Traviata" é uma ópera em três actos com música de Giuseppe Verdi e libreto de Francesco Maria Piave. Estreada em 1853 no Teatro La Fenice, em Veneza, "La Traviata" é uma ópera de referência do período romântico e uma das mais interpretadas desde então.
Com interpretação do coro da Opera del Mediterraneo e música pela Filarmónica del Mediterraneo, sob direcção do maestro Fernando Alvarez, "La Traviata" sobiu ao palco do Coliseu Porto e do Campo Pequeno, dias 25 e 26 de Maio.
 
Elenco:


Violeta (soprano)                            

Idoris Duarte/Graciela Armendariz  

Alfredo Germont (tenor)                

Carlos Silva / Vicenç Esteve Madrid 
      


Giogio Germont (barítono)            

Carlos Andrade / Santos Ariño 

Flora Bervoixo (mezzo soprano)  

Akemi Alfonso / Mar Zapata

Annina (soprano)                          

Carmela Cuevas

Gastone (tenor)                              

Angel Walter/ Angel Castilla

Barón Duphol (barítono)              

Eric Torres

Marqués Obigny (baixo)
Alex Guillen

Doctor Grenville (baixo)  
 
Francisco Santiago

Giuseppe/Sirviente (tenor)

Javier Diez Herranz

Commisionario (baixo)

José Manuel Velasco

Orquesta Filarmónica del Mediterráneo

Coro del Mediterráneo

Coreografía | Víctor Donoso

Director Musical | Fernando Alvarez /Alejandro Jassan

Maestro | Fernando Alvarez
 
M/6

Les Ballets Trockadero de Monte Carlo
CCB | 2 a 6 Novembro

Só homens. Sim! Não há mulheres na companhia!

À seriedade e rigor da performance aliam abundantes doses de humor ou não fossem os bailarinos, todos, homens. Sim! Não há mulheres na companhia, “eles” fazem todos os papéis e esta é a marca da diferença e da diversão.

Les Trocks, nome carinhoso pelo qual é conhecida, é a companhia de ballet mais original e divertida de sempre. Nasceu há 42 anos, off-broadway, e rapidamente conquistou a ribalta com a apurada técnica e graciosidade de movimentos dos seus bailarinos. No seu repertório estão os clássicos mas também originais, e dançar “em pontas” não assusta!

“A mais divertida noite de ballet de sempre”, diz o Sunday Times, “Ideal para quem não percebe ballet e absolutamente imperdível para quem acha que conhece os clássicos”, afirma o Sydney Star Observer.

CCB | 2 a 6 Novembro
2 a 5 Novembro às 21h
5 e 6 Novembro às 16h

M/6

Madame Butterfly
Obra-prima de Puccini

25 Nov no Campo Pequeno | 26 Nov no Multiusos de Guimaães

A comovente história de uma bela e jovem gueixa que sacrifica a família, religião e a própria vida por amor ao marido americano, é uma das mais emblemáticas óperas de Giacomo Puccini. Com libreto de Luigi Illica e Giuseppe Giacosa, Madame Butterfly destaca-se pelo poder dramático da sua composição, característica da obra de Puccini, e estreou no Teatro alla Scala, Milão, a 17 de Fevereiro de 1904. Em Lisboa, foi apresentada pela primeira vez a 10 de Março de 1908, no Teatro Nacional de São Carlos.

Dias 25 e 26 de Novembro, a Ópera del Mediterraneo, dirigida pelo maestro Fernando Alvarez, apresenta Madame Butterfly no Campo Pequeno e Multiusos de Guimarães.

Elenco principal:
Cio-Cio-San – Gema Scabal – soprano
Benjamin Franklin Pinkerton – Carlos Silva – tenor
Sharpless – Carlos Andrade – barítono
Suzuki – Ana Maria Ramos – mezzo-soprano
Goro – Angel Walter – tenor
Bonzo – Carlos London – baixo
Kate – Sara Rapado – mezzo-soprano
Príncipe Yamadori – Javier Díez – barítono

MAMMA MIA!
Campo Pequeno | 12 a 24 de Janeiro

Os hits dos ABBA num musical irresistível!

Mais de 60 milhões de pessoas já se apaixonaram pelos personagens, história e música de Mamma Mia!

Escrita por Catherine Johnson, Mamma Mia! é uma divertida história sobre o valor do amor e da amizade. Tem por cenário uma paradisíaca ilha grega e por banda sonora as inesquecíveis canções dos ABBA.
MAMMA MIA! estreou em 1999 no West End e em 2001 na Broadway. É um dos cinco musicais a ter estado em simultâneo em Londres e Nova Iorque por mais de dez anos.

Verdadeiro sucesso, já foi visto por mais de 54 milhões de pessoas, em mais de 37 produções e 14 línguas. Criado por Catherine Johnson, encenado por Phyllida Lloyd e coreografado por Anthony Van Laast, tem letra e música assinadas pelos ex-ABBA, Benny Andersson e Bjorn Ulvaeus.

Música & Letra Benny Andersson & Björn Ulvaeus
Texto Catherine Johnson
Encenação Phyllida Lloyd
Coreografia Anthony Van Laast
Produção Mark Thompson
Desenho de Luz Howard Harrison
Desenho de Som Andrew Bruce & Bobby Aitken
Supervisão Musical e Arranjos Martin Koch
Digressão Internacional produzida para a Littlestar por Judy Craymer, Richard East e Björn Ulvaeus em associação com Universal, Stage Entertainment e NGM.

MONDA
Teatro Tivoli BBVA | 15 Novembro

Uma abordagem contemporânea ao Cante Alentejano

Reconhecido em todo o mundo, o Cante Alentejano é a identidade cultural desta região Portuguesa. Com uma aproximação clara às novas tendências musicais, o projecto MONDA criou uma abordagem contemporânea ao Cante Alentejano, misturando a composição tradicional com os novos sons da World Music. MONDA nasceu da vontade dos seus intervenientes Jorge Roque, Pedro Zagalo e Der Medinas que, com raízes culturais e musicais diversas, têm em comum o Alentejo e a vontade de o cantar e tocar.

Dia 15 de Novembro, os Mondas subiram ao placo do Teatro Tivoli BBVA e levaram consigo convidados tão especiais como Katia Guerreiro, Rui Veloso e Cantadores de Portel

NEY MATOGROSSO | Atento aos Sinais
Coliseu Porto 2 Out | Casino Estoril 4 e 5 Out

Senhor absoluto do seu próprio tempo e espaço, Ney Matogrosso regressou a Portugal para três concertos. Na bagagem trouxe Atento aos Sinais, o seu mais recente projecto, que inclui temas dos consagrados Caetano Veloso, Itamar Assumpção e Paulinho da Viola e dos emergentes Criolo, Vítor Pirralho ou Dani Black. Afirmando-se como intérprete incapaz de compor, Ney Matogrosso está sempre atento aos novos autores, que encontra na internet ou que o procuram no final dos espectáculos.
Neste espectáculo, porque com Ney os concertos são sempre espectáculos!, o cantor brasileiro apresentou-se com a exuberância que o caracteriza, figurinos ousados e um repertório que combinou temas clássicos com as novidades: “Atento aos Sinais é um show que me aproxima dos meus tempos de Secos & Molhados, mas é sobretudo um show pop. Sou um artista que gosta de arriscar.”
A seu lado em palco, Sacha Amback (direcção musical e teclado), Marcos Suzano e Felipe Roseno (percussão), Dunga  (baixo), André Valle (guitarra), Aquiles Moraes (trompete) e Everson Moraes (trombone).

M/12

O LAGO DOS CISNES
CCB | 10 e 11 Dezembro

Um clássico para o Natal

Com música de Pyotr Tchaikovsky, O Lago dos Cisnes conta a história de um príncipe que se apaixona por uma rapariga-cisne, vivendo um amor impossível mas enternecedor.

Fundada em 1989 por Sergei Radchenko, um dos mais importantes solistas do Teatro Bolshoi de Moscovo, a Russian National Ballet tem um repertório que privilegia os bailados clássicos, que apresenta por todo o mundo há 25 anos.

O QUEBRA-NOZES
CCB | 9 a 11 Dezembro

Ballet para ver em família!

Com música de Pyotr Tchaikovsky e baseado no conto “O Quebra-Nozes e o Rei dos Ratos”, de E. T. A. Hoffmann, O Quebra-Nozes conta a história de uma menina apaixonada pelo Príncipe Quebra-Nozes. É o seu amor que o salva da ameaça do Rei dos Ratos e anula o feitiço que o mantinha quebra-nozes. 

Fundada em 1989 por Sergei Radchenko, um dos mais importantes solistas do Teatro Bolshoi de Moscovo, a Russian National Ballet tem um repertório que privilegia os bailados clássicos, que apresenta por todo o mundo há 25 anos.

Os Improváveis: WWW
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa

Outubro e Novembro

Os Improváveis regressaram ao Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa para uma nova temporada do WWW: um espectáculo 100% improvisado e imprevisível, onde a Comédia de Improviso se cruza em palco com a Internet, novas tecnologias e multimédia.
WWW reinventou-se em cada noite. Todas as cenas foram criadas no momento pelo elenco, com a ajuda do público e com recurso à navegação na web. Abriram-se janelas de diálogo, exploraram-se novos mundos e geraram-se momentos de improviso originais, divertidos e totalmente surpreendentes.
Em WWW, Os Improváveis fizeram click com a plateia, a actualidade e o mundo online. O público clicou, Os Improváveis criaram!
WWW: Um espectáculo cheio de likes.


Interpretação: Marta Borges, Telmo Ramalho, Pedro Borges
Multimédia: Gonçalo Sítima
Sonoplastia e piano: Miguel Tapadas

Os Improváveis: WWW
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa

14 a 24 Abril

Novo espectáculo: o público clica, Os Improváveis fazem!

Os Improváveis regressaram com um novo espectáculo.
100% improvisado e imprevisível, WWW reinventa-se em cada noite. Internet, tecnologias e comédia de Improviso encontram-se em palco. Todas as cenas são criadas no momento pelo elenco, com a ajuda do público e com recurso à navegação na web. Abrem-se janelas de diálogo, exploram-se novos mundos e geram-se momentos de improviso originais, divertidos e totalmente surpreendentes.
Em WWW, Os Improváveis fazem click com a plateia, a actualidade e o mundo online. O público clica, Os Improváveis criam!
WWW: Um espectáculo cheio de likes.


Ficha técnica:
Autoria, criação, encenação, cenografia, adereços e produção: Os Improváveis
Produção executiva: Bárbara Rocha
Apoio à produção: UAU
Apoio cenário: Marta Fernandes da Sila
Desenho de luz: Rui Daniel
Design gráfico: KAYAK  e Vera Capoulas
Vídeo: Hello Movement
Música: The Macaques
Fotografia: Rogério Martins
Com: Marta Borges, Telmo Ramalho, Pedro Borges (interpretação), Gonçalo Sítima (mulitmédia), Miguel Tapadas (sonoplastia e piano)

M/16

Querida, Comprei uma Orquestra
Teatro Tivoli BBVA | 30 Abril e 1 Maio

Uma comédia muito sonora!

Uma mulher chega a casa e é surpreendida pelo marido, que lhe comprou um presente. Pode parecer romântico, mas as coisas complicam-se quando percebe que, em vez de flores ou bombons, ele decidiu comprar uma orquestra.
Sim, isso mesmo: uma orquestra! Com instrumentos, pautas, músicos e maestro...
E é aqui que as coisas começam a desafinar...

Acompanhados pela Orquestra da Cidade, sob direcção do maestro Nuno de Sá, Joana Pais de Brito e Carlos Moura protagonizam uma comédia onde o amor não sai de tom nem desafina.

Ideia Original: Nuno de Sá
Texto: Carlos Moura
Encenação: Pedro Luzindro
Orquestrações: Nuno de Sá
Interpretação: Joana Pais de Brito, Carlos Moura, Nuno de Sá e Orquestra da Cidade

M/6

Teatro Tivoli BBVA
30 Abril às 21h30 | 1 Maio às 16h30

Roberta Sá
Teatro Tivoli BBVA | 23 Junho

Delírio | Novo álbum

Nasceu em Natal (Rio Grande do Norte), em 1980. Aos 24 anos editou o primeiro álbum, Braseiro, uma declaração de amor à MPB, contando com a participação de Ney Matogrosso. Elogiada pela crítica, pares e público, Roberta Sá rapidamente passou de “revelação” a nome consagrado da música brasileira. Com Que Belo Estranho Dia P’ra Se Ter Alegria (2007), o seu segundo álbum, foi nomeada para os Grammy Latinos nas categorias de Artista Revelação e Melhor Álbum de Música Popular Brasileira e ganhou o prémio de Melhor Cantora, atribuído pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). DELÍRIO, de 2015, é o seu sexto álbum e conta com temas inéditos de Adriana Calcanhoto, Moreno Veloso e Martinho da Vila.

Dia 23 de Junho, Roberta Sá apresentou Delírio, e temas de álbuns anteriores, no Teatro Tivoli BBVA. Em palco, estiveram também Alberto  Continentino (baixo), Marcos Suzano (percussão), Luis Barcelos (bandolim e cavaquinho) e Rodrigo Campello (guitarra e violão tenor).

RUA DAS PRETAS | Pierre Aderne e convidados

Ao vivo no Sótão do Teatro Tivoli BBVA | 3, 10,17 e 24 Junho

Música, Vinho, Galinhada e muita Prosa

Sempre me perguntam sobre o que deve ser feito para favorecer a proximidade entre o Brasil e Portugal, e sempre penso que o modo de o fazer com profundidade é manter o conhecimento mútuo e deixar que o amor aconteça. Os dois países ficam perto se souberem manter a sua identidade pelo lado mais absoluto da pertença: a oportunidade da paixão. O que Pierre Aderne faz é isso mesmo. Age por amor.” (Valter Hugo Mãe)

Tudo começou em 2004, no Rio de Janeiro. Em casa, Pierre Aderne reunia os amigos para conversas madrugada dentro, regadas com bom vinho, “comidinhas” e muita prosa. Trocavam-se segredos ao som de boa música, e, no final, sempre a pergunta: quando voltamos a reunir?

Em Lisboa, Pierre recupera as tertúlias e, desde 2011, já passaram pela sua sala de estar nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Carminho, Tito Paris, Ana Moura, Melody Gardot, Camané, Jorge Palma, Mário Laginha, Lura, Anna Maria Jopek, Edu Krieger, Ana Carolina, Fernanda Abreu, António Zambujo, Valter Hugo Mãe, Sara Tavares, entre tantos outros. Em comum, o gosto pelo convívio e pela partilha de saberes e emoções.

A sala de Pierre tornou-se pequena e a RUA DAS PRETAS muda-se para o Sótão Café-Teatro. Nas sextas-feiras de Junho, pelas 23h, Pierre Aderne foi o anfitrião de histórias, poemas e canções partilhadas pelos seus convidados especiais. O vinho foi escolhido por André Ribeirinho (Adegga Wine Market) e a ‘Galinhada da Madrugada’ preparada pelos chefs André Magalhães (Taberna das Flores) e Hugo Nacimento (Tasca da Esquina). As noites terminaram com DJs-surpresa, sempre alguém do “mundo das artes”.

Convidados:
3 Junho – Maria João, João Farinha, Philippe Baden Powell, João Barradas (acordeonista)
10 Junho – Jorge Fernando,  Léo Minax, João Barradas (acordeonista)
17 Junho – Cuca Roseta, Uxia, João Gentil, Pedro Jóia, João Barradas (acordeonista), Miroca Paris (percussionista) e José Eduardo Agualusa
24 Junho – Susana Félix, Jorge Roque (Monda), André Gago, João Barradas (acordeonista)

PIERRE ADERNE
O cantor e compositor brasileiro vive  em Lisboa há seis anos, desde que deixou o Rio de Janeiro. Nos últimos anos tem vindo a aproximar a (sua) bossa contemporânea da world music, do jazz, do fado e da África lusófona. Com seis discos lançados pelo mundo e  colaborações com artistas como  Melody Gardot, Madeleine Peyroux, Léo Minax, Mário Laginha, Wagner, Tito Paris, Sara Tavares, Jorge Palma, Gisela João, Dadi, entre tantos outros, Pierre Aderne também já compôs para outros artistas como Seu Jorge e António Zambujo.
Em 2004, no Rio de Janeiro, começou a fazer saraus na sua casa situada na mítica Rua Nascimento Silva, onde viveu Tom Jobim. Estes saraus da tornaram-se ponto de encontro de artistas, nomeadamente de músicos da nova MPB e da world music. Já em Lisboa, os saraus passaram para a sua casa, na Rua das Pretas. As paredes de sua casa tornaram-se estreitas e Pierre começou a documentar estas noites, nascendo os World Music TV Shows : MPB - Música Portuguesa Brasilieira, filmado entre o Rio de Janeiro e Lisboa (Canal Brasil e RTP), Desafinado, filmado em Nova Iorque (Canal Brasil) e o ainda inédito Rua das Pretas, filmado entre o Rio de Janeiro, Lisboa, Varsóvia e Paris (estreia dia 4 de Junho na Sic Notícias, Canal Brasil).
Actualmente, Pierre Aderne vive entre Lisboa, Madrid e Paris, estando em fase de pós-produção do seu novo álbum, “Da Janela de Inês“.

ANDRÉ MAGALHÃES
André Magalhães é o taberneiro-mor da Taberna da Rua das Flores (Lisboa), um dos projectos gastronómicos mais conceituados do momento, e foi durante cinco anos o chef de cozinha do prestigioso Clube de Jornalistas – Restaurante, em Lisboa.
Como jornalista escreve sobre gastronomia e vinhos, colaborando com várias publicações nacionais e estrangeiras. É membro da FIJEV-Federação Internacional dos Jornalistas e Escritores de Vinhos e  júri internacional em concursos de vinhos e azeites.  Em 2012 ganhou um Taster Trophy, que distingue os melhores provadores no Concurso Mundial de Bruxelas e, em 2015, ganhou o prémio Personalidade do Ano na Gastronomia, atribuído pela revista Wine. Possui uma pós-graduação em Ciências Gastronómicas e dá aulas no Mestrado de Ciências Gastronómicas da FCT/ISA .
Recolector de produtos silvestres e mariscador é um defensor dos produtos sustentáveis e da vida rural.  É membro activo do movimento Slow Food e da Confraria dos Enófilos e Gastrónomos de Trás-os-Montes e Alto Douro.

HUGO NASCIMENTO
O Chef Hugo Nascimento nasceu em 1976, em Lisboa. Ainda criança, era irrequieto e curioso. No seio familiar, era um adolescente atento a tudo o que se desenrolava à volta da mesa. Nas passagens pela cozinha, questionava tudo o que ali se fazia. . O aroma dos petiscos da avó não lhe eram indiferentes. Com o avô, entretinha-se a dar largas à imaginação. As histórias vindas do rio, da terra e do pasto, faziam-no viajar até ao fantástico. Com os amigos, andava de skate e tocava umas notas na guitarra. Estudou com ambição de seguir arquitetura mas, a arte de cozinhar revelara-se paixão.
Em 1996, no Café Café conhece o Chef Vitor Sobral que, de nariz apurado, rapidamente se apercebera do seu talento. Na época, Vitor Sobral iniciava o processo de modernização da culinária lusófona. Hugo não perdeu a oportunidade, e destacou-se como elemento determinante para equipa. Já 2004, no Restaurante Terreiro do Paço, Hugo Nascimento assume pela primeira vez a posição de Chef de cozinha, sob os comandos do mentor. Demonstrou fortes capacidades de liderança, inovação, técnica e muita criatividade. Desde então, começaram as participações internacionais. Destaque-se Macau, Canadá, Alemanha, Brasil e Botswana, como destinos cruciais para o seu desenvolvimento profissional. A cozinha que pratica está na vanguarda da inovação, as técnicas são de mestre. Uma cozinha de emoção, onde cada prato conta uma história que se transforma numa experiência. Para recriar sabores, recorre às memórias. Aquelas de conforto. As da Mãe. Na arte do empratamento, herda do avô, que nas horas vagas era artesão, o dom de ser artista. A tradição e a simplicidade estão na base de tudo aquilo que cria.
Hoje, lado a lado com Vitor Sobral, além de Chef de Cozinha, é empreendedor. Passa grande parte do tempo na Tasca da Esquina e Peixaria da Esquina em Lisboa e, nos restaurantes internacionais, é consultor. (S. Paulo; J.Pessoa; Angola). Além disso, é consultor gastronómico da Cofaco Açores, food stylist, formador e conferencista. O seu percurso, levou-o à capa da revista Timeout, sendo considerado uma das pessoas com quem jantar em 2013. Em 2014 lançou o “livro das sanduíches do Chef Hugo Nascimento, sob o mote #chegadehambúrgueres, um livro cheio de personalidade e irreverência gastronómica.
Nos tempos livres, Hugo dedica-se ao seu grande Amor, a família. Pai de dois filhos, Margarida e Salvador, sua maior fonte de inspiração. Mas, não gere tudo sozinho. Por detrás do “pequeno grande Chef” há uma grande Mulher, Joana Martins.
Em suma, Hugo Nascimento é muito mais que um Chef Executivo. É um criativo nato, um arquiteto de ideias gastronómicas.


M/12

* "A Galinhada da Rua das Pretas é apurada num caldeirão de memórias que junta galinhas caipiras, ou talvez de Angola, ou à cafreal, temperos sonhados, kiabos suados, no azeite dendém dos palmares do Bengo, chouriço de lata, do fubeiro da Canata, arroz de caboclo, farofa amarela, milhos demolhados, inspirados, na Cachupa do Poço dos Negros…", (André Magalhães)

STOMP 2016
Figueira da Foz, Coliseu Porto, CCB

O regresso sempre desejado!
A originalidade dos STOMP é indiscutível.  Criar um espectáculo de percussão, onde o ritmo e o humor se entrelaçam, não é fácil mas os STOMP conseguem-no de uma forma surpreendente. Utilizando uma estética inspirada no teatro de rua, têm nos sons de objectos tão improváveis  como carrinhos de super-mercado, lava-loiças ou caixas de fósforos, sem nunca esquecer os caixotes de lixo, a sua imagem de marca.
Para (re) ver em Abril na Figueira da Foz, no Porto e em Lisboa.

M/6

CAE Figueira da Foz | 6 e 7 Abril | 21h30
Coliseu Porto | 9 Abril | 16h30 e 21h30
CCB | 12 a 17 Abril às 21h | 16 e 17 também às 16h

 

Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos

Uma viagem pelos musicais de Chico Buarque!

Coliseu Porto | 8 e 9 de Março 
Campo Pequeno | 11 e 12 de Março

Estreado em 2014, no Brasil, Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos é o espectáculo oficial da celebração do 70º aniversário de Chico Buarque e foi entusiasticamente aclamado pelos pares, crítica e público.

Dez anos depois do grande sucesso de Ópera do Malandro, a dupla de criadores brasileiros, Charles Möeller e Cláudio Botelho, regressaram a Portugal com esta nova e grandiosa encenação que nos levou por uma viagem pelas mais belas canções de Chico Buarque, escritas para produções musicais como Gota d’Água, Ópera do Malandro, O Corsário do Rei, Calabar, Quando o Carnaval Chegar, O Grande Circo Místico, Dona Flor e Seus Dois Maridos, entre tantas outras.
Produzido e encenado por Möeller e Botelho, o espectáculo Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos canta a história de uma companhia de teatro, seus sucessos, encontros e desencontros, através das memórias, já comprometidas pela idade, do seu director.

Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos: uma história comovente interpretada por um elenco e uma banda de luxo através das inesquecíveis canções de Chico Buarque.

Trovas & Canções
Teatro Tivoli BBVA 2 Novembro

Trovas & Canções, Actores, Poetas e Cantores é uma homenagem ao teatro, música e poesia portuguesas que reuniu três gerações de actores, uma fadista e dois músicos ao redor de Ruy de Carvalho.

Assinado por Paula Carvalho e Paulo Mira Coelho, o espectáculo recorda uma mão cheia de poetas, numa viagem entre a récita e o concerto, sem esquecer o teatro, através de textos de Gil Vicente, o “pai” do teatro português.
Gravados na memória de todos nós, poemas de  Luiz Vaz de Camões e Manuel Maria Barbosa du Bocage, Pedro Homem de Mello e José Luís Gordo, Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Moniz Pereira, Ary dos Santos, Manuel Alegre, Florbela Espanca ou José Luís Tinoco serão ditos, tocados e cantados no palco, mas também terão o eco das vozes da plateia, numa íntima partilha de emoções entre público e intérpretes.

Com interpretação de João de Carvalho e Henrique de Carvalho, filho e neto do actor Ruy de Carvalho, voz da fadista Ana Marta, Prémio Amália Revelação 2011, guitarra portuguesa do professor Ricardo Gama e viola clássica de João Correia, Ruy de Carvalho é a alma de Trovas & Canções, Actores, Poetas e Cantores.

 

 

Uma Noite na Lua | Gregório Duvivier
Coliseu Porto | 26 Maio

O regresso a Portugal!
Gregório Duvivier o rosto do momento do humor brasileiro, fundador, actor e autor do grupo Porta dos Fundos, tem um dos canais do youtube com mais visualizações em todo o Mundo e está presente na televisão portuguesa através do canal FOX.
 Além do teatro, televisão e cinema, Gregório Duvivier destacou-se pela autoria de livros de grande sucesso no Brasil e em Portugal: "A partir de amanhã eu juro que a vida vai ser agora", "Ligue os pontos - Poemas de amor e Big Bang" e "Put Some Farofa". Assina ainda uma coluna semanal no jornal Folha de São Paulo.
 Humorista e actor, mas também escritor, guionista, cronista e poeta, Gregório Duvivier venceu o prémio APTR com a peça "Uma Noite na Lua" e é considerado no Brasil um dos mais extraordinários talentos revelados nos últimos anos. "
Uma Noite na Lua" é a comédia que fala de um escritor sem um único título publicado que luta para, enfim, terminar uma peça sobre um homem solitário. A personagem intensa processa as suas ideias em cima de um palco e vive atormentado pela recordação de Berenice, a sua ex-mulher.

“A peça é cómica, poética, dramática e romântica ao mesmo tempo. É hilariante e arrebatadora. É o texto mais completo que eu já li”, avalia Gregório.
 Uma Noite na Lua é o maior sucesso de público e crítica do autor e director teatral João Falcão.


M/12

Video Games Live
Campo Pequeno | 19 Novembro

Bandas sonoras de videojogos pala Lisbon Film Orchestra

Se no início apenas se ouviam beep-beeps, hoje os videojogos têm bandas sonoras capazes de rivalizar com qualquer hit dos mais famosos músicos do mundo. A par com o desenvolvimento de efeitos cada vez mais especiais e fantásticos, também o cuidado com o som se fez sentir na indústria de vídeo jogos.
Criado por Tommy Tallarico, multi-premiado compositor para videojogos, Video Games Live é O concerto que reúne os mais emblemáticos temas dos mais famosos jogos da actualidade. Interpretados pelo coro e orquestra da Lisbon Film Orchestra, e com participação especial de Tommy Tallarico na guitarra, e sincronizados com efeitos especiais e sequências de vídeo projectadas, temas de Zelda, Final Fantasy, Kingdom Hearts, Castlevania, World of Warcraft, entre tantos outros, desfilaram pelo palco do Campo Pequeno.

Antes, vistam-se a rigor para o pre-show cosplay e preparem-se para uma one time life experience com Video Games Live.

M/6

VIP BACKSTAGE EXPERIENCE package:

Para os verdadeiros fãs, PASSES EXCLUSIVOS disponíveis, que incluiram:
- Passe laminado de acesso ao backastage de Video Games Live
- Visita ao backastage antes do concerto
- Meet & Greet com Tommy Tallarico, premiado compositor de videojogos e criador de Video Games Live
- Cartão para download gratuito de Video Games Live: Level 3 album
- Sticker e pin VGL
- Acesso prioritário ao after-show Meet & Greet
- Página da pauta do concerto assinada pelo maestro


 

50 SOMBRAS!
Teatro Tivoli BBVA 16 de Abril a 27 de Junho | 4 de Julho no Coliseu do Porto

Comédia ao best-seller "50 Sombras de Grey"

A escolha do livro 50 Sombras de Grey revolucionou o pacato clube de leitura de Pam, Carol e Bea. Mundana, Pam desfruta as tórridas cenas do livro, enquanto a ingénua Carol tem dificuldade em ENCONTRAR a sua “deusa interior”. Em conjunto, imaginaram Anastasia Steel, Christian Grey, Kate, Joseph e Elliot e deram vida a cenas... sim, essas cenas!... temperadas pelos inconfessados desejos de cada uma.

Irreverente, divertido, desinibido, com algum látex e sem meias medidas... ou cheio delas!... 50 Sombras é uma comédia BDSM: Bombasticamente Divertida, Sexy e Musical! Depois do sucesso nos Estados Unidos, Alemanha, Holanda, França, Espanha, e Reino Unido foi a vez de Portugal apresentar 50 SOMBRAS! 

Encenação António Pires, Tradução e Adaptação Miguel Dias, Coreografia Paula Careto, Direcção Musical Artur Guimarães, Desenho de luz Paulo Sabino, Figurinos Dino Alves. Elenco: Angela Eckart, Catarina Guerreiro, Filipe Rico, Marta Andrino, Pedro Pernas, Rita Cruz, Ruben Madureira, Sissi Martins. Músicos: Artur Guimarães- piano, Miguel Teixeira - piano, Luís Neiva - bateria, João Mousinho – bateria, André Galvão – baixo, Luís Rosa – baixo.

M/16

A Bela Adormecida
Centro Cultural de Belém | 11 e 12 de Dezembro

Fundado em 1989 por Sergei Radchenko, um dos mais importantes solistas do Teatro Bolshoi de Moscovo, o Ballet Nacional Russo tem um repertório que privilegia os bailados clássicos, que apresenta por todo o mundo há 25 anos. Bailado em quatro actos com um prólogo, A Bela Adormecida é uma das produções mais famosas da companhia. Com música de Piotr Tchaikovsky, a versão do conto dos irmãos Grimm tem libreto de Charles Perrault, coreografia de Marius Petipa e interpretação de excelência pelos bailarinos do Ballet Nacional Russo.

A Ópera Cabe no Bolso, Sabia?
Teatro Tivoli BBVA | 23 de Junho

Orquestra da Cidade | Ópera para todas as idades!

Diferentes cantores líricos vestiram-se a rigor para recordar emoções e memórias da história da ópera. “Barbeiro de Sevilha”, “Flauta Mágica”, “Bodas de Fígaro” ou “Carmen” são algumas das mais famosas árias de ópera que compuseram o programa de A Ópera Cabe no Bolso, Sabia?
Apresentado pela Orquestra da Cidade, projecto musical criado em parceria com a UAU, A Ópera Cabe no Bolso, Sabia? foi um dos espectáculos propostos para o Teatro Tivoli BBVA que teve por objectivo conquistar novos públicos para a música clássica.

ARGVS de Luísa Amaro
Teatro Tivoli BBVA | 30 de Junho

ARGVS, o novo projecto de Luísa Amaro, que vem reafirmar o universo original e fascinante da voz da guitarra portuguesa!

Inserido no 41º Festival de Estoril Lisboa, neste concerto de música clássica a compositora rompeu definitivamente com a original tradição de tocar guitarra: sem dedos calejados foram agora as cordas sentimentalizadas que expressaram afectos livres.
Inspirada nas emoções clássicas mediterrâneas, Luísa Amaro apresentou um exercício histórico de harmonias onde redefiniu uma nova imagem para a identidade portuguesa!

Guitarra portuguesa: Luísa Amaro
Clarinete baixo: Gonçalo Lopes
Guitolão: António Eustáquio
Piano: Paulo Sérgio

As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos
Teatro Tivoli BBVA | 15 Janeiro a 15 Fevereiro

Um espectáculo incontornável que marcou gerações!

Só alguns espectáculos conseguem tamanha proeza: As Obras Completas William de Shakespeare em 97 Minutos manteve-se em cena ao longo de 15 anos, correu o país, com salas cheias, deliciando cerca de 300 mil espectadores.

Das tragédias às comédias, passando pelas peças históricas e até mesmo pelos sonetos, este espectáculo revisita as 37 obras de Shakespeare à velocidade de uma verdadeira montanha-russa, com o público a ser parte integrante da acção.

Desde 1996, data em que Juvenal Garcês assinou a encenação e o estreou no Teatro Mário Viegas, As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos tornou-se num espectáculo incontornável que marcou gerações, alcançando uma transversalidade rara. 

 

“É a peça com a carreira mais longa em Portugal. Entre 1996 e 2011, o hilariante texto britânico de Adam Long, Daniel Singer e Jess Borgeson fez rir cerca de 300 mil espectadores”, Público

“Uma singularíssima peça de teatro (...) concebida em jeito de revista, sintetiza as obras completas de William Shakespeare através de uma montagem delirante em criatividade, intensionalidade, comunicabilidade” Jornal i

“O trabalho do encenador Juvenal Garcês é dos mais bem sucedidos de sempre da história do teatro português”, Metro


Texto Adam Long, Daniel Singer e Jess Borgeson  Encenação Juvenal Garcês  Tradução Célia Mendes Cenário e Figurinos Luciano Cavaco  Produção UAU
Interpretação André Nunes, António Machado e Telmo Ramalho

M/12

Caprichos de Goya | Exposição
Torreão Poente (Terreiro do Paço) 12 de Março a 12 de Maio | Caves Cálem 18 de Junho a 1 de Novembro

Uma crítica social em 80 gravuras!

Francisco de Goya y Lucientes (1746-1828), pintor e gravador espanhol, fundador do movimento Romântico e percursor do Impressionismo, foi um dos mais importantes artistas plásticos do final do século XVIII. Embora pintor oficial da corte de Carlos IV, de Espanha, foi um crítico feroz à sociedade em que viveu, como demonstrou em CAPRICHOS, uma colecção de 80 gravuras onde censurou os vícios humanos e as instituições políticas, denunciou as injustiças sociais e satirizou os comportamentos da sociedade, sobretudo das classes da nobreza e clero. Passados quase duzentos anos, a necessidade de justiça social manteve-se pelo que a UNESCO, em paralelo com o plano Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ONU, 2000/2015), promoveu o projecto Dancing for the Millennium Goals (A Dançar pelos Objectivos do Milénio), no qual a presente exposição se inseriu, contribuindo com parte da sua receita. Em Portugal, o apoio reverte para a ONG P&D Factor – Associação para a Cooperação Sobre População e Desenvolvimento.

Clássicos São os Trapos!
Orquestra da Cidade

Teatro Tivoli BBVA | 26 de Maio

Rir num concerto de música clássica? Neste pode!

Um maestro, um comediante e uma pequena orquestra de cordas juntaram-se para desconstruir o preconceito existente entre a música clássica e o gosto pela sonoridade orquestral!
Inserido no projecto da Orquestra da Cidade, em Clássicos são os trapos!, o maestro Nuno de Sá e o humorista Carlos Moura interpretam e comentam as mais emblemáticas obras da autoria de Mozart, Bach, Mendelssohn e Tchaikovsky.

Esta dupla improvável subiu ao palco do Teatro Tivoli BBVA, no dia 26 de Maio, com uma missão árdua: mostrar que a música clássica não é chata!

David Guetta
Estádio de Quarteira (Vilamoura) | 14 de Agosto

A festa de Verão que ninguém quis perder.

David Guetta não precisou de apresentações. De origem francesa, é considerado um dos melhores DJs do mundo,  actividade que mantém em paralelo com a de produtor musical. Com mais de 9 milhões de álbuns e mais de 30 milhões de singles vendidos, Guetta é uma verdadeira estrela da EDM (Electronic Dance Music), com uma centena de nomeações e 27 galardões nos mais importantes prémios da indústria incluindo 4 World Music Awards, 11 International Dance Music Awards, 6 DJ Awards e 2 Grammy.

Hugo Tabaco e Higher Self foram os responsáveis pela abertura do concerto. 

Dia Mundial da Voz
Auditório dos Oceanos | 13 de Abril

O Dia Mundial da Voz, iniciativa que partiu de Mário Andrea, professor de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Lisboa, que sugeriu a criação deste dia na primeira reunião da Sociedade Europeia de Laringologia (European Society of Laringology) da qual, na altura, era presidente, é desde 2003 é comemorado em todo o mundo, no dia 16 de Abril e tem como principal objectivo dar visibilidade à Voz, articulando acções de carácter assistencial, cultural e de ensino.

Oiça a sua Voz e Goste da sua Voz, têm sido as mensagens divulgadas e que pretendem chamar a atenção para a importância de um diagnóstico precoce perante uma alteração do nosso principal meio de comunicação e para a prevenção das doenças que podem afectar a Voz.

Este ano, esta data foi celebrada mais cedo com um espectáculo 100% improvável. O trio Marta Borges, Pero Borges e Telmo Ramalho apresentou-nos os melhores improvisos de sempre uma noite diferente e muito interactiva no Casino Lisboa - Auditório dos Oceanos!

Disney in Concert - Magical Music from the Movies
Coliseu Porto 9 e 10 de Dezembro | Campo Pequeno 26 de Dezembro

A magia da música Disney pela Lisbon Film Orchestra.

Um Natal Mágico com concertos no Porto e Lisboa!

A magia do Natal foi celebrada em família com o mundo encantado da Disney interpretado pela Lisbon Film Orchestra. O Coliseu do Porto e o Campo Pequeno em Lisboa transformaram-se, nesta quadra natalícia, em anfiteatros mágicos, onde os clássicos temas da Disney resgataram do nosso imaginário sonhos, emoções e fantasias, num espectáculo musical único dirigido pelo maestro Nuno de Sá.

Os temas dos nossos heróis O Rei Leão, A Pequena Sereia, Piratas das Caraíbas, Mary Poppins, A Bela e o Monstro, Aladdin e Frozen- O Reino do Gelo, entre outros, foram as grandes estrelas deste espectáculo, tocados por 55 músicos e 4 cantores sincronizados com as imagens dos famosos filmes da Disney projectadas na tela, proporcionando uma experiência musical de orquestra verdadeiramente mágica e um Natal ainda mais especial a todas as famílias.

Dulce Pontes em Concerto
CCB 7 e 8 Janeiro | Coliseu do Porto 17 Janeiro

"Tantas portas abertas e veredas pelo Mundo, tanto espanto e bem querer e nada me basta sem este chão matriz que me viu nascer.", Dulce Pontes

27 anos de Música a percorrer os palcos do Mundo, Dulce Pontes iniciou 2015 com o abraço mais desejado: Portugal. Uma viagem poético-musical entre o passado e o presente, com algumas pontes para o futuro. Pelo fado, o folclore, a música popular Portuguesa, a música Galaico-Portuguesa, de Martin Codax a Artur Paredes, de Fernando Pessoa a Horácio Ferrer, de Mikis Theodorakis a Linhares Barbosa, Dulce fez a travessia do Atlântico, tocando as orlas de África e Brasil, com paragem obrigatória em temas que são clássicos da sua extensa carreira.

 


M/6

ENRA
CCB | 20 e 21 de Novembro

Quando o real dança com o virtual!

Depois da cerimónia de candidatura aos Jogos Olímpicos 2020 do Japão, assinaram o espectáculo de encerramento do 68º Festival de Cinema de Cannes. São os ENRA e vieram da Terra do Sol Nascente. A companhia, criada em 2012 por Nobuyuki Hanabusa, alia diferentes disciplinas performativas a cenários virtuais que se transformam ao ritmo da música e da narrativa. É esta combinação da imagem com a performance de artistas multi-facetados, desde bailarinos a acrobatas, passando pelas artes marciais, que tornaram esta companhia formada há 3 anos na mais recente novidade do entretenimento.

Enra no Youtube: https://goo.gl/FocKjB

Grandes Concertos de Verão no Casino Estoril 2015
De 23 de Julho a 10 de Setembro

O Lounge D do Casino Estoril voltou a ser o palco eleito para um novo ciclo dos Grandes Concertos de Verão, que decorreram, este ano, entre 23 de Julho e 10 de Setembro. A programação musical ecléctica e de relevo animou aquele espaço e atraiu um público numeroso e heterogéneo, como aconteceu em anteriores edições. Entrada gratuita.

Quintas-Feiras  | 22h30

Aurea | 23 de Julho
Os Azeitonas | 30 de Julho
GNR | 6 de Agosto
João Pedro Pais | 13 de Agosto
Carminho | 20 de Agosto
Deolinda | 27 de Agosto
Jorge Palma | 3 de Setembro
Expensive Soul | 10 de Setembro

Irish Celtic
CAE Figueira da Foz 19 de Fevereiro | Coliseu do Porto 20 de Fevereiro | CCB 21 e 22 de Fevereiro

Uma homenagem à cultura irlandesa no mundo

Em Spirit of Ireland, os Irish Celtic prestam homenagem aos milhares de irlandeses que fugiram do país no século XIX em busca de uma vida melhor. Na bagagem levaram a música e o ritmo que os caracteriza. Espalhados pelo mundo, juntavam-se nos pubs para dançar. Ainda hoje o fazem e assim mantêm vivo o “espírito da Irlanda”.

M/6

Katia Guerreiro
18 Abril no CCB | 28 de Agosto no Casino da Figueira da Foz

Concertos de Apresentação de Até ao Fim!

Até ao Fim é um álbum de emoções. Emoções passadas, presentes e futuras. É o disco pelo qual Katia Guerreiro esperou, até garantir que o sentia no seu todo. Esperou também por todos, autores, compositores, músicos, com quem queria fazer esta viagem. E ao longo dos 12 temas que o compõem, é este o fado que se ouve... e que Katia quis partilhar com o público... Até ao Fim.

 

Mário Daniel - Fora do Baralho
Aud. Oceanos Casino Lisboa | 26 Dez a 3 Jan

Mário Daniel, autor, apresentador e mágico do "Minutos Mágicos", programa de sucesso de horário nobre da SIC, apresenta Fora do Baralho um espectáculo para toda a família.

Fora do Baralho é muito mais do que um espectáculo de magia! Mistura a arte da ilusão com a cénica e a teatral, criando não só magia, mas uma atmosfera mágica. Conta a história de um mágico que está num atelier a tentar criar o seu próximo espectáculo. Nesse mundo existem outras personagens, a empregada que detesta ver tudo desarrumado, ou o artesão das ilusões do Mário. Numa relação muito divertida, e invocando os valores da amizade, cooperação e família  fazem com que os “truques” surjam de forma natural no decorrer da narrativa e se transformem em verdadeira magia! Esta é uma nova proposta de espectáculo e uma nova forma de encarar esta arte.

Para aquele que não gosta de “truques” este é o espectáculo!

Orfeão Edmundo Machado Oliveira
Teatro Tivoli BBVA | 29 de Junho

41º Festival Estoril Lisboa

Da música clássica à música popular portuguesa, passando pelos temas tradicionais açorianos, o Orfeão Edmundo Machado Oliveira conta com um reportório vasto e variado.
Com raízes no arquipélago açoriano, os 46 coristas fizeram-se acompanhar pelo ensemble e pelo coro num concerto único dirigido pela maestrina Cristiana Spadaro. Inserido no 41º Festival Estoril Lisboa, neste concerto o Orfeão contou ainda com as participações especiais de Katia Guerreiro, Ricardo Ribeiro e Lúcia Moniz e, na guitarra portuguesa, Pedro de Castro!

Orquestra de Cordas e Coro da Casa Pia de Lisboa
Teatro Tivoli BBVA | 18 de Novembro

Pelo 3º ano consecutivo, a abertura do ano lectivo da Casa Pia de Lisboa aconteceu no Teatro Tivoli BBVA. Com apresentação de Helena Costa e António Machado, o espectáculo contou com o fadista Ricardo Ribeiro, Marisa dos Amor Electro, Eneida Marta, cantora guineense e Embaixadora da UNICEF e Tó Cruz dos Boss AC como convidados, para actuarem em conjunto com os 120 jovens que compõem a orquestra de cordas (violas de arco, violinos e violoncelos) da Casa Pia de Lisboa.

As receitas do concerto reverteram a favor da aquisição de novos instrumentos musicais para a Orquestra de Cordas da Casa Pia.

Os Improváveis | 7º Aniversário
Aud. dos Oceanos Casino Lisboa | 15 de Dezembro

Dia 15 de Dezembro, Os Improváveis subiram ao palco do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa para um espectáculo muito especial. E não estiveram sozinhos: em dia de aniversário, convidaram Rita Pereira e os duplos Mad Stunts para se juntarem à festa que também marcou a última apresentação de A Fábrica.

Formaram-se em 2008 e, desde então, já contam com mais de 600 representações para mais de 60.000 espectadores, em Portugal e estrangeiro. Actores profissionais, com especialização em Teatro de Improviso, Marta Borges, Pedro Borges e Telmo Ramalho, desenvolveram diferentes projectos de teatro, trabalham em televisão e cinema, e são muito procurados na área empresarial pelos seus workshops, palestras e eventos para empresas.

Sem rede, sem guião mas com muita inspiração: o público pediu, Os Improváveis fizeram!

Os Improváveis | A Fábrica
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa | 24 de Novembro

Eles são 3. Eles foram divertidos. Eles foram surpreendentes. Eles são peritos na arte de improvisar. Eles são Os IMPROVÁVEIS!

O público pediu e OS IMPROVÁVEIS fizeram! É o lema deste grupo que primou pela constante busca de novos caminhos e aplicações da sua arte.
Actores profissionais, Marta Borges, Pedro Borges e Telmo Ramalho especializaram-se em Comédia de Improviso. Desde 2008 que já participaram em inúmeras formações e workshops com os maiores entre os maiores a nível mundial. Por cá, mantiveram uma actividade diversificada: espectáculos, formações corporate, animações de reuniões, apresentações de galas e muitos outros eventos absolutamente prováveis!

Em A FÁBRICA, o espectáculo do momento,  tudo foi improvisado: sem guião ou personagens fixos, a acção foi criada em tempo real, a partir das dicas recebidas da plateia. Esta interactividade entre actores e público tornou cada apresentação única e impossível de repetir.

Mas, A FÁBRICA “fechou”. Para o ano... novidades!

Os Improváveis | A Fábrica
Teatro Tivoli BBVA 20 e 21 de Fevereiro | Teatro Sá da Bandeira 25 de Fevereiro | Teatro Tivoli BBVA | 2 de Junho

Cada espectáculo é memorável e irrepetível! 

Os Improváveis são os responsáveis por um espectáculo de comédia de improviso onde tudo pode acontecer: não há guiões, diálogos, personagens definidas nem cenas pré-ensaiadas. O conteúdo de cada noite é 100% improvisado, criado em tempo real por Marta Borges, Telmo Ramalho e Pedro Borges, o elenco de actores profissionais especializados em Teatro de Improviso.

O público foi acarinhado e fez parte integrante do espectáculo, ora dando sugestões para os actores criarem, ora vindo a palco improvisar com Os Improváveis. A interactividade é total e viveram-se  momentos únicos, muito divertidos e com humor sofisticado.

Em Fevereiro, juntaram-se aos Improváveis uma equipa de Improváveis internacionais, entre os quais dois dos mais famosos improvisadores do Mundo: Daniel Nascimento (da companhia Barbixas, Brasil) e Gustavo Miranda (da companhia Áccion Impro, Colômbia).

Estes encontros improváveis começaram em 2011 e sempre com enorme sucesso. E como os Improváveis adoram e procuram estes intercâmbios e partilhas internacionais, a digressão 2015 decorreu na melhor das companhias.

O público pedia, Os Improváveis faziam!

PICADEIRO HENRIQUE CALADO
Inauguração 16 Julho

A Arte Equestre regressa a Belém!

A Escola Portuguesa de Arte Equestre (EPAE), gerida pela Parques de Sintra – Monte da Lua, apresenta, regularmente,, no Picadeiro Henrique Calado (na Calçada da Ajuda, em Belém), espetáculos e treinos abertos a todo o público. Neste local central, o público pode assistir a treinos, bem como a espetáculos semanais e galas. Nos treinos os visitantes poderão assistir ao trabalho de ensino que é realizado diariamente pelos cavaleiros e, durante os espetáculos, são apresentadas diversas coreografias e exercícios, tais como carrossel, rédeas longas e ares altos, ao som de música especificamente selecionada para o efeito. Nas galas, marcadas em datas especiais, o espetáculo é mais alargado e inclui a apresentação de diversos números acompanhados por efeitos de luz e som, que enriquecem o cenário.

A EPAE, uma das 4 escolas de Arte Equestre na Europa, foi criada em 1979 e tem por objetivo promover o ensino, a prática e a divulgação da Arte Equestre tradicional portuguesa, na sequência do que fazia a Picaria Real, academia equestre da corte portuguesa, encerrada no século XIX. Depois da Sociedade Hípica Portuguesa, no Campo Grande, a Escola Portuguesa de Arte Equestre instalou-se nos jardins do Palácio Nacional de Queluz, em 1996, onde realizou apresentações regulares abertas ao público.

A Parques de Sintra – Monte da Lua, S.A. (gestora da Escola Portuguesa de Arte Equestre desde setembro de 2012) assinou em 2014 um protocolo com o Estado Maior do Exército Português para requalificação e utilização deste picadeiro, de forma a albergar com dignidade os espetáculos, promovendo o regresso desta arte nacional à sua zona de origem, Belém. Neste sentido, com um investimento de aproximadamente 1.355.000 Euros, cofinanciado pelo POR Lisboa, o espaço foi amplamente requalificado, procedendo-se à adaptação de todo o interior, recuperação das fachadas e da cobertura, dotando o edifício das infraestruturas necessárias. O projeto, com intervenção numa área de cerca de 2.200 m2, abrangeu três vertentes: 1) Acolhimento de público, com a instalação de duas bancadas para cerca de 300 pessoas (incluindo camarote), bilheteira, cafetaria, loja e instalações sanitárias; 2) Área técnica, com a criação de um espaço para cavaleiros, funcionários e pessoal de apoio, bem como régie para acompanhamento dos espetáculos (em termos de som e luz); instalações sanitárias, balneários e arrumos; e 3) Picadeiro, criando-se um espaço central de espetáculos, para acolher os cavalos, quer para treinos, quer para eventos; e ainda uma zona de espera para os cavalos, com acesso direto a partir da Calçada da Ajuda. Adicionalmente, foram instaladas boxes para os cavalos nas cavalariças conhecidas como Cocheiras da Rainha, localizadas no Páteo da Nora, e um picadeiro de aquecimento coberto.

De acordo com Manuel Baptista, Presidente do Conselho de Administração da Parques de Sintra – Monte da Lua, “a recuperação do Picadeiro Henrique Calado constitui-se como um dos pontos-chave para a correta apresentação da Escola Portuguesa de Arte Equestre ao público nacional e estrangeiro. Com este espaço, coberto, é agora possível garantir apresentações e espetáculos durante todo o ano, com os melhores níveis de qualidade de acolhimento de visitantes, garantindo assim o merecido reconhecimento da qualidade da EPAE.”

Além da histórica associação desta zona da cidade à arte equestre, quer de cariz militar, quer de serviço à “Casa Real”, Belém é também uma zona de grande interesse turístico permitindo maior visibilidade e acesso dos visitantes às diferentes propostas da Escola Portuguesa de Arte Equestre.

Visitar o Picadeiro Henrique Calado é a oportunidade de viajar na História nacional, vivendo momentos que se perpetuaram na beleza dos cavalos Lusitanos da Coudelaria de Alter, utilizados nesta arte desde o século XVIII, na realização de exercícios de equitação clássica, exercícios de equitação do período Barroco e exercícios dos Jogos de Corte (torneios praticados entre os séculos XVI e XIX, em ocasiões festivas), mas também nos trajes e arreios que, quer sejam de trabalho (Treinos Diários), quer sejam de gala (Apresentações Semanais e Espetáculos de Gala), são os mesmos que se usavam na génese da Arte Equestre portuguesa.

Picadeiro Henrique Calado - Calçada da Ajuda, Belém
www.arteequestre.pt

Slava's Snowshow
Coliseu Porto 2 e 3 de Outubro | 6 a 11 de Outubro no CCB

Épico e poético, meigo e apaixonado, sábio e ingénuo: SLAVA’S SNOWSHOW.

Criado em 1993, está em digressão desde então, regressando ciclicamente a cada país, sempre com salas esgotadas por todos os que querem ser surpreendidos pelo espectáculo que à entrada tem o aviso: “Cuidado que os sonhos podem tornar-se realidade!”.

Em Outubro, o universo fantástico e multi-premiado de Slava’s Snowshow voltou ao Coliseu Porto e ao CCB e trouxe-nos a oportunidade de entrar num mundo habitado por palhaços muito especiais, capazes de desencadear tempestades de neve a partir de um simples pedaço de papel.

Criado por Slava Polunin, referência maior do teatro cómico do século XXI e actual, Slava’s Snowshow é um espectáculo que não termina com os aplausos finais, continuando na plateia onde a noção do tempo é perdida por todos aqueles que permaneceram a brincar com as irresistíveis bolas coloridas.

Tango Pasión
CCB 21 e 22 de Março | CAE Figueira da Foz 26 e 27 de Março | Coliseu do Porto 28 de Março

A premiada companhia Tango Pasión regressou a  Portugal com Sinfonía de Tango, num tributo à música de Astor Piazzolla.Com direcção musical de Gabriel Merlino, a Sexteto Tango Pasión interpretou temas de Astor Piazzolla, entre outros compositores, para coreografias assinadas por Osvaldo Ciliento e dançadas por 12 bailarinos.

Apaixonante!

M/6

Tap Factory
CCB | 17 e 18 Janeiro

Ritmo, percussão e muito humor!

Estrearam-se em Lisboa, em Setembro de 2012, e desde então têm conquistado públicos por toda a Europa e América do Sul.
Considerados exímios na arte do sapateado e da percussão, que conciliam com o hip-hop e a acrobacia aérea, os Tap Factory são já uma referência no mundo do espectáculo.

M/6

Viagem Fantástica
CCB | 31 de Julho

Concerto inédito juntou a Orquestra Gulbenkian, Katia Guerreiro e três Grammy.

O concerto de encerramento da 41ª edição do Festival Estoril Lisboa juntou a Orquestra Gulbenkian e Katia Guerreiro a três vencedores dos Grammy, David Alan Miller (maestro) e Evelyn Glennie (percussão), em 2014, e o compositor norte-americano Michael Daugherty, em 2013. À estreia em Portugal de Dreamachine para percussão e orquestra (Michael Daugherty, 2014), juntou-se o fado de Katia Guerreiro e a grandiosa obra The Fall of Constantinopla (A queda de Constantinopla), do turco-norte-americano Kamran Ince. Uma viagem fantástica por mundos e histórias que se cruzaram no tempo e que a Orquestra da Gulbenkian juntou no palco do CCB.

Programa
Michael Dauhherty Dreamachine para percussão e orquestra *
Fados orquestrados **
Kamran Ince The Fall of Constantinopla (A Queda de Constantinopla)

*   Estreia em Portugal
** Estreia absoluta. Orquestração de Tiago Derriça

40 e Então?
Teatro Tivoli BBVA | 30 Abril a 26 Julho

Ana Brito e Cunha, Fernanda Serrano e Maria Henrique regressam ao palco dez anos depois do sucesso de Confissões das Mulheres de 30. Com elas trazem histórias, muitas. São histórias comoventes, histórias divertidas, histórias de afectos, histórias novas, histórias antigas que os anos fazem viver de forma diferente. São histórias contadas por outras mulheres, com vivências diversas, a quem a idade não assusta ou, se calhar, assusta e muito.
Em 40 e Então? a vida é assumida sem tabus ou adoçante. A idade é um posto e as actrizes dão voz a textos seus e a autoras como Ana Bola, Helena Sacadura Cabral ou Rita Ferro e, sobretudo, a todas as mulheres que já estiveram, estão ou vão entrar na década da ternura.

Direcção Sónia Aragão Textos Ana Bola,  Helena Sacadura Cabral, Inês Maria Meneses, Leonor Xavier, Sílvia Baptista, Rita Ferro e Rute Gil Figurinos Isabel Carmona Desenho de Luz Luís Duarte Interpretação Ana Brito e Cunha, Fernanda Serrano e Maria Henrique
M/16

Aldo Lima + Francisco Menezes + Nilton
Abril e Maio 2014

Eles são três dos melhores comediantes portugueses. Em comum, têm um enorme talento já para não falar no facto de todos terem opiniões sobre tudo e até mesmo sobre o nada.
Sem pretextos, eles não precisam, Aldo Lima, Francisco Menezes e Nilton encontraram-se todas as terças-feiras à noite em Abril e Maio de 2014 no Teatro Villaret com um humor sem regras.
No palco e em liberdade total, as noites de terças-feiras foram tudo menos iguais às outras noites. Desconcertantes, provocadores, hilariantes estes três humoristas foram capazes de tudo. Foi ver para crer. 

As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos
Teatro Tivoli BBVA | 20 Janeiro a 30 Junho

Teatro Sá da Bandeira | 3, 4, e 5 Out.

Um espectáculo incontornável que marcou gerações!

Só alguns espectáculos conseguem tamanha proeza: As Obras Completas William de Shakespeare em 97 Minutos manteve-se em cena ao longo de 15 anos, correu o país, com salas cheias, deliciando cerca de 300 mil espectadores.

Das tragédias às comédias, passando pelas peças históricas e até mesmo pelos sonetos, este espectáculo revisita as 37 obras de Shakespeare à velocidade de uma verdadeira montanha-russa, com o público a ser parte integrante da acção.

Desde 1996, data em que Juvenal Garcês assinou a encenação e o estreou no Teatro Mário Viegas, As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos tornou-se num espectáculo incontornável que marcou gerações, alcançando uma transversalidade rara. É por isso tempo de o voltar a colocar de pé.

Com produção da UAU, As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos sobem ao palco do Teatro Tivoli BBVA todas as segundas-feiras e, simultaneamente, percorrem o país em digressão.

Venha celebrar connosco!

“É a peça com a carreira mais longa em Portugal. Entre 1996 e 2011, o hilariante texto britânico de Adam Long, Daniel Singer e Jess Borgeson fez rir cerca de 300 mil espectadores”, Público

“Uma singularíssima peça de teatro (...) concebida em jeito de revista, sintetiza as obras completas de William Shakespeare através de uma montagem delirante em criatividade, intensionalidade, comunicabilidade” Jornal i

“O trabalho do encenador Juvenal Garcês é dos mais bem sucedidos de sempre da história do teatro português”, Metro


Texto Adam Long, Daniel Singer e Jess Borgeson  Encenação Juvenal Garcês  Tradução Célia Mendes Cenário e Figurinos Luciano Cavaco  Produção UAU
Interpretação André Nunes, António Machado e Telmo Ramalho

M/12

 

 

Brundibar | Teatro Tivoli BBVA | Ópera Infantil | 21 e 22 Jun

Ópera infantil, da autoria de Hans Krása com Libreto de Adolf Hoffmeister.

Tendo sido composta em 1938, para um Concurso Governamental, a sua versão cénica apenas foi estrada no Inverno de 1942, num Orfanato Judeu, em Praga, que servia de abrigo a crianças separadas dos seus Pais devido à guerra.

No entanto, nesta altura, já o seu compositor e o cenógrafo, Frantisek Zelenka, haviam sido transportados para o Campo de Concentração de Theresienstadt, juntando-se-lhes praticamente todo o elenco da peça em Julho de 1943. Apenas o autor do Libreto, Hoffmeister, conseguiu abandonar Paga a tempo.

Reunido em Theresienstadt o elenco da peça, Krása reconstruiu, de memória, toda a partitura da Ópera. A 23 de Setembro de 1943, Brundibar estreou em Theresienstadt, com encenação de Zelenka e coreografia de Camila Rosenbaum, tendo sido apresentada 55 vezes, no ano subsequente. No entanto, foi a 23 de Junho de 1944 que Brundibar teve a sua apresentação mais emblemática. Uma delegação da Cruz Vermelha Internacional pediu para visitar Theresienstadt, a fim de verificar as condições de tratamento dos “reclusos”, tendo sido montada uma “operação de charme”, por parte do regime nazi, “maquilhando” Theresienstadt, de forma a mostrar ao Mundo, a forma como este regime tratava “bem” o povo judaico.
Brundibar, um homem mau, de bigode, despreza os dois irmãos, Zeca e Anita, crianças pobres, órfãs de pai, impedindo-as de ajudar a sua Mãe doente. Ajudadas por um Pardal, um Gato e um Cão, reúnem forças, junto das Crianças da Escola, conseguindo assim reunir o dinheiro necessário para ajudar a Mãe, numa alusão clara ao regime de Hitler, vencendo, na Ópera, o Bem sobre o Mal.
Actualmente, Brundibar é apresentado em Escolas de Música, um pouco por todo o Mundo, sendo sempre realçado e seu significado simbólico.
Bruno Cochat

Música Hans Krása
Libreto Adolf Hoffmeister.
Versão Portuguesa Zaida Rocha Ferreira e Cesário Costa
Encenação Bruno Cochat e Ruben Santos
Direcção Coral Teresa Cordeiro
Direcção de Orquestra Francisco Sequeira
Desenho de Luz Paulo Sabino
Elenco Alunos do Atelier Musical da Escola de Música do Conservatório Nacional
 

Cats
Campo Pequeno | 8 a 19 Out.

De regresso a Portugal!

Estreou a 11 de Maio de 1981 no New London Theatre onde esteve em cena 21 anos. Na Broadway, o sucesso repetiu-se também por quase 2 décadas.

Com música de Andrew Lloyd Webber, CATS é um verdadeiro fenómeno de longevidade que, ainda hoje, continua a atrair a atenção do público, conquistando novas gerações.

Baseado na obra de TS Eliot “Old Possum’s Book of Practical Cats”, CATS é um musical sobre a vida de um grupo de gatos, seus amores, arrelias e tropelias, que se confronta com o regresso de Grizabella, a gata que teve a coragem de abandonar a família para conhecer o mundo mas que as saudades trazem de volta. Será que é aceite?

Em versão original, CATS chegou a Portugal em Outubro de 2004, sendo visto por 109 mil pessoas. Repetiu a proeza em 2006, ano em que também visitou o Porto, num total de 94 mil pessoas.

Dez anos volvidos, CATS regressou. Miau!

 

Concerto do Dia Mundial da Voz
Teatro Tivoli BBVA | 15 Abril

O Dia Mundial da Voz, iniciativa que partiu de Mário Andrea, professor de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Lisboa, que sugeriu a criação deste dia na primeira reunião da Sociedade Europeia de Laringologia (European Society of Laringology) da qual, na altura, era presidente, é desde 2003 é comemorado em todo o mundo, no dia 16 de Abril e tem como principal objectivo dar visibilidade à Voz, articulando acções de carácter assistencial, cultural e de ensino.
Oiça a sua Voz e Goste da sua Voz, têm sido as mensagens divulgadas e que pretendem chamar a atenção para a importância de um diagnóstico precoce perante uma alteração do nosso principal meio de comunicação e para a prevenção das doenças que podem afectar a Voz.

Este ano, vamos celebrar esta data com um Concerto do Dia Mundial da Voz que terá lugar no Teatro Tivoli BBVA, no dia 15 de Abril e conta com a participação da Orquestra Jorge Costa Pinto, Ana Bacalhau, Katia Guerreiro, Kiko, Luís Represas, Luísa Sobral e Maria Viana. O espectáculo será apresentado por António Sala.

No final do concerto, será entregue o Prémio Voz/Montepio 2014.
Os bilhetes para o concerto têm o preço único de 5€ e a receita reverte a favor do Projecto Voz Saudável da AIDFM (Associação para a Investigação e Desenvolvimento da Faculdade de Medicina).

Deixem o Pimba em Paz
Coliseu Lisboa 18 Set. | Coliseu Porto 20 Set.

Bruno Nogueira e Manuela Azevedo

“O pimba é unificador. Às escondidas, para não parecer mal.

Não é por acaso que numa festa na Quinta do Lago, aos primeiros acordes de uma música do Quim Barreiros, haverá uma debandada de berloques a correr para a pista de dança e a cantar o refrão em alegre e alta voz. O mesmo irá acontecer se, no meio de um churrasco em Massamá, alguém arriscar a mesma música.Os berloques serão porventura menos, mas a alegre e alta voz que canta o refrão terá a mesma força.
Há ainda outra coisa que estreita o eixo Quinta do Lago-Massamá: nenhum dos habitantes destas regiões sociais sabe muito mais do que o refrão. E é também uma pena, porque o melhor raramente vem no refrão. Ainda assim há poucos assuntos que liguem tão intimamente pessoas com gostos tão distintos. A mim sempre me fascinou o universo pimba. Por inteiro, com as suas letras, músicas, roupas, coreografias, etc.
Este espectáculo propõe-se a dar outra vida a essas canções, juntando músicos que fizeram arranjos de jazz e pop onde eles eram pouco prováveis. Assim, aparece Manuela Azevedo
(vocalista dos Clã), para juntos darmos voz a esses temas. E a nós juntam-se as músicas de Quim Barreiros, Ágata, Marante e Marco Paulo, entre outros.
Deixem o Pimba em Paz é um concerto e um espectáculo de desconstrução. E já não é pouco." Bruno  Nogueira


Ideia Original e Direcção  Bruno Nogueira
Direcção Musical  Filipe Melo e Nuno Rafael

Com    Bruno Nogueira, Manuela Azevedo
    Filipe Melo, Nuno Rafael e Nelson Cascais

Coliseu Lisboa | 18 Set. | 21h30
Coliseu Porto | 20 Set. | 21h30

 

M/6

Estamos Todos?
22 Out a 28 Dez

Depois do enorme sucesso de O Último a Rir, em 2001, a autora, Luísa Costa Gomes, o encenador, Adriano Luz, o cenógrafo António Jorge Gonçalves,  e o actor José Pedro Gomes, voltaram a juntar-se em ESTAMOS TODOS?

No dia do seu próprio casamento, o noivo, o gestor da boda,  o padre, o futuro cunhado,  a ex-mulher e até um inspector da polícia envolvem-se numa sucessão de peripécias  que parecem não ter fim.

ESTAMOS TODOS? - uma comédia escrita para um actor que se desdobra em  múltiplas personagens, cada uma mais hilariante que a outra.

ESTAMOS TODOS? - um espectáculo onde o humor dispensa quaisquer  limites.

Texto Luísa Costa Gomes Encenação Adriano Luz Cenário António Jorge Gonçalves Figurinos António Jorge Gonçalves e Fernanda Ramos Música Filipe Melo Desenho de Luz Paulo Sabino Produção UAU

 

Filipe Melo + Bruno Santos + Big Band+ Benny Golson
Teatro Tivoli BBVA | 27 Junho

A lenda viva do Jazz num momento único


Filipe Melo, um nome consagrado do jazz nacional, junta-se ao guitarrista Bruno Santos, com quem toca há cerca de 12 anos, para convidar uma das maiores lendas vivas da história do jazz, Benny Golson.
Filipe Melo estudou no Hot Club de Portugal e no Berklee College of Music, em Boston e, desde que voltou a Portugal, tem tido trabalho constante como líder ou sideman, tendo tocado e feito arranjos para músicos das mais diversas áreas.
Bruno Santos é um dos mais requisitados guitarristas de jazz do nosso país. Começou os seus estudos musicais no Funchal, tendo mais tarde frequentado o Conservatório de Faro. É director da escola do Hot Club e, actualmente, dá aulas no curso de jazz da Escola Superior de Música de Lisboa.
Em conjunto, Filipe Melo e Bruno Santos têm partilhado o palco com os grandes vultos do jazz. Desta vez, o convidado de honra é uma lenda viva: o mítico saxofonista Benny Golson.
Compositor, letrista e produtor, com mais de 30 álbuns editados, Benny Golson compôs vários standards de jazz, bandas sonoras para filmes e séries de televisão. Galardoado com inúmeros prémios de prestígio, Golson compôs e fez arranjos para músicos consagrados como é o caso de John Coltrane, Miles Davis, Ella Fitzgerald, entre muitos outros.
Pela primeira vez juntos, ao vivo, Filipe Melo + Bruno Santos + Big Band+ Benny Golson são os protagonistas de um concerto imperdível.
.
Teatro Tivoli BBVA
27 de Junho | 21h30

 

FMR. COLECÇÃO FRANCO MARIA RICCI
RETRATOS DA HUMANIDADE (SÉCULO XVI-SÉCULO XX)

Museu Nacional de Arte Antiga | 29 de Novembro a 12 de Abril

Pela primeira vez fora de Itália, a colecção de Franco Maria Ricci,  reconhecido designer, editor e bibliófilo, nascido em Parma em 1937.
No Museu Nacional de Arte Antiga encontravam-se quase 100 obras de pintura e de escultura, do século XVI ao século XX, que nos guiaram numa fascinante viagem pela arte do retrato. Nomes como Filippo Mazzola, Jacopo Ligozzi, Philippe de Champaigne, Bernini, Canova ou Thorvaldsen, entre muitos outros, espelharam o gosto heterodoxo do colecionador e ilustraram, de forma singular, a História da Arte ocidental.
Comissariada por José Monterroso Teixeira, a exposição ocupou todas as salas da Galeria de Exposições Temporárias e, pela primeira vez, a Biblioteca do MNAA (num núcleo que reúne algumas das mais notáveis edições de FMR).

LAR DOCE LAR
Teatro Tivoli BBVA | 6 Fevereiro a 19 Abril | Teatro Sá da Bandeira | 2 a 25 de Maio

Tudo se disse sobre este espectáculo que, num ápice, se tornou num dos maiores fenómenos teatrais dos últimos anos. LAR DOCE LAR estreou há 1 ano e meio, percorreu o país de norte a sul e esteve em cena em Lisboa por quatro vezes.

Chegou a hora de Maria Rueff e Joaquim Monchique se despedirem do público que tanto os acarinhou e aplaudiu.

Para quem ainda não viu esta hilariante comédia, restou a última oportunidade para ver a peça que fez rir milhares de espectadores com as atribulações do dia-a-dia das múltiplas personagens de uma extraordinária residência para seniores.

Encenação António Pires Cenário F. Ribeiro Figurinos Dino Alves Desenho de Luz Paulo Sabino
Interpretação Joaquim Monchique e Maria Rueff
A partir de “ O que importa é que sejam felizes” de Luísa Costa Gomes


M/12

LOOP | Francisco Menezes
Rivoli Teatro Municipal | 27 de Março a 12 de Abril 2014

Loop não se descreve. Ouve-se, vê-se, sente-se.
Loop é algo de absolutamente único. O que apenas uma voz faz acontecer em Loop, desde o primeiro minuto, não é igual a nada.
Loop está entre a música e a comédia, o ensaiado e o espontâneo, o zero e o infinito.
Loop vai do virtuosismo à gargalhada, do silêncio ao êxtase, do palco ao público, e volta. Mas isto são só palavras, que em
Loop não servem para nada.
Loop não se descreve. Ouve-se, vê-se, sente-se.

Em LOOP, Francisco Menezes está sozinho em palco. Mas, precisará de mais para conquistar o Universo?

Um espectáculo de Francisco Menezes e Yllana
Com Francisco Menezes
Co-Produção UAU e Atitudes Latino
M/16
 

MONSTER HIGH EXPERIENCE
Edíficio Alfândega do Porto | Abril e Maio

Conquistaram Lisboa ao som de “We are monsters, we are proud, we are monsters, say it loud”. Em Abril e Maio rumam à Invicta para 2 meses de diversão monstracular!

Draculaura, Frankie Stein e Clawdeen Wolf são algumas das monstrinhas mais famosas do mundo e vão estar à tua espera no Edifício da Alfândega, no Porto, na MONSTER HIGH EXPERIENCE.
Arrisca visitar e conhece as tuas personagens preferidas, ao vivo e em exposição. Mas, para que a experiência seja completa, ousa! Pinta as unhas, maquilha-te, põe tatuagens, veste a roupa da tua personagem preferida, aprende a coreografia Monster High e dança num vídeo-clip com... as Monster High.
No final, antes de assistires ao filme Monster High, deixa o teu desejo mais secreto na Parede dos Desejos. Quem sabe se não se realiza...


Visita facebook.com/monsterhighexperience e descobre todas as surpresas!
M/3

O Lago dos Cisnes
CCB | 19 e 20 Dezembro

Dançado em sapatilhas de ballet e patins no gelo

Na melhor tradição do bailado russo, a Usmanov Classical Russian Ballet apresentou O Lago dos Cisnes, em Dezembro, no CCB.

Fundada em 2004 por Hassan Usmanov, esta companhia conjuga o bailado clássico com a patinagem no gelo, conseguindo a delicada harmonia entre estas duas abordagens à arte da dança.

Com música de Tchaikovsky, O Lago dos Cisnes conta a história de um príncipe que se apaixona por uma rapariga-cisne, vivendo um amor impossível mas enternecedor.

M/6

O Lago dos Cisnes
CCB | 19 e 20 Dezembro

Dançado em sapatilhas de ballet e patins no gelo

Na melhor tradição do bailado russo, a Usmanov Classical Russian Ballet apresentou O Lago dos Cisnes, em Dezembro, no CCB.

Fundada em 2004 por Hassan Usmanov, esta companhia conjuga o bailado clássico com a patinagem no gelo, conseguindo a delicada harmonia entre estas duas abordagens à arte da dança.

Com música de Tchaikovsky, O Lago dos Cisnes conta a história de um príncipe que se apaixona por uma rapariga-cisne, vivendo um amor impossível mas enternecedor.

M/6

Os Idiotas

Os Idiotas conquistaram o Porto

Nos tempos que correm, onde acaba a realidade e começa a ficção?
Com um humor desconcertante, Os Idiotas demonstram que essa fronteira não existe!
Se no final desta comédia detectar sintomas antes desconhecidos, não se preocupe. Esses sinais fazem parte do projecto de contaminação que Os Idiotas deliniaram para o livrar desse semblante sério a que a rotina o condenou. Faça uma pausa...

Ver Os Idiotas é a melhor coisa que lhe pode acontecer!

“Os Idiotas:  Imperdível”, Diário de Notícias
“Se é rir que esperamos, é mesmo isso que Os Idiotas nos oferece”, Sábado
“Idiotas, mas sabem-na toda”, Metro
Os Idiotas sobem ao palco e conquistam o público”, Caras

Autor Idiots of Ants – Andrew Spiers, Elliott Tiney, Benjamin Wilson e James Wrighton Direcção Sónia Aragão e Ricardo Peres Tradução Ana Sampaio Cenário e Figurinos Marta Carreiras Música Alexandre Manaia Desenho de Luz Paulo Sabino Produção UAU Interpretação Aldo Lima, José Pedro Gomes, Jorge Mourato e Ricardo Peres 

M/12

PILOBOLUS | SHADOWLAND
CCB | 14 a 18 de Maio

Entre o real e o sonho!

Com ritmos que alternam entre as baladas e o rock mais frenético, as coreografias são acrobáticas, mas também poéticas, como no tributo que prestam a Nova Iorque, ao som de Empire State of Mind, de Jay Z, interpretado por Alicia Keys, um momento que desde 2009 é um verdadeiro fenómeno viral na internet.

Com Pilobolus, a dança contemporânea ganhou novos contornos, novas fronteiras. A forma como usam o corpo criando esculturas humanas é a imagem de marca da companhia.

Em Shadowland, voltam a inovar. Aliando técnicas multimédia à ancestral arte das sombras chinesas, Shadowland divide-se entre o real e o sonho, entre o presente e o futuro, numa história de amor e celebração da vida.

“Uma vez mais, Pilobolus demonstra que tem leis próprias, uma visão singular do universo do espectáculo.”, New York Sun

M/6

Pobre Milionário
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa | 15 Jan a 27 Abril

Uma comédia sobre o poder do dinheiro

Francisco Pinho perdeu a mulher, os amigos, o emprego e ficou reduzido a uma espécie de não-existência. É perante aquilo que lhe parece ser uma fatalidade, que este Pobre Milionário decide criar a “solução” para os seus problemas: ser investigado por um fiscal das finanças.
Pobre Milionário é uma comédia sobre o poder do dinheiro num mundo onde a aparência de o ter (ou não) dita o sucesso. Verdade?

“As comédias fazem-nos rir (...) Com este elenco não admira que Pobre Milionário o consiga várias vezes”, Expresso

“Desempenho notável numa comédia divertidíssima”, Correio da Manhã

“O êxito é garantido”, Sábado

“Assim que subiu ao palco Miguel Guilherme foi aplaudido por uma plateia que rapidamente se rendeu ao seu desempenho”,  Revista Caras

Texto Francis Veber Encenação José Wallenstein Tradução Ana Sampaio Cenário F. Ribeiro Figurinos Dino Alves Música Nuno Rebelo Desenho de Luz Jorge Ribeiro Assistência de Encenação Marta Lapa Produção UAU

Interpretação Miguel Guilherme, Rui Melo, Nuno Melo,  Rita Loureiro, Maria João Abreu, Rita Calçada Bastos e Sinde Filipe

M/12

ROCK THE BALLET
Coliseu do Porto | 26 Fev | CAE Figueira da Foz | 27 Fev | CCB | 28 Fev e 1 Mar

Rock The Ballet, a nova produção, não é apenas um grande espectáculo, é uma experiência única directa aos sentidos!
Eles são inovadores, ousados e exímios bailarinos. Eles são os Bad Boys of Dance, criados por Rasta Thomas, um visionário que cedo percebeu o impacto que a fusão entre o ballet clássico e os ritmos contemporâneos provoca quando são delineados pelo rigor, o virtuosismo e o bom gosto.
Em 2012, conquistaram os portugueses. Em 2014 voltaram a fazê-lo com  o novo espectáculo, uma ode ao triunfo do amor. A banda sonora? Grandes êxitos da pop e do rock, com temas de U2, Robin Thicke, Michael Jackson, Justin Timberlake, Kanye West, INXS, Coldplay, entre muitos outros!

Rock The Ballet deliciou o público português com coreografias acrobáticas, repletas de energia e de sentido de humor, numa nova abordagem do ballet a que o seu mentor prefere chamar “Pop-Ballet”.

Selección Nacional de Tango Y Lidia Borda
Teatro Tivoli BBVA | 21 de Maio | 21:30

A companhia Selección Nacional de Tango nasceu em Junho de 2005 para, pela primeira vez na história do género, formar uma orquestra onde convivem as maiores figuras do tango, que se revezam como maestros e músicos, em cada tema.
Em Lisboa, a companhia contou com a presença da cantora Lidia Borda, considerada a melhor voz feminina de tangos argentinos da última década. Inspirada nos cantores pioneiros de tango, Lidia Borda é uma cantora moderna e muito original, dona de um reportório clássico pouco convencional.
Os bailarinos Ivan Romero e Silva Núñez, campeões do mundo do “Tango Escenario” em 2004 são o par escolhido para este espectáculo, emprestando a sensualidade de um género que é, desde 2009, Património Imaterial da Humanidade.
Selección Nacional de Tango Y Lidia Borda: um espectáculo imperdível e transversal.

STOMP
CAE Figueira da Foz | Coliseu do Porto | CCB | 2 a 12 Abril de 2014

Em 2012 os Stomp participaram na Cerimónia de Encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres e os olhares de todo o Mundo viraram-se para eles. Nada que não tivesse acontecido antes, mas nunca em tão grande escala.

Inspirada no teatro de rua, esta companhia, que se tornou um fenómeno global, utiliza os sons dos objectos mais improváveis, como caixotes do lixo, vassouras, simples caixas de fósforos, jornais ou até lava-loiças, em extraordinárias coreografias. A estes inusitados instrumentos de percussão, juntam-se o movimento frenético, o sapateado e o humor de um grupo de bailarinos irrepreensíveis.

Há mais de vinte anos a correr os cinco continentes, os Stomp continuam a surpreender os fãs com os novos objectos que vão incluindo no seu espectáculo. Nesta passagem por Portugal não vai ser diferente. Preparem-se para as novidades Stomp!

 

Tiro e Queda
Teatro Tivoli BBVA | 9 Out a 20 Dez

Dos mesmos autores de Conversa da Treta

Tiro e Queda é uma comédia com Eduardo Madeira e Manuel Marques, sobre dois atiradores que estão no topo de um prédio. Não sabemos se são da polícia ou assassinos. Sabemos apenas que esperam a chegada de alguém que será a vítima. Enquanto isto, Eddie (Eduardo Madeira), um bronco de coração mole, e Manecas (Manuel Marques) um falso forte, com um coração mole, falam de uma forma desconcertante dos seus medos e anseios, e dissertam sobre a política, as redes sociais, o amor, a arte, o país, o futebol,  e acabam a cantar, num registo perto do musical da Brodway, o bonito, leve e revigorante tema "Se Só Tivesses Uma Bala em Quem Davas Um Balázio?".

Tiro e Queda, uma comédia sobre a condição humana.

Texto Eduardo Madeira e Filipe Homem Fonseca Encenação Sónia Aragão Cenário Eric da Costa Música Bruno Vasconcelos e Nuno Rafael
Desenho de Luz  Luís Duarte Interpretação Eduardo Madeira e Manuel Marques M/12
 

Tomorrow Morning - Um Novo Dia
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa | 4 a 29 Junho

Um musical sobre o amor no século XXI

A vida está cheia de perguntas difíceis. De esperança. De sonhos num futuro melhor. Momentos especiais em que tudo se concretiza. Depois, chegam as pequenas tentações, revelações inesperadas, promessas quebradas. De um momento para o outro, tudo pode desabar.
Em Tomorrow Morning - Um Novo Dia, dois casais estão separados pelo tempo: João e Catarina, à beira dos 40 anos, estão a divorciar-se. Jonny e Kati, perto dos 30, vão casar-se. Mas...
Tomorrow Morning é sobre os nossos dias. Para todos os que já conheceram o sabor da paixão e o seu reverso. Uma homenagem a todos os resistentes. O amor pode ser para sempre? Tomorrow Morning - Um Novo Dia dá-nos a resposta.

Tomorrow Morning- Um Novo Dia é um musical que teve estreia no New End Theatre, em Londres, em 2006, e chega agora a Lisboa.

“Sublime!”, The Guardian
“Bem estruturado e de grande inteligência.”, The Stage
“Primoroso e elegante.”, Chicago Sun Times
“Imperdível! Que melhor forma tem de gastar o seu dinheiro?”, Chicago Tribune
“Devido à delicadeza, inteligência e honestidade do texto, é bem provável que Tomorrow Morning fique na história do Teatro Musical.”, theatrepeople.com

Encenação Eduardo Barreto Letra e Música Laurence Mark Wythe Tradução e Adaptação Ana Cardoso Pires, Miguel Dias e Eduardo Barreto Direcção Musical Artur Guimarães Músicos Miguel Teixeira e Artur Guimarães (piano) André  Galvão (baixo) Teresa Braga (bateria) Ana Carina Sousa (flauta transversal) Cenografia Marta Carreiras Desenho de Luz Paulo Sabino Coreografia Paulo Jesus Assistente de Encenação Nelson Cabrita  Assistente Director Musical Miguel Teixeira Interpretação Wanda Stuart, Mário Redondo, Sissi Martins e Ruben Madureira Co-produção UAU e Hilary A. Williams Lda

M/12

KATIA GUERREIRO
CCB | 1 Junho

Em Concerto

Uma das mais internacionais fadistas portuguesas, Katia Guerreiro abraçou o seu fado há 12 anos. Com 6 albúns editados, tem apresentado o Fado por todo o mundo, sendo aplaudida unanimemente pelo público, crítica e pares.
Em Janeiro de 2012 pisou, pela primeira vez, o mítico palco do Olympia, em Paris. Uma noite inesquecível num espectáculo pleno de emoções e registado em DVD a lançar brevemente no mercado nacional.
Em Junho, Katia Guerreiro revisitou este momento único na sua carreira e partilhou-o com o seu público no Grande Auditório do CCB.

A fadista havia antes revelado que o CCB seria palco da recriação do célebre concerto dado no Teatro Olympia, em Paris. Prometeu e cumpriu. O resultado foi um alinhamento de fados pensados ao pormenor, uma viagem pela carreira de Katia Guerreiro que, para este momento, assegurou dois momentos especiais:  duetos com músicos nacionais que acarinha desde sempre.

Com Marisa Liz, vocalista dos Amor Electro, interpretou Fado Português, para uma plateia que vibrou com a surpresa.
Mais à frente, e por ter sido uma das primeiras canções das quais Katia Guerreiro tem memória sendo, ainda hoje, uma das suas favoritas, a fadista chamou ao palco Rui Veloso, com quem cantou A Veia do Poeta.

A Bela Adormecida
Centro Cultural de Belém 21 e 22 Dez

Este ano A Bela Adormecida acordou em Lisboa

É uma das mais ternas histórias de amor: uma princesa enfeitiçada cai num sono profundo e dele só acordará quando um príncipe perfeito a despertar com um beijo que é a prova do verdadeiro amor.
Adaptado para o cinema, foi em bailado que este conto ganhou uma legião de admiradores. A Russian National Ballet, fundada por Sergei e Elena Radchenko (dois dos bailarinos principais do famoso Teatro de Bolshoi,) chega finalmente a Lisboa para apresentar um dos maiores clássicos de sempre.
A Bela Adormecida é um baillado em quatro actos, com música de Pyotr Tchaikovsky e libreto de Charles Perrault, na versão dos irmãos Grimm e conta com coreografia de Marius Petipa.
A Bela Adormecida, um espectáculo único para celebrar em família.

 

A Grande Estreia
Teatro Tivoli BBVA | 16 de Out a 2 de Fev

Sejam bem-vindos ao grandioso, extraordinário, maravilhoso mundo do espectáculo. Nos bastidores, a encenadora, os actores, a figurinista e o director  técnico vão dar tudo por tudo para que tenha uma noite inesquecível. Por isso, nada está pronto, afinam-se os últimos detalhes até que o público entre na sala e assista ao último ensaio e, de seguida, à Grande Estreia.
Quando o protagonista de uma peça (completamente inexperiente) é o filho do produtor é caso para dizer que uma grande cunha pode ser meio caminho para um enorme... fracasso.
A Grande Estreia é uma comédia cheia de pequenos e grandes enganos, onde tudo corre mal. O canastrão, a diva, o principiante e uma pequena trupe de falhados deambulam pelo palco numa sucessão de equívocos a que não conseguem por termo.
O resultado? No minímo, hilariante.
Escrita por Danielle Navarro e Patrick Haudecoeur, A Grande Estreia recebeu o Prémio Molière para a Melhor Comédia de 2011.


Texto Danielle Navarro e Patrick Haudecoeur Encenação António Pires
Interpretação Ana Bola, Pedro Diogo, Maria Henrique, Victor de Sousa, João Maria Pinto, Miguel Damião e Alexandra Rosa.
Tradução Ana Sampaio Cenário F. Ribeiro Figurinos Dino Alves Música Alexandre Manaia Desenho de Luz Paulo Sabino Produção UAU
 

A Verdadeira História de Barbi
Aud. dos Oceanos Casino Lisboa | 3 Julho a 18 Agosto

As Barbis regressaram ao palco!

Em palco estarão as tias mais venenosas do país, Bábá, Kika e Tuxa, que 20 anos depois do sucesso As Barbis, continuam convictas defensoras de que “dizer mal faz bem à pele”. Através de um texto corrosivo de José Pinto Correia, baseado numa anedota hipócrita,  critica-se a vida de três senhoras burguesas de Lisboa, as suas fantasias, as suas ambições e as suas frustrações, de modo hilariante. É também o Portugal do faz-de-conta e da ostentação, das cunhas e dos favores, das mulheres humilhadas pelos maridos e da sua solidão, da má língua e da falsa moral, que encontramos na intriga de A Verdadeira História de Barbi. Mas também  a cumplicidade feminina, a sua intuição e determinação, os seus valores  e o seu sentido de humor perante as adversidades da vida, permitem aos actores a construção de personagens densas e reais.

58ª produção do grupo Cassefaz, A Verdadeira História de Barbi mantém parte da encenação original de Alexandre de Sousa e conta com a participação especial do bailarino Dima, no papel do sensual empregado doméstico.

A Verdadeira História de Barbi: Para um público que recorda as Barbis com carinho, mas também para uma nova geração que quis conhecer as suas peripécias.

Texto: José Pinto Correia
Encenação: Alexandre de Sousa
Interpretação: Miguel Abreu, Paulo Ferreira e F. Pedro Oliveira

Co-produção Cassefaz-UAU
Fundada em 1987 por Miguel Abreu, a Cassefaz foi a primeira empresa de produção cultural independente criada em Portugal, com vocação para a prestação de serviços de produção e gestão cultural a artistas e a organizações culturais, no âmbito do teatro e da dança. Dedicada à cultura em geral e ao teatro em particular, a Cassefaz compõe-se de cinco núcleos de produção e programação teatral: o Grupo Cassefaz (criado em 1991), o Grupo Cassefaz/Sub-21 (criado em 1994), a Área Empresas, na qual se inclui o projecto Art Effect (criado em 1998),  o CIT – Centro Internacional de Teatro (criado em 2004) e o Cassefaz Produz (criado em 2010). Esteve envolvida em mais de 120 produções artísticas da responsabilidade de diversos encenadores e coreógrafos, portugueses e estrangeiros, direccionadas para públicos diversos; e foi responsável pela criação das associações CENTA – Centro de Estudos de Novas Tendências Artísticas (1989) em Vila Velha de Ródão e Academia de Produtores Culturais (1999), em Lisboa. Foi responsável pela direcção e gestão do Maria Matos-Teatro Municipal iniciando a sua reformulação em termos de programação e modelos de gestão. Apresentou-se com espectáculos de Teatro e de Dança em diversas cidades portuguesas e também em Espanha, França, Irlanda, Cabo-Verde, Bélgica, Índia (Goa) e Estados Unidos da América (Nova Iorque).

Abraço Lusitano
Aud. Dos Oceanos Casino Lisboa | 17Março

As músicas que o Fado abraçou

“Abraço Lusitano”! Belíssima expressão de um povo que canta pelo mundo desde o século XV! O cantar português, e principalmente o Fado, foi gerado de misturas, influências e saudades de marinheiros que percorreram as 7 partidas do Mundo!
Por mais histórias que se contem sobre o nascimento do Fado, uma só verdade subsiste: o Fado é nosso, com a grandeza de o termos “concedido” ao Património Imaterial da Humanidade. Que orgulho retribuir um sentimento que nos foi dado em fraternidade e saudade; em partidas e chegadas; por coloridos rostos e por mãos generosas.
Alexandra e Gonçalo Salgueiro percorrem e preenchem com as suas gargantas as paisagens de poesia e música que construímos e absorvemos ao longo dos tempos, tendo sempre, como lhes é peculiar, o horizonte melódico do Fado. Dois cantores privilegiados; duas presenças de inegável valor profissional e estético; dois artistas que se cruzam nos palcos para arrebatar a plateia.
Abraço Lusitano é um espectáculo construído para surpreender e agradar!

 

AS MULHERES NÃO PERCEBEM...
Teatro Sá da Bandeira | 1 a 3 Fevereiro

Aldo Lima, André Nunes e Rui Unas numa comédia hilariante!

O que ficamos a saber sobre os homens quando três trintões, amigos de longa data, se vêem forçados a passar cerca de uma hora, juntos, sozinhos, sem distracções e a falar uns com os outros? Serão os homens seres tão complexos como dão a entender quando... Bem, na verdade, nunca o dão a entender. Mas do que falam quando as mulheres não os ouvem? Sim, disso. Mas conversam acerca de quê? Sim, disso. Mas do que falam... Ok, basicamente, só falam disso. Mas já ouviu?


Diz a Imprensa:
“André Nunes, Rui Unas e Aldo Lima fazem humor juntos num espectáculo dirigido por um mestre no assunto: José Pedro Gomes.”, CM

“Os três actores estão nestes papéis como peixes na água. A travessia de uma hora pelos vastos territórios dos estereótipos que compõem as conversas masculinas está aberta ao público feminino.”, DN

“Quando os homens se juntam, armam-se em machões. Mas há surpresas.”, Rev. Sábado

Encenação – José Pedro Gomes
Texto – Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira
Desenho de Luz – Paulo Sabino
Música – Alexandre Manaia
Artista Plástico - João Mota
Design Gráfico - Fernando Correia
Ass. Encenação – Anaísa Raquel

Interpretação - Aldo Lima, André Nunes e Rui Unas

 

 

DEIXEM O PIMBA EM PAZ
Teatro Tivoli BBVA | 5 e 19 Nov | Teatro Sá da Bandeira | 2 e 3 de Out

Desde sempre fascinado pelo universo pimba, Bruno Nogueira propôs-se dar outra vida a essas canções, juntando Manuela Azevedo, vocalista dos Clã, e outros músicos que fizeram arranjos de jazz e pop onde eles eram pouco prováveis. O pimba é unificador. Às escondidas, para não parecer mal. Seja numa festa da Quinta do Lago, seja no meio de um churrasco em Massamá, aos primeiros acordes de uma música de Quim Barreiros haverá uma debandada a correr para a pista de dança e a cantar o refrão em alegre e alta voz. Deixem o Pimba em Paz é um concerto e um espectáculo de desconstrução e, quem sabe, a oportunidade de juntar numa sala pessoas da Quinta do Lago e de Massamá. E já não é pouco.

Ideia Original e Direcção Bruno Nogueira
Dir. Musical e Arranjos Filipe Melo, Nuno Rafael
Vozes e percussão Bruno Nogueira e Manuela Azevedo

Músicos Filipe Melo, Nélson Cascais, Nuno Rafael
 

M/3

 

EXPO Animais Exóticos
Palácio dos Congressos do Algarve | Pavilhão de Portugal (Expo)

29 Junho a 7 Setembro | 21 Setembro a 5 Janeiro 2014

Deixaram-se as fobias e medos à porta e mais de 60.000 pessoas visitaram aquela que foi a maior exposição de animais exóticos alguma vez vista em Portugal, que teve por base a associação entre a UAU e o Visionarium - Centro de Ciência do Europarque para o desenvolvimento conjunto de projectos de promoção da cultura científica, em diversos pontos do país.

O Visionarium — Centro de Ciência do Europarque é um espaço dedicado à divulgação e difusão da cultura científica, promovendo o questionar crítico e o gosto pela experimentação e descoberta, exemplificando de forma simples e interactiva os princípios básicos que regem as leis do Universo. Desde a sua inauguração, há 15 anos, este equipamento recebeu mais de um milhão de visitantes, atraídos pelos conteúdos da exposição e pela diversidade de oferta em termos de atividades e projectos de cariz marcadamente experimental.

No âmbito da parceria estabelecida em Maio entre as duas entidades a Exposição Animais Exóticos surgiu como o primeiro projecto conjunto.Tendo por base a exposição patente no Visionarium, já visitada por mais de 30.000 visitantes,  foi repensada uma nova mostra, com cerca de 200 espécimes de 100 espécies pertencentes a diferentes grupos taxonómicos provenientes de todos os cantos do mundo.

A visita à exposição contou com o acompanhamento de um biólogo que apresentou as características mais importantes e curiosas de cada espécie e possibilitou a interacção com alguns dos animais em exposição.

M/3

Palácio dos Congressos do Algarve
Diariamente |15h às 23h
Interacção com animais | 18h e 21h30

FREI HERMANO DA CAMARA
Porto 1 Fevereiro | Lisboa 4 Fevereiro

50 anos de carreira

2 dias não foram suficientes para todos os que desejam participar na celebração dos 50 anos de carreira de Frei Hermano da Camara. Por isso, Frei Hermano estará de regresso em 2013 para mais noites de muita emoção!
Frei Hermano da Camara deixou tudo para seguir Cristo. Nascido numa família abastada e com uma carreira artística que se cria promissora, Hermano da Camara a todos espantou quando optou pelo recolhimento conventual e por uma vida dedicada à oração. Fiel a um ideal superior, manteve-se afastado da música até ao momento em que admitiu que poderia colocar a sua voz e talento de compositor ao serviço da missão evangelizadora da Igreja. O Nazareno, Deus é Música, Totus Tuus – Serenata Mística a Nossa Senhora e Missa Portuguesa são os exemplos maiores desta obra de apostolado pela música, em que o público se revê e acarinha como estandarte da sua fé.

Coliseu do Porto | 1 Fevereiro

Teatro Tivoli BBVA | 4 Fevereiro

 

M/6

Gala Dia Mundial da Dança
Teatro Tivoli BBVA 29 e 30 Abril e 1 Maio

Para assinalar o Dia Mundial da Dança ,dia 29 de Abril, a LISBOA METROPOLITAN ARTS (LMARTS) realizou uma Gala de homenagem à dança que reuniu no mesmo espectáculo obras dos coreógrafos BARBARA GRIGGI, BENVINDO FONSECA e GAGIK ISMAILIAN contando com um elenco de oito bailarinos e a participação especial da cantora ADRIANA QUEIROZ, do saxofonista EDDY JAM e do maestro NUNO FEIST ao piano. Os quatro bailados deste programa ofereceram uma multiplicidade de registos coreográficos, cuja variação de intensidade, plasticidade e tom emocional constituiu um verdadeiro desafio para os sentidos do espectador. Este foi o reencontro de três coreógrafos de renome, reconhecidos pela indiscutível qualidade das suas criações.

Esta gala marcou o início de um novo e ambicioso projecto artístico da recém-criada plataforma LISBOA METROPOLITAN ARTS, coordenada por uma equipa de profissionais provenientes do extinto LISBOA BALLET CONTEMPORÂNEO, com o objectivo de promover e celebrar os artistas, os criadores e a cultura de Portugal.

Programa
"Eu… Veronika?", de Gagik Ismailian
"Murmúrio", de Benvindo Fonseca
"Dreamland", de Barbara Griggi
"Uma Noite com Ella Fitzgerald", de Benvindo Fonseca

GURU
Aud. Oceanos, Casino Lisboa | 2 Maio a 29 Junho | Teatro Sá da Bandeira | 25 e 26 Out 1 e 2 Nov

Uma comédia cheia de medidas de pouca austeridade no que respeita à gargalhada!

A três dias de apresentar o Orçamento do Estado, na Assembleia da República, a Ministra das Finanças, Helena Pinto Macedo, não sabe o que fazer. Cheia de dúvidas, pensa pedir ajuda ao seu marido Luis, deputado da oposição, mas o casamento está por um fio, e desiste. Acreditando que apenas uma força superior a iluminará, recorre ao internacionalmente afamado Professor Furor, levando-o para casa para maior descrição.
Com um GURU disponível 24 horas por dia, a ministra sente-se pronta a resolver os problemas do país. Porém, este GURU, que de Furor tem muito pouco e de Professor ainda menos, revela-se um verdadeiro charlatão, incapaz de solucionar a crise política nacional mas precioso à reconstrução da harmonia familiar dos Macedo.

Texto Henrique Dias e Roberto Pereira
Encenação José Pedro Gomes
Cenário F. Ribeiro
Figurinos Dino Alves
Desenho de Luz Paulo Sabino
Música Alexandre Manaia
Ass. Encenação Sónia Aragão

Interpretação Rui Unas, Custódia Gallego, Heitor Lourenço, Susana Mendes

Disse a Imprensa:

“Um bom espectáculo, leve, divertido e com uma crítica ao sistema de interesses e lóbis que não faz apenas rir: também nos põe a pensar”, Revista Sábado

“É muito tentador ver no texto (...) uma qualquer metáfora e imaginar Vítor Gaspar a preencehr folhas de cálculo inspirado pela carta astrológica de um charlatão qualquer”, Time Out

“Uma comédia bem actual”, Destak

Aud. Oceanos Casino Lisboa

M/12

Katia Guerreiro | Algarve
Palácio de Congressos do Algarve | 14 Agosto

Uns dizem que canta com o coração. Outros com a alma. Elogiam-lhe os tons da voz. Ou a poesia que traz nos lábios. Enaltecem-lhe o espírito apaixonado. Ou o tom sereno, que isto de cantar um país é feito de muitos sentimentos. Katia Guerreiro tem muitas razões para ser escutada e todos são unânimes: esta fadista tem um Dom.

Uma das mais internacionais fadistas portuguesas, Katia Guerreiro, que abraçou o Fado há 12 anos, tem apresentado os seus 6 albúns editados por todo o mundo, sendo aplaudida pelo público, crítica e pares.

Em Janeiro de 2012 pisou o mítico palco do Olympia, em Paris, em Junho deste ano actuou no CCB e em Agosto apresentar-se-á no Palácio de Congressos do Algarve.

A voz de um país na voz de Katia Guerreiro, faz dela um valor maior da cultura nacional, expoente máximo do ser português.

"Ao escutar Katia Guerreiro, reconciliamo-nos com a humanidade. Ela chora e nós choramos com ela; ela canta e todos acompanhamos. Voltei a crer no Homem!", Caroline Bourgine, jornalista e Conselheira do Ministério da Cultura francês

"A sua voz é inconfundível na profundidade, tom e facilidade que imprime ao que canta. Às vezes é terna e sedutora, outras vezes é inflamada. Mas enquanto intérprete, Katia Guerreiro tem sempre a capacidade de transmitir o sentido e emoção do que canta às audiências estrangeiras.”, Johnny Lais, BBC

M/3

KATIA GUERREIRO | Casa da Música

Casa da Música | Sala Suggia | 8 Fevereiro

É uma das mais internacionais fadistas portuguesas e apresentou-se pela primeira vez no palco da Casa da Música, num concerto de solidariedade a favor da Associação Bagos d'Ouro. Este foi o seu regresso aos palcos portugueses após a maternidade, constituindo por isso um momento muito especial.

Katia Guerreiro tornou-se fadista em 2001 e o seu fado caracteriza-se por uma grande riqueza lírica. Editou o primeiro álbum, «Fado Maior», em Junho de 2001, contando já com seis álbuns. Tem apresentado o Fado por todo o mundo, nos mais conceituados palcos e festivais de música internacionais, recolhendo aplausos do público e da crítica bem como, o reconhecimento no meio artístico, tendo gravado duetos com Maria Bethânia, Martinho da Silva, Ney Matogrosso, Rui Veloso entre outros. Em 2010 foi considerada a Melhor Intérprete de Fado, distinção atribuída pela Fundação Amália Rodrigues.

A 8 de Fevereiro, dedicou o concerto 100% Solidário à Associação Bagos d'Ouro cuja missão é apoiar crianças e jovens carenciados do Douro, através do acompanhamento do seu percurso escolar e da criação de oportunidades para o desenvolvimento de projectos de vida de sucesso.

LAR DOCE LAR
Teatro Sá da Bandeira | 14 Março a 14 Abril | 7 a 23 Junho

Teatro D. Pedro V (Macau) | 4 e 5 Maio
Palácio de Congressos do Algarve | 25 Julho a 3 Agosto
Teatro Tivoli BBVA | 4 Setembro a 6 de Outubro
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa | 4 Nov a 30 Dez

Mais de 125 sessões, salas esgotadas, mais de 80 mil pessoas em ovações de pé, o êxito internacional em Macau e, mais recentemente, duas nomeações para os Globos de Ouro (19 Maio), para Melhor Espectáculo de Teatro e Melhor Actriz de Teatro, tendo Maria Rueff ganho a segunda, LAR DOCE LAR tornou-se numa das peças mais irresistíveis e irrecusáveis de 2012 e  2013.

 

LOOP
Teatro Bairro | 30 Abril a 16 Julho | Teatro Tivoli BBVA | 20 Nov

Loop não se descreve. Ouve-se, vê-se, sente-se.

Loop é  algo de absolutamente único. O que apenas uma voz faz acontecer em Loop, desde o primeiro minuto, não é igual a nada.
Loop está entre a música e a comédia, o ensaiado e o espontâneo, o zero e o infinito.
Loop vai do virtuosismo à gargalhada, do silêncio ao êxtase, do palco ao público, e volta. Mas isto são só palavras, que em
Loop não servem para nada.
Loop não se descreve. Ouve-se, vê-se, sente-se.

Em LOOP, Francisco Menezes está sozinho em palco. Mas, precisará de mais para conquistar o Universo?

Nota de produção: este espectáculo conta com a colaboração do grupo madrileno YLLANA no processo de criação, pelo que não nos responsabilizamos pelas consequências do elevado nível de talento reunido.

Um espectáculo de Francisco Menezes e Yllana
Com Francisco Menezes
Produção UAU

Diz a Imprensa:
“Francisco Menezes está sozinho em palco e mais não é preciso para garantir um serão onde a diversão e o humor são notas constantes”, Revista Human
“45 minutos de puro entretenimento musical”, Revista Sábado
“Em LOOP, Francisco Menezes estará sozinho em palco mas será que ele precisa de mais alguém para além da sua própria companhia?” ,TV 7 Dias

Teatro Bairro | 3ªs feiras | 22h
M/16

 

Mónica Ferraz - Unplugged Tour
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa | 30 Abril

Golden Days e Go Go Go marcaram o airplay nacional em 2012 e garantiram-lhe a nomeação para o Best Portuguese Act da MTV Portugal.
Com um início de carreira marcado pelo jazz, Mónica Ferraz já provou estar também à vontade no rock, soul e pop, tendo conquistado o público nacional. Em 2013, antes da edição do 2º álbum, Mónica Ferraz lançou Have a Seat, terceiro e último single do seu álbum de estreia e apresenta Unplugged Tour, uma série de concertos intimistas onde regressa às suas origens, mas sem esquecer os seus já grandes sucessos. Dia 30 de Abril subiu ao palco do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

MONSTER HIGH EXPERIENCE
Pavilhão de Portugal | 5 Out a 5 Jan 2014

“We are monsters, we are proud, we are monsters, say it loud!”
Elas são monstrinhas, são diferentes e não têm vergonha. Elas são famosas, têm estilo e estiveram à tua espera no seu mundo fantástico.

Onde? Na Monster High Experience, no Pavilhão de Portugal!
Quem as visitou, conheceu as suas personagens preferidas, ao vivo e em exposição. Mas, para que a experiência fosse completa, ousaram! Pintaram as unhas, maquilharam-se, puseram tatuagens, vestiram a roupa das suas personagem preferida, aprenderam a coreografia Monster High e dançaram num vídeo-clip com... as Monster High.

No final, antes de assistirem ao mais recente filme, 13 Monstros Desejos, deixaram os seus desejo mais secreto na Parede dos Desejos. Quem sabe se não se realizaram...
 

MYTHOS | POLE DANCE PORTUGAL
Aud. dos Oceanos Casino Lisboa | 4 Dez 2013 e 3 de Maio de 2014

O que é afinal o pole dance?

Mythos é um maravilhoso convite para uma viagem, onde a narrativa é construída sobre um universo imagético a partir da dança do pole-dance e do espaço físico que a sua prática pressupõe em termos cénicos.
Mythos é um espectáculo que tem como base o pole dance para se desdobrar pelo teatro e pela dança até à poética das coisas inomináveis. Nas diferentes interpretações de Mythos, mergulhamos nos vários ambientes da utilização do varão, onde personagens extraordinárias vão desfilar perante os olhos do espetador para dar respostas sobre a origem e história desta arte performativa.

Coreografias Andreia Pinheiro, Carolina Ramos e Félix Lozano, Encenação Susana Vidal Banda sonora original Fernando Figueiredo

Co-produção Academia de Pole Dance e UAU

M/18

No Fado e Na Vida
Teatro Tivoli BBVA | 28 Junho

Rodrigo Costa Félix e Marta Pereira da Costa

"No Fado e na Vida é um conceito diferente de espectáculo de Fado. Dois artistas que se complementam no palco... e na vida. Um diálogo musical intimista e profundo, firmado no Fado tradicional mas com breves incursões por outros sons e outras influências. Na Guitarra Portuguesa, a beleza, a sensibilidade, a delicadeza de Marta Pereira da Costa, a única mulher no Fado a dedicar-se profissionalmente a este fascinante instrumento. Na voz, a experiência, a poesia, a intensidade interpretativa de Rodrigo Costa Félix, um dos pioneiros e um dos mais aclamados representantes da nova geração de fadistas. A acompanhá-los, nomes incontornáveis como Pedro Pinhal na viola de fado e Frederico Gato no baixo acústico.
Uma viagem pela alma e pelos Fados de Amor que ambos têm apresentado em vários palcos pelo mundo fora. Os instrumentais mais marcantes da Guitarra Portuguesa e as mais recentes composições de Marta Pereira da Costa juntam-se aos sucessos cantados por Rodrigo Costa Félix, numa parceria que tem despertado o interesse dos vários quadrantes da cultura portuguesa e não só. Emotivo, intenso, vibrante e apaixonante. O Fado e a vida, num espectáculo único."  Tiago Torres da Silva (Dir. Artístico)

M/6

O Grande Salão
Teatro Tivoli BBVA | 3 a 27 Julho

O virtual transposto e reproduzido em palco. A maior rede social do mundo ganhou vida e forma em O Grande Salão.

Pegando na dinâmica do Facebook, o autor e encenador Martim Pedroso desenvolveu uma colagem de comentários, partilhas, diálogos e gostos e desenhou uma grande sala, onde todos têm voz, se assim o desejarem.

Nascido e apresentado na Galeria Zé dos Bois, em 2012, O Grande Salão foi um caso de sucesso imediato, tendo lotação esgotada em todas as sessões quando, no início deste ano, subiu ao palco do São Luiz Teatro Municipal.

Em cena, 18 actores sucederam-se em discursos filosóficos, crítica social, pensamentos mais profundos ou frases da mais pura banalidade. Há cabaré e discursos políticos, há quem fale de sexo, de amor ou dos seus queridos filhos. Há quem fale a verdade e quem finja ser o que não é. Há quem se queira matar e quem se queira encontrar.

É um mundo com muitos mundos dentro. A rede por dentro.  É O Grande Salão.

M/12

Um espectáculo Martim Pedroso & Nova Companhia
Direcção: Martim Pedroso
Interpretação: Bruno Huca, Carla Galvão, Catarina Guerreiro, Elmano Sancho, Hugo Bettencourt, Hugo Franco, Íris Cayatte, Manuel Sá Pessoa, Maria Ana Filipe, Marina Albuquerque, Martim Pedroso, Miguel Damião, Nelson Guerreiro, Paula Só, Paulo Duarte Ribeiro, Pedro Sousa Loureiro, Sandra Simões, Statt Miller, Tânia Leonardo.
Colaboração na criação: Flávia Gusmão, Sofia Ferrão e Patrícia Carreira.
Figurinos: João Telmo
Direcção Técnica e Operação: Nuno Barracas
Produção: Bruno Reis
Co-Produção: ZDB, S. Luiz Teatro Municipal

Orquestra de Cordas e Coro da Casa Pia de Lisboa
Tivoli BBVA | 13 Nov

MÁRIO LAGINHA, LURA, KATIA GUERREIRO E FRANCISCO MENEZES JUNTARAM-SE À CASA PIA DE LISBOA PARA COMEMORAR A ABERTURA DO ANO LETIVO 2013/2014

Uma das marcas identitárias da Casa Pia de Lisboa, ao longo dos mais de dois séculos de existência, foi, e continua a ser, a oportunidade que
proporciona aos seus alunos de, independentemente do seu contexto socio-familiar, ter um contacto privilegiado com a arte e a expressão artística.
Assim, coincidindo a abertura do Ano Lectivo 2013/2014, cujas comemorações decorrerão ao longo do dia, com o reconhecimento do empenho dos nossos alunos
através da atribuição de Prémios de Mérito, a Casa Pia de Lisboa promove um concerto para dar a conhecer o trabalho desenvolvido no âmbito do
Ensino Integrado de Música, um projecto que nasceu em 2009 e visa a formação e desenvolvimento musical de jovens em viola de arco, violino e violoncelo.

Reconhecendo a dimensão artística e social deste projecto, que conta já com mais de uma centena de alunos, Mário Laginha, Lura, Katia Guerreiro e
Francisco Menezes aceitaram de imediato o convite para participar nesta iniciativa marcada pela partilha musical entre os artistas convidados,
as crianças e jovens da Orquestra de Cordas da Casa Pia de Lisboa.

A receita deste concerto reverteu na totalidade para a Orquestra comprar novos instrumentos, podendo continuar a desenvolver este projecto nascido em 2009.

OS IDIOTAS
Aud dos Oceanos Casino Lisboa | 11 Set a 28 Dez

Ver Os Idiotas foi a melhor coisa que lhe aconteceu

Nos últimos tempos, quantas vezes já deu consigo a perguntar onde acaba a realidade e começa a ficção?
Pois é. Segundo Os Idiotas essa fronteira não existe. Resultado? Tudo, mas mesmo tudo, pode acontecer. No mundo d' Os Idiotas o facebook deixou de ser virtual e as pessoas, mesmo as "supostamente normais", trocaram as gargalhadas por uma dúzia de LOLs; Longe vão os tempo em que os amigos bebiam um copo quando se juntavam. Agora levam armas e matam-se por dá cá aquela palha. Neste universo paralelo, há homens que afinal são mulheres que entretanto mudaram de sexo e jogos de computador que se instalaram na vida sem pedir autorização para fazer download.
Se no final desta comédia detectar sintomas antes desconhecidos, não se preocupe. Esses sinais fazem parte do projecto de contaminação que Os Idiotas delinearam para o livrar desse semblante sério a que a rotina o condenou. Faça uma pausa...

Os Idiotas - um espectáculo da multipremiada companhia inglesa Idiots of Ants.

 

Texto Idiots of Ants - Andrew Spiers, Elliott Tiney, Benjamin Wilson e James Wrighton Direcção Sónia Aragão Tradução Ana Sampaio Cenografia e Figurinos Marta Carreiras Música Alexandre Manaia Desenho de Luz Paulo Sabino Produção UAU

Interpretação Aldo Lima, José Pedro Gomes, Jorge Mourato e Ricardo Peres

 

OS REIS DA COMÉDIA
Teatro Sá da Bandeira | 2 a 12 Maio

Um Sucesso Mundial!

José Pedro Gomes e Rui Mendes são Alberto Cruz e Jacinto Leite, comediantes de referência que durante mais de 40 anos fizeram rir o país. Separados há mais de uma década, não se falam pois não suportam sequer olhar um para o outro. Mas, o convite para participar num programa de televisão com um dos seus mais famosos números volta a juntá-los. Será que conseguem trabalhar juntos uma última vez?

Foi o que a  Invicta descobriu, entre 2 e 12 de Maio, no Teatro Sá da Bandeira.

Um sucesso mundial, Os Reis da Comédia é uma peça assinada por Neil Simon, um dos mais importantes e premiados dramaturgos americanos contemporâneos. A encenção é de Adriano Luz e a interpretação de José Pedro Gomes, Rui Mendes, Jorge Mourato, Carla de Sá, Diogo Leite e Rui de Sá.

"... duas horas de boa disposição garantida, mas não isenta de ironia e reflexão (...) A dupla Mendes/Gomes funciona na perfeição.", CM

Pedro Moutinho "O AMOR NÃO PODE ESPERAR"
Aud. dos Oceanos Casino Lisboa | 11 Dez

Concerto de apresentação do novo álbum “O Amor Não Pode Esperar”

Desde que, faz agora dez anos, Pedro Moutinho lançou o seu primeiro álbum, "Primeiro Fado" (2003), tem sido sempre a subir, sem nunca olhar para trás. O título do segundo, "Encontro" (2006), foi significativo: foi o disco do encontro com o produtor que o tem ajudado a moldar o seu percurso, Carlos Manuel Proença, viola de referência. Veio depois o terceiro registo, o da confirmação como um valor incontornável, "Um Copo de Sol" (2009). Seguiu-se "Lisboa Mora Aqui" (2011), uma escolha de material dos três discos completada por temas novos.
Este ano deu novo passo em frente com O Amor Não Pode Esperar, o quarto disco de estúdio. De novo produzido por Carlos Manuel Proença, mostra a segurança cada vez maior do intérprete, a discrição confiante do percurso. Neste disco, Pedro Moutinho conta mais uma vez com grandes letristas como Amélia Muge, Aldina Duarte , Manuela de Freitas e ainda duas grandes versões – "Eu Tenho um Fraquinho por Ti", de Fausto Bordalo Dias, e "Preciso Aprender a Ser Só", de Marcos Valle, gravada por gente como Elis Regina ou Maysa Matarazzo.
Em palco, todo ele é fado: a voz, o olhar, a pose e os gestos. Pedro dá corpo às suas canções e entende as subtilezas do género que o escolheu: sobrevoa a guitarra, rodeia a viola e faz suas as melodias com uma voz tão segura que parece que canta desde sempre. O que é capaz de ser verdade: começou a cantar aos 11 anos e desde então já pisou muitos palcos, tendo feito muitas noites nas casas de fados onde a verdade se impõe, pois não existe distância entre quem canta e quem ouve.

Prémio Revelação Casa da imprensa 2003
Prémio Amália Rodrigues para Melhor Álbum 2008


Aud. Oceanos Casino Lisboa
11 Dez | 21h30
 

Selección Nacional de Tango Y Aríel Ardit
Teatro Tivoli BBVA | 25 Maio

Comemoração do 200º aniversário do Dia Nacional da Argentina

O Dia Nacional da Argentina celebra-se a 25 de Maio, desde 1813. Este ano, no seu 200º aniversário, a data foi comemorada no Teatro Tivoli BBVA com o espectáculo Selección Nacional de Tango Y Aríel Ardit.

A companhia Selección Nacional de Tango nasceu em Junho de 2005 para,  pela primeira vez na história do género, formar uma orquestra onde convivem as maiores figuras do tango, que se revezam como maestros e músicos, em cada tema.

Em Lisboa, a companhia contou com Aríel Ardit, um dos mais aclamados artistas argentinos da actualidade, que emprestou as suas qualidades vocais únicas às canções envolventes que, um sexteto de músicos de elite executou com uma mestria reconhecida mundialmente. Na orquestra estiveram  ainda os bandeonistas Pablo Mainetti e Federico Pereiro e o pianista Andrés Linetzky, considerado como um dos melhores da sua geração.

Iván Romero, campeão mundial de Tango, em 2004, e a bailarina Silvana Núñez, foram o par residente deste espectáculo, emprestando às coreografias toda a sensualidade de um género que é, desde 2009, Património Imaterial da Humanidade.

Selección Nacional de Tango Y Aríel Ardit: um espectáculo, memorável e transversal, que explora o Tango nas suas vertentes sonoras, vocais e físicas.

Teatro Tivoli BBVA
25 Maio | 21h30

M/6

Tango Pasión
Coliseu do Porto | CAE Figueira da Foz | Aud. dos Oceanos Casino Lisboa

Celebração 20º aniversário

Depois de Lisboa, também o Porto e a Figueira da Foz celebraram o 20º aniversário da mais prestigiada companhia de Tango do mundo.
Sob direcção musical de Gabriel Merlino, a Sexteto Tango Pasión interpretou temas de compositores incontornáveis como Astor Piazzolla, Carlos Gardel, Julian Plaza, Sebastián Piana, entre muitos outros, para coreografias assinadas por Hector Zaraspe e dançadas por 12 bailarinos. A direcção artística foi de Osvaldo Ciliento.

28 de Fevereiro no Coliseu do Porto e dia 1 de Março no CAE da Figueira da Foz.
Mas, antes de continuar a sua digressão mundial, Tango Pasión regressou ao Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa para mais 2 espectáculos, dias 2 e 3 Março.
 

M/3

TOC TOC
Teatro Tivoli BBVA | 13 Março a 15 Junho | Teatro Sá da Bandeira | 20, 21, 27 e 28 Setembro

De renome mundial, o dr. Cooper é uma sumidade no tratamento de TOCs (Transtornos Obsessivos e Compulsivos). Na sala de espera do seu consultório, 6 pacientes aguardam a sua chegada. Camilo não consegue parar de fazer cálculos, Maria é obcecada por verificar tudo o que faz, Branca tem pânico de doenças e lava constantemente as mãos, Pep é um maníaco pela simetria, Lili tem o hábito da repetição e Fred não consegue falar sem dizer palavrões.  Perante o atraso do médico, decidem enfrentar os seus problemas em conjunto, dando início a uma sessão de terapia de grupo, recheada de hilariantes momentos.

Reconhecido autor francês, Laurent Baffie assina TOC TOC, uma comédia onde as fobias, obsessões, manias ou simples tiques, de que todos padecemos um pouco, são retratados com grande sentido de humor.


Disse imprensa:

"Não perca esta comédia, em que obsessões, manias ou tiques são o mote de muito humor". Destak

"Tem um excelente elenco que merece o nosso aplauso". Flash

"O resultado, como é bom de ver, são momentos hilariantes". TV Guia


Interpretação
Eduardo Madeira, Manuel Marques, Ana Brito e Cunha, Maria Henrique, António Machado, Marina Albuquerque e Matilde Breyner

Encenação António Pires
Texto Laurent Baffie
Tradução Luisa Costa Gomes e Manuela Vaz
Cenário F. Ribeiro
Figurinos Dino Alves
Desenho de Luz Paulo Sabino
Produção UAU

VOCA PEOPLE
Coliseu do Porto | 3 de Outubro | CCB | 4 a 6 de Outubro

Sem instrumentos! Só vozes!
Os Voca People voltaram a aterrar em Portugal para recolher a “energia” que necessitavam para a viagem de regresso ao seu planeta, Voca. Um espectáculo musical, onde temas famosos de Michael Jackson, Madonna, Tom Jones, entre outros, são a banda sonora de uma história cheia de humor e absolutamente fascinante!

Não é possível resistir à musicalidade destes 8 simpáticos seres intergalácticos!

Depois do estrondoso êxito 2010 e 2011, os Voca People regressaram a Portugal. Com milhões de visualizações dos seus vídeos na internet e bilheteiras esgotadas por todo o mundo, os Voca People são garantidamente os mais bem recebidos seres extra-terrestres de que há memória!

Reza a história que estes divertidos personagens são oriundos de um planeta longínquo chamado Voca, onde se comunica exclusivamente através da música e de expressões vocais. Agora, eles estão na Terra e precisam de recarregar as energias musicais para regressar a casa...

Uma viagem pelas músicas que nos ficam na cabeça, num espectáculo muito divertido e interactivo, onde se reproduzem à capela e com a ajuda do beat-box humano temas tão variados e conhecidos como Tutti Frutti (Elvis Presley), Magic Flute (Mozart), Holiday (Madonna), Can´t Take My Eyes Out Of You (Frankie Valli), Sex Bomb (Tom Jones), Billie Jean (Michael Jackson), My Heart Will Go On (Celine Dion), Bohemian Rhapsody (Queen) e muitos outros!

Sem instrumentos, só com as vozes...e com muito humor!

“O show da voz humana (...) É uma ideia tão simples quanto eficaz e que não deixará ninguém indiferente.”, Correio da Manhã

“Sons do outro mundo (...) Além da musicalidade única, conseguida apenas com a voz, os artistas presenteiam-nos com muito humor.”, Destak

“Simplesmente brilhante! Fantástico!”, The New York Times

“Impressionante! Melodias de sempre, de Mozart a Michael Jackson. Os arranjos são de OUTRO MUNDO!”, Time Out New York

“Puro talento, humor e originalidade fazem de The Voca People um espectáculo imperdível. Uma experiência única e arrebatadora que delicia o público muito para além do fecho da cortina.”, brodwayworld.com

“Extra-terrestes com vozes de ouro.”, Le Parisien

“UAU, que tamanha explosão de talento num palco numa só noite...”, Hed Hakrayot, Israel

“Espectáculo maravilhoso e hilariante... Voca People é recomendado para miúdos.”, The New York Mom

Xana Toc Toc
Palácio de Congressos do Algarve | 16 e 17 Agosto

Viajámos com a Xana Toc Toc e nas suas aventuras!

Xana Toc Toc gosta de desenhar, pintar, cantar, escrever e viajar. Chega, com a sua biclinha, ao mundo dos sonhos, que tem a forma de ilha. Quando chegou era só Xana mas, curiosa e faladora, logo se pôs a bater a todas as portas. Os habitantes da ilha chamam-lhe Xana Toc Toc. Xana viaja sempre com os seus objectos especiais e pessoais: a sua Mala Cor de Rosa, onde guarda tintas e pincéis para pintar as suas telas e o  famoso Diário, onde escreve todos os seus segredos, canções e perguntas.

A apresentação da Xana Toc Toc e do seu maravilhoso mundo encantado está feita e os espectáculos deliciaram miúdos e graúdos!

Festival no Gelo | A Bela e o Monstro
Campo Pequeno | 25, 29 e 30 Dezembro

Bela cumpre uma promessa feita pelo seu pai e torna-se prisioneira de um ser terrífico, a quem o povo chama “Monstro”. Pouco a pouco, conquista o seu amor, derretendo o gelo que cobria o seu coração. Apresentada pelos patinadores no gelo da Russian Ice Stars, A Bela e o Monstro é um centenário conto de fadas que continua a encantar miúdos e graúdos.

Animação Verão
Arena Lounge | 27 Julho a 3 Setembro

No Verão de 2012, o humor, a dança e o circo tornaram as noites do Casino Lisboa ainda mais quentes!

Diariamente, para além da habitual animação musical ao vivo, teve a oportunidade de assistir também à performance de dança Dream Bodies e à actuação de novo circo de Benjamim e Élodie, num fantástico número de forças combinadas.

As  6ªs e Sábados, deram lugar ao riso, com Aldo Lima, Francisco Menezes e Eduardo Madeira.  Em noites de comédia a solo, pôde conhecer o que de novo estes 3 grandes nomes do humor nacional tinham para o surpreender!

Deixámos-lhe um aviso: Que reservasse mesa antecipadamente pois não garantiamos lugar sentado!

Aldo Lima – 4, 11, 24 Agosto e 1 Setembro
Eduardo Madeira -  27 Julho, 3, 17 e 25 Agosto
Francisco Menezes - 28 Julho, 10, 18 e 31 Agosto

Dream Bodies
Diariamente
Com coreografia assinada, pelo segundo ano consecutivo, por Paulo Jesus, coreógrafo do programa de TV, A Tua Cara Não Me É Estranha, Dream Bodies é um dos já muito esperados momentos do Verão no Casino Lisboa.
Este ano, a sedução tem um som mais doce com temas como Candy Shop (Madonna e 50 Cent), Fergalicious (Fergie) ou Lollipop (Mika) como mote de arrebatadores momentos. Em palco, a inocência floresce com a promessa do prazer, numa sensual coreografia a 3 corpos, harmoniosamente conjugados em movimentos plenos de erotismo.
Bailarino há mais de 25 anos, Paulo Jesus estreou-se como coreógrafo há mais de uma década e tem somado experiências na área do entretenimento, sendo responsável por inúmeras galas e espectáculos televisivos. Em Abril de 2011, assinou Fantasy para o palco do Arena Lounge.


Novo Circo – Benjamim e Élodie | Forças Combinadas
Diariamente
Ginastas de competição, conheceram-se em 2003, iniciando uma parceria de sucesso. O seu número de Forças Combinadas, alia uma aprimorada técnica com a elegância de movimentos, onde o equilíbrio é essencial. Para apreciar no Arena Lounge do Casino Lisboa a partir de 27 de Julho.

AS MULHERES NÃO PERCEBEM
Teatro Tivoli BBVA | 19 Abril a 30 Junho

Comédia para homens e mulheres

O que ficamos a saber sobre os homens quando três trintões, amigos de longa data, se vêem forçados a passar cerca de uma hora, juntos, sozinhos, sem distracções e a falar uns com os outros? Serão os homens seres tão complexos como dão a entender quando... Bem, na verdade, nunca o dão a entender. Mas do que falam quando as mulheres não os ouvem? Sim, disso. Mas conversam acerca de quê? Sim, disso. Mas do que falam... Ok, basicamente, só falam disso. Mas já ouviu?


Interpretação | Aldo Lima, André Nunes e Rui Unas


Encenação | José Pedro Gomes
Texto | Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira
Desenho de Luz | Paulo Sabino
Música | Alexandre Manaia
Artista Plástico | João Mota
Design Gráfico | Fernando Correia
Ass. Encenação | Anaísa Raquel

nnn

Carnaval | Aurea
Lounge D | 20 de Fevereiro

Em noite de Carnaval, o Lounge D do Casino Estoril recebeu Aurea.

Desde que Aurea, álbum homónimo (2011), chegou a dupla platina, esta cantora portuguesa de 23 anos não parou, esgotando concertos e tendo o seu talento e trabalho reconhecido em prémios como o Globo de Ouro na categoria de Melhor Intérprete Individual e o prémio Best Portuguese Act/2011 da MTV EMA (European Music Awards).

Na noite de 20 de Fevereiro, Aurea marcou presença no Carnaval do Casino Estoril.

Carnaval | Buraka Som Sistema
Arena Lounge | 20 Fevereiro

Em noite de Carnaval, a música desfilou no palco do Arena Lounge.

DJ RIDE
A facilidade com que mistura diferentes estilos e linguagens fazem dele um dos DJs e produtores mais requisitados. Pioneiro em várias áreas e dotado de uma imaginação invulgar, DJ Ride passou rapidamente
de promessa a uma das certezas da musica nacional, sendo por quatro vezes campeão nacional de Scratch/Turntablism.

Buraka Som Sistema
Banda cuja sonoridade se integra no género musical Kuduro, é frequentemente designada como fundadora do novo som electrónico
kuduro progressivo. Esta é uma das bandas portuguesas mais internacionais de sempre, com váriosprémios a nível europeu e com 4
discos editados. Entre eles, o álbum Komba, que animou a noite de Carnaval no Casino Lisboa.

BEATBOMBERS
Os DJs Ride e Stereossauro formam os Beatbombers, Campeões do
Mundo de Scratch/Turntablism IDA 2011- categoria Show. Em 2011
lançaram pela Rockit, o vinil Tuga Break” e prometeram novidades para
2012.

CELTIC LEGENDS
Auditório dos Oceanos | 17 a 29 Janeiro

 

Os Celtic Legends reressaram a Portugal com um novo espectáculo.
Com direcção musical de Liz Knowles O’Hare e Kieran O’Hare e coreografia de Ger Hayes, a música e movimentos tradicionais irlandeses voltaram a protagonizar momentos mágicos, fazendo reviver uma cultura antiga, mas ainda vibrante e fascinante.
Uma orquestra ao vivo, onde não faltaram os violinos, as gaitas de fole, os acordeões, as guitarras, as  flautas e os tambores celtas que acompanharam o sapateado dos dançarinos, nesta viagem ao coração de uma Irlanda quase esquecida.
Celtic Legends: música e ritmos irlandeses (re)descobertos no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa, de 17 a 29 de Janeiro de 2012

Diz a imprensa:
“(...) verdadeira apoteose da cultura tradicional irlandesa. Cheio de vitalidade, muito emocionante.”, El Pais

“Um espectáculo que concentra as raízes populares e as melodias do baile irlandês” , El Mundo

“A música e a dança tradicional irlandesa(...) num passeio pela cultura celta a cargo de catorze bailarinos e cinco músicos.”, El Periódico

CIRQUE MECHANICS
Auditório dos Oceanos | 14 a 26 Fevereiro

 

Concebido por criadores do Cirque du Soleil

Bem-vindos à "fábrica", o mais improvável cenário de sempre para um espectáculo... de circo!
 
Cirque Mechanics apresentou Birdhouse Factory, uma história de alegria, amor, fuga, perda e, claro, de casas de pássaros. Protagonizado por acrobatas de prestigiadas companhias de circo, como o Cirque de Soleil, Circo de Moscovo e a Pickle Family Circus, Birdhouse Factory conjugou artes circenses com máquinas do século XX, num cenário inspirado nos murais industriais pintados por Diego Rivera e no filme Tempos Modernos, de Charlie Chaplin.


Criado por Chris Lashua, Aloysia Grave e Steven Ragatz, antigos criativos Cirque du Soleil, Birdhouse Factory conjuga ciência, história e arte, transformando o quotidiano espaço de uma fábrica produtora de casas de pássaros num mundo maravilhoso, habitado por "operários" capazes de indescritíveis proezas, como andar no ar, desafiando todas as leis da física!

CLUBE DE COMÉDIA 2
O melhor do Stand-Up Comedy nacional!

Teatro do Bairro | 10 Abril a 26 Junho

Coliseu do Porto | 
3 e 4 Outubro

Aldo Lima, Bruno Nogueira, Eduardo Madeira, Francisco Menezes, Nilton e Óscar Branco regressaram ao Clube de Comédia, um espaço onde rir eraobrigatório... ou talvez não... podia não apetecer... mas, temos a certeza, que ninguém ficou  indiferente!
 

É COMO DIZ O OUTRO
Coliseu do Porto | 8 a 12 Fevereiro | Auditório dos Oceanos | 31 Maio a 11 Julho

 

É Como Diz o Outro é uma comédia que relata o dia-a-dia de dois amigos que trabalham juntos, frente a frente. Entre o trabalho, conversam sobre as suas vidas, aspirações, dúvidas, trocam confidências e discutem sobre temas tão complexos como uma receita de arroz de rodovalho ou a escassez da pedra mármore.
Interpretada por Bruno Nogueira e Miguel Guilherme e encenada por Tiago Guedes, esta comédia é baseada nos textos escritos e interpretados por Henrique Dias e Frederico Pombares na rubrica, com o mesmo nome, emitida no programa Cinco para a Meia-Noite, da RTP 2.

| Textos: Frederico Pombares e Henrique Dias
| Encenação: Tiago Guedes
| Cenografia: José Pedro Penha
| Vídeo e Desenho de Luz: Artica.cc

Disse a imprensa:
"Aqui ri-se e chora-se (mas chora-se de tanto se rir). (…) tendo a capacidade de se deixar levar pelo brilhante envolvimento dos actores no texto, vai com certeza chorar de tanto rir, e remexer-se na cadeira. E não se admire se a pessoa que estiver ao seu lado passar o tempo todo a perguntar: “Mas quem é que se vai lembrar de uma coisa destas?”", Tentações (Revista Sábado)

"São duas pessoas sentadas frente a frente a desfiar banalidades e teorias, aparentemente absurdas, cómicas. De um lado, há um arrumadinho, mais velho; do outro, um desleixado, algo fanfarrão. (…) Falam de sexo, lições de vida e de hipnotismo, piercings  na nádega e posar para revistas gay. Desconcertante (e não aconselhado a ouvidos sensíveis).", DN


"A peça trata de conversas descabidas que se poderiam desenrolar (ou não) num escritório de pouco trabalho.  (…) as gargalhadas são em catadupa, não só pelo insólito do argumento, mas também arrancadas pela interpretação, hilariante até para os protagonistas. (…)", Jornal i

Emoções Nocturnas
As noites são diferentes no Casino Estoril

Lounge D 

Junho

De domingo a 4ª, o Lounge D do Casino Estoril vai viver momentos mágicos com Alexis Ricardo. Numa deambulação pelo espaço, Alexis Ricardo vai desconcertar o público com as suas ilusões, fazendo aparecer e desaparecer objectos, transformando notas e, quem sabe, tirando cartas das mangas dos presentes. Porque a magia pode acontecer a qualquer momento, quando menos se espera, não deixe de a experienciar ao vivo!

A tradição dos cabarets franceses invade o Lounge D do Casino Estoril.
Soirée é o espectáculo a apresentar por A Pompadourette, uma companhia de dança nacional cujas coreografias combinam a dança do varão com ritmos contemporâneos, sem perder a sensualidade da época Burlesca e das Pin-Ups.
Uma apresentação que levará o público para ambientes de fantasia que o tempo ainda não apagou.


Julho


Dance Blast numa homenagem ao Disco Sound, uma época afirmada como a da melhor música de dança de todos os tempos.
De 4ª a Sábado, o Lounge D do Casino Estoril recebe uma electrizante performance de dança, plena do brilho e glamour dos marcantes anos 70, e com uma banda sonora que reúne o melhor da Disco Music, ainda e sempre, tão actual!
Venha (re)viver o estilo que definiu, e ainda define, uma geração.


Agosto


Alexis Ricardo
Pompadourette

 

Setembro


Em Setembro, Dance Blast está de regresso ao Casino Estoril. Depois do Disco Sound é a vez da Pop tomar de assalto o Lounge D. De 4ª a sábado, o ritmo contagiante das divas Beyoncé, Rihanna, Jennifer Lopez e Madonna não vai deixar ninguém indiferente. Aceite o convite e venha divertir-se ao som dos maiores hits de quatro nomes incontornáveis da Pop actual.

 

Outubro

Alexis Ricardo
Pompadourette

 

FESTIVAL NO GELO
Campo Pequeno | 25 Dezembro a 27 Janeiro

3 espectáculos e uma pista de gelo!


Entre 25 de Dezembro e 27 de Janeiro, o gelo vai conquistar Lisboa a partir da arena do Campo Pequeno.
Para além dos espectáculos A Bela e o Monstro, A Branca de Neve e Gala das Estrelas, a pista de gelo  poderá ser sua.

Consulte os horários, calce os patins e deslize pelo gelo!

M/3

A Bela e o Monstro - 25 Dez | 17h - 29 Dez | 15h - 30 Dez | 11h
Gala das Estrelas - NOVA DATA: 4 Janeiro | 21h
A Branca de Neve - 5 Jan | 11h e 15h

Pista de Gelo

Dias de semana | 14h às 20h
Sábados | 10h às 22h
Domingos | 10h às 20h

Saiba mais em www.festivalnogelo.com

FESTIVAL NO GELO | A Branca de Neve
Campo Pequeno | 5 Janeiro

Era uma vez...
Era uma vez uma bela princesa que para fugir à sua cruel madrasta se  refugia na floresta, numa casa habitada por sete anões...
Era uma vez uma pista de gelo tornada palco para os melhores patinadores no gelo do mundo...
Era uma vez A Branca de Neve no gelo, uma versão da Russian Ice Stars para o clássico conto imortalizado pelos irmãos Grimm.

Festival no Gelo | Gala das Estrelas
Campo Pequeno | 4 Janeiro

Os melhores patinadores no gelo do mundo num espectáculo único!
Nunca o desporto e a arte de palco se complementaram de forma tão harmoniosa como nos espectáculos da Russian Ice Stars. De origem russa, esta companhia é composta pela elite mundial de patinadores no gelo. Com provas dadas em inúmeras provas europeias, mundiais e olímpicas, os patinadores da Russian Ice Stars aliam a rígida técnica da patinagem com a poesia da dança, criando um ambiente mágico em cada apresentação.
Gala das Estrelas, um espectáculo que reúne coreografias a solo, pares e grupos, num verdadeiro desfile de talento e beleza protagonizado pelos melhores entre os melhores patinadores no gelo do mundo.

FOREVER KING OF POP
Campo Pequeno | 6 e 7 Janeiro

No dia 25 de Junho de 2009, o mundo acordou com a notícia de que o Rei da Pop tinha morrido. Ultrapassando todas as polémicas que rodearam este momento, a verdade é que por todo o planeta ninguém ficou indiferente ao desaparecimento de Michael Jackson, incontestavelmente um dos mais importantes artistas das últimas décadas.

Temas como Billie Jean, Beat It, Bad, I Want You Back, Smooth Criminal, Human Nature, Thriller são alguns dos escolhidos para integrar FOREVER KING OF POP, numa celebração que viaja por toda a carreira de Michael Jackson, privilegiando a emoção, intensidade e ritmo que colocava em cada concerto.

Com 40 artistas em palco, entre bailarinos, cantores, actores e músicos, FOREVER KING OF POP conta com coreografias brilhantes e vozes prodigiosas que em tudo respeitam e prestam homenagem à sua carreira. Para os mais de 600.000 espectadores que já assistiram, este é O espectáculo em que até os mais cépticos e menos fãs se rendem à lenda.

Verdadeiro tributo,  FOREVER KING OF POP conta com o apoio oficial da Fundação Jackson Family: “O espectáculo é o melhor que alguma vez vimos. Captura todos os diferentes conceitos artísticos de Michael Jackson. (...) A Fundação Jackson Family orgulha-se de apoiar FOREVER KING OF POP como o seu espectáculo oficial (...)” (Simon Sahoumi, presidente da Jackson Family Foundation).

A memória de quem foi e é Michael Jackson pôde ser vista, ouvida e dançada nos dias 6 e 7 de Janeiro, no Campo Pequeno, em Lisboa.

Participação especial de Gabriel, o mini Michael Jackson português de 8 anos, natural de Esposende e vencedor do casting nacional promovido em parceria com a SIC K e a RFM.


 

FREI HERMANO DA CAMARA
Teatro Tivoli BBVA | 3 e 4 Dezembro

Afastado do palco há alguns anos, Frei Hermano da Camara está de regresso para comemorar os seus 50 Anos de Carreira.
Num espectáculo único, Frei Hermano da Camara revisitará êxitos maiores como O Fado da Despedida, Túnica Negra, O Rapaz da Camisola Verde, Jesus, bem como temas do seu novo álbum a editar brevemente.
Em palco estarão a acompanhá-lo Pedro de Castro e José Luís Nobre Costa nas guitarras portuguesas, Francisco Gonçalves na viola e o prof. Joel Pina na viola baixo.
Um concerto há muito esperado para não perder nos dias 3 e 4 de Dezembro no Teatro Tivoli BBVA.


Teatro Tivoli BBVA
3 e 4 Dezembro | 21h30

M/6

FUGA
Teatro Tivoli | 26 Outubro a 22 Janeiro 2012 | Coliseu do Porto | 27 a 29 Abril

 

Uma comédia surpreendente!

Um ministro demite-se na sequência de um escândalo de corrupção que lhe destrói a carreira política. A sua mulher foge com o jornalista que revelou o caso. O caos instalou-se na vida de Vicente Calado que considera tomar medidas definitivas quando uma vendedora ambulante lhe bate à porta.

Com uma vida dura, esta mulher é alegre e dinâmica. A força com que luta contra as adversidades diárias tornam-na diferente de qualquer outra mulher que conheceu. O seu encanto conquista-o, levando-o à esperança por dias melhores e à paixão.

Mas, esta mulher não vem só e, de uma só vez, Vicente conhece um marido violento e infiel, um pai paralítico e mudo e uma prostituta. Todos juntos, transformam-lhe a vida, fazendo-o protagonista de uma série de incríveis situações.

Nem tudo o que parece é, nesta comédia que apenas pode terminar de forma...surpreendente!

| Autor: Jórdi Galcerán
| Encenação: Fernando Gomes
| Tradução: Joaquim Monchique
| Cenografia: Eric da Costa
| Figurinos: Dino Alves
| Desenho de Luz: Paulo Sabino
| Música: Alexandre Manaia

| Interpretação: Maria Rueff,  José Pedro Gomes, Jorge Mourato, João Maria Pinto, Sónia Aragão

JORGE PALMA
Teatro Tivoli BBVA | 25 Outubro

Com Todo o Respeito

O palco transformou-se na sala de estar onde Jorge Palma recebeu os fãs tornados amigos. Tocou-se, falou-se, cantou-se. Das actualidades de Portugal, Portugal ou Com Todo o Respeito, o tema que dá nome ao trabalho editado em 2011, à inspiração e musas de Página em Branco. De coisas etéreas em Estrela do Mar ou Bairro do Amor às coisas pessoais e intransmissíveis em Frágil". No fim, Jorge Palma acompanhou-nos "à porta" despedindo-se, como sempre faz, com A Gente Vai Continuar.

 

JÚLIO DE MATOS
Teatro Armando Cortez | Casa do Artista | 26 Novembro a 25 Fevereiro

 

Um monólogo para rir... e pensar!

Júlio de Matos é um homem desempregado que sofre uma crise de comunicação com o mundo e passa a falar sozinho. Fica tanto tempo isolado de tudo, sendo ele próprio a sua única companhia, que acaba por se aborrecer de si próprio. Não se suporta mais e já nem sozinho consegue falar. Discute consigo mesmo e resolve não voltar a falar com ele próprio. Absolutamente só, decide "procurar-se" para pedir a si mesmo que interceda por ele - que, entretanto, já se dividiu em duas pessoas. A partir de então, a sua personalidade divide-se em milhares dele mesmo. A aventura passa a ser a tentativa de organizar "todos" numa nova unidade de si mesmo...

Interpretado por Joaquim Monchique, Júlio de Matos é um monólogo extraordinário... para rir e pensar!


| Texto: Pedro Cardoso
| Encenação, adaptação, cenário e interpretação: Joaquim Monchique
| Direcção de actor: Carlos Paulo
| Desenho de luz: Paulo Sabino
| Música e Sonoplastia: Hugo Franco
| Vídeo: Artica.cc
| Caracterização e imagem do espectáculo: Sérgio Alxeredo e Ana Steiner
| Fotografia: Gonçalo Gaioso
| Design Gráfico: Fernando Correia

LAR, DOCE LAR
Aud. dos Oceanos | Casino Lisboa | 12 Set. a 3 Fev.

Dois dos mais brilhantes comediantes nacionais protagonizam LAR, DOCE LAR, dando a conhecer o (inconfessável) dia-a-dia da residência Antúrios Dourados para Séniores de Qualidade. Em palco, diversos personagens partilham memórias e confidências e, sobretudo,  hilariantes atribulações.

Juntos pela primeira vez em palco, Maria Rueff e Joaquim Monchique dão corpo às diferentes personagens desta surpreendente comédia!

E a história começa com uma corrida por um quarto particular...

 

Disse a Imprensa:
“Actores juntam-se pela 1ª vez e dão corpo a várias personagens”, CM

“... a peça mantém a atenção do espectador através dos incríveis jogos das personagens protagonizadas por Maria Rueff e Joaquim Monchique..”, DN

“Não se podia esperar outra coisa se não rir - assim, como quem ri com vontade.”, Jornal I

A partir de “ O que importa é que sejam felizes” de Luísa Costa Gomes


Interpretação: Maria Rueff e Joaquim Monchique
Encenação: António Pires
Cenário: F. Ribeiro
Figurinos: Dino Alves
Desenho de Luz: Paulo Sabino

M/12

Aud. dos Oceanos | Casino Lisboa | 12 Set a 3 Fev.
Teatro Sá da Baneira | Porto | 7 a 23 Junho

 

 

LUIS DE MATOS CHAOS
Auditório dos Oceanos | 28 Novembro a 9 de Dezembro

Uma curta temporada de magia para toda a família!

Luis de Matos CHAOS é o novo espectáculo do mágico português mais premiado e distinguido de sempre. Da mesma forma que o bater de asas de uma borboleta em Tóquio pode provocar um furacão em Nova Iorque, também a presença de cada espectador se reflecte em cada apresentação de Luis de Matos CHAOS. Uma jornada inesquecível, plena de interacção e mistério, repleta de feitos inexplicáveis que perduram na memória de cada espectador que os vive.
Em Luis de Matos CHAOS os mais estranhos elementos interagem de forma mágica e surpreendente. Saramago disse um dia que o “caos” é uma ordem por decifrar. Em Luis de Matos CHAOS, o “decifrar” não é uma opção. Os noventa minutos de espectáculo são uma combinação única da imaginação colectiva de todos que neles participam. Ilusão ou realidade? A escolha é sua…

M/8

MÁRIO DANIEL | FORA DO BARALHO
Auditório dos Oceanos | 2 de Março e 26 de Maio

 

Mário Daniel, autor, apresentador e mágico do "Minutos Mágicos" , programa de sucesso de horário nobre da SIC, apresentou "Fora do Baralho" um espetáculo para toda a família.


"Fora do Baralho" é um espetáculo de magia mas não só!


Divagando entre o seu atelier e o seu espaço de ensaio, Mário Daniel convidou o público a partilhar o seu processo de criação, desde a ideia, presa na imaginação, até à sua concretização em palco.
"Fora do Baralho" mistura a arte da ilusão com a cénica e a teatral, criando não só magia, mas uma atmosfera mágica.
Esta é uma nova proposta de espectáculo e uma nova forma de encarar a magia.

Para aquele que não gosta de truques este é o espectáculo que não pode ter perdido!

MÚSICA no Arena Lounge
Palco Multi-Usos

Diariamente, actuaram no Arena Lounge do Casino Lisboa:

Adriano Diouf
Akunamatata
André Sarbib
Casual Attraction
Chilly
Christina Quest 4tet
Chronicle News
Corsage
D Gang
Endorphina
Ensemble Song
FatJack
Flowmotions
Funky Sliders
Galamataki
Gatos Vadios
Joana Lobo Anta
Kátia Moreira
Longplay
Márcio Costa and Funk Project
Maria Anadon
Mr. Mojo
Njinjiritane
Os Trastes
Plug ’n' Play
Pop my Jazz
Preto no Branco
Radiowave
Rat Swinger
Rui Drumond
Satisfaction
Skool Daze
Soulbreezz
Sounk
Swing Affair
Sylvie C & French Swing Café
The Cherry Jam
The Ramblers
Trio Naranjus
Trio Pagú
Vinil
Voodoo Marmalade
Zoey Jones

MÚSICA no Lounge D

Diariamente, actuaram no Lounge D do Casino Estoril:

39
American Songbook
André Sarbib
Cherry Jam
Diamond Dogs
Endorphine Machine
Fat Jack
Funkylicious
Gamalataki
Inbox
Jorge Roque & Projecto Madrugada
Kátia Moreira & The Soulless
Njinjiritane
No Stress
Plug ’n' Play
Radiowave
Satisfaction
Soulbreezz
Sounk
Space Cake
Vinil
What?

Os Reis da Comédia
Teatro Tivoli BBVA | 22 Nov. a 17 Fev.

Um sucesso mundial!

A idade de ouro da comédia nacional é o tema de um programa especial de televisão. Com mais de 40 anos de carreira a fazer rir o país, a dupla Jacinto Leite e Alberto Cruz é presença imprescindível e todos aguardam a oportunidade de a rever numa das suas mais famosas rábulas.

Sem se falarem há 12 anos, é a custo que aceitam a ideia do reencontro pois, poucos sabem, não se suportam. Frente a frente, desenterram memórias e reacendem quezílias, para desespero de quem os rodeia e muitas gargalhadas para o público.

Um sucesso mundial, Os Reis da Comédia é uma peça assinada por Neil Simon, um dos mais importantes e premiados dramaturgos americanos contemporâneos.

Diz a imprensa:

"... duas horas de boa disposição garantida, mas não isenta de ironia e reflexão (...) A dupla Mendes/Gomes funciona na perfeição.", CM
"... as interpretações são muito boas.", Sábado
"Mestres na arte do riso, conduzem esta adaptação do texto de Neil Simon com grande habilidade.", C&H, revista online de cultura

Ficha técnica:
Texto Neil Simon
Encenação Adriano Luz

Tradução Ana Sampaio
Cenografia, Adereços e Figurinos Zé Branco
Desenho de Luz José Álvaro
Música João Loio

Interpretação José Pedro Gomes, Rui Mendes, Jorge Mourato, Carla de Sá, Diogo Leite e Rui de Sá

M/12

PAULO DE CARVALHO
Teatro Tivoli BBVA | 7 Setembro

50 anos de carreira não se fazem todos os dias. Por isso, Paulo de Carvalho dedica o ano de 2012 a comemorar uma carreira ímpar de espectáculos, edições discográficas, canções e participação cívica na sociedade. Dia 7 de Setembro foi a vez de Lisboa, sua cidade natal e sobre a qual tanto tem cantado e composto, o acolher.

No espectáculo que, desde Fevereiro, já passou por salas como a Casa da Música (Porto), o Teatro Aveirense ou o Cine-Teatro São Pedro (Abrantes), o cantor e compositor revisita, com arranjos actuais, os grandes temas da sua vida musical, como “E Depois do Adeus”, “Gostava dos Vos Ver Aqui”, “Nini dos Meus Quinze Anos”, “Dez Anos”, “Prelúdio (Mãe Negra)”, “Os Meninos de Huambo”, “O Cacilheiro” ou “O Meu Mundo Inteiro”.

Com a energia e carisma excepcionais que o caracterizam, Paulo de Carvalho esteve acompanhado por grandes músicos de uma geração posterior à sua, o que contribui para o registo de modernidade que marcou esta celebração. Em palco estiveram Victor Zamora (piano), Tiago Oliveira (guitarra), Leo Espinoza (baixo), Ruca Rebordão (percussão), Marcelo Araújo (bateria) e, como convidados, Mafalda Sacchetti e Agir.

O tema que simbolicamente assinala o início da Democracia em Portugal, “E Depois do Adeus”, marca para sempre o homem e o cantor, mas Paulo de Carvalho deu voz a muitos outros temas que várias gerações cantam de cor. Ao longo de 50 anos, Paulo de Carvalho notabilizou-se como cantautor, deu voz a alguns dos mais notáveis poetas portugueses, dos quais se destacam Ary dos Santos, José Niza, Fernando Assis Pacheco ou Joaquim Pessoa, e compôs temas importantes para a história recente do Fado, como "Lisboa Menina e Moça" e “Meu Fado Meu”.

Reconhecido pela sua personalidade vocal e timbre únicos e por ser um cidadão notável, Paulo de Carvalho é um nome incontornável da música portuguesa.

CO-PRODUÇÃO: QUARTA PERFEITA - UAU

 

REGGAE BLAST
Campo Pequeno | 23 Março | Coliseu do Porto | 24 Março

Explosão de REGGAE em Lisboa e no Porto!

O Reggae Blast foi o primeiro festival de reggae a abranger as cidades do Porto e de Lisboa no mesmo fim-de-semana!

No mês de Março de 2012 trouxe a Portugal alguns dos sons mais quentes do momento para celebrar da melhor forma a chegada da Primavera com duas noites memoráveis de celebração do reggae!

Totalmente dedicado a este estilo musical, o Reggae Blast propôs-se a divulgar os valores da nação reggae, a sua música, cultura e lifestyle num evento que envolveu música, muita animação e a descoberta de novos talentos.

Com um cartaz de luxo, os Dub Inc foram os cabeças de cartaz desta noite, uma das maiores bandas de reggae francês que trouxe para o palco o seu último disco Hors Controle criando como sempre uma grande noite de festa onde não faltaram temas como “Rudeboy”, “Murderer”, “Tout Ce Qu’ils Veulent”, “Jump Up” ou “Day After Day”.

Bushman foi outro dos grandes nomes do reggae incluídos neste cartaz. Bushman é um dos melhores nomes do reggae jamaicano e esta foi uma estreia há já muito aguardada em Portugal. Em 2011 editou um disco memorável de tributo a Peter Tosh intitulado Bushman Sings Peter Tosh.

Omar Perry é o outro artista consagrado do Reggae Blast! Filho de Lee “Scratch” Perry, após uma actuação brilhante e inesquecível no Festival Musa 2011, Omar Perry regressou a Portugal pela primeira vez para se apresentar com a sua banda The Homegrown Band.

O Reggae Blast veio marcar o panorama dos festivais de referência do Reggae em Portugal!

Produzido pela UAU e a Soundsgood.

ROCK THE BALLET
Auditório do Oceanos | 20 Março a 1 Abril

Ballet dançado ao som de famosos temas pop 

Os mais famosos temas dos U2, Michael Jackson, Prince, Black Eyed Peas, Coldplay e Lenny Kravitz são a banda sonora de Rock The Ballet, um espectáculo de fusão entre o ballet clássico e os ritmos mais contemporâneos do hip-hop, do sapateado e do rock. Criado por Rasta Thomas, Rock The Ballet é "uma nova abordagem ao ballet, que se alia a elementos próprios do século XXI, que prefere denominar de Pop-Ballet".
Este espectáculo tem tomado a Europa de assalto e estás prestes a chegar a Lisboa para noites de alta voltagem, plenas de energia, protagonizadas pela companhia “Bad Boys of Dance”. Estes maus rapazes não o deixaram certamente indiferente com coreografias acrobáticas, que contemplam apontamentos clássicos e contemporâneos, ao som de músicas que todos conhecemos. 

Divertido, inovador e muito bem dançado, Rock The Ballet subiu ao palco do Auditório dos Oceanos de 20 de Março a 1 de Abril de 2012

Disse a imprensa:
“A técnica é irreprensível!”, New York Magazine
“Muito divertido!”, New York Times
“Um grupo enérgico que faz puro entretenimento!”, Sunday Age Review (Melbourne, Australia)

SHAOLIN KUNG FU
Auditório dos Oceanos | 6 a 18 Março

 

Artes marciais e monges Shaolin em Shaolin - Kung Fu. Com 15 mestres shaolin em palco, este é um espectáculo que tem arrebatado plateias e críticos por todo o mundo, ao combinar a tradição de exercícios e instrumentos musicais ancestrais com um toque de modernidade dado através de um magnífico desenho de luz e originais projecções, base para o retrato de vida de um mestre Shaolin que nos fala da sua aprendizagem enquanto discípulo budista.  Em Shaolin - Kung Fu, a energia física e os elementos clássicos do Kung-Fu Shaolin combinam-se com a leveza do budismo zen. Um espectáculo que reflecte o poder da mente sobre o corpo em momentos de pura acção Kung Fu, com exercícios extraordinários onde a dor não tem lugar. A ver a partir de 6 de Março no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.


SLAVA’S SNOWSHOW
Auditório dos Oceanos | 17 Abril a 20 Maio

O Melhor Palhaço do Mundo!

Imagine que pode voltar a ser criança, jogar com bolas e espantar-se com camas que se transformam em barcos. Imagine que pode voltar a acreditar que tudo o que o rodeia é mágico. Já tentou? Não conseguiu? Então, devia ter vindo conhecer Slava.   

No seu regresso a Portugal, Slava’s Snowshow apresentou um mundo fantástico, habitado por palhaços especiais capazes de desencadear tempestades de neve a partir de um simples pedaço de papel. Criado por Slava Polunin, referência maior do teatro cómico do século XXI, Slava’s Snowshow é um espectáculo que não termina com os aplausos finais, continuando na plateia onde a noção do tempo é perdida por todos aqueles que permanecem a brincar com as irresistíveis bolas coloridas.

Mesmo que o regresso à infância tenha sido apenas por momentos, valeu a pena.

TANGO PASIÓN
Aud. Oceanos Casino Lisboa | 11 a 23 Dezembro

Celebração 20º aniversário

No ano em que celebra 20 anos de existência, Tango Pasión, a mais prestigiada companhia de tango do mundo, não podia deixar de visitar Portugal com o seu espectáculo de aniversário.
Sob direcção musical de Gabriel Merlino, a Sexteto Tango Pasión interpreta temas de compositores incontornáveis como Astor Piazzolla, Carlos Gardel, Julian Plaza, Sebastián Piana, entre muitos outros, para coreografias assinadas por Hector Zaraspe e dançadas por 12 bailarinos. A direcção artística é de Osvaldo Ciliento.

Inseridos numa digressão mundial ainiciada em Novembro, os espectáculos no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa aconteceram entre 11 e 23 de Dezembro.

TAP FACTORY
Teatro Tivoli BBVA | 15 Setembro

Com a percussão a marcar o ritmo e o sapateado frenético a confirmá-lo, TAP FACTORY é um espectáculo multi-disciplinar que concilia o sapateado com o hip-hop e a acrobacia aérea, numa performance cénica cheia de humor que já conquistou diferentes plateias europeias.

“Exímios na arte do sapateado e da percussão”, La République du Centre
“Pés com vida própria!”, Le Républicain
“Conquistado pelos tambores explosivos de Tap Factory e mais ainda pelo seu sapateado”, La Dépèche du Midi

 

THE PHANTOM OF THE OPERA
Auditório dos Oceanos| 1 a 12 Fevereiro

A energia de um concerto rock com a magia do cinema mudo!


The Phantom of the Opera. O nome diz tudo. Uma história de amor, ambição e traição assinada por Gaston Leroux e tornada famosa pelo musical de Andrew Lloyd Webber.
Mas, em pleno século XXI, nada é o que foi... nem The Phantom of the Opera.
Aliando a energia de um grande concerto rock com a silenciosa magia dos grandes clássicos do cinema mudo, The Phantom of the Opera não é um espectáculo musical, nem de teatro, nem de multi-média. É tudo isso: uma viagem ao passado através da tecnologia do presente e onde a música rock, cantada, tocada e dançada, tem como cenário o filme O Fantasma da Ópera, realizado por Rupert Julian, em 1925.


The Phantom of the Opera, de Vox Lumiere – Silêncios Que Se  Podem Ouvir esteve no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

THE TIGER LILLIES FREAKSHOW
Aud. dos Oceanos | Casino Lisboa | 5 a 15 Julho

Sarcástico, bizarro e cómico, um espectáculo sem limites!
Imaginemos um passeio nocturno pelos trailers de um freak show, onde habitam criaturas peculiares, vestidas de brilhantes e pérolas para satisfazer a curiosidade mórbida do seu público. Um circo negro, com os mais particulares performers que nos guiam até uma forma de vida alternativa, de uma beleza estranha e modos sedutores.

The Tiger Lillies Freakshow explora o charme da estranheza e do incomum. Cada música conta uma história que nos faz mergulhar cada vez mais fundo neste universo aparentemente feérico mas de grande beleza. Os seus cativantes personagens são absolutamente únicos e mágicos: criaturas com três corações ou com três pernas ganham vida para nos chocar, entusiasmar e saciar a curiosidade pelo bizarro.

O sarcasmo e humor certeiro, combinado com uma estética e sensibilidade artísticas incomuns, fazem de The Tiger Lillies Freakshow uma viagem a um universo paralelo que desafia as nossas crenças e tabus. Um espectáculo sem limites, controverso, pleno de simbolismo e histórias de criaturas que ganham vida para nos desafiar a descobrir novos mundos. Dentro de nós mesmos.

Os Tiger Lillies nasceram em 1989, seguindo a tradição da ambiência punk cabaret, de Bertold Brecht, mas 20 anos mais tarde o seu estilo e sonoridade permanecem intactos. Desde o início que os Tiger Lillies ocupam um lugar solitário na indústria musical. Dos pubs londrinos às ruas de Sidney, esta banda tem percorrido o mundo com a sua música, participando em projectos teatrais e contribuindo com a sua criatividade para uma multitude de espectáculos.  Ao longo da sua já extensa carreira lançaram 24 álbuns sem nunca deixar de surpreender, chocar e entreter o público, o que já lhes valeu o Olivier Award, para o musical de culto Shockheaded Peter, e uma nomeação para um Grammy, com o álbum The Gorey End.

O mundo dos Tiger Lillies é peculiar e oscila entre momentos de tristeza, humor negro e uma imensa beleza. As suas músicas revolvem em torno dos aspectos mais sorumbáticos e estranhos da natureza humana com uma sonoridade associada ao cabaret berlinense com um toque de sons ciganos e vaudeville.

Direcção Artística | Sebastiano Toma
Letras e Música | Martyn Jacques

www.tigerlilliesfreakshow.com

 

Ano 2011

Animação Casino Estoril

Animação Casino Lisboa

A CASA DA FAMA
Teatro Armando Cortez | Casa do Artista | 27 Abril a 10 Julho | Rivoli Teatro Municipal | 30 Setembro a 16 Outubro | Digressão Nacional

 

O que têm em comum Luís de Camões, a Padeira de Aljubarrota e a Princesa Diana? Aparentemente, nada, mas no espectáculo A Casa da Fama são os três finalistas de um reality show televisivo que promete ficar para a História, não fossem os doze concorrentes, figuras incontornáveis da própria História. 

Todo o Portugal quer saber quem vai ser o grande vencedor do concurso. Acompanhamos, assim, e em tempo real, os últimos momentos dos três finalistas na casa. E durante essa noite  vivemos e revivemos a experiência individual e colectiva destes três concorrentes, bem como dos outros que passaram pela casa. Nomes como: Saddam Hussein, Bocage, Amália, Afonso Henriques, Maria Callas, etc. 

A Casa da Fama é uma paródia aos reality shows e aos seus concorrentes, fazendo um cruzamento entre a História e os tempos modernos. E o resultado é muito humor, como seria de esperar numa casa partilhada por um poeta erudito, uma padeira violenta e uma princesa que leva a bondade aos extremos.


| Direcção - João Baião

| Texto - Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira

| Interpretação - Ana Brito e Cunha, João Baião e Mané Ribeiro

| Cenografia e Figurinos - Marta Carreiras

| Direcção Musical - Viagens a Marte

| Vídeo - Neon Media

| Desenho de Luz - Paulo Sabino

| Ass. Encenação - Sónia Aragão

ALDO LIMA E FRANCISCO MENEZES
Speakeasy | 17 Maio a 12 Julho e 18 Outubro a 20 Dezembro | Rivoli Teatro Municipal | Pequeno Auditório | 17 Setembro a 1 Outubro | Digressão

 

O público já comprovou que estes são dois dos melhores comediantes do universo para se ver em palco.Por isso, nesta fase de crise anunciada, juntámo-los para que os seus talentos, combinados com grandes doses de irreverência, nos transportem à parte divertida da vida.
Se os tempos não estão para brincadeiras, felizmente estes dois estão...

Animação Verão
Arena Lounge | 21 Julho a 4 Setembro

Este ano o Verão rima com diversão no Casino Lisboa!

Diariamente, para além da habitual animação musical ao vivo, poderá assistir à performance de dança Dream Bodies e à actuação de novo circo dos Peres Brothers, num fantástico número de forças combinadas.

De 5ª a sábado, a música e o humor também terão lugar no palco do Arena Lounge. Fernando Pereira, Francisco Menezes e Aldo Lima são os três grandes talentos nacionais que vão protagonizar momentos de puro entretenimento.

Às 5ªs - Fernando Pereira – O cantor de vozes nas suas “sete quintas”
Acompanhado ao vivo pelas quatro Diamonds no coro, o inigualável artista vocal Fernando Pereira, apresenta o seu espectáculo mais “completo, universal e generalista”.

Às 6ªs - Francisco Menezes – Um Espectáculo
Francisco Menezes apresenta Francisco Menezes ao vivo e a cores! É verdade, o entertainer que faz tudo menos pintar rodapés traz-nos o seu mundo, sem convidados, intervalos ou galinhas, num espectáculo que só não é descrito como uma grande noite, porque pode ser mais para o curto. Mas uma coisa é garantida: É um espectáculo!

Aos Sábados - Aldo Lima
“(..) ele é toureiro, é caçador, é telefonia (rádio) a pilhas, é o desenho animado vivo mais selvagem desde os tempos de glória de Chuck Jones. Não nasceu na América e só por isso não teve direito a um especial na HBO. Mas um dia destes nunca se sabe”. (Nuno Markl sobre Aldo Lima).
Um dos pioneiros da Stand-Up Comedy em Portugal, Aldo Lima é conhecido do público por ter integrado diversos projectos, como “Levanta-te e Ri” (SIC) ou “Clube de Comédia”.


Dream Bodies
Dream Bodies é uma explosão de sensualidade entre dois corpos femininos e um masculino. Uma coreografia inspirada no glamour e no requinte desde os anos 40 aos dias de hoje, num claro apelo aos sentidos potenciado pelo dramatismo cénico de uma sucessão de movimentos carregados de erotismo.

Bailarino há mais de 25 anos, Paulo Jesus estreou-se como coreógrafo há mais de uma década e tem somado experiências na área do entretenimento, sendo responsável por inúmeras galas e espectáculos televisivos. Em Abril de 2011, assinou Fantasy para o palco do Arena Lounge. Agora, regressa com Dream Bodies, diariamente, com entrada livre.


Novo Circo - Peres Brothers | Forças Combinadas
Adans e Ivan Peres, conhecidos internacionalmente como Peres Brothers,  protagonizam um dos números de forças combinadas mais premiados em  festivais internacionais de circo tendo, aliás, sido distinguidos com o prestigiado prémio Clown de Prata no festival de circo de Monte-Carlo.
O Moulin Rouge de Paris, o Circo de Soleil, o Frederichstadt Palace de Berlin e muitos outros teatros de renome têm sido testemunhas da elegância forjada por estes artistas de pai português e mãe espanhola. Venha apreciar a facilidade aparente com que apresentam difíceis elementos acrobáticos, todos os dias, no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Entrada Livre
M/18

 

Aniversário Casino Lisboa | Fantasy
Arena Lounge | Diariamente em Abril

 

Depois da tempestade, vem a bonança. Numa festa, um casal discute e o marido volta para o hotel mais cedo. Quando chega, ela continua a discussão, desafiando-o a cada instante. Possesso, ele acaba seduzido por um insinuante strip, provando-se, mais uma vez, que uma zanga é o melhor preliminar em qualquer relação.
 
Bailarino há mais de 25 anos, Paulo Jesus estreou-se como coreógrafo mais de uma década. Em 2011, assinou a coreografia de Fantasy.
Vista diariamente em Abril de 2011 no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Aniversário Casino Lisboa | Mariza
Arena Lounge | 19 Abril

Na noite do 5º aniversário do Casino Lisboa, os presentes foram todos para si!


Mariza, que tinha acabado de anunciar a suspensão temporária dos palcos na sequência da sua gravidez, trouxe ao Arena Lounge os seus mais emblemáticos temas e convidados.
Rui Veloso, Tito Paris, Carminho e Ricardo Ribeiro subiram  também ao palco para actuações que incluiram ainda duetos com a fadista.
5 Anos com 5 grandes artistas, foi o que se pôde ver e ouvir no dia 19 de Abril de 2011 no Arena Lounge do Casino Lisboa.

 

APANHADOS NA REDE
Auditório dos Oceanos | 19 de Outubro 2010 a 30 Janeiro 2011 | Coliseu do Porto | 23 a 26 de Fevereiro 2011

 

João Santos (José Pedro Gomes) é taxista, tem duas casas, duas famílias, duas mulheres e dois filhos, um de cada mulher. Há 20 anos que mantém esta vida dupla e não está disponível para mudar. Porém, os filhos tornaram-se amigos no Facebook e querem conhecer-se na vida real! Com a cumplicidade do amigo Simão (Jorge Mourato), João vai desdobrar-se em esquemas para impedir que as suas duas famílias descubram a verdade.

Peripécias como fingir-se de morto, que a família padece de enfermidades malignas ou que os serviços de mensagens telefónicas são de tal forma personalizados que deixam conselhos pessoais aos utilizadores, são coisas perfeitamente normais nesta comédia passada a alta velocidade!

| Encenação: António Feio e Fernando Gomes
| Interpretação: Claudia Cadima, Eduardo Frazão, João Maria Pinto, Joana Estrela, Jorge Mourato, José Pedro Gomes e Sónia Aragão
| Tradução: Ana Sampaio
| Cenografia: Eric Costa
| Figurinos: Barbára Gonzalez Feio
| Música: Alexandre Manaia
| Desenho de Luz: Paulo Sabino
| Ass. Encenação: Sónia Aragão

APASSIONATA | À LUZ DAS ESTRELAS
Campo Pequeno | 19 e 20 de Março

 

Depois de ter conquistado o público português com Grand Voyage, Apassionata regressou para apresentar o novíssimo À Luz das Estrelas. A estreia mundial aconteceu em Novembro de 2010 na cidade de Berlim, e foi celebrado com fortes ovações de pé por milhares de espectadores.

À Luz das Estrelas, apresentou-se em Lisboa para contar uma história de aventuras que começa quando Leyla pede um desejo a uma estrela. A magia de um clássico do bem contra o mal num espectáculo premiado que reúne mais de 40 cavalos de diferentes raças.

Entretenimento para toda a família com a apresentação de impressionantes quadrilhas e formações, pirâmides humanas, acrobacias, saltos a galope e obstáculos com fogo, potenciados pela voz de Arndis Halla e do folk islandês, melodias operáticas e os mais vívidos clássicos.

Arena Live | Amor Electro
Arena Lounge | 7 Novembro

Dizem que a pop pode ser portuguesa e chamar-se Amor Electro. O melhor é confirmar no Arena Live, dia 7 de Novembro.
Marisa Liz (Ex-Donna Maria) dá voz a um novo projecto musical que assume a influência de bandas internacionais como Massive Attack, Muse ou Air, mas os Amor Electro cantam em português, temas originais seus e também de compositores convidados. O tema “A Máquina” é exemplo. A guitarra portuguesa, o acordeão e as percussões tradicionais fazem renascer ainda parte da história da pop e do rock português de bandas como os Sétima Legião, GNR, Ornatos Violeta, ou mesmo do fado como acontece em “Estrela da Tarde”, de José Carlos Ary dos Santos e Fernando Tordo. Amore Electro, dia 7 Novembro no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Arena Live | Aurea
Arena Lounge | 25 Dezembro

Um ano após a sua estreia, Aurea, álbum homónimo, chegou a dupla platina, tendo permanecido 40 semanas consecutivas no top nacional de vendas, 35 das quais em top 5, sendo 8 semanas no 1º lugar.
Desde então, a cantora portuguesa de 23 anos tem feito showcases, esgotado concertos e gravou "Love Me Tender", com Elvis Presley (dueto aprovado pela família do Rei e incluído no álbum Viva Elvis, editado no final de 2010). O talento de Aurea foi reconhecido na gala Globos de Ouro, onde obteve 3 nomeações (algo nunca sucedido a um só artista), levando para casa o galardão na categoria de Melhor Intérprete Individual, bem como nos Prémios MTV EMA (European Music Awards), onde venceu na categoria de  Best Portuguese Act/2011.
“Busy (For Me)” foi o single com que tomou de assalto as ondas hertzianas nacionais e com o qual conquistou o público com a sua voz  do tamanho do mundo. As suas influências vão de Aretha Franklin a Joss Stone, passando por John Mayer e Amy Winehouse, e estendendo-se a James Morrison e Zero 7.
O seu talento para cantar é inato e o seu dom vai encher de intensidade o Arena Live. Na noite de Natal, não fique em casa. Venha até ao Arena Lounge no Casino Lisboa!

Arena Live | Deolinda
Arena Lounge | 19 Dezembro

Dois Selos e um Carimbo é o nome do segundo álbum dos Deolinda, sobre o qual escreve Jorge Pereirinha Pires (crítico de música): “Dá-me a tua mão, sai de casa e vem para a rua: a música popular lisboeta rememorou os seus feitos, redescobriu alegria e candura num meio onde isso já parecia improvável, e até encontrou maneira de o expressar. E olha: tornou-se outra vez contagiante, fez-se outra vez entusiasmo, tornou-se outra vez popular. (...) De súbito, toda a gente percebe quem é a Deolinda. A Deolinda és tu, é ela, sou eu. E o maior mastro do mundo é português! Falta o carimbo. Vai para a felicidade da ilustração e do tratamento gráfico, a fazer lembrar as folhas volantes, com as letras das canções em voga, que os cegos outrora vendiam nas ruas da Baixa e nas estações de comboio. Música para cegos? Bom ponto de vista para uma sátira. Desde que não caia em orelhas moucas...”. Dia 19 Dezembro, alegre-se, há concerto de Deolinda no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Arena Live | Luísa Sobral
Arena Lounge | 14 Novembro

Luísa Sobral, a voz portuguesa que conquistou os primeiros lugares do top de vendas com o álbum de estreia, The Cherry On My Cake, tem 23 anos e começou a tocar guitarra e a compor quando tinha apenas 12.  A sua música é uma mistura de jazz e pop que deixa perceber as referências musicais de nomes como Billie Holiday, Ella Fitzgerald e Regina Spektor. Aos 16 anos, ganhou notoriedade por ter chegado à fase final do programa de televisão, Ídolos; depois, partiu para os Estados Unidos para estudar na Berklee College Of Music, em Boston.
Durante a estadia de 4 anos em Boston foi nomeada para Best Jazz Song  (Malibu Music Awards, 2008), Best Jazz Artist (Hollywood Music Awards) e participou na International Songwriting Competition (2007) e na The John Lennon Songwriting Competition (2008). Finalizado o curso mudou-se para Nova Iorque onde ganhou experiência cantando em bares. The Cherry on my Cake é o resultado, em canções como “Not There Yet” ou “Clementine”, de todas estas vivências. E, dia 14 de Novembro, Luísa Sobral partilha-as consigo no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Arena Live | Mayra Andrade
Arena lounge | 21 Novembro

A multi premiada Mayra Andrade é, sem dúvida, uma das maior estrelas de Cabo Verde da actualidade.
Depois de ter estado no nosso país em Junho de 2011 para uma digressão de concertos esgotados, Mayra Andrade regressou a Portugal para um concerto no Arena Live do Casino Lisboa.
Neste espectáculo, Mayra focou-se no seu mais recente trabalho, Studio 105, que, por ser mais acústico, lhe permitiu mergulhar nas suas raízes culturais. No entanto, a cantora prometeu-se também a  viajar pelos momentos mais altos da sua carreira e ainda apresentou algumas surpresas que tornaram esta noite inesquecível. 

Arena Live | Nouvelle Vague PT
Arena Lounge | 12 Dezembro

O público português  já conhece bem os Nouvelle Vague e demonstra o seu carinho esgotando os seus concertos no nosso país.
Se o sucesso é garantido quando propõem temas de The Cure ou Depeche Mode, em versão bossa nova, imagine o que pode acontecer quando nos fazem regressar as mesmas duas décadas mas numa viagem focada nos maiores hits portugueses. Madredeus, GNR, Xutos & Pontapés e muitas outras (boas) surpresas, numa reunião improvável com Olivier Libaux (mentor dos Nouvelle Vague), Helena Nogerra (a voz indissociável da banda) e as vozes lusas de Dalila Carmo, Inês Castel-Branco, Teresa Lopes Alves e Rui Pregal da Cunha (ex-Heróis do Mar).

No dia 12 de Dezembro de 2011, o Arena Live recebeu Nouvelle Vague PT, no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Arena Live | Pedro Abrunhosa & Comité Caviar
Arena Lounge | 28 Novembro

Quatro anos depois de Luz, Pedro Abrunhosa regressa, e parte, para Longe, o seu último álbum. Um disco que corresponde rigorosamente à sua necessidade de mudança e de quebrar rotinas e fórmulas resolventes. Mudou no som e nos músicos, correspondendo a um apelo interior de rumar à essência e de deixar emergir outras raízes impolutas. Aos  seus amores no jazz e no funky e aos seus mestres na canção europeia, Pedro Abrunhosa acrescenta agora o valor do grande som do rock de tónica americana. “Fazer O Que Ainda Não Foi Feito” é o single de apresentação que garante a entrada para um salão de festas mas há muito mais para descobrir em Pedro Abrunhosa e Comité Caviar, composto por Cláudio Souto nos teclados e órgão, Marco Nunes e Paulo Praça nas guitarras, Miguel Barros no baixo, Pedro Martins na bateria e percussão e Eurico Amorim no piano.
Dia 28 de Novembro, faça o que fizer, não vá para longe do Arena Lounge no Casino Lisboa.

Arena Live | Tiken Jah Fakoly
Arena Lounge | 5 Dezembro

Um dos grandes nomes do reggae, Tiken Jah Fakoly, está de regresso a Portugal para apresentar o seu mais recente álbum, African Revolution (2010).
Com mais de 20 anos de carreira Tiken Jah Fakoly é conhecido pelo seu reggae consciencioso, centrado nas injustiças sociais e políticas de África, e também pela sonoridade contemporânea, conseguida pela  inclusão de instrumentos pouco comuns para o estilo tradicional do reggae.
African Revolution é revolucionário, até no método de trabalho. Tiken Jah Fakoly viajou até ao estúdio de Bob Marley e, com a colaboração de Glen Browne (baixo), Marc Dawson (percussão), Mickey Chung (guitarra) e outros músicos locais, inventou a música na fronteira do reggae e dos “mandigue blues”.
Agora, Tiken Jah Fakoly traz ao Arena Live um novo som, ancorado na tradição mas com uma determinação muito moderna, a provar que África não deixa nunca de encantar e surpreender. A não perder dia 5 de Dezembro no Arena Lounge do Casino Lisboa

BE HAPPY BE SEXY
Comporta Café | Praia da Comporta | 16 Julho

 

Num ambiente que revive a década de 40, com pin-ups em trajes de banho a rigor, Be Happy, Be Sexy vai ser A FESTA onde todos vão querer estar!

A abrir a noite, o Live Act do DJ Richard Love feat. MC Grace, nomeada para melhor Live Act Vocal Nacional  em 2008 e 2010 pela revista noite.pt, num set  composto por house, soulful house, deep house e tech house.

A seguir, DJ Mr.V. Mais do que um DJ set, promete experiências únicas com remisturas originais que viajam até à época de ouro da música de dança. Um dos mais destacados DJs da actualidade, Mr.V cresceu sob a influência do house, hip-hop, os clássicos disco e garage, mas também do R&B e do jazz. E é este background musical que lhe permite retomar as raízes da música de dança tornando-o um dos mais desejados DJs das pistas de dança.

SOUL MUSIC CHANEL - NYC - USA
Dress code: Happy e Sexy
Lotação limitada.

BROKERS
Auditório Oceanos |14 Junho a 3 Julho

 

É possível fazer um espectáculo de humor sem palavras? Claro que sim! Os Yllana fazem-no desde 1991. Com mais de 20 anos de experiência, esta companhia madrilena é especialista num estilo de humor universal, fisicamente ruidoso, onde, através de gestos, sons e de um tom irreverente, irónico e interactivo se constroem as mais divertidas farsas.

Estreado em 2008, Brokers satiriza a vida de quatro executivos, mergulhados no mundo dos negócios e focados no êxito profissional. Eles são fanáticos por marcas, gadgets, comida saudável e o culto do corpo. As suas vidas centram-se na carreira, no dinheiro, no luxo, na fama e no poder. Mas os seus medos acabam por ser revelados precipitando as mais hilariantes e ridículas situações.

Uma comédia surrealista e delirante onde tudo - mesmo tudo! - pode acontecer, desencadeando gargalhadas nos espectadores mais exigentes!

CAMBIO DE TERCIO | NUEVO BALLET ESPAÑOL
Auditório dos Oceanos | 1 a 11 Dezembro

 

O Nuevo Ballet Español está de regresso a Portugal com Cambio de Tercio.
Com coreografia de Ángel Rojas e Carlos Rodríguez, Cambio de Tercio apresenta diferentes quadros de cantiñas, sevilhanas, fandango, rumba, bamberas, bulerias, tanguillos e seguidillas. Estruturado em 3 partes, Cambio de Tercio é composto por solos, duetos e ensembles onde o estilo clássico espanhol e o flamenco tradicional se revestem de modernidade sem perder a essencialidade das suas raízes.

Considerado pelos autores o seu melhor espectáculo até ao momento, Cambio de Tercio é dançado pela dupla Rojas & Rodríguez e quatro novas solistas da companhia. Duas cantoras e quatro músicos completam o elenco deste maravilhoso espectáculo. A não perder em Dezembro, no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.


A companhia:
Fundada em 1995, a companhia Nuevo Ballet Español tem como mentores os bailarinos e coreógrafos Ángel Rojas e Carlos Rodríguez. Conheceram-se em 1994 na companhia Los Ballets Españoles, de José António Ruiz, que integraram como solistas após receberem o prémio de Melhor Bailarino do Certame Nacional de Coreografía (1994).
Com uma visão própria e apaixonada do flamenco, as coreografias de Rojas & Rodríguez caracterizam-se pela aliança entre o clássico e o contemporâneo, o que já lhes valeu variados prémios como o Prémio UP de Dança para Melhor Companhia de Dança Espanhola e Flamenco (2000), prémio para Melhor Espectáculo Musical do Ano (Don Juan, 2004), Prémio de Cultura na categoria de dança atribuído pela Comunidade de Madrid (2006) ou Prémio Cidade de Móstoles 2007. Também em 2007, são convidados a coreografar para o Ballet Nacional de España. Dualia, com música original de José Nieto, estreou no Teatro da Zarzuella e contou com ambos nos papeis principais. No ano seguinte, a Comunidade de Madrid volta a reconhecer o seu talento, encomendando-lhes a coreografia do espectáculo de comemoração do bicentenário da guerra da independência. Baile de Máscaras resultou numa fusão de flamenco com teatro, com música ao vivo e 12 bailarinos em palco.
O seu reconhecimento estende-se além fronteiras espanholas, tendo já sido aplaudidos em diversos países europeus, mas também em países asiáticos e sul-americanos.

 

FICHA ARTÍSTICA

| Coreografía, Direcção Artística e Ideia Original: Rojas y Rodríguez
| Bailarinos Principais:  Rojas y Rodríguez
| Bailarinas: María  López, Pilar González, Cristina de Vega, Raquel Tamarit
| Músicos: Daniel Jurado (guitarra), Gaspar Rodríguez (guitarra), Thomas Potiron (violino), Juanfra González ou Enrique Terron (percurssão), Sandra Carrasco ou Sandra Rincón (cantora), Davinia | |  | Jaén ou Rocío Bazan (cantora)

| Composição Musical: Gaspar Rodríguez, Daniel Jurado, Thomas Potiron, Enrique Terrón, Manuel Liñán

Carnaval | Deolinda | Déjá-Vu Retro Party Sound & Vision
Lounge D | Casino Estoril | 7 Março

 

Depois de uma digressão pelos EUA e pelo Norte da Europa e 4 noites memoráveis nos Coliseus, a banda de Ana Bacalhau, Luís José Martins, Pedro da Silva Martins e Zé Pedro Leitão continuou a digressão do seu disco "Dois Selos e Um Carimbo.

Na noite de Carnaval, o D Lounge do Casino Estoril recebeu os seus novos temas e relembrou as razões pelas quais "Dois Selos e Um Carimbo" atingiu galardão de Platina e foi considerado pelo Sunday Times um dos melhores discos do ano 2010.

A animação continuou com o som dos 70s, 80s e 90s, numa DÉJÁ-VU  Retro Party  SOUND & VISION, a cargo de RUI REMIX & NUNO K.

Carnaval | Herman José | Djs "Let´s Control the 80s"!
Arena Lounge | 7 Março

Em noite de folia carnavalesca, o Casino Lisboa arrancou a noite com o funk, soul, reggae e ritmos africanos ao som dos Njinjiritane. Inspirados no nome de um pássaro moçambicano, os Njinjiritane trouxeram a diversidade das músicas do mundo para temas musicais reconhecidos por todos.

De seguida, embarcou-se numa viagem de humor servida por mais de 30 anos de stand-up e dos episódios mais hilariantes da televisão portuguesa... com Herman José!

Acompanhado por um quarteto de músicos de excepção, e munido de viola e maraca, Herman apimentou a actuação com algumas das suas mais emblemáticas personagens: Serafim Saudade, Nelo, Maximiana, José Estebes, Sr. Feliz & Sr. Contente e Tony Silva! O tempero musical contou com êxitos ao estilo: Saca o Saca Rolhas, Canção do Beijinho, Mentirosa, És Tão Boa, Vamos Lá Cambada, Adeus Vou Ali Já Venho, A Praia É Linda...

Noite fora, foi a vez do espírito do anos 80 invadir o Casino Lisboa com 4 djs da equipa Lets Control the 80s: DJ Paulino Coelho, Fernando Henriques, Pedro Simões e João Paulo Marques, na versão "Express Yourself!".

E, é claro, como por "ser Carnaval, ninguém leva a mal!” propusemos-lhe que tirasse do armário os casacos de enchumaços, as perucas de permanente coloridas, os ténis do Breakdance e as as Mini Saias de Xadrez. 

 

CEBOLA MOL
Musicbox | 4 Outubro

 

A praga bíblica que dá pelo nome de CEBOLA MOL saiu da caverna onde estava hibernada e lançou um novo disco, enigmaticamente intitulado de NOVO DISCO.

De boleia, comemoraram os seus 10 ANOS DE SUBSISTÊNCIA, mas também não quiseram estar a fazer grande alarido acerca disso.
NOVO DISCO é o álbum mais ocidental de sempre dos irmãos EDDIE E PHIL STARDUST. Temas como REMEMBER DALLAS, ARRASADO e SALSAPARRILHA foram proibidos a Leste do Sudão, o que explica muita coisa.
O cosmos conspirou para um despautério alinhométrico, uma vez que o lançamento do NOVO DISCO aconteceu no CAIS DO SODRÉ, local onde os CEBOLA MOL gravaram o seu primeiro videoclip.
Dia 4 de Outubro, ao bater da meia-noite, vai ser como se um vulcão vindo dos céus caísse no MUSICBOX LISBOA.
Rock, reggae, fado, rap e glam cigano numa noite de caos e alegria!
10 anos de musiquetas que parecem 20 ou 30.
Um pagode, amigos!

CLARA MONTES
Auditório dos Oceanos | 24 Outubro

 

O som andaluz chega a Lisboa pela voz de Clara Montes, numa viagem pelos mais importantes êxitos da música popular espanhola, flamenco e copla.
Com uma formação clássica, este concerto reúne em palco as sonoridades vibrantes e intimistas das guitarras clássica e flamenca, às quais se junta o piano, bem como os sons mais contemporâneos da percussão e baixo.
Com a colaboração de um total de cinco músicos, a voz intemporal de Clara Montes, para ouvir dia 24 de Outubro no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

Clara Montes
De origem andaluz, Clara Montes canta a canção espanhola, de autor e de copla com uma voz clara e límpida. Foi o seu pai que lhe apresentou o mundo do flamenco e depois aprendeu a tocá-lo, na guitarra, com o maestro Andrés Batista. Entre 1991 e 1994 cantou com o grupo de dança Contrastes, dirigido por Ana Mercedes e obteve o 1º Prémio de Canção Espanhola (Concurso de Participação Cidadã de Madrid, 1992). Começou a frequentar o circuito de cafés-concerto de Madrid e colaborou no álbum Emboscadas (1994), de Amancio Prada. Participou em Diván del Tamarit (1998), de Carlos Cano, sobre textos de Frederico García Lorca. Três anos depois este cantor andaluz homenageou-a com o tema “Tango de las madres locas”, no disco Carlos Cano - Que Naveguen los Sueños.

Clara Montes lançou o seu primeiro disco a solo em 1998, dando-se a conhecer ao público com a apresentação de poemas amorosos populares. El Sur de la Pásion, o segundo álbum, foi lançado em 2000 e contou com o arranjo musical de Jacques Morelenbaum. A produção de ambos esteve a cargo de Rosa Léon.

Em 2001, produziu, compõs e interpretou uma canção da banda sonora de Sólo Mia (Javier Balaguer), nomeada para os prémios Goya como Melhor Canção Original.

Em 2002 lançou Canalla Pa’Bien, gravado no Teatro Pavón de Madrid. No mesmo ano participou numa homenagem a Cuba, no Teatro Nacional de Havana, onde dividiu palco com Pablo Milanés, Javier Ruibal, entre outros.
Em 2003 participou no documentário-homenagem a Gato Pérez (El Gran Gato), do realizador Ventura Pons, interpretando um dos temas da banda sonora.

Em 2004 editou Uniendo Puertos, tema principal de um filme com o mesmo nome, protagonizado por Guillén Cuervo. Neste álbum estão também uma versão do fado “Estranha Forma de Vida”, de Amália Rodrigues, e “Romance de Curro El Palmo”, de Joan Manuel Serrat . Uniendo Puertos assumiu-se como uma viagem pelo fado e pela música italiana, passando pela rumba andaluza e as sonoridades árabes.

Em 2005 realizou uma digressão com o espectáculo Memoria del Sur. No mesmo ano, colaborou no disco Que Te Vaya Bonito (Um Tributo ao México).
Em 2007 lançou Desgarrada, produzido por Joan Valent. Em 2009 editou A Manos Illenas, uma homenagem a Rafael de León com produção de Josemi Carmona.
Em 2010 apresenta-se com o espectáculo Sinfónica Clara, que conta com a direcção musical de Francisco de Gáldez, director da Orquestra Sinfónica de Málaga.

Em 2011, Clara Montes recupera os melhores momentos da sua carreira e dá voz aos grandes clássicos da música popular, do flamenco e da copla, num concerto intimista, que conta com a colaboração de um total de cinco músicos. A não perder, no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

É COMO DIZ O OUTRO
Auditório dos Oceanos | 6 Setembro a 27 Novembro

 

É Como Diz o Outro é uma comédia que relata o dia-a-dia de dois amigos que trabalham juntos, frente a frente. Entre o trabalho, conversam sobre as suas vidas, aspirações, dúvidas, trocam confidências e discutem sobre temas tão complexos como uma receita de arroz de rodovalho ou a escassez da pedra mármore.
Interpretada por Bruno Nogueira e Miguel Guilherme e encenada por Tiago Guedes, esta comédia é baseada nos textos escritos e interpretados por Henrique Dias e Frederico Pombares na rubrica, com o mesmo nome, emitida no programa Cinco para a Meia-Noite, da RTP 2.

| Textos: Frederico Pombares e Henrique Dias
| Encenação: Tiago Guedes
| Cenografia: José Pedro Penha
| Vídeo e Desenho de Luz: Artica.cc

Disse a imprensa:
"Aqui ri-se e chora-se (mas chora-se de tanto se rir). (…) tendo a capacidade de se deixar levar pelo brilhante envolvimento dos actores no texto, vai com certeza chorar de tanto rir, e remexer-se na cadeira. E não se admire se a pessoa que estiver ao seu lado passar o tempo todo a perguntar: “Mas quem é que se vai lembrar de uma coisa destas?”", Tentações (Revista Sábado)

"São duas pessoas sentadas frente a frente a desfiar banalidades e teorias, aparentemente absurdas, cómicas. De um lado, há um arrumadinho, mais velho; do outro, um desleixado, algo fanfarrão. (…) Falam de sexo, lições de vida e de hipnotismo, piercings  na nádega e posar para revistas gay. Desconcertante (e não aconselhado a ouvidos sensíveis).", DN


"A peça trata de conversas descabidas que se poderiam desenrolar (ou não) num escritório de pouco trabalho.  (…) as gargalhadas são em catadupa, não só pelo insólito do argumento, mas também arrancadas pela interpretação, hilariante até para os protagonistas. (…)", Jornal i


FUGA
Teatro Tivoli | 26 Outubro a 22 Janeiro 2012

 

Uma comédia surpreendente!

Um ministro demite-se na sequência de um escândalo de corrupção que lhe destrói a carreira política. A sua mulher foge com o jornalista que revelou o caso. O caos instalou-se na vida de Vicente Calado que considera tomar medidas definitivas quando uma vendedora ambulante lhe bate à porta.

Com uma vida dura, esta mulher é alegre e dinâmica. A força com que luta contra as adversidades diárias tornam-na diferente de qualquer outra mulher que conheceu. O seu encanto conquista-o, levando-o à esperança por dias melhores e à paixão.

Mas, esta mulher não vem só e, de uma só vez, Vicente conhece um marido violento e infiel, um pai paralítico e mudo e uma prostituta. Todos juntos, transformam-lhe a vida, fazendo-o protagonista de uma série de incríveis situações.

Nem tudo o que parece é, nesta comédia que apenas pode terminar de forma...surpreendente!

| Autor: Jórdi Galcerán
| Encenação: Fernando Gomes
| Tradução: Joaquim Monchique
| Cenografia: Eric da Costa
| Figurinos: Dino Alves
| Desenho de Luz: Paulo Sabino
| Música: Alexandre Manaia

| Interpretação: Maria Rueff,  José Pedro Gomes, Jorge Mourato, João Maria Pinto, Sónia Aragão

Grandes Concertos | Amor Electro
Casino Estoril | Lounge D | 21 Julho

 

Dizem que a pop pode ser portuguesa e chamar-se Amor Electro. O melhor é confirmar no Lounge D, dia 21 de Julho.

Marisa Liz (Ex-Donna Maria) dá voz a um novo projecto musical que assume a influência de bandas internacionais como Massive Attack, Muse ou Air, mas os Amor Electro cantam em português, temas originais seus e também de compositores convidados. A guitarra portuguesa, o acordeão e as percussões tradicionais fazem renascer ainda parte da história da pop e do rock português de bandas como os Sétima Legião, GNR, Ornatos Violeta e mesmo do fado como acontece em “Estrela da Tarde”, de José Carlos Ary dos Santos e Fernando Tordo

Grandes Concertos | Aurea
Lounge D | 28 Julho

Tem 23 anos e tomou de assalto as ondas hertzianas nacionais com o single de estreia “Busy (For Me)”. Aurea tem a voz do tamanho do mundo e a sua música não conhece fronteiras. As influências vão de Aretha Franklin a Joss Stone, passando por John Mayer e Amy Winehouse, estendendo-se a James Morrison e Zero 7. Mas Aurea quer reclamar o seu lugar no mundo da música. O talento para cantar é inato e o seu dom vai encher de intensidade o Lounge D no Casino Estoril.

Grandes Concertos | Jorge Palma & os Demitidos
Lounge D | 11 Agosto

Reconhecido pelo seu talento como músico e letrista, Jorge Palma é um dos intérpretes mais influentes e carismáticos do panorama musical português.
Desde a sua estreia, em 1972, Jorge Palma tem vindo a desenvolver o seu trabalho como compositor e letrista em trabalhos a solo e também com outras bandas e intérpretes, como Amália Rodrigues, Rio Grande, Mafalda Veiga, Ala dos Namorados, Paulo Gonzo e Xutos & Pontapés. Dia 11 de Agosto, não perca o verdadeiro trovador moderno no palco do Lounge D no Casino Estoril.

Grandes Concertos | Mafalda Veiga
Lounge D | 25 Agosto

Mafalda Veiga quis olhar de novo para as suas canções, desfocar para voltar a focar. O resultado foi um ZOOM a canções de antes e de agora. E a vontade de as reinventar. Neste espectáculo, a orgânica de sempre da música de Mafalda é complementada pela tecnologia dos dias de hoje. Porque a música cresce, acompanha as mudanças, sem nunca esquecer de onde veio. O tempo é sempre agora. O olhar é sempre hoje. O caminho é sempre em frente. E no dia 25 Agosto veio dar ao Lounge D no Casino Estoril.

Grandes Concertos | Orelha Negra & Macacos do Chinês
Casino Estoril | Lounge D | 18 Agosto

 

Dois concertos numa só noite.

Num misto de funk e soul, com hip-hop, groove e surpreendentes samples de música e voz, Orelha Negra, considerado  um dos melhores do ano de 2010, é o álbum de estreia desta banda. A sua origem está numa  pesquisa no passado impresso em vinil e isso significa também José Mário Branco e Paulo de Carvalho, José Afonso e Duo Ouro Negro. Com Francisco Rebelo (baixista) e João Gomes (teclista) dos Cool Hipnoise, o rapper Sam The Kid (Samuel Mira), Fred, baterista dos Buraka Som Sistema e de outros projectos, e DJ Cruzfader, o som contagiante dos Orelha Negra a ouvir no Lounge D.

Depois, a noite prossegue com os Macacos do Chinês. A  força do dubstep, a portugalidade das palavras e o cunho da guitarra portuguesa caracterizam este dinâmico colectivo, que retrata e faz parte da cultura urbana num Portugal moderno. As influências vão do funk à soul, passando pelo dubstep, grime ou até hip-hop mas são a sua flexibilidade e liberdade criativas que melhor os definem. Em Março de 2009, lançaram o álbum Ruídos Reais; este ano já apresentaram o single Dai-me Forças, estando previsto um 2º álbum para Setembro. Os Macacos do Chinês são Alexandre Talhinhas a.k.a. Alx (guitarra e voz), André Pinheiro a.k.a. Apache (programações, baixo, teclas e sopros), Miguel Pité a.k.a. Skillaz (voz/mc e letras), Tiago Morna (composições e guitarra portuguesa).

Grandes Concertos | Pedro Abrunhosa
Lounge D | 1 Setembro

Dia 1 de Setembro de 2011 o Lounge D recebeu Pedro Abrunhosa em formato quinteto e num registo mais tranquilo. Depois de uma intensa digressão com o álbum Longe, Pedro Abrunhosa alterou o repertório e preparou um espectáculo intimista ao qual deu o nome de Canções.

Fazer O Que Ainda Não Foi Feito é o single de apresentação que garantiu a entrada para um salão de festas em que, longe de qualquer baile de máscaras, se namora a verdade perene das canções, cheias de guitarras.

Grandes Concertos | The Gift
Casino Estoril | Lounge D | 14 Julho

 

Os The Gift inauguram as noites de Grandes Concertos no Lounge D com a apresentação do novo álbum, Explode. 

Sete anos depois de AM-FM, os The Gift regressam com uma sonoridade descrita por Nuno Gonçalves (The Gift) como sendo mais eléctrica e crua, com menos orquestrações e em registo épico. O tão aguardado novo disco dos The Gift marcará a noite com uma “explosão” sónica de cores. A não perder, no Lounge D do Casino Estoril.

Grandes Concertos | The Legendary Tigerman
Casino Estoril | Lounge D | 4 Agosto

 

O legendário Tigerman apresenta Femina, o disco em que abandonou o registo solitário e recorreu ao universo feminino ao som das vozes de Asia Argento, Peaches, Lisa Kekaula, Becky Lee, Phoebe Killdeer, Rita Redshoes, Claúdia Efe, Maria de Medeiros, Mafalda Nascimento, Cibelle e Cais Sodre Cabaret.

Femina foi gravado em várias cidades, de Lisboa a Nova Iorque, com passagem por Madrid, Barcelona, Roma, Paris, Berlim, Amsterdão, Bergen, Austin e Porto. É caso para dizer que dia 4 de Agosto quase todo o mundo vai ter lugar marcado no  Lounge D.

HARLEM GOSPEL SINGERS
Coliseu do Porto | 5 e 6 Fevereiro | Auditório dos Oceanos | 8 a 20 Fevereiro

 

Queen Esther Marrow, a Rainha do Gospel, tem um percurso que se cruza com os pioneiros do gospel e se funde com a existência dos Harlem Gospel Singers. Afirma ter nascido para cantar a “jornada que é a vida” e é exactamente o que faz. Começou a cantar e a gravar a convite de Duke Ellington e a sua voz e dedicação abriram-lhe as portas para trabalhar com os grandes nomes do gospel, soul e jazz; participou activamente no Movimento pelos Direitos Civis ao lado de Martin Luther King; somou actuações e distinções na Broadway; cantou para presidentes dos EUA, para a Família Real inglesa e para o Papa João Paulo II. Em conjunto com Roseanne Kirk e Michael Brenner, fundou, há quase 20 anos, os Harlem Gospel Singers.

Pela sua voz, o original som de uma igreja de Nova Orleães cruzou fronteiras, atravessou oceanos e conquistou públicos por todo o mundo. 

Em “Touching Spirit”, Queen Esther Marrow´s & The Harlem Gospel Group Singers Show trazem as boas novas do gospel, num espectáculo com uma energia única, onde a voz e a alegria afirmam a  força contagiante e a vitalidade do gospel. Walking in Memphis, How Sweet it is to be Loved by You, Oh Freedom ou Hapiness is Here são alguns dos grandes clássicos a ouvir, em Fevereiro, no Coliseu do Porto e no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

JOAN AS POLICE WOMAN
Auditório dos Oceanos | 13 Março

 

Depois de uma aplaudida actuação no Festival Sintra Misty 2010, e de uma longa digressão no Reino Unido, Bélgica, Holanda, Alemanha, França, Itália, entre outros, Joan regressa ao nosso país para uma tour de apresentação do seu novo disco "Deep Field".
Joan As Police Woman, também conhecida por Joan Wasser, tem um currículo impressionante: tocou com Lou Reed no fabuloso "The Raven", foi recrutada por Hal Willner para a banda de suporte da sua homenagem a Leonard Cohen, esteve na formação de Anthony & The Johnsons, faz parte do grupo de Rufus Wainwright e, antes que o fôlego acabe, também tocou com Nick Cave. Mais ainda: foi para ela que Jeff Buckley escreveu "Everybody Here Wants You". Ela era a companheira de Buckley à altura da sua morte. Artistas assim não aparecem todos os dias …

JÚLIO DE MATOS
Teatro Armando Cortez | Casa do Artista | 16 de Novembro 2011 a 25 de Fevereiro 2012

Um monólogo para rir... e pensar!

Júlio de Matos é um homem desempregado que sofre uma crise de comunicação com o mundo e passa a falar sozinho. Fica tanto tempo isolado de tudo, sendo ele próprio a sua única companhia, que acaba por se aborrecer de si próprio. Não se suporta mais e já nem sozinho consegue falar. Discute consigo mesmo e resolve não voltar a falar com ele próprio. Absolutamente só, decide "procurar-se" para pedir a si mesmo que interceda por ele - que, entretanto, já se dividiu em duas pessoas. A partir de então, a sua personalidade divide-se em milhares dele mesmo. A aventura passa a ser a tentativa de organizar "todos" numa nova unidade de si mesmo...

Interpretado por Joaquim Monchique, Júlio de Matos é um monólogo extraordinário... para rir e pensar!


| Texto: Pedro Cardoso

| Encenação, adaptação, cenário e interpretação: Joaquim Monchique

| Direcção de actor: Carlos Paulo

| Desenho de luz: Paulo Sabino

| Música e Sonoplastia: Hugo Franco

| Vídeo: Artica.cc

| Caracterização e imagem do espectáculo: Sérgio Alxeredo e Ana Steiner

| Fotografia: Gonçalo Gaioso

| Design Gráfico: Fernando Correia

 

MAFALDA VEIGA
Auditório dos Oceanos | 17 e 18 Março

 

Mafalda Veiga quis olhar de novo para as suas canções, desfocar para voltar a focar. O resultado foi um zoom a canções de antes e de agora. E a vontade de as reinventar. Neste espectáculo, a orgânica de sempre da música de Mafalda foi complementada pela tecnologia dos dias de hoje. Porque a música cresce, acompanha as mudanças, sem nunca esquecer de onde veio. O tempo é sempre agora. O olhar é sempre hoje. O caminho é sempre em frente.

MAIS RESPEITO QUE SOU TUA MÃE
Teatro Armando Cortez | Casa do Artista | 9 Fevereiro a 9 Abril

 

Ela acha-se moderna mas não está preparada para ouvir a filha falar-lhe de posições sexuais que nunca imaginou serem possíveis. O marido passa a vida desempregado e a única coisa que faz com paixão é ver futebol. Depois, há a sogra de 80 anos que se dedica a cultivar e a fumar marijuana e, como se não bastasse, tem um filho que não se decide sobre se é ou não homossexual! É bem possível que Esmeralda Bartolomeu dê em louca. A família é disparatada, ela tem poucas razões para manter o juízo, mas lá vai segurando as pontas de uma forma absolutamente hilariante! 

Depois do sucesso no Auditório do Casino Estoril e no Rivoli Teatro Municipal no Porto, Mais Respeito Que Sou Tua Mãe chegou também a Lisboa onde fez o Teatro Armando Cortez - Casa do Artista.

MOMIX | REMIX
Auditório dos Oceanos | 23 Fevereiro a 6 de Março

 

MOMIX, a famosa companhia de bailarinos-ilusionistas, fundada em 1980 sob a direcção artística de Moses Pendleton, é conhecida pela sua habilidade e talento em conjugar um mundo de imagens surrealistas usando adereços, luzes, sombras, humor e dança.

Passion, em 1999, foi o primeiro espectáculo MOMIX a conquistar o público nacional. Desde então, já regressaram 3 vezes, sempre com sala cheia.

Em Fevereiro de 2011, o Auditório dos Oceanos recebeu MOMIX reMIX, um best-of de alguns dos mais brilhantes e significativos espectáculos, como Bothanica, inédito em Portugal, ou de Opus Cactus e Sun Flower Moon, apresentados em 2006 e 2008 respectivamente. Mas, porque a celebração dos 30 anos de carreira não estaria completa sem apontar para o futuro, Moses Pendleton criou duas coreografias: Baths of Caracalla e If You Need Some Body.

 

MÚSICA no Arena Lounge
Palco Multi-Usos

Diariamente, actuaram no Arena Lounge do Casino Lisboa:

André Sarbib
Boogie Nights
Casual Attraction
Chilly
Colored
Cores do Som
D Gang Band
Flowmotions
Funky Sliders
Funkylicious
Global Quartet
Groove Box
Honey Tap & Funky Sliders
Illumination
Jazmine
Joana Lobo Anta
José Serrano Quarteto
Katia Moreira and the Soulless
Lemon
Longplay
Maria Anadon
Mr. Blues
Njinjiritane
No Rain
No Stress
Pim Pam Pum
Plug ’n' Play
Radiowave
Satisfaction
Soulbreezz
Sounk
Swing Affair
Trastes
Vinil
Voodoo Marmalade
What?
Zoey Jones

MÚSICA no Lounge D

Diariamente, actuaram no Lounge D do Casino Estoril:

39
André Sarbib
Boogie Nights
Capital Blues
Cherry Jam
Colored
Cores do Som
Diamond Dogs
Endorphine Machine
Funkylicious
Gamalataki
GEM
Illumination
Inês Ripamonti Trio
Jazmine
Kátia Moreira & The Souless
Let’s Jazz
Njinjiritane
No Rain
No Stress
Norton's Project
Plug ‘n’ Play
Satisfaction
Six Tunes
Soulbreezz
Sounk
Space Cake
Sylvie C. com “French Swing Café”
The Flowmotions
Veluta
Vinyl
What?

PEDRO TOCHAS
Auditório Oceanos | 26 a 29 Maio

 

A nossa vida não é mais do que uma sequência de coisas que nos acontecem. Coisas bonitas, feias, boas, más, românticas ou mesmo aborrecidas. Coisas que nos acontecem em grupo ou em privado, coisas que guardamos para nós ou que partilhamos com o mundo. São estas coisas que, quando encaradas com sentido de humor, são o ponto de partida para as histórias que tanto gostamos de contar aos amigos.
Neste espectáculo, Pedro Tochas quis partilhar as suas coisas. Nada como rir em conjunto com as pequenas coisas da vida. Porque rir das coisas, em grupo, é muito melhor!
Teve a sua estreia mundial a 26 Maio de 2011 no Aud. dos Oceanos no Casino Lisboa.

Reveillon Casino Estoril | Paulo Gonzo
Lounge D | 31 Dezembro

Em plena noite de Réveillon, o Casino Estoril convidou os seus visitantes a celebrarem a chegada de 2012, com um concerto especial de Paulo Gonzo. Com mais de 25 anos de carreira, o intérprete subiu ao palco do Lounge D para revisitar os seus grandes êxitos, não esquecendo o álbum “Só Gestos”.

Conhecido por ser muito interactivo com o público, Paulo Gonzo partilho numa alargada retrospectiva as suas melhores baladas, como são os casos de “Jardins Proibidos”, “Sei-te de Cor” ou “Dei-te Quase Tudo”.

Com um programa diversificado, as bandas Citizens, The Cadillacs e Gamalataki abriram a noite de Réveillon do Lounge D, e prepararam a atmosfera ideal para o concerto de Paulo Gonzo.

Reveillon Casino Lisboa | The Gift
Arena Lounge | 31 Dezembro

Quatro anos depois, os The Gift voltaram a celebrar a noite de passagem de ano no Casino Lisboa.
Sem gravar originais desde AM-FM, há sete anos, Explode foi o álbum de regresso cuja sonoridade, segundo Nuno Gonçalves (fundador da banda), é mais eléctrica e crua, com menos orquestrações e em registo épico.
A entrada em 2012 deu-se com uma “explosão sónica de cores” e na companhia dos The Gift. 

 

SÓ NÓS TRÊS
Auditório dos Oceanos | 28, 29 e 30 Dezembro

 

Só Nós 3 está de regresso com... Mais Canções!
Dias 28, 29 e 30 de Dezembro, Paulo de Carvalho, Fernando Tordo e Carlos Mendes, sob direcção musical do maestro Pedro Duarte, inundam o Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa com os seus mais marcantes temas de carreira... ou melhor, carreiras!

Criado em 1989, para o Casino Estoril, Só Nós 3, sob direcção de Pedro Osório, foi um espectáculo de reunião de 3 grandes amigos mas também uma homenagem a grandes cantores, compositores e autores da música ligeira portuguesa dos anos 50, 60 e 70. Com meia centena de sucessos antigos, temas então mais recentes e algumas canções inéditas, resultou num álbum duplo que chegou a disco de platina. Este ano, o projecto regressou aos palcos nacionais com grande êxito. Os concertos de 28, 29 e 30 de Dezembro encerram esta digressão e marcam o final do projecto Só Nós 3, pelo que se ainda não viu ou quer rever, apresse-se!

STAGE | ALDO LIMA
DOLCE VITA TEJO| 16 Junho

“(..) ele é toureiro, é caçador, é telefonia (rádio) a pilhas, é o desenho animado vivo mais selvagem desde os tempos de glória de Chuck Jones. Não nasceu na América e só por isso não teve direito a um especial na HBO. Mas um dia destes nunca se sabe” (Nuno Markl sobre Aldo Lima)
Aldo Lima é um dos pioneiros da Stand-Up Comedy em Portugal. Conhecido do público, tem integrado diversos projectos, como “Levanta-te e Ri” (SIC) ou “Clube de Comédia” (Maxime). Actualmente, pode também vê-lo todas as 3ªs feiras no Speakeasy. No próximo dia 16, divirta-se com os "ares da sua graça" no DOLCE VITA TEJO Stage.

 

STAGE | ANA FREE
DOLCE VITA TEJO | 27 Outubro

 

Ana Free cresceu a expressar os sentimentos através das suas canções. Tal como a própria diz, "ler os seus cadernos de músicas é como descobrir a história da sua vida." Com apenas 8 anos, aprendeu a tocar guitarra, o seu instrumento de eleição, e foi nessa altura que começou a associar as ideias a melodias.
Em 2008, depois de terminar a universidade no Reino Unido, a artista pop luso-britânica já contava com grande atenção por parte dos média devido às mais de 20 milhões de visualizações no YouTube.
O seu primeiro single, "In My Place", foi editado em Portugal, de forma independente. Desde então, Ana Free já foi a cara de uma importante campanha publicitária, o que ajudou na divulgação da sua música, e chegou a atingir o número 1 no top nacional de vendas. Em 2009 deu mais de 30 concertos e participou em vários projectos, incluindo a gravação do tema português do filme "Sininho", da Disney, lançou do seu EP "Radian" e esgotou concertos em Nova Iorque e Miami.
Além de continuar a construir a sua marca, Ana Free tem actuado em festivais e grandes salas de espectáculos, tendo já feito a primeira parte de concertos de artistas tão notáveis como Shakira, James Morrison e Joe Brooks. Dia 27 de Outubro, é a vez do DOLCE VITA TEJO Stage receber Ana Free.

STAGE | ANAQUIM
DOLCE VITA TEJO | 25 Agosto

 

Anaquim é o projecto pessoal de José Rebola, cantor, guitarrista e compositor de Coimbra que, depois de algumas experiências em bandas rockabilly e punk-rock, descobriu a sua voz própria em canções começadas e esquecidas entre aventuras musicais.

Em 2010, com João Santiago (bateria e percussão), Pedro Ferreira (melódica, guitarra acústica, jogo de sinos, guitarra eléctrica, piano, coros ), Filipe Ferreira (baixo, coros) e Luís Duarte (guitarra acustica, banjo, jogo de sinos, kazoo), Anaquim gravou As Vidas dos Outros. Um trabalho no qual, segundo o cantor e compositor JP Simões, José Rebola “(se) desmultiplica em mil personagens de um bairro imaginário e familiar onde se passa de criança para adulto depressa demais, tentando teimosamente guardar as histórias, os cenários e as personagens que parecem desaparecer juntamente com todas as nossas ternas e frágeis fantasias de infância".

25 Agosto, venha ao STAGE by Dolce Vita Tejo ouvir as histórias cantadas d'As Vidas dos Outros!

STAGE | AUREA
DOLCE VITA TEJO | 6 Outubro

 

Um ano após a sua estreia, Aurea, álbum homónimo, chegou a dupla platina, tendo permanecido 40 semanas consecutivas no top nacional de vendas, 35 das quais em top 5, sendo 8 semanas no 1º lugar.
Desde então, a cantora portuguesa de 23 anos tem feito showcases, concertos, gravou "Love Me Tender", com Elvis Presley (dueto aprovado pela família do Rei e incluído no álbum Viva Elvis, editado no final de 2010), esgotou o São Jorge e termina a digressão nacional no final do presente ano com concertos nas mais míticas salas portuguesas. O talento de Aurea foi reconhecido na gala Globos de Ouro, onde obteve 3 nomeações (algo nunca sucedido), levando para casa o galardão na categoria de Melhor Intérprete Individual.
“Busy (For Me)” foi o single com que tomou de assalto as ondas hertzianas nacionais e com o qual conquistou o público com a sua voz  do tamanho do mundo. As suas influências vão de Aretha Franklin a Joss Stone, passando por John Mayer e Amy Winehouse, e estendendo-se a James Morrison e Zero 7.
O seu talento para cantar é inato e o seu dom vai encher de intensidade o DOLCE VITA TEJO Stage. Não fique em casa!

STAGE | CAIS SODRÉ FUNK CONNECTION
DOLCE VITA TEJO | 15 Setembro

 

Apaixonados pelo funk e a soul, os Cais Sodré Funk Connection recriam o som e o ambiente dos clássicos da Motown, Stax, Chess Records e outras editoras míticas das décadas de 60 e 70, com a dedicação e energia de uma verdadeira celebração.  A experiência deste grupo de 9 veteranos da música portuguesa, que reúne elementos dos Cool Hipnoise, Orelha Negra, Mr. Lizard, Cacique 97, Banda Sérgio Godinho e outros, numa viagem pela história da música negra.  Nomes como James Brown, Otis Redding, Etta James, King Curtis, Bobby Byrd ou Ray Charles, soam aqui tão poderosos como os originais. Uma noite soulful, para ouvir e dançar como nos bons velhos tempos!

STAGE | CARMINHO
DOLCE VITA TEJO | 30 Junho

Carmo Rebelo de Andrade é Carminho, uma jovem fadista de apenas 25 anos. O seu álbum de estreia, FADO, editado em Junho de 2009 ,  teve entrada directa para o 2º lugar do top de vendas nacional e tem merecido os mais rasgados elogios. FADO conta com a participação dos melhores músicos nacionais de fado como Diogo Clemente (produtor e viola), R icardo Rocha, José Manuel Neto, Bernardo Couto e Ângelo Freire (guitarra portuguesa), Marino de Freitas (viola baixo) e do contrabaixista Carlos Barretto, numa participação especial.

Dia 30 de Junho, Carminho leva a canção nacional ao palco do DOLCE VITA TEJO Stage. Para apreciadores e não só!

 

 

STAGE | COMMEDIA A LA CARTE
DOLCE VITA TEJO | 1 Setembro

 

Os Commedia a la Carte são os pioneiros do Improv Comedy em Portugal. Desde há 10 anos que Carlos M. Cunha, César Mourão e Ricardo Peres criam improvisos a um ritmo sobre humano, utilizando os conteúdos que o público sugere na hora. 
Um espectáculo criado ao momento com recurso ao timing de humor único  e excelente interacção  com o público. Este, só acontece uma vez. E é já no próximo dia 1 de Setembro, no DOLCE VITA TEJO - Stage.

STAGE | COUPLE COFFEE
DOLCE VITA TEJO | 13 Outubro

 

Quarto Grão é o quarto disco dos Couple Coffee e o seu primeiro de originais. Após trabalhos em que demonstraram a sua visão particular e moderna de clássicos da música popular brasileira, da obra de Zeca Afonso e da bossa nova, Quarto Grão é, segundo Luanda Cozetti, vocalista e compositora da banda, “(…) um começo e isso tem também a ver com o título. Um grão não sabe o que é até nascer (…). E ele não deve saber o que é, deve ir brotando até chegar ao fim da vida e, de repente, dizer, “afinal sou um coqueiro, está tudo certo!”.

“Um percurso exemplar que está longe do seu término e um orgulho para nós, portugueses, termos músicos destes a viver - e a cantar e a tocar e a gravar - entre nós.” António Pires, Jornal I
“Com Luanda em excelente forma vocal e Norton a confirmar que é um óptimo instrumentista, com uma larga paleta de influências, a criatividade do duo tem neste disco um novo topo.” Nuno Pacheco, Público
“Amor e Rock”, “Sambinha Cliché” e “Vara de Marmelo”, são alguns dos temas deste Quarto Grão, para ouvir com atenção no DOLCE VITA TEJO Stage.

STAGE | DANCE FANTASY
DOLCE VITA TEJO | 14 Julho

 

A magia própria dos grandes salões de dança esteve no palco do DOLCE VITA TEJO Stage.
Do cha-cha-cha ao tango, do foxtrot ao samba, estes e outros ritmos, num espectáculo que reuniu as coreografias que marcaram a história das danças sociais e que mostraram a riqueza e a diversidade das Danças de Salão.


STAGE | DEOLINDA
DOLCE VITA TEJO | 21 Abril

 

Há uma longa série de clichés associados ao fado. Por exemplo, o fado tem que ter guitarra portuguesa. Os Deolinda não usam guitarra portuguesa. Ou, o fado tem que ser sisudo, sério, compenetrado, fatalista e triste. Os Deolinda não são nada disso. Ou ainda, o fado não pode ser dançado. E dança-se com os Deolinda. Ou, para terminar, a fadista tem que vestir de preto, como se estivesse no seu próprio funeral. Ana Bacalhau, a voz dos Deolinda (a Deolinda, ela própria?), veste roupas garridas, alegres, coloridas. Mas os Deolinda são... fado, apesar disso tudo, e são muito mais que fado, por causa disso tudo e de tudo o mais que a sua música contém. 


STAGE | EDUARDO MADEIRA
DOLCE VITA TEJO | 7 JULHO

 

Humorista, Eduardo Madeira iniciou a carreira a escrever nas Produções Fictícias. 
 
Foi co-autor e actor nos Contemporâneos (RTP1) e autor e co-intérprete da rubrica Caixilhos e Laminados (Rádio Comercial). Actualmente, o público pode vê-lo no programa Estado de Graça (RTP1), programa que conta também com a sua co-autoria. 
 
Com Filipe Homem Fonseca escreveu a peça A Verdadeira Treta e partilha o projecto Cebola Mol, a mais famosa banda de nerdrock nacional, cujo último álbum, O Fim dos Cebola Mol está à venda. 
 
Nos tempos livres, faz espectáculos de stand-up comedy de Norte a Sul do país. No dia 7 de Julho de 2011 esteve no palco STAGE by Dolce Vita Tejo!

STAGE | EXPENSIVE SOUL
DOLCE VITA TEJO | 8 Setembro

 

Quatro anos após Alma Cara, os Expensive Soul regressaram em 2010 com Utopia. O single de avanço “O Amor é Mágico” tomou de assalto as principais rádios portuguesas e renovou o interesse do público pelos Expensive Soul. A tonalidade soul e r’n’b dos anos 70 é a marca do disco, colorido constantemente pelos teclados Hammond, Fender Rhodes e Moog de New Max, mas também pontuado por guitarras, coros, sopros e samples que fazem viajar instantaneamente até à Motown, Gil Scott Heron, Wilson Pickett, Smokey Robinson, Four Tops, Parliament... 
O mundo imaginado pelos Expensive Soul,  esteve no dia 8 Setembro de 2011 no DOLCE VITA TEJO Stage.

STAGE | FINALISTAS OPERAÇÃO TRIUNFO 2012
DOLCE VITA TEJO | 28 Abril

 

Finalmente em Lisboa!
Jorge, Diogo, Lia, Bruno C e Rita, os finalistas da Operação Triunfo 2010, a maior escola de música do país, sobem ao palco STAGE by Dolce Vita Tejo! 
Dia 28 de Abril, venha vê-los e ouvi-los a solo, em grupo e em duetos preparados especialmente para si!


STAGE | FRANCISCO MENEZES
DOLCE VITA TEJO | 19 Maio

 

Francisco Menezes apresentou Francisco Menezes, ao vivo e a cores!
O entertainer que faz tudo menos pintar rodapés transportou-nos para o seu mundo, sem convidados, intervalos ou galinhas,
Uma coisa é garantida: é um espectáculo!

Autoria e interpretação de Francisco Menezes
 

STAGE | HERMAN JOSÉ
DOLCE VITA TEJO | 18 Agosto

 

Os espectáculos de Herman José são como as impressões digitais: não há dois iguais.
Herman José está de regresso aos palcos onde, no passado, já foi beber inspiração para a autoria de grandes marcos da televisão portuguesa, tais como, “Tal Canal”, “Humor de Perdição” ou “Herman Enciclopédia”.
Agora, na versão ONE (HER)MAN SHOW, o conhecido artista da Rádio e da TV ressuscita personagens tão carismáticas e divertidas como Maximiana, José Estebes, Nelo, Serafim Saudade ou Tony Silva. Acompanhado por um quarteto de músicos de excepção e munido de viola e maraca, Herman José vai apimentar a actuação com um tempero musical de estilo: Saca o Saca Rolhas, Canção do Beijinho, Mentirosa, És Tão Boa, Adeus Vou Ali Já Venho, A Praia É Linda ou Vamos Lá Cambada.

STAGE | KUMPANIA ALGAZARRA
DOLCE VITA TEJO | 28 JULHO

 

A música saiu à rua num dia assim, quase igual aos outros todos, no ano de 2004, em Sintra. Em jeito de brigada anti-rotina, num diálogo empolgado entre música e animação, estava dado o mote para a dança e boa disposição. A semente plantada na rua começou a dar frutos em forma de contrabaixo, voz, saxofone, guitarra, clarinete, acordeão, trombone, trompete, tuba e percussão que levaram a banda aos palcos. A originalidade na fusão, a energia das letras, o suporte instrumental e as melodias vibrantes fazem dos concertos dos Kumpania Algazarra uma viagem alegre e descontraída. Deixe-se contagiar pelas sonoridades que vão da música do leste europeu, norte de África e médio-oriente à música popular portuguesa e venha celebrar as diversas culturas musicais do nosso mundo!

STAGE | LINDA MARTINI
DOLCE VITA TEJO | 20 Outubro

 

Casa Ocupada é o nome do segundo álbum dos Linda Martini. Gravado por Nelson Carvalho, nos estúdios Valentim de Carvalho, e produzido pela banda, Casa Ocupada entrou directamente para o 4º lugar na tabela do top nacional de vendas e os vídeos do 1º e 2º singles, “Belarmino” e “Mulher-a-Dias”, respectivamente, somam mais de 100.000 visualizações online.
Com uma pequena, mas fanática, legião de fãs que os segue desde 2003, os Linda Martini têm-se afirmado no mundo musical português, conquistando novos públicos e a crítica, especialmente após o lançamento de Olhos de Mongol , em 2006.
Se ainda não conhece o rock atraente, subtil, denso, difícil de definir e, coisa rara neste universo musical, cantado em português, de André Henriques (voz e guitarra), Cláudia Guerreiro (baixo e voz), Hélio Morais (bateria e voz) e Pedro Geraldes (guitarra e voz), aproveite a oportunidade e vá ao DOLCE VITA TEJO Stage.

STAGE | LUÍSA SOBRAL
DOLCE VITA TEJO | 11 Agosto

 

Luísa Sobral, a voz portuguesa que conquistou os primeiros lugares do top de vendas com o álbum de estreia, The Cherry On My Cake, tem 23 anos e começou a tocar guitarra e a compor quando tinha apenas 12.

A sua música é uma mistura de jazz e pop que deixa perceber as referências musicais de nomes como Billie Holiday, Ella Fitzgerald e Regina Spektor. Aos 16 anos, ganhou notoriedade por ter chegado à fase final do programa Ídolos; depois, partiu para os Estados Unidos para estudar na Berklee College Of Music, em Boston.

Durante a estadia de 4 anos em Boston foi nomeada para Best Jazz Song, no Malibu Music Awards (2008), Best Jazz Artist, no Hollywood Music Awards e participou na International Songwriting Competition (2007) e na The John Lennon Songwriting Competition (2008). Finalizado o curso mudou-se para Nova Iorque onde ganhou experiência cantando em bares. The Cherry on my Cake é o resultado, em canções, de todas estas vivências.

A cereja no topo da sua noite, dia 11 de Agosto, no STAGE by Dolce Vita Tejo.

STAGE | MARIA ANADON
DOLCE VITA TEJO | 21 Julho

 

Acompanhada ao piano por Victor Zamora, Marcelo Araújo na percussão e Nelson Cascais no contrabaixo, Maria Anadon interpreta temas de Sting, Tom Jobim, U2, Cole Porter, Oasis, Chaplin, Depeche Mode e de grandes referências do jazz e bossa nova. A doce voz para (re)ouvir no STAGE by Dolce Vita Tejo.

STAGE | MÁRIO DANIEL (Magia)
DOLCE VITA TEJO | 2 Junho

 

O mágico revelação dos últimos anos, Mário Daniel, traz ao STAGE by Dolce Vita Tejo um espectáculo de cores e imaginação, luz, som e várias surpresas! Pequenas e grandes ilusões, misturadas com muito humor que garantem sensações mágicas capazes de mexer com os sentimentos de pequenos e graúdos.

STAGE | NILTON
DOLCE VITA TEJO | 4 Agosto

 

Quer saber mais sobre Nilton? É a personalidade a trabalhar em Portugal com mais fãs no Facebook e tem a página com mais tráfego naquela rede social, com dias de atingir quase um milhão de visitas. Actua para as maiores empresas nacionais e multinacionais, já editou livros e DVDs, fez rádio, criou e apresentou programas de televisão. Neste momento, dedica-se ao talk-show “5 Para a Meia-Noite” ,e ao projecto de música e humor Maria Amélia.
No futuro, Nilton pretende descobrir se as batatas doces sofrem ou não de diabetes...
No dia 4 de Agosto de 2011 demos-lhe a oportunidade de o conhecer pessoalmente.

STAGE | PEDRO ABRUNHOSA
DOLCE VITA TEJO | 26 Maio

 

Depois de uma intensa digressão com o álbum Longe, Pedro Abrunhosa alterou o repertório e preparou um espectáculo intimista ao qual deu o nome de Canções. Em formato quinteto e num registo mais tranquilo, o artista portuense actuará no próximo dia 26 de Maio no STAGE by Dolce Vita Tejo.

“Fazer O Que Ainda Não Foi Feito” é o single de apresentação que garante a entrada para um salão de festas em que, longe de qualquer baile de máscaras, se namora a verdade perene das canções, cheias de guitarras.


STAGE | PEDRO TOCHAS
DOLCE VITA TEJO | 29 Setembro

A nossa vida não é mais do que uma sequência de coisas que nos acontecem. Coisas bonitas, feias, boas, más, românticas ou mesmo aborrecidas. Coisas que nos acontecem em grupo ou em privado, coisas que guardamos para nós ou que partilhamos com o mundo. São estas coisas que, quando encaradas com sentido de humor, são o ponto de partida para as histórias que tanto gostamos de contar aos amigos.

Pedro Tochas, no dia 29 Setembro de 2011, no DOLCE VITA TEJO – Stage, a partilhou as suas coisas. Porque rir das coisas, em grupo, é muito melhor

 

STAGE | RODA DE CHORO
DOLCE VITA TEJO | 22 Setembro

 

A Roda de Choro de Lisboa é um projecto de músicos portugueses e brasileiros, que utiliza a singularidade de ritmos tradicionais portugueses, como o corridinho e o fado, e evidencia a proximidade das linguagens lusófonas, guardando lugar para surpresas... Assista, ao vivo, ao espírito do Rio de Janeiro, com os chorões vestidos a rigor e as músicas de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Waldyr Azevedo e outros nomes que ajudaram a construir o reportório deste género musical. 


O choro ou chorinho surgiu no Rio de Janeiro em meados do séc. XVIII e coincide com a chegada da corte portuguesa em 1808. A matriz deste género musical junta as danças de salão europeias, em voga na altura (polcas, mazurcas, valsas, scottish), com o lundum e a modinha. Pode dizer-se que o choro é primo direito do fado, da morna e também do tango, pois partilha com estes estilos várias influências de raiz.

STAGE | RUI BAETA & RUBEN ALVES
DOLCE VITA TEJO | 12 Maio

 

Rui Baeta na voz e Ruben Alves ao piano apresentam o seu mais recente projecto

Integrando-se na nova tendência internacional denominada Soft Classic Music, este projecto é uma fusão entre o clássico e o pop e apresenta temas como You Raise Me Up, Music of The Night, Somewhere Over The Rainbow, O Meu Mundo Inteiro, Ao Longe o Mar, Amor a Portugal num formato diferente do habitual.
Conhecidos do público pela colaboração no programa da RTP Operação Triunfo, o cantor lírico Rui Baeta e o pianista Ruben Alves, prometem uma noite diferente a todos os amantes de boa música.
Aceite o conselho e garanta já o seu lugar no DOLCE VITA TEJO Stage, o novo espaço de lazer e entretenimento de Lisboa.

STAGE | TEATRO DO LARGO - O Auto do Velho da Horta
DOLCE VITA TEJO | 23 Junho

 

Criado em 1994, o Teatro ao Largo tem como objectivo providenciar um serviço de teatro profissional e promover a cultura, levando o teatro para a rua. Dia 23 de Junho no STAGE divirta-se com a comédia clássica de Gil Vicente! O Auto do Velho da Horta trata as desventuras de um velho rico que se apaixona por uma mulher jovem que o trata com desdém. Pelo meio, há uma alcoviteira, um official da lei, e todos os outros ingredientes que fazem desta farsa uma autêntica farsa vicentina.

STAGE | VOODOO MARMALADE
DOLCE VITA TEJO | 9 Junho

 

Os clássicos dos anos 50 e 60, o rock dos anos 80 e a pop contemporânea, numa “marmelada” acústica ao som de 6 ukuleles (instrumento musical semelhante a um cavaquinho), um baixo, percussão e das vozes. Capazes de misturar Madredeus com Manu Chao, George Michael com Johnny Cash e músicas tradicionais dos Açores com Metallica, os Voodoo Marmalade propõem um som preenchido de tonalidades e uma presença divertida, também com a utilização de adereços.

STAGE | VORTICE DANCE COMPANY
DOLCE VITA TEJO | 5 Maio

 

Da Vortice Dance Company, SOLILOQUY (discurso para si mesmo) about Wonderland  (sobre o paraíso) retrata situações do quotidiano  às quais todos reagimos de forma instintiva e semelhante. Coisas da vida,  sobre as quais já alguém falou num discurso perdido, algures....que se ficou por isso mesmo. A inevitabilidade da morte, a solidão, problemas do coração,  problemas ambientais,  problemas  que não seriam fatais se simplesmente ouvíssemos... 

Intimista, SOLILOQUY about Wonderland  tem momentos de puro gozo, em que as personagens se vestem de glamour num ambiente nocturno e festivo, numa metamorfose que poderá ser vista como uma terapia, alternativa  às desilusões e à incapacidade de, sozinhos, suplantarmos a tristeza que nos rodeia pois há sempre uma esper ança, uma luz que se mantém acesa mesmo debaixo da chuva  intensa.

Coreografia: Cláudia Martins e Rafael Carriço
Cenografia/Videografia/Sonoplastia: Rafael Carriço
Figurinos: Cláudia Martins
Intérpretes: Cláudia Martins, Rafael Carriço, Jorge Libório, Rita Pinheiro, Maria Diogo, Rafaela Reis, Ângela Bacellar, Luz Bacellar

STOMP
Auditório dos Oceanos | 26 Abril a 22 Maio | Coliseu do Porto | 25 a 29 Maio

É sempre um prazer reencontrar os Stomp. Concebido a partir de teatro de rua, cheio de humor, ritmo e com um sapateado exuberante, STOMP é o espectáculo ideal para reunir pessoas de todas as idades e gostos.

Das botas aos baldes, das tampas dos caixotes de lixo aos isqueiros e vassouras, dos lava-loiça aos garrafões, tudo é motivo e base para o movimento e o som Stomp.

No ano em que celebraram os 20 anos de existência, não quiseram deixar de visitar Portugal, onde o público sempre acorreu aos seus espectáculos, esgotando-os rapidamente.

THE VOCA PEOPLE | Espanha
Madrid | Teatro Compac Gran Via | A partir 26 Abril | Barcelona | Teatro Tivoli | Estreia 31 Maio

Eles trajam de branco e vieram de outro planeta. Os Voca People são reconhecidos na rua pela atitude curiosa e o incrível sentido de humor. Esgotaram o Coliseu do Porto e renderam Lisboa ao seu espectáculo de teatro vocal onde reproduzem, só com a voz, sem instrumentos, as músicas que todos resconhecemos

 

THE VOCA PEOPLE | Portugal
Coliseu do Porto |19 e 20 Março | Auditório dos Oceanos | 22 de Março a 16 Abril

 

Não é possível resistir à musicalidade destes 8 simpáticos seres intergalácticos!
Depois do estrondoso êxito em Março de 2010, os Voca People estão de regresso a Portugal. Com mais de 15 milhões de visualizações dos seus vídeos na internet e bilheteiras esgotadas por todo o mundo, os Voca People são garantidamente os mais bem recebidos seres extra-terrestres de que há memória!

Reza a história que estes divertidos personagens são oriundos de um planeta longínquo chamado Voca, onde se comunica exclusivamente através da música e de expressões vocais. Agora, eles estão na Terra e precisam de recarregar as energias musicais para regressar a casa...

VIP MANICURE
Rivoli Teatro Municipal | 29 Junho a 3 Julho 2011 | Auditório Oceano | 6 a 10 Julho 2011

 

Não há dívida nacional capaz de esmorecer a criatividade de Denise e Maria Delfina!

Ana Bola e Maria Rueff são as mais famosas "fazedoras de nails" mas a Crise está a dar-lhes cabo do negócio e ninguém quer aplicar unhas de gel! Denise não se apoquenta e com o seu espírito empreendedor resolve começar a promover aquilo que chama o "Rent-a-Sósia", um pequeno show em que Maria Delfina, com o seu talento para cantar e fazer imitações, "encarna", graciosamente, cantores conhecidos, figuras da política, do futebol e das revistas sociais nacionais e do estrangeiro.

Diz a imprensa:

"As manicuras mais loucas do País estão de volta e agora querem fazer-nos rir da crise. Ana Bola e Maria Rueff voltam a pegar nas personagens que toda a gente tem saudades.", Correio da Manhã 

"(...) dois nomes centrais do humor que se faz em Portugal (...) um espectáculo divertido e dinâmico que, como está provado, agora com a chegada aos palcos, agrada a todas as faixas etárias, mantendo as características das duas personagens e a relação (que funciona de uma forma admirável) entre elas." Diário das Beiras

Animação Verão
Arena Lounge | 23 Julho a 5 Setembro

White Gothic | Forças Combinadas
O Casino Lisboa recebe a estreia mundial dos White Gothic, numa performance de forças combinadas com quatro acrobatas. A apresentação de força e flexibilidade, particularmente exigente pelo número de performers combinados, conta com a mestria de Valery, do já conhecido Duo Valery. Para ver diariamente no Arena Lounge.

Pasion Partida
Daniela Vairo e Mónica Riba fizeram parte do elenco original do famoso espectáculo de água em Las Vegas, “Le Rêve”. Entretanto, Daniela especializou-se em anéis aéreos e Mónica no trapézio e na acrobacia aérea. Agora, em conjunto, e de regresso ao Casino Lisboa, trazem um número de lenços aéreos, em topless. Um espectáculo hipnótico, de elegância e técnica, onde se sucedem e combinam figuras aéreas. Todos os dias, no Arena Lounge.

The LaserMan Experience
Vencedor do Prémio ILDA em 2003 e do Silver Wand Award no Monte-Carlo Magic Stars de 2003, Laserman é único no mundo na manipulação laser.
Laserman, um apaixonado por ficção científica, iniciou o seu trabalho na investigação em ciências electrónicas e, paralelamente, dedicou-se à arte da magia. A combinação luminosa das suas experiências científicas com a magia da sedução das artes do espectáculo resulta numa performance única, com reconhecimento internacional. Uma exibição a 3D para ver até onde vai a magia da manipulação de feixes de luz. Diariamente à meia-noite no Arena Lounge.

Aniversário Casino Lisboa | Amália Hoje
Arena Lounge | 19 Abril

No dia 19 de Abril de 2010. O palco foi Pop.

Passaram meses. Passaram demasiadas horas. Dia atrás de dia percebíamos que Amália Hoje era ainda mais conhecida, divulgada, re-ouvida, descoberta. Entendíamos, dia atrás dia, que a nossa missão de relembrar Amália a novas gerações, e não só, estava a ter resultados. Dia atrás de dia, nas entrevistas, sempre o dissemos – Este é um disco, tal como era Amália, sem intermediários, realizado e difundido directamente ao público. Pelo meio não houve unanimidade de crítica. Ainda bem. Amália também não a tinha. Pelo meio houve a sensação diária que o disco estava na casa, no carro, nos caminhos ao trabalho, nas vidas das pessoas. Pelo meio houve a sensação que o disco Amália Hoje não podia morrer nas prateleiras das lojas e, muito menos, nas casas das pessoas que o viviam todos os dias... Pelo meio, entendemos que o disco era das pessoas. Hoje damos continuidade ao disco. Queremos em palco agradecer às pessoas, aquelas que directamente, e tal como sempre acreditámos, responderam “Sim” à ideia de recriar Amália pop. Hoje os palcos vão dizer obrigado. Nós, no final de cada concerto, limitamo-nos a fazer uma humilde vénia ao público. Pelo público, ou se quiserem, pelo povo...

Nuno Gonçalves

Amália Hoje ao vivo:

Em palco os Hoje, Sónia Tavares, Fernando Ribeiro, Paulo Praça e Nuno Gonçalves, tocam ao vivo as canções do disco Amália Hoje. Em palco não prometemos xailes negros nem guitarras Portuguesas. Haverá espaço, sim, para uma Guitarra eléctrica Portuguesa, uma Bateria Portuguesa, e uma dezena de músicos que representam, de alguma forma, a nova maneira de cantar a pop em Portugal. Em palco não cantamos Fados. Cantamos canções pop que sempre mereceram mais espaço, mais cor e, se me permitem, mais pop. Em palco haverá uma coisa apenas: alegria. Alegria por encerrar com chave de ouro um projecto que sempre quis viver de verdade. Gostamos de verdade destas canções, rimos, choramos, rasgamos a pele por elas. O palco é verdade absoluta. O palco é presente. Hoje o palco é nosso. O palco é vosso, se quiserem, uma vez mais, do povo.

APANHADOS NA REDE
Auditório dos Oceanos | De 19 de Outubro 2010 a 30 Janeiro 2011

APANHADOS NA REDE
Auditório dos Oceanos | Casino Lisboa | De 19 de Outubro 2010 a 30 Janeiro 2011

João Santos (José Pedro Gomes) é taxista, tem duas casas, duas famílias, duas mulheres e dois filhos, um de cada mulher. Há 20 anos que mantém esta vida dupla e não está disponível para mudar. Porém, os filhos tornaram-se amigos no Facebook e querem conhecer-se na vida real! Com a cumplicidade do amigo Simão (Jorge Mourato), João vai desdobrar-se em esquemas para impedir que as suas duas famílias descubram a verdade.

Peripécias como fingir-se de morto, que a família padece de enfermidades malignas ou que os serviços de mensagens telefónicas são de tal forma personalizados que deixam conselhos pessoais aos utilizadores, são coisas perfeitamente normais nesta comédia passada a alta velocidade!

Encenação: António Feio e Fernando Gomes
Interpretação: Claudia Cadima, Eduardo Frazão, João Maria Pinto, Joana Estrela, Jorge Mourato, José Pedro Gomes e Sónia Aragão
Tradução: Ana Sampaio
Cenografia: Eric Costa
Figurinos: Barbára Gonzalez Feio
Música: Alexandre Manaia
Desenho de Luz: Paulo Sabino
Ass. Encenação: Sónia Aragão

Arena Live | Ana Moura
Arena Lounge | 25 Dezembro

 

Leva-me aos Fados é o quarto álbum de estúdio de Ana Moura e sucessor do multi-galardoado Para Além da Saudade (2007). Foi lançado em Outubro de 2009 e já é Disco de Ouro, tendo ultrapassado as 10 mil unidades vendidas. Leva-me aos Fados conta com uma lista de participações de luxo de onde se destacam José Mário Branco, Gaiteiros de Lisboa, Manuela de Freitas, Amélia Muge e Tózé Brito. Tal como os anteriores, tem a produção de Jorge Fernando.
A fadista tem somado prémios (Prémio Amália para Melhor Intérprete) e participações (dueto com Mick Jagger  e também com Prince) e conquistado as audiências onde actua.

Arena Live | Clube des Belugas
Arena Lounge | 20 Dezembro

 

Pioneiros do nujazz na Alemanha e, talvez, na Europa, o projecto Club Des Belugas combina, com uma criatividade e intensidade próprias, as sonoridades do lounge europeu com batidas brasileiras, swing e a soul americana dos 50s, 60s e 70s. Com cinco álbuns e quatro vinis editados desde 2002, Club Des Belugas já atingiu o primeiro lugar do German Club Charts e foi nomeado, em 2006  com Apricoo Soul e 2008  com Swop, para “Álbum do ano”, na Alemanha. Sob o mote “Casino Light”, Club Des Belugas Orchestra feat. Brenda Boykin & Anna Luca, acturaram ao vivo, no Arena Live no Casino Lisboa

Arena Live | Dub Inc
Arena Lounge | 8 Novembro

Mais do que uma banda de reggae, os Dub Inc simbolizam a melhor renovação deste estilo musical. Formado em 1997, o grupo é responsável por um som único que combina as influências dos seus elementos e que conjuga as melodias e ritmos tradicionais do Norte de África com o hip-hop e o electro-dub.


Os textos sentidos, as melodias eficazes e as vozes de Bouchkour e Komlan  insuflam de energia e força o som dos Dub In.

Depois de Diversité (2003), Dans le Décor (2005) e Afrikya (2008) os Dub Inc apresentaram ao vivo, no Arena Live, o seu álbum Hors Contrôle (2010).

Arena Live | Expensive Soul & Jaguar Band
Arena Lounge | 6 Dezembro

 

Quatro anos após Alma Cara, os Expensive Soul regressaram com Utopia. O single de avanço “O Amor é Mágico” tomou de assalto as principais rádios portuguesas e renovou o interesse do público pelos Expensive Soul.
A tonalidade soul e r’n’b dos anos 70 é a marca do disco, colorido constantemente pelos teclados Hammond, Fender Rhodes e Moog de New Max, mas também pontuado por guitarras, coros, sopros e samples que nos fazem viajar instantaneamente até à Motown, Gil Scott Heron, Wilson Pickett, Smokey Robinson, Four Tops, Parliament.

Arena Live | Jamie Lidell
Arena Lounge | 22 Novembro

 

Nasceu em Inglaterra mas vive em Manhattan e no dia 22 de Novembro de 2010 apresentou no Arena Live o mais revigorante e bem disposto soul e funk da actualidade. Depois do sucesso de Multiply (2005), que o catapultou para a adulação internacional, Jamie Lidell lançou o eclético Compass. Um álbum escrito em apenas um mês e que, segundo o autor, é o resultado de um par de anos emocionais. O funk, rock, gospel e pop de Jamie Lidell desdobra-se, literalmente, a cada música.

Arena Live | Luís Represas
Arena Lounge | 8 Novembro

 

Com uma carreira perto de completar os 35 anos, Luís Represas é um dos nomes incontornáveis do panorama musical português. No dia 8 de Novembro, no Arena Live no Casino Lisboa sentiram-se grandes emoções, num espectáculo centrado na essência e beleza das canções.


Acompanhado por Luís Fernando (guitarra), Cícero Lee (baixo), Marcos Alves (bateria) e Carlos Garcia (teclas), Luis Represas apresentou temas do último disco de originais Olhos nos Olhos, onde se destacam "Sagres", "Por Mão Própria" e "Desencontro", a par com êxitos intemporais que fazem parte do songbook da música popular portuguesa.

Arena Live | Nu Soul Family
Arena Lounge | 29 Novembro

 

Virgul (Da Weasel), Dino (Dino & The Soulmotion), B@ssman (Puzzle, Bambs Cooper) e o DJ Alan Gul (Bambs Cooper) uniram esforços para formar este novo projecto. O objectivo era «abanar a dance scene nacional e internacional». Unidos pela «paixão pela música» e a «vontade de fazer algo diferente» embarcaram nesta aventura, na qual cozinham vários géneros musicais. Never Too late To Dance foi o álbum de estreia da família que tinha acabado de ser galardoada com o prémio MTV para Best Portuguese Act.

Arena Live | Paulo Gonzo
Arena Lounge | 13 Dezembro

 

Paulo Gonzo regressou ao Arena Lounge no Casino Lisboa para apresentar mais um dos seus projectos. By Request foi gravado e produzido entre Lisboa e Nova Iorque, por Cindy Blackman e Jack Daley, músicos de eleição de Lenny Krevitz. Num regresso às suas origens artísticas, Paulo Gonzo seleccionou 12 clássicos da música soul, onde se destacam Mustang Sally ou These Arms of Mine.
By Request: um concerto a não perder!

Arena Live | Rui Veloso
Arena Lounge | Reveillon | 31 Dezembro

Rui Veloso | 30 Anos de Carreira

Setembro de 1980. O Estádio do Restelo à cunha para ver os Police. Na primeira parte, Rui Veloso e a Banda Sonora. Ao contrário do habitual, o público reserva-lhe uma recepção daquelas que só os estrangeiros tinham num concerto de rock. Surpresa?
Só para quem não tivesse andado por cá nos meses anteriores – por causa de um rapaz  do Porto, a terra tremera em Portugal. Passados trinta anos, confirma-se, o Ar de Rock era bem mais do que a brisa duma noite de Verão. Em 2010, Rui Veloso celebrou com o público português 30 anos de uma carreira ímpar.
Na noite de fim-de-ano, deu-se o último concerto desta celebração. No Arena Live no Casino Lisboa.

BÉJART BALLET
Coliseu dos Recreios | 13 a 16 de Maio

 

Béjart Ballet Lausanne regressou a Lisboa        

Ballet for Life, uma coreografia original de Maurice Béjart, de 1997, com o título “Le Presbytère N´a Rien Perdu de Son Charme ni le Jardin de son Éclat”.

Inspirado nas vidas e mortes prematuras de Freddy Mercury e do bailarino Jorge Donn, Ballet for Life não assenta numa visão derrotista da morte, mas antes na mais vívida expressão de optimismo e esperança.

Descrita pelo autor como um “hino à juventude”, a obra, cujos figurinos  são  assinados por Gianni Versace, brinda-nos com um lastro musical entre Queen e Mozart.

BOUNCE
Auditório dos Oceanos | 18 a 30 de Maio

 

Bounce, uma entusiástica companhia de dança sueca reconhecida mundialmente pela força e criatividade das suas performances teatrais, recria Voando Sobre um Ninho de Cucos num ambiente hip-hop e street dance inigualáveis.

Com cenários criativos, que incluem estruturas de bungee-jumping, Insane in the Brain é um espectáculo marcado pela dinâmica da street dance, e com hits de Missy Elliot, Dizzie Rascal, Kronos Quartet, Gotan Project, David Holmes e Cypress Hill como banda sonora.

Baseado no livro de Ken Kesey (1962) e na adaptação para teatro de Dale Wasserman (1963), Bounce - Insane in the Brain narra a forma como, num hospital psiquiátrico, o breakdance é adoptado pelos “doentes” como forma de rebelião contra as regras da instituição defendidas pela calculista, fria e sádica enfermeira Ratched que, ainda por cima, é fã de ballet clássico...

Uma nova abordagem para uma história, imortalizada no cinema por Jack Nickholson e Milos Forman (realizador), sobre loucura e poder mas sobretudo sobre o poder da loucura. 

www.insanetour.co.uk

Carnaval | Fáfá de Belém
Arena Lounge | 15 Fevereiro

 

Pelo 4º ano consecutivo o Casino Lisboa festejou o Carnaval com uma grande noite de folia!

O tema foi a Amazónia e a protagonista da noite, Fafá de Belém!

A mais portuguesa das cantoras brasileiras subiu ao palco com um espectáculo inédito no nosso país, onde reuniu aos seus maiores êxitos, os ritmos da Amazónia.

A estreia no Arena Lounge do Casino Lisboa contou ainda com a participação especial, em back-vocals, de Mariana Belém, filha de Fafá e do saxofonista e flautista Raúl Mascarenhas, músico que também marcou presença.

Muito ritmo e motivos tribais encarnados pelos figurinos de Sandra Machado, Lino Vilaventura e Ronaldo Fraga.

A seguir, DJ Rui Remix animou o Arena Lounge até madrugada!

 

Carnaval | Felix DaHousecat + Pedro Cazanova
Lounge D | Salão Preto e Prata | 15 Fevereiro

Felix DaHousecat + Pedro Cazanova feat. Andrea 

Carnaval é sinónimo de grande festa no Casino Estoril. 

Em 20120 a noite de folia foi num cenário muito especial, iluminado pela sensualidade de figurinos despidos a rigor. 

A festa começou com as batidas de Pedro Cazanova, o DJ português que já se cruzou nas mesas de mistura com os internacionais Little Louie Vega, Eric Morillo ou DJ Gregory e com os portugueses DJ Vibe, Carlos Manaças, XL Garcia e Jiggy, entre outros.

A mistura do house com a guitarra portuguesa distingue originalmente o som de Pedro Cazanova mas é com o sucesso da batida ‘Selfish Love‘, tema que conta com a participação especial de Andrea (das Non Stop), que marcou definitivamente as pistas de dança. Esta noite, Pedro Cazanova convida Andrea e prometem “pegar fogo” ao Salão Preto & Prata. 
Depois, a noite continuou com Felix Da Housecat, um dos nomes maiores da história da música electrónica. Desde o primeiro Kittenz & Thee Glitz (2001), ao seu último álbum, He Was King (2009), passando pelas colaborações com P. Diddy, James Murphy (LCD Soundsytem) e Miss Kittin, Felix Da Housecat é o principal responsável pela revitalização do house de Chicago e tornou-se o guru das novas correntes electro. 
Convidado para remisturar temas de Pet Shop Boys, Kylie Minogue, Madonna, Nina Simone, entre outros, Felix Da Housecat tem também diversas participações em bandas sonoras de jogos e séries (ex: Sopranos) e já foi duas vezes nomeado para um Grammy Award. 

No Du Arte Lounge , Peta na voz, Marco Pombinho nos teclados, Diogo Santos na guitarra, João Pestana no baixo e Tino na bateria foram o quinteto que deu vida aos Dynamite, projecto criado em 2006 e com repertório baseado em covers de funk, soul e reggae.

CELTIC LEGENDS
Auditório dos Oceanos | 22 Junho a 4 Julho

 

Genuínos representantes da cultura irlandesa, os Celtic Legends regressaram ao Auditório dos Oceanos para um espectáculo onde se funde o estilo mais tradicional com as influências mais contemporâneas.

Violinos, gaitas de fole, acordeões, guitarras e flautas celtas (Tin Whistle) marcaram o ritmo vigoroso da dança dos Celtic Legends que já encantaram o público português em 2008.
Em 2010 regressaram para confirmar o sucesso desta recriação inovadora do folclore tradicional, num espectáculo que contou com a coreografia de Ger Hayes.

Criado em 2002, CELTIC LEGENDS já se apresentou em mais de duas dezenas de países, de diferentes continentes. Similar a espectáculos como River Dance ou Lord of the Dance, CELTIC LEGENDS conquistou o seu próprio público com a sua alegria e vivacidade no palco.

CLUBE DE COMÉDIA
Auditório Oceanos no Casino Lisboa | 16 a 28 Março | Coliseu do Porto | 9 e 10 Abril | Digressão pelo país

 

Durante 14 semanas, todas as terças-feiras, centenas de pessoas reuniram-se na Praça da Alegria aguardando com entusiasmo passar as portas do Maxime e entrar no Clube de Comédia... Aquele que era também conhecido como um “espectáculo de rara beleza”, partiu à conquista de novos hemisférios.

Aldo Lima, Bruno Nogueira, Eduardo Madeira, Francisco Menezes, Nilton, Óscar Branco levararam o Clube de Comédia ao Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa e ao Coliseu do Porto.

O Clube de Comédia é um lugar de humor sem regras, aberto a todo o tipo de ideias, onde 6 humoristas sobem ao palco em liberdade total e... desabafam.
Há quem defenda a teoria de que este “hilariante, demente, libertário e moderno espectáculo de humor” apenas serve de pretexto para se reunirem com Aldo Lima, o único solteiro do grupo.

ENNIO MARCHETTO
Auditório dos Oceanos | 17 a 26 Setembro

 

O improvável ganha vida com Ennio Marchetto!

Mas quem é Ennio Marchetto?
ENNIO MARCHETTO é o verdadeiro One-Man Show! Um entertainer como há muito não há memória! É... Madonna, Pavarotti, Marilyn Monroe, Lady Gaga, Susan Boyle, Cher, Eminem, Barbra Streisand, Bob Marley, Fidel Castro, Indiana Jones, Mao Tsé Tung e tantos, tantos outros.

Num espectáculo de fazer chorar por mais, personifica grandes nomes da História Mundial. Da política às ciências, do cinema à música, todos os grandes ícones da cultura de todo o mundo ganham vida num espectáculo único interpretado por um único performer: Ennio Marchetto.

Sem sair de palco, Ennio Marchetto recorreu à ancestral arte do Origami para se reinventar a cada momento. Através de fatos e acessórios de papel, que veste e despe a altíssima velocidade, dá vida aos mais diversos personagens perante o olhar crescentemente atónito das plateias.

Com banda sonora a condizer, seleccionada pelo co-director do espectáculo, Sosthen Hennekam, Ennio Marchetto utilizou com mestria as suas aptidões de transformista para, de forma quase mágica, se tornar Cher, Stevie Wonder, Elton John e tantos outros!

Um espectáculo diferente na sua simplicidade e humor.

FOREVER TANGO
Auditório dos Oceanos | 27 Abril a 9 de Maio

 

Um espectáculo de dança e música que sublinha a paixão e a entrega próprias da tradição argentina.

Em FOREVER TANGO, a voz de Carlos Morel homenageia Carlos Gardel. O ritmo ficou marcado pela orquestra ao vivo e o bandonéon, instrumento típico do tango, teve um lugar destaque.

 O drama e a sensualidade com que os bailarinos se movem no palco,  pôde ser experienciado pelo público, que se deixou contagiar pela cultura rioplatense no espectáculo de Tango, de excelência, da Broadway.

Grandes Concertos | Deolinda
Casino Estoril | Lounge D | 26 Agosto

 

Em 2008, os Deolinda estrearam-se com o disco Canção ao Lado e, aquilo que começou por um segredo bem escondido de certos meios lisboetas, rapidamente se transformou num culto generalizado como raramente se viu em Portugal. O ano seguinte foi marcado pela consagração de uma banda que, ao primeiro disco, vendeu quase 60.000 discos e que se aproxima surpreendentemente da tripla platina. Os concertos no estrangeiro passaram a fazer parte do quotidiano da banda que pisou palcos de 11 países durante o ano passado. Este ano vai testemunhar o regresso dos Deolinda aos discos. O novo álbum do grupo chegará aos escaparates na Primavera e está rodeado de imensa expectativa, após o tremendo sucesso do registo anterior. Para apresentar as novas canções ao público português os Deolinda prepararam uma digressão por alguns dos melhores auditórios nacionais, onde também vão mostrar o novo espectáculo, recheado de surpresas com a qualidade que Ana Bacalhau, Pedro da Silva Martins, Luís José Martins e Zé Pedro Leitão já nos habituaram.

Grandes Concertos | Jazzanova Dj set
Casino Estoril | Lounge D | 5 Agosto

 

Os Jazzanova são um colectivo de músicos que estão na dianteira de vários estilos que vão do Dancefloor ao Nujazz, passando pelo Broken Beat e Funk e Soul modernos.
Com um séquito de fãs mundial, e para além da sua reconhecida e reconhecível sonoridade, estes seis artistas oriundos de Berlim já trabalharam com nomes como Lenny Kravitz, Common, Azymuth e Calexico. A sua enorme capacidade de misturar sons e estilos distintos e de os fazer funcionar harmonicamente, faz dos Jazzanova um colectivo mundialmente respeitado pelos seus pares, o que lhes permite estar sempre uma passo à frente e traçar tendências. As suas actuações são ecléticas e versáteis: tanto funcionam em eventos como o Festival de Jazz de Montreux, como numa qualquer discoteca urbana.
Ao Casino, para além de um excelente concerto, trouxeram ainda um imperdível DJ set.

Grandes Concertos | Jorge Palma & Os Demitidos
Casino Estoril | Lounge D | 22 Julho

 


Jorge Manuel d’Abreu Palma nasceu em Lisboa, a 4 de Junho de 1950, e com apenas seis anos iniciou os seus estudos de piano, realizando aos oito, a sua primeira audição no Conservatório Nacional. Em 1969, integra o grupo hard/rock Sindikato, ao mesmo tempo que estuda na Faculdade de Ciências de Lisboa. A estreia a solo, no formato 45 r.p.m., verifica-se em 1972, com o single The Nine Billion Names Of God, cujo tema título é baseado em O Despertar dos Mágicos, um livro de contos, um bocado esotérico, da autoria de Jacques Berger. Um ano mais tarde, é editado o seu primeiro single em português, com o poeta José Carlos Ary dos Santos. O primeiro LP - Com Uma Viagem na Palma da Mão - lançado em 1975, coincide com um período de intenso trabalho como orquestrador (chegou a trabalhar, nessa condição, com Amália Rodrigues), compositor e letrista.

Desse ano em diante, o trabalho de Jorge Palma, a solo e em colaboração com outras bandas e intérpretes como Rio Grande, Mafalda Veiga, Ala dos Namorados, Paulo Gonzo e Xutos & Pontapés, coloca-o no topo dos artistas nacionais. Reconhecido pelo seu talento como músico e letrista e um verdadeiro trovador moderno, Palma é um dos intérpretes mais influentes e carismáticos do panorama musical português.

Grandes Concertos | Mafalda Veiga
Casino Estoril | Lounge D | 15 Julho

 

Depois de Pedro Abrunhosa & Comité Caviar terem inaugurado a temporada 2010 dos Concertos de Verão do Casino Estoril, MAFALDA VEIGA foi a senhora que se seguiu. 

Antes de pôr o pé e a voz no Chão, o seu último álbum da altura, seguro e carregado de novos frutos e delicadas flores, Mafalda Veiga tinha gravado 61 canções em discos de nome próprio, o primeiro dos quais quase já com duas décadas. Fica sempre bem lembrar as reações que se seguiram à canção Planície e ao álbum Pássaros do Sul, quando Mafalda chegou, de mansinho e de rompante, a acrescentar valor à música portuguesa, animada por essa época mas sempre carenciada de vozes para lhe alimentar a renovação. No Casino Estoril, apresentou-nos a tournée Estrada.

Grandes Concertos | Mayra Andrade
Casino Estoril | Lounge D | 29 Julho

 

Mayra Andrade é uma cidadã do mundo, uma extraordinária cantora cuja carreira, ainda no início, é já um caso sério. A estreia aconteceu com Navega, em 2006, disco que espantou o mundo e que lhe colocou nos ombros a responsabilidade de uma herança do melhor que a canção cabo-verdiana tem para oferecer ao mundo. Já em 2009, Storia, Storia, a tourneé que traz ao Casino, elevou ainda mais a fasquia. A BBC já lhe tinha atribuído a distinção que reserva aos novos talentos e com o novo álbum, Mayra provou ser merecedora de todos os elogios. Em palco, a magia que se pressente nos discos torna-se ainda mais evidente - beleza profunda que tem eco numa voz que carrega mil histórias e que se sabe rodear dos melhores músicos. Mayra escreve também no seu crioulo natal que se vai espalhando pelo mundo, mas canta em francês e estabelece cumplicidades com músicos que vão da Guiné ao Brasil, sempre com a aposta na mais alta qualidade. 

Grandes Concertos | Muxima
Casino Estoril | Lounge D | 12 Agosto

 

50 Anos depois do início do Duo Ouro Negro, Manuel d'Oliveira (mentor do projecto de homenagem, director musical, produtor e guitarrista), Janita Salomé (voz), Filipa Pais (voz), o angolano Yami (co-director musical, voz e baixo) e a cabo-verdiana Ritinha Lobo (voz) juntaram-se para gravar um álbum de homenagem, mais que merecido e justificado, ao Duo Ouro Negro. Com eles estão também o pianista Filipe Raposo e o baterista e percussionista Quiné. Recuperando as canções mais emblemáticas do Duo Ouro Negro, o tributo tem como nome Ouro Negro. O espectáculo percorreu de igual modo todo o repertório do disco com todos os seus intervenientes. Cantando em kimbundo, português, crioulo ou inglês, o Duo Ouro Negro - Raúl Indipwo e Milo MacMahon - deixaram-nos canções inesquecíveis como Muxima, Mãe Preta, Kurikutela, La Kwela, Muamba, Banana e Cola, Vou Levar-te Comigo, Maria Rita, Menino ou Iliza (Gomara Saia).

Grandes Concertos | Nouvelle Vague & Rui Pregal da Cunha
Casino Estoril | Lounge D | 2 Setembro

Os Cure, Clash, Depeche Mode, Dead Kennedys foram nomes marcantes na divulgação da música pop/rock/wave/punk. E com a tendência revivalista em alta, os Nouvelle Vague tiveram a excelente ideia de recriar êxitos dos anos 80 em formato Bossa Nova e a fazer-nos regressar a duas décadas atrás. Os seus concertos são uma viagem pela memória e uma delícia de ver e ouvir, não só pela sonoridade da banda, mas também pelas magníficas vozes das cantoras francesas que os acompanham. A provar o sucesso da banda está o facto de terem esgotado todos os oito concertos dados até à data em Portugal. Para os Concertos de Verão do Casino, os Nouvelle Vague actuaram com Rui Pregal da Cunha, ex-Heróis do Mar

 

Grandes Concertos | Pedro Abrunhosa & Comitê Caviar
Casino Estoril | Lounge D | 8 Julho

 

Três anos depois de Luz, Pedro Abrunhosa regressou - e partiu para Longe, o seu último álbum. Um disco que corresponde rigorosamente à sua necessidade de mudança e de quebrar rotinas e fórmulas resolventes. Mudou no som e nos músicos, correspondendo a um apelo interior de rumar à essência e de deixar emergir outras raízes impolutas - aos seus amores no jazz e no funky e aos seus mestres na canção europeia, Pedro Abrunhosa acrescenta agora o valor do grande som do rock de tónica americana. O Que Ainda Não Foi Feito valeu como primeira amostra. Havia muito para descobrir em Pedro Abrunhosa e Comité Caviar, que é composto por Cláudio Souto nos teclados e órgão, Marco Nunes e Paulo Praça nas guitarras, Miguel Barros no baixo, Pedro Martins na bateria e na percussão, Eurico Amorim no piano e Patrícia Antunes e Patrícia Silveira nos coros

Grandes Concertos | Rui Veloso
Casino Estoril | Lounge D | 9 Setembro

 

Setembro de 1980. O Estádio do Restelo à cunha para ver os Police. Na primeira parte, Rui Veloso e a Banda Sonora. Ao contrário do habitual, o público reserva-lhe uma recepção daquelas que só os estrangeiros tinham num concerto de rock. Surpresa?
Só para quem não tivesse andado por cá nos meses anteriores – por causa de um rapaz do Porto, a terra tremera em Portugal. Passados trinta anos, confirma-se, o Ar de Rock era bem mais do que a brisa duma noite de Verão. Em 2010 Rui Veloso celebrou com o público português 30 anos de uma carreira ímpar.

GRANDES CONCERTOS | TIAGO BETTENCOURT & MANTHA
Casino Estoril | Lounge D | 19 Agosto

 

Tiago Bettencourt tem uma carreira curta mas é já um nome reconhecido, cujos singles, com os Toranja, primeiro, e os Mantha, depois, figuram regularmente nas rádios e televisões portuguesas.
Depois do final dos Toranja, surge Tiago Bettencourt & Mantha, e os álbuns O Jardim, em 2007, e Em Fuga, em Março deste ano, que nos revelam um punhado de canções maduras e a revelação de um talento seguro. Considerado como álbum «luminoso e amplo», Em Fuga traz-nos  melodias como Só Mais uma Volta e Chocámos Eu e Tu que provam Tiago Bettencourt é um músico a ter em conta.

ÍDOLOMANIA

A Ídolomania chegou e invadiu Portugal!

Lisboa, Viseu, Sta. Maria da Feira, São Miguel, Portimão, Samora Correia, Elvas, Guimarães, Santarém, Aveiro, Vila Real, Estremoz, Catanhede, Montemor, Oliveira de Frades, São João da Madeira e Seia


André, Carlos, Carolina, Catarina, Diana, Diogo, Filipe, Inês, Mariana, Mariline, Marta, Márcio, Melina e Solange, os 14 finalistas
dos Ídolos em digressão! 

13 Março | Campo Pequeno
20 Março | Pavilhão de Viseu
27 Março | Europarque
3 Abril | Portimão Arena
0 Abril | Coliseu José R. Almeida
7 Maio | Pav. Congressos Matosinhos
 

Uma produção UAU e MMS

LORD OF THE DANCE
Coliseu dos Recreios | 13 a 17 de Outubro | Coliseu do Porto 21 a 24 Outubro

 

Lord of the Dance, o mais famoso espectáculo de música celta do mundo,  é uma experiência única de movimentos, marcados pelo sincronismo e o rigor, em coreografias que exprimem a força da cultura tradicional irlandesa.  

A história da luta do Bem contra o Mal num espectáculo mágico assinado por Michael Flatley e visto por mais de 50 milhões de espectadores em todo o mundo.


“Um dos mais aclamados espectáculos mundiais de dança” – Correio da Manhã, Fevereiro 05
“As danças celtas e os efeitos visuais estão pensados para encher o olho” – Visão, Fevereiro 05
“Uma experiência única de movimentos e coreografias a não perder” – Destak, Fevereiro 05

MAIS RESPEITO QUE SOU TUA MÃE
Auditório do Casino Estoril | 3 Abril a 27 Junho | Rivoli Teatro Municipal | 15 de Outubro a 12 Dezembro

 

É possível ser-se moderna quando a nossa filha sabe mais posições sexuais que nós? É possível ter orgasmos com um marido que está metade do tempo desempregado e a outra metade no futebol? Há alguma forma de entrar na velhice quando o nosso sogro de 80 anos é preso por posse ilícita de marijuana? Pode-se dormir em paz quando o nosso filho mais velho é gay, e depois já não é, e depois já é outra vez, e a culpa é sempre nossa?!

Estas são algumas das muitas preocupações de Esmeralda Bartolomeu, a mãe de uma disparatada família e protagonista deste alucinado espectáculo.

Com Fernando Gomes, Luís Mascarenhas, Emanuel Santos, Rita Tristão da Silva e Tiago Aldeia.

Uma comédia de costumes.

Ficha Artística:
Texto – Hernán Casciari
Encenação, Adaptação e Cenografia – Joaquim Monchique
Figurinos- Dino Alves
Desenho de Luz - Paulo Sabino
Assistente de Encenação- Rui Filipe Lopes

MARK KNOPFLER
Campo Pequeno | 27 Julho

MARK KNOPFLER regressou a Lisboa com a Get Lucky Tour.

GET LUCKY, o 6º álbum a solo de Mark Knopfler, é uma homenagem a músicos que Knopfler conheceu na juventude e cuja vida itinerante invejava: “A primeira pessoa com uma vida itinerante que conheci cantava em bandas soul durante o inverno e, no verão, trabalhava em part-time em feiras ou apanhava fruta. Na altura, eu tinha cerca de 15 anos, estudava e invejava este estilo de vida. GET LUCKY é uma homenagem a este viajante, e outros como ele, que fui conhecendo na altura em que também eu trabalhei sazonalmente em quintas, armazéns ou construção civil... antes de “ter sorte” com as canções.”

Gravado no British Grove Studio (West London), Get Lucky foi co-produzido por Chuck Ainlay (engenheiro de som) e Guy Fletcher (teclista), colaboradores habituais de Knopfler. No álbum participam também Richard Bennett, Danny Cummings, John McCusker, Matt Rollings e Glenn Worf.

As 11 faixas de Get Lucky não desiludiram os fãs de Mark Knopfler, habituados à ironia contida nas letras que escreve e à sua forma particular de tocar guitarra, elementos que combina magistralmente, como são exemplo hits como Money is For Nothing, Sultans Of Swing, Romeo and Juliet e Walk Of Life.

GET LUCKY pode-se ouvir ao vivo dia 27 de Julho de 2010, no Campo Pequeno.

MAYUMANA | MOMENTUM
Auditório dos Oceanos | 7 a 18 de Julho

 

Mayumana é uma companhia multicultural, nascida em 1996 em Tel Aviv, que desenvolveu uma linguagem artística única, baseada no ritmo, técnica, efeitos visuais e, acima de tudo, criatividade e humor. Ao longo do seu tempo de existência já actuaram para milhões de espectadores em mais de 70 países. Hoje em dia, a marca Mayumana é globalmente reconhecida pelos seus espectáculos vibrantes e plenos de energia.

Momentum é o nome do espectáculo, que trouxeram Portugal, e que revolve em torno da questão do Tempo, sempre com o ritmo como base da sua performance, e assente no contraste entre o vibrante e o calmo, a agitação e a serenidade. A energia de 11 artistas em palco, que cantam, dançam, correm tudo isto e muito mais ao som da batida forte dos percussionistas. Um espectáculo de intensa energia que pôde ser visto em Julho de 2010, no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa!

MÚSICA no Arena Lounge
Palco Multi-Usos

Diariamente, actuaram no Arena Lounge do Casino Lisboa:

Ana & the Goodfellas
Boogie Nights
Chauffeur Navarrus
Chilly
Colored
Cool It
Cores do Som
Funkylicious
Galamataki
Gatos Vadios
Global Quartet
Groove Box
Habacuque
HMB
iMOVIE
Joana Lobo Anta
Lisboa Não Sejas Francesa
Low-Five
Magma
Maria Anadon
Njinjiritane
No Stress
Party & Company
Plug n´ Play
Ramgang
Rozett 4tet
Satisfaction
Soulbreezz
Sylvie C. com French Swing Café
The Shortcuts
Trastes
Voodoo Marmalade
What?!
Zoey Jones
Zoey Jones Quartet
Zukunft

MÚSICA no Lounge D

Diariamente, actuaram no Lounge D do Casino Estoril:

André Sarbib
Boogie Nights
Bus Stop
Catwalk
Chilly
Cool it
Cores do Som
Dynamite
Funkylicious
Gamalataki
Gatos Vadios
Groove Box
Habacuque
HMB
Illumination
iMOVIE
Joana Lobo Anta
Lisboa Não Sejas Francesa
Njinjiritane
No Stress
Plug 'n Play
Ram Gang
Satisfaction
Soul Train
Soulbreezz
Sylvie C. & French Swing Café
The Flowmotions
Trio Naranjus
What?!
Zoey Jones Quartet

NICOLAU | 50 ANOS DE CARREIRA
Auditório dos Oceanos | 20 a 25 Abril | Digressão pelo país

 

Na comemoração dos 50 anos de carreira, Nicolau Breyner fez uma reflexão sobre os muitos papéis que já interpretou e sobre a relação que tem com o mundo. Num tom intimista partilhou com o público as histórias mais divertidas dos bastidores do teatro, cinema e televisão, bem como algumas das suas inquietações actuais. "Porque é que os computadores nunca funcionam?" ou "Quem é que se lembrou de criar casas-de-banho inteligentes?", são algumas das irritações que confessou.

Ao longo do espectáculo, Nicolau cantou algumas canções, sendo acompanhado ao vivo por um trio de músicos:
António Palma (teclas),
Nuno Oliveira (baixo eléctrico) e
Alexandre Alves (bateria).

Em palco, um ecrã no qual se projectaram vídeos com cenas de arquivo, representativas de vários momentos da sua carreira.

Para não se desviar muito do assunto, porque história puxa história e só temos hora e meia, Nicolau esteve munido de um GPS que lhe foi dando indicações úteis, tais como, "Está a sair do guião; volte ao texto logo que possível!". 

|Texto - Nicolau Breyner, Patrícia Castanheira e Roberto Pereira

| Direcção Musical - António Palma

| Desdenho de Luz - Paulo Sabino

| Interpretação - Nicolau Breyner, António Palma, Nuno Oliveira e Alexandre Alves

QUE VERGONHA RAPAZES
Maxime | 13 Março a 1 Julho | Terças, Quartas e Quintas às 22h

 

A melhor forma de definir Que Vergonha Rapazes! é pela negativa: não é uma peça de teatro, apesar de, no palco, um actor interpretar textos; não é um recital ou uma declamação pública de poemas, apesar de se ouvirem as palavras de Bocage, Mário-Henrique Leiria, Cesariny, Alberto Pimenta, Alexandre O’Neill, Miguel Esteves Cardoso entre muitos outros; não é um espectáculo de variedades, apesar de uma pessoa falar a partir do que escreveu uma outra quantidade de pessoas para uma nova quantidade de pessoas ouvir.

No fundo, Que Vergonha Rapazes! tem tudo a ver com «palavras, palavras, palavras». Estas palavras fazem-nos rir, mas também ranger os dentes; foram extraídas de uma antologia do humor português (organizada, em 2008, por Nuno Artur Silva e Inês Fonseca Santos). Tudo se mistura para se transformar num espectáculo que só mesmo em cena se irá perceber o que é. Com Miguel Guilherme.

Réveillon Casino Estoril | Chico & Gypsies & José Cid
Salão Preto e Prata | Lounge D

A comemoração do Fim de Ano no Casino Estoril arrancou a partir das 20h30, ao jantar, no Salão Preto e Prata. O ritmo da noite ficou marcado pelos Chico & Gypsies. O fundador e ex-líder do grupo Gipsy Kings, Chico Bouchikhi, esteve acompanhado em palco por Manolo Gimenez, Joseph Gautier, Christophe Baliardo, Alain Bourguet, Jean Farre e Jean Claude Vila.

No D-Lounge, o novo ano chegou ao som de José Cid!

A animação nos dois espaços do Casino contou ainda com os concertos de Citizens, Dynamite e Boogie Nights!

 

SEXO? SIM, MAS COM ORGASMO
Auditório do Casino Estoril | De 8 Setembro a 30 Outubro

 

Sexo? Sim, mas com Orgasmo é uma divertida comédia interpretada por Guida Maria, que analisa sem preconceito a importância da sexualidade vivida com prazer, sem tabus e em harmonia entre os sexos.

Escrita pelos italianos Franca Rame, uma das principais figuras femininas do teatro italiano, Jacopo Fo e Dario Fo, Prémio Nobel da Literatura, Sexo? Sim, mas com Orgasmo desmistifica tabus e alerta para a incapacidade da sociedade e das famílias em dar respostas à curiosidade e ansiedade dos mais jovens.

Composta por vários monólogos, a peça passeia-se entre temas como Adão e Eva, a primeira relação sexual na Terra, O Aborto,  A Menstruação, A Virgindade, Lição de Orgasmo bem como outros problemas reais, muitas vezes sérios, que são abordados com um sorriso nos lábios e recebidos pelo público com sonoras gargalhadas.

A força temática, aliada à pertinência e actualidade do texto, de Sexo? Sim, mas com Orgasmo convidou a que se falasse de sexo de forma divertida, desassombrada e serena e marcou o regresso de Guida Maria aos monólogos.

Sexo? Sim, mas com Orgasmo. Porque falar de sexo é falar de amor!


| Texto - Dario Fo, Franca Rame e Jacopo Fo

| Direcção - António Pires com Cassiano Carneiro

| Adaptação - José Fanha

| Tradução - Rosanna Fiorella

| Desenho de Luz - Paulo Sabino

| Música - Vítor Milhanas

| Interpretação - Guida Maria

SWAN LAKE
Coliseu do Porto | 16 a 21 Novembro | Coliseu dos Recreios | 24 a 28 Novembro

 

Em Novembro de 2010, a UAU retomou a mágica tradição dos espectáculos no gelo, apresentando O Lago dos Cisnes, nos Coliseus de Lisboa e Porto.

Com música de Tchaikovsky, O Lago dos Cisnes conta a história de um príncipe que se apaixona por uma rapariga-cisne, vivendo um amor impossível mas enternecedor.

O Lago dos Cisnes no Gelo tem produção da Imperial Ice Stars, uma companhia de renome internacional, que reúne os melhores patinadores de gelo do mundo, de entre os quais se destacam Evgeny Platov (dupla medalha de ouro nas Olimpíadas de Inverno) e o par Albena Denkova e Maxim Staviski.

Sob a direcção artística de Tony Mercer, o maior criador de teatro contemporâneo no gelo, esta majestosa produção de O Lago dos Cisnes apresentou ainda sumptuosos cenários e um exuberante guarda-roupa.

THE OPERA SHOW
Auditório Oceanos | 6 a 17 Abril

Exuberante, surpreendente e evocativo, este é um espectáculo onde reconhecidas árias de ópera foram recriadas numa nova paisagem visual animada pela teatralidade de coreografias com muita atitude.

The Opera Show marcou também pela composição colorida dos cenários e pelo arrojo do guarda-roupa e da caracterização.

O espectáculo dividiu-se em três actos, cada um com uma personalidade musical e visual próprias. O primeiro acto, passado num palácio italiano por onde desfilam aristocratas exibindo o seu mundo cheio de glamour. De Purcell a Rossini, este é um espaço onde estilos anacrónicos coexistem em harmonia.

Se o primeiro acto visita as origens barrocas da ópera o segundo inspirou-se na vertente romântica da música clássica. Uma família modesta dos anos 40, uma banda de músicos, uma agulha que poisa num vinil e um ritmo que foii em crescendo até ao terceiro acto, no qual tudo se transformou. É como se o rock´n´roll tivesse aterrado no planeta Ópera! Bach, Beethoven, Mozart, Dvorak e Puccini como nunca se tinha ou ouvido e visto.

 

THE VOCA PEOPLE
Auditório Oceanos | 2 a 14 Março

 

Eles são 8 extra-terrestres, vieram do planeta Voca, situado algures entre as constelações Ursa Maior e Ursa Menor, e são conhecidos por serem extremamente afáveis. São os The Voca People.

Desceram à terra em 2009 e rapidamente se tornaram um fenómeno graças à disseminação dos seus vídeos na internet. Três mulheres (contralto, mezzo e soprano), três homens (baixo, barítono e tenor) e dois beat-boxes humanos reproduzem, fielmente, temas que marcaram várias épocas. Rock, pop, jazz e música clássica são a voz dos Voca People.

Uma performance de teatro vocal que combina sons vocais e o canto à capela com a arte do moderno beat-box humano...e muito humor!

WANDA STUART
Auditório Oceanos | Casino Lisboa | 14 e 15 de Maio | CAE | Figueira da Foz | 30 Julho (Digressão)

 

Wanda Stuart regressou à chanson francaise com um espectáculo emocionante em que interpretou os temas mais marcantes de Édith Piaf.

Canções que fizeram história, tais como La Vie en Rose, Hymne à l´amour, Milord ou Non, je ne regrette rien, e muitas outras, pela voz de Wanda Stuart, acompanhada por quatro músicos.

Um espectáculo enriquecido com textos, interpretações encenadas e imagens da grande artista da canção francesa, ao qual Wanda Stuart emprestou o seu estilo inconfundível, levando a audiência numa viagem cheia de emoções.

Ano 2009

Animação Casino Estoril

Animação Casino Lisboa

4 TASTE
Auditório dos Oceanos | 28 Fevereiro

 

David Gama (baixo), Francisco Borges (bateria), Luke d'Eça (voz e guitarra) e Nelson Patrão (guitarra) são os 4Taste, uma banda portuguesa de rock, nascida na famosa telenovela para jovens, Morangos com Açúcar.

Desde a sua formação em março de 2006, até à altura, gravaram 2 álbuns de originais, 4Taste (2006) e Take2? (2008), gravaram um DVD com o concerto de Fevereiro de 2007 no Campo Pequeno e ganharam vários galardões, incluindo 4 platinas (vendas superiores a 80.000 unidades) pelo primeiro álbum.
Na verdade, a primeira platina foi obtida no 1º dia de vendas, num feito poucas vezes conseguido em Portugal e demonstrativo do seu sucesso junto dos muitos fãs conquistados.
Seguiram-se vários concertos pelo país e estrangeiro, donde se realça o concerto em Zurique (suiça) em Outubro de 2007.
Outro momento alto da sua carreira foi o dueto com José Cid, na festa de lançamento do 2º álbum, quando Cid subiu ao palco para os acompanhar na versão 4Taste de “A Minha Música”, um original do próprio Cid.
 

A VERDADEIRA TRETA
Auditório Oceanos | 9 Setembro 2008 a 14 Fevereiro 2009 | Arena Évora | 29 Maio | Auditório Oceanos | 20 Julho Coliseu do Porto | 10 a 14 Fevereiro


A "filosofia do disparate" na sua essência.

Tóni e Zezé, dois representantes da espécie "chico-espertus lusitanos", conversam sobre importantes assuntos da actualidade. Deram a conhecer as suas opiniões sobre o preço da gasolina, as operações plásticas, a segurança, a educação....e tantos outros temas, esmiuçados de uma forma única, capaz de o fazer "morrer" de rir!

"Já fomos ver e fartámo-nos de rir", 24 Horas
"Os dois actores divertem a plateia", Destak
"Tiradas anadóticas disparadas à velocidade da luz", Correio da Manhã
"O espectáculo é de chorar a rir", O Jogo

Animação Verão
Arena Lounge | Agosto

1, 15 - Nilton
7, 28 - Eduardo Madeira
8, 21 - Ana Brito e Cunha
14, 22, 29 - Francisco Menezes

A comédia regressa ao Arena Lounge para animar as noites de verão.

Dream Bodies

Ele deseja-a à distância. Ela finge não o ver, exibindo-se num ritual diário pelo qual anseia. Em mundos diferentes jogam emoções, atraindo-se para o precipício. Ela domina-o numa entrega sem retorno. E, embrenhados na fusão dos corpos, o tempo pára no momento em que o dominado passa a dominador, confundindo as convenções e esquecendo tudo menos a necessidade do sentir e do concretizar.
Numa coreografia de Paula Careto, Sky Paris e Jamal Kahil protagonizam Dream Bodies, um sonho ousado para apreciar diariamente no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Animação Verão | Dream Bodies
Arena Lounge | Agosto

 

Ele deseja-a à distância. Ela finge não o ver, exibindo-se num ritual diário pelo qual anseia. Em mundos diferentes jogam emoções, atraindo-se para o precipício. Ela domina-o numa entrega sem retorno. E, embrenhados na fusão dos corpos, o tempo pára no momento em que o dominado passa a dominador, confundindo as convenções e esquecendo tudo menos a necessidade do sentir e do concretizar.

Numa coreografia de Paula Careto, Sky Paris e Jamal Kahil protagonizaram Dream Bodies, um sonho ousado que pôde ser apreciado diariamente no mês de Agosto de  2009 no Arena Lounge do Casino Lisboa.

Aniversário Casino Lisboa | Fantasy
Arena Lounge | Abril

 

A urgência do toque libertando os sentidos, o grito sussurrado nos movimentos, a pureza  do instinto revelando-se numa coreografia ritmada por encontros e desencontros de corpos, anónimos na sua significação colectiva.

Fantasy é um momento sem tempo. Memórias acordam, relembrando emoções e despertando desejos. Intensamente.
Com coreografia de Paula Careto e figurinos de Nuno E., Sky Paris e Jamal Kahil emprestaram o corpo e a alma a Fantasy.
Esteve em Abril de 2009, no Arena Lounge do Casino Lisboa.
 

Aniversário Casino Lisboa | Jorge Palma & Nicola Conte
Arena Lounge | 18 e 19 Abril

Jorge Palma
Arena Lounge | 19 Abril 
Num presente especial ao Casino Lisboa pelo seu 3º aniversário, Jorge Palma revisitou os temas mais emblemáticos da sua carreira.
Ao seu lado, Vicente Palma acompanhou-o na voz, piano e guitarra. Ainda, Gabriel Gomes, ex-Madredeus, no acordeão.

Nicola Conte
Arena Lounge | 18 Abril
Nos últimos dez anos, Nicola Conte tem desenvolvido uma nova vaga sonora oriunda de Itália. Através de referências do jazz e de bandas sonoras dos anos 60 e 70, o "rapaz com mau feitio de Bari"! ganhou reputação mundial com DJ e produtor logo a partir do seu primeiro single "Bossa per due" e do álbum subsquente, Jet Sounds, editado em 2000.
Até aos dias de hoje tem corrido mundo em actuações diversas (de Tóquio a Moscovo, de São Francisco a Belo Horizonte e com frequentes passagens por Portugal). Produziu álbuns de terceiros (ex: a bossa moderna de Rosália de Souza), editou para a conceituada editora de jazz Blue Note e construiu um sólido naipe de jazzmen italianos à sua volta para criar a sua música. No meio disto também aprendeu a tocar guitarra, o que lhe permite apresentar ao vivo os seus discos. O seu mais recente trabalho, Rituals, encontra-se em fase de promoção e conta com participações de José James, Kimberly Sanders e Till Brönner.
Na sua apresentação como DJ no 3º aniversário do Casino Lisboa fez-se acompanhar de uma cantora. Os seus sets são sempre uma viagem pelos universos musicais que lhe são queridos (o jazz, a bossa, etc), com incursões mais recentes pelo house de Detroit (Moodyman, Theo Parrish, entre outros), o que não foi excepção na noite de 18 para 19 de Abril de 2009, no Arena Lounge do Casino Lisboa.

APASSIONATA
Campo Pequeno | 27 Fevereiro a 1 Março

 

Apresentação de Ana Brito e Cunha, vestida pelos Story Tailors.                                                            

Dias 27 e 28 de Fevereiro e 1 de Março, de 2009,  Ana Brito e Cunha foi anfitriã de Apassionata-Grand Voyage, uma viagem de sonho ao maravilhoso mundo equestre.

Desde sempre, uma apaixonada por cavalos, Ana Brito e Cunha não hesitou em aceitar o convite de guiar os espectadores de Apassionata-Grand Voyage através dos quatro cantos do mundo, representados nos diversos acots deste magnífico espectáculo equestre.

ANA BRITO E CUNHA
A actriz rege-se pelo lema de "Life isn't about finding yourself, is about creating yourself".

Desde cedo apaixonada pela representação, Ana Brito e Cunha estreou-se profissionalmente em 1993 na telenovela "Na Paz dos Anjos". Desde então, já participou em inúmeros projectos de televisão, teatro e cinema.

Em 2001 criou o projecto Bambolina com o objectivo de promover o teatro em espaços alternativos como bares e restaurantes.

Para além da sua actividade de actriz e encenadora, tem promovido oficinas de teatro para crianças e adultos, aliando a sua paixão de actriz com a vontade de divulgar as actividades cénicas a públicos mais vastos.

STORYTAILORS
Constituída em 2002 pela dupla de criadores João Branco e Luís Sanchez, licenciados em Design de Moda pela Faculdade de Arquitectura da UTL, a marca surgiu na 7.ª edição do Concurso de Design de Moda Sangue Novo, da Associação ModaLisboa. Na mesma altura, os Storytailors apresentaram, no Teatro Camões, o seu primeiro grande projecto: Narkë –História de um Vestido.

Caracterizando-se por um imaginário colorido, permeável a diversas influências, desde contos infantis às mitologias de várias culturas, o seu trabalho tem vindo a afirmar-se progressivamente em Portugal, com participações na ModaLisboa e no Portugal Fashion.

Em 2005 criaram o site www.storytailors.pt e são homenagiados no evento Super Model of the World como Criadores Revelação. Em 2006 e 2007, apresentaram a sua linha Hype Couture Storytailors Atelier na Semana de Alta-Costura de Paris. Outra vertente da sua criação, a linha Street Couture Storytailors Narkë, é apresentada regularmente no Portugal Fashion.

Em Agosto de 2007 abriram a Storytailors Store, loja e atelier na Calçada do Ferragial 8, no Chiado.

BLUE MAN GROUP
Auditório dos Oceanos | 19 Março a 9 Maio

 

Mais que um espectáculo, foi uma experiência a não perder!

O Blue Man Group em How To Be A Megastar é um verdadeiro concerto rock conduzido por 3 enigmáticas personagens azuis, famosas pelos seus espectáculos interactivos, onde a música, a comédia e a multimédia se aliaram em palco tornando cada momento, num instante único e inesquecível.

Os Blue Man Group são um grupo de referência mundial, com espectáculos residentes em Nova Iorque, Boston, Chicago, Las Vegas, Orlando, Berlim e Tóquio, diversas digressões e diferentes participações em eventos corporativos e publicitários.

“O espectáculo perfeito...tão divertido que tem de ser experimentado para se poder acreditar”, Chicago Tribune
“Uma experiência extasiante!”, USA Today


“Aqui há comédia – trata-se de brincar com os ares de estrelas rock a que se dão as estrelas rock. Trata-se de festejar com o público, ao contrário das estrelas.”, JN

"Em palco, o trio faz de tudo um pouco: malabarismos, danças, correrias várias, pinturas com a boca e, claro, música - saída de estranhos instrumentos feitos de tubos de PVC, varas amplificadas, bidons ou cordas de piano marteladas.", Visão

“Este é verdadeiramente um fenómeno de público. É um espectáculo que resulta pela interacção, mas por outras vias que não a palavra.”, Expresso

“Nem música, nem comédia, nem performance. A actuação dos Blue Man Group é uma experiência multissensorial, híbrida e indefinível.”, DN

“Um espectáculo que tem tudo para prender o público até ao fim.”, Destak

“Entretenimento do melhor que se produz no mundo é a marca dos Blue Man Group.”, Meia-Hora

“Não é um concerto. Não é uma peça de teatro. Não é uma comédia. Blue Man é tudo isto junto, misturado com efeitos multimédia e cores a jorrar por todo o lado.”, Metro

“Um concerto de rock que é também um espectáculo de teatro sem palavras e um show interactivo. Há de tudo para atrair o público sequioso de emoção”, Correio da Manhã

“Com um show interactivo, prometem ensinar, com humor, o que é preciso para se ser famoso”, 24 Horas

"Os Blue Man Group, com uma forte componente multimédia, proporcionam um espectáculo único e inesquecível.", O Primeiro de Janeiro

Carnaval | José Cid & Big Band | Abba Gold | Maske
Salão Preto e Prata | Du Arte Lounge

 


Em noite de Carnaval, José Cid & Big Band animaram a Gala de Carnaval do Salão Preto & Prata. Neste elenco, também marcaram presença as Maske.

Sempre animado, José Cid proporcionou uma noite de excepção, revisitando todos os seus maiores sucessos na companhia da Big Band.

No Du Arte Lounge, a festa continuou com as Maske

Um delírio musical, MASKE é um trio feminino de cordas composto por Jessica, Rosanna e Suzie G. Com um sensual visual, estas 3 virtuosas violinistas, conjugaram a beleza com a excelência interpretativa, criando um momento de grande glamour e mestria. Ao repertório clássico aliaram temas pop, obtendo uma sonoridade de fusão única, que espantou audiências por todo o mundo.

Os ABBA Gold caracterizam-se por personificar fielmente as actuações da mítica banda sueca da década de 1960, envergando o mesmo tipo de indumentária e tocando os mesmos instrumentos.
No Salão Preto e Prata dançou-se ao som de temas como «Mamma Mia», «SOS», «Fernando», «Chiquitita», «Dancing Queen», ou «Waterloo».

José Cid | 23 Fevereiro
Abba Gold| 23 Fevereiro
Maske | 24 Fevereiro

 

Carnaval | Village People e DJ Sammy Jo
Arena Lounge | 23 Fevereiro

 

Dia 23 de Fevereiro de 2009, os Village People e o DJ Sammy Jo estiveram no Arena Lounge do Casino Lisboa para uma festa de Carnaval que dificilmente será esquecida!


Os Village People formaram-se em 1977 e rapidamente se tornaram famosos. Hoje, 32 anos após a sua formação, os Village People são considerados verdadeiros ícones do Disco Sound, representando uma geração musical.
Com vendas superiores a 65 milhões de discos, os Village People ainda se mantêm no topo das preferências de quem gosta de dançar, com temas como YMCA, Macho Man e In The Navy  a integrar as playlists de qualquer festa em qualquer lugar do mundo.


A carreira do DJ Sammy Jo teve início em 1997 no lendário clube nova iorquino, Mother. A sua playlist foi crescendo na área da música de dança o que lhe deu um contrato para actuar na festa cyberfetish, Click + Drag. Aqui conheceu Jake Shears dos Scissor Sisters, com quem desenvolveu uma amizade baseada na paixão de ambos por diferentes tipos de música.
Em 2004, Jake Shears convidou Sammy Jo para DJ da digressão Crevice Canyon, dos Scissors Sisters. A experiência foi um sucesso e a banda convidou-o para seu DJ oficial. Desde então, Sammy Jo tem actuado a solo em clubes europeus, desenvolvendo uma carreira própria, em paralelo com as actuações com os Scissors Sisters.
O seu estilo único de blending electro, house e dark disco tornam-no original e muito procurado para festas e eventos por todo o mundo, onde se destacam as actuações na O2 Arena (Londres), Clube Razzmatazz (Barcelona), Lamessa (Milão) e a actuação para 60.000 pessoas no V Festival.

CEBOLA MOL | O FIM DOS CEBOLA MOL
Auditório dos Oceanos | 30 Junho

 

Editado pela UAU, O FIM DOS CEBOLA MOL foi o álbum de regresso de 2009, dos irmãos Phil e Eddie Stardust, quase 9 anos após a sua estreia.

Para além do novo disco, a maior banda de comedy rock do mundo teve também um novo espectáculo e muito, muito, muito humor.

Considerada uma das bandas com mais força em cima do palco que alguma vez apareceu no hemisfério norte, os Cebola Mol contam já com dois discos de originais editados. A saber: o inacreditavelmente parvo SAMBA ROULOTE (EMI, 2001) e o incrivelmente idiota ANDROID POLAROID (Independent Records, 2003).

CLUBE DE COMÉDIA
Maxime | 15 Setembro a 15 Dezembro | 3ªs Feiras | 22h

 

Todas as terças-feiras de Setembro a Dezembro de 2009, centenas de pessoas aguardaram com entusiasmo passar as portas do Maxime e entrar no Clube de Comédia...

Aquele que era também conhecido como um "espectáculo de rara beleza ", apresentou-se pela última vez no Maxime, dia 15 de Dezembro!

O Clube de Comédia era um lugar de humor sem regras, aberto a todo o tipo de ideias, onde 6 humoristas subiam ao palco em liberdade total e... desabafavam.

Aldo Lima,  Bruno Nogueira, Eduardo Madeira, Francisco Menezes,  Nilton e Óscar Branco já têm saudades suas.

DAVID BYRNE
Coliseu dos Recreios | 28 de Abril | 21h30

 

Desde Abril de 2004 que David Byrne não tocava em Portugal.
Em Abril de 2009, o ex-Talking Heads regressou para um concerto único no Coliseu dos Recreios.

"Eu e o Brian Eno terminámos recentemente um projecto em conjunto, o primeiro em 30 anos. Este álbum chama-se Everything That Happens Will Happen Today. Na sua maior parte, contém música do Brian, com outras minhas que também assino as letras e dou a voz. Não é uma novidade mas é uma novidade. Estamos muito contentes com o resultado.", David Byrne

O primeiro álbum de Eno e Byrne data de 1981, My Life in the Bush of Ghosts. Vinte e sete anos depois, no seguimento de um jantar de amigos, surge uma nova oportunidade para um novo projecto. Eno tinha acumulado bastante música, que nunca havia transformado em canções; Byrne ofereceu-se para tentar.

Concentrados nas suas áreas, depressa perceberam estar a desenvolver uma sonoridade no campo do gospel electrónico, onde a voz tinha o papel principal mas em que a melodia não era a habitual neste género musical. Esta combinação não desagradava uma vez que ambos são, desde há muito, apaixonados por gospel.

O resultado chama-se Everything That Happens Will Happen Today, e esteve em digressão desde o Outono de 2008 nos Estados Unidos e Austrália, vindo para a Europa no início de 2009.

A palco com David Byrne (voz e guitarra) subiram Mark Degli Antoni (teclado), Paul Frazier (baixo), Mauro Refosco (percurssão) e Graham Hawthorne (bateria) e ainda 3 bailarinos e um coro composto por Kaissa, Redray Frazier e Jenni Muldaur.

O concerto agendado para 28 de Abril, no Coliseu dos Recreios, satisfez todos os fãs nacionais que há muito ansiavam por rever David Byrne!

DEPECHE MODE
Pavilhão Atlântico |14 Novembro

 

A expectativa, do tamanho da enorme sala esgotada, era quase palpável. Pouco passava das 21h30 quando Dave Gahan, Martin Gore e Andrew Fletcher subiram ao palco. Soaram os primeiros acordes de "In Chains", seguiu-se "Wrong" e "Hole to Feed". Duas horas de um alinhamento que percorreria temas do novo álbum Sounds of the Universe mas também grandes clássicos como "Question of Time", "Enjoy the Silence" e "Personal Jesus".

Uma noite de entusiasmo e ritmo que fica também marcada pela projecção de imagens, e, naturalmente, pelo tão aguardado regresso dos Depeche Mode a Portugal.

Estoril Dance Sessions | 2many djs
Salão Preto & Prata | 29 Maio

O conceito musical do projecto é inspirado em Grandmaster Flash, que fazia música a partir de extractos de outras músicas, usando apenas dois pratos e uma mesa de mistura. Recentemente receberam o desafio da BBC Radio 1 para criar um set só com introduções de músicas, a dupla esteve à altura e produziu um set de 60 minutos com 420 introduções de músicas – praticamente 1 música a cada 12 segundos - numa mistura que intitularam de Introversy.
Quem já assistiu aos seus espectáculos ao vivo, sabe que tudo é esperado desta dupla. Entre batidas mais calmas e guitarradas rock, tudo é válido para estes belgas.

Estoril Dance Sessions | Dimitri from Paris
Salão Preto & Prata | 27 Fevereiro

Dimitri From Paris foi do Casino Estoril para uma mega-festa no Salão Preto & Prata.
Nesta noite de sexta para sábado, o DJ e produtor Dimitri From Paris esteve no Salão Preto & Prata para apresentar o seu álbum, Return to the Playboy Mansion.
Mas, os maiores êxitos da sua carreira de sucesso não foram esquecidos para satisfação do grande número de fãs que o DJ tem em Portugal.
Mais uma mega-produção do Casino Estoril, onda a dança e animação propocionaram uma noite única

Embora tenha nascido na Turquia, Dimitri mudou-se para França em meados dos anos 80, ingressando na cena da música de dança. No início da década seguinte, a sua reputação já lhe tinha permitido gravar temas para grandes nomes da moda como Channel, Lagerfeld ou Gaultier. Entre 1993-94, lança dois EPs e o mini-álbum Esquisses, participando ainda numa compilação da Yellow Productions intitulada La Yellow 357.

Tornam-se nesta altura também conhecidas as suas remisturas para variadíssimos artistas como Etienne Daho, Björk, New Order e a princesa Stéphanie do Mónaco (a sua estreia na arte da remix).

Estoril Dance Sessions | Layo & Bushwacka e Dj Llorca
Salão Preto & Prata | 27 Março

Mais uma vez o Estoril Dance Sessions trouxe a Portugal os melhores DJs Mundiais, desta vez com a dupla LAYO&BUSHWACKA! e o DJ LLORCA, que  brindaram o Salão Preto e Prata com mais uma noite inesquecível.
A dupla inglesa LAYO&BUSHWACKA! tornou-se famosa na cena electrónica por criar um animado set de house com toques de breakbeat e electro psicadélicos. Juntos desde 1988, participaram nos maiores festivais electrónicos em todo o mundo.
DJ LLORCA põe a abordagem electrónica do jazz e blues na gaveta, pega nos seus discos e lança as pistas de dança numa aventura “groovy”, influenciada pela velha escola da música electrónica, marcada pelo funck e jazz.

Estoril Dance Sessions | The Glimmers
Salão Preto & Prata | 24 Abril


No dia 24 Abril de 2009, o Estoril Dance Sessions contou com a dupla belga, The Glimmers.
Com uma assinalável experiência internacional, Mo e Benoelie alinharam na mesa de misturas new beat, electronic body music, acid house, rare disco, pop, new wave, bem como alguns dos melhores clássicos da década de setenta.
Oriundos da cidade de Ghent, The Glimmers iniciaram o seu percurso em 1987, distinguindose, bem cedo, pelas suas extensas sessões aos Sábados, no “Fifty Five”, dançáveis desde as 22 horas até às oito horas da manhã.

Estoril Dance Sessions | Tiga Dj set
Salão Preto & Prata | 30 Janeiro


Num ambiente de absoluta festa e animação, DJ TIGA  percorreu os maiores êxitos da sua carreira, através dos quais foi premiado nos Juno Awards 2007 com Álbum Dance do Ano, com "Sexor". Os seus remixes de Tomas Andersson, Scissor Sisters e Felix da Housecat vão, marcaram pela  diferença em mais um mega-evento de animação e DJing do Salão Preto e Prata.

 

FEIO & FRIENDS
Auditório Acácio Barreiros | Centro Cultural Olga Cadaval | 7 Maio

 

Um concerto diferente...e mais não dizemos!

António Feio, rodeado por um grupo de amigos, decidiu formar uma banda para dar um concerto num registo descontraído, bem humorado e de grande cumplicidade com o público.

Ao todo apresentaramm um alinhamento de canções que nos marcaram a todos de forma indelével. Desde as bandas sonoras de filmes, até às canções de genéricos de séries infantis, passando ainda pelas publicidades clássicas, tudo cabe no repertório desta banda.

Tudo, tudo não é bem assim. Um dos músicos, que Feio com o seu bom feitio permitiu que fizesse parte da banda, contrariando a vontade dos outros elementos, insiste em fazer versões de músicas e solos em... Flauta de Pan.

Mas, nem esta nota dissonante conseguiu desafinar o harmonioso, fabuloso e mais outra coisa acabada em "oso"(que não nos lembramos agora), concerto dos...Feio & Friends.


Disse a Imprensa:
"A banda Feio & Friends junta músicos e amigos em palco e o resultado é um espectáculo divertido e original, que leva o público a uma verdadeira viagem ao passado e a temas marcantes", 24 Horas, 11 Agosto

"Um concerto descontraído, bem-humorado e de grande cumplicidade com o público", Destak, 23 Junho

Com António Feio e Miguel Camilo nas guitarras, Alexandre Manaia no teclado, Nuno Oliveira no baixo, Mauro Ramos na bateria, Paula Teixeira e Paulo Ramos na voz. Participação especial de Jorge Mourato.

FUEGO
Auditório dos Oceanos | 2 a 14 Março

 

Para todos os apreciadores de Flamenco e não só.

Sensual, apaixonado e apaixonante, FUEGO funde elementos de dança moderna com a ancestral pureza estética da arte Flamenca.
Com melodias de compositores imortais e um magnífico guarda-roupa, as coreografias de Joaquin Marcelo fascinam o mais céptico espectador, conquistando-o quadro após quadro.
FUEGO, da Companhia de Dança Carmen Mota, é o espectáculo para todos os apreciadores de Flamenco e não só.

Carmen Mota é uma incontornável referência do balé tradicional espanhol. Com mais de 50 anos de carreira, trabalhou com estrelas maiores como Lola Flores e Carmen Amaya, para quem assinou diversas coreografias. Em 1977 funda a sua própria companhia que, rapidamente, se internacionaliza, apresentando espectáculos por toda a Europa, Estados Unidos, Canadá e Ásia.

Em FUEGO, Carmen Mota ultrapassa-se conseguindo uma perfeita celebração dos ritmos tradicionais do Flamenco com elementos da dança moderna. Em palco, 18 bailarinos e 5 músicos/cantores interpretam compositores épicos como Karl Orff (Carmina Burana) a par com os modernos Dire Straits (Private Investigations). O cuidado guarda-roupa e o desenho de luz acentuam as impressionantes, ora intimistas ora plenas de energia, coreografias de Joaquin Marcelo.

Espectáculo em 2 actos, Fuego é assim definido pela sua criadora: “Quis familiarizar os espectadores de todo o mundo com o Flamenco, sem alienar todos os que já são apreciadores da dança tradicional espanhola. Assim, não optei apenas pela fusão de elementos a nível coreográfico, mas também o fiz no guarda-roupa e desenho de luz. Tomei a liberdade de adoptar técnicas próprias de grandes produções mundiais sem desrespeitar os valores-chave que fazem do balé espanhol um estilo único e extraordinário.”

Flamenco
Define o estilo de música, canto e dança típicos da Andaluzia. A sua origem remonta ao século XVIII, quando ciganos nómadas vindos da Índia chegaram a esta região, instalando-se e misturando-se com os habitantes locais, na sua maioria judeus e refugiados mouros, mas também escravos africanos e emigrantes retornados da América do Sul.
Em poucas décadas, a fusão dos elementos culturais destes diversificados grupos, originou uma nova sonoridade caracterizada por um canto cru ritmado pela guitarra, o cajon, as palmas e as castanholas. Em termos de movimento, originou um novo estilo onde os pés têm um papel fundamental definidor da movimentação de todo o corpo.
Mais que um estilo musical, de canto ou dança, o Flamenco tornou-se um modo de vida, um estado mágico e apaixonante que sublima a expressão corporal fundindo-a com a música, num todo indivisível.

Diz a Imprensa:
“Revolução Flamenca”, De Telegraaf (Holanda)
“Um feitiço que captura audiências”, Kolnische Rundschau (Alemanha)
“Fuego! Onde a paixão, emoção, beleza e pureza de movimentos se combinam”, Seoul Newspapers (Coreia)
“Uma companhia de dança do melhor”, Berliner Zeitung (Alemanha)

LISBOA AO PARQUE | ALEXANDRA RECORDA AMÁLIA
Noites de Fado | Parque Mayer | 9 Outubro | 21h30

No dia 9 de Outubro de 2009 o Lisboa ao Parque encheu-se da memória da rainha do fado, Amália Rodrigues, pela voz de Alexandra.

Alexandra subiu ao palco para cantar temas da autoria da própria Amália mas também outros que compunham o seu repertório internacional e ainda alguns de folclore português que costumava cantar.

Todo o espectáculo foi acompanhado pela projecção de imagens e salpicado com momentos de bailado.

LISBOA AO PARQUE | ANA MOURA
Noites de Fado | Parque Mayer | 11 Setembro | 21h30

 

Guarda-me a Vida (2003), Aconteceu (2005) e Para Além da Saudade (2007) deram a Ana Moura inúmeras distinções nacionais e internacionais, granjeando-lhe convites para se apresentar em palcos por todo o mundo.
Dia 11 de Setembro, em Lisboa ao Parque, a fadista apresentou os mais emblemáticos temas da sua carreira mas também temas de Fausto, Amélia Muge e Nuno Miguel Guedes, sem esquecer Jorge Fernando, produtor musical e autor/compositor de alguns dos fados de Para Além da Saudade.

LISBOA AO PARQUE | ANTÓNIO ZAMBUJO
Noites de Fado | Parque Mayer |28 Agosto | 21h30

 

António Zambujo apresentou Outro Sentido, disco seleccionado pelo Libération como uns dos dez melhores do ano de 2008 na categoria de World Music e considerado "Top of the World Album" pela reputada revista SONG LINES.
Visto como uma das novas revelações da Música Portuguesa da época e aplaudido pela crítica nacional e internacional, António Zambujo brilhou no Cool JazzFest/09  no mês de Julho, onde teve Ivan Lins como convidado especial. Também em Julho, António Zambujo actuou na Casa da Música, inserido  no Festival "Uma Casa Portuguesa". Ambos os espectáculos se pautaram pelo sucesso,  com o jovem intérprete a conquistar o público e a crítica.
www.antoniozambujo.com

LISBOA AO PARQUE | BEL CANTO LATINO
Noite de Música Clássica | Parque Mayer | 27 Setembro | 21h

 

No dia 27 de Setembro de 2009 o Lisboa ao Parque recebeu Bel Canto Latino com uma homenagem ao projecto três tenores: Luciano Pavarotti, José Carreras e Plácido Domingo. 

Em Bel Canto Latino, os cantores líricos Tiago Sepúlveda, Francisco Lobão e Pedro Alexandre Correia interpretaram uma combinação de canções Napolitanas e repertório emblemático latino.

Para completar este dinâmico espectáculo musical, os Bel Canto Latino estiveram acompanhados pelas coreografias dos excepcionais Alunos de Apolo.

LISBOA AO PARQUE | CARMINHO
Noite de Fado | Parque Mayer | 18 Setembro | 21h30

 

Carmo Rebelo de Andrade é Carminho, a jovem fadista de apenas 24 anos. Em 2005, foi distinguida com o Prémio Revelação Feminina pela Fundação Amália Rodrigues e entre colaborações e participações já se apresentou ao vivo em vários países.
O seu álbum de estreia, FADO, foi editado no passado mês de Junho de 2009 e tem merecido os mais rasgados elogios, bem como, a entrada directa para o 2º lugar do top de vendas nacional.
FADO conta com a participação dos melhores músicos nacionais de fado como Diogo Clemente (produtor e viola), Ricardo Rocha, José Manuel Neto, Bernardo Couto e Ângelo Freire (guitarra portuguesa), Marino de Freitas (viola baixo) e do contrabaixista Carlos Barretto, numa participação especial no tema Espelho Quebrado.
Dia 18 de Setembro o público emocionou-se com Carminho em Lisboa ao Parque.

LISBOA AO PARQUE | CASA CLÁSSICA PORTUGUESA
Noites de Música Clássica | Parque Mayer | 4 Outubro | 21h

 

Dia 4 de Outubro de 2009, Lisboa ao Parque viajou no tempo num espectáculo apresentado pela Casa Clássica Portuguesa.

Em palco, seis cantores líricos, trajados a rigor, recriaram uma época e interpretaram canções populares portuguesas como Casa Portuguesa, O Amor é Cego e Vê ou Leitaria Garrett, bem como um Motete (medley de temas populares portugueses): Uma opereta à portuguesa com muita pompa e circunstância.

Com direcção artística e musical de Yolanda Soares, Casa Clássica Portuguesa foi interpretada por: Sofia de Castro (soprano), Juliana Mauger (mezzo soprano), Carolina Figueiredo (mezzo soprano), Tiago Sepúlveda (tenor), Pedro Correia (barítono), João Miranda (baixo), Abel Chaves (piano) e Miguel Menezes (contra-baixo).

Um programa bem português para toda a família!

LISBOA AO PARQUE | CEBOLA MOL
Noite de Comédia | Parque Mayer | 9 Setembro | 21h

Depois de alguns anos semi-desaparecidos, eis que em 2009, quase 9 anos depois da bombástica estreia na Rádio Comercial, a maior banda de comedy rock do mundo regressou com um novo disco (O FIM DOS CEBOLA MOL), um novo livro (sim, eles sabem escrever), um novo espectáculo e muito, muito humor. Com 2 discos de originais já editados, o inacreditavelmente parvo SAMBA ROULOTE (EMI 2001) e o incrivelmente idiota ANDROID POLAROID (Indepdendent Records, 2003) e mais de 250 concertos entre 2001 e 2005 os Cebola continuaram a ser um fenómeno de popularidade e uma das bandas com mais força em cima do palco que alguma vez apareceu no hemisfério norte.

O espectáculo dos Cebola Mol é um verdadeiro festival de canções idiotas, um desfile de piadas carregadinhas de um nonsense muito peculiar, danças etnográficas algo preocupantes e coreografias completamente destrambelhadas. Enfim, uma performance que não deixa ninguém indiferente. Um grande show de comedia e músiqueta.
 
Os velhos e novos fãs de Cebola puderam ver os irmãos Stardust a interpretarem os velhos hits, como Jóli (És O Cão da Malta), Pessoal do Meu Bairro, Os Mês Irmões Baterem-me, Ai Que Lindo Fadinho, Queixadas, Maradonna El Rei Del Rock, Libertem o Pacote Laboral, etc., tiveram também oportunidade de ouvir as novas cançonetas e as novas piadas que Eddie e Phil Stardust (Eduardo Madeira e Filipe Homem Fonseca) trouxeram na cartola.
 
Os Cebola Mol prepararam-se para fazer o maior espectáculo jamais visto no nosso pais... dentro do género.

 

LISBOA AO PARQUE | CRISTINA BRANCO
Noite de Fado | Parque Mayer | 2 Outubro | 21h30

 

Começou a cantar por acaso, num serão entre amigos, e tornou-se numa das vozes maiores da música portuguesa, reconhecida nacional e internacionalmente. Kronos é o seu nono álbum e reúne temas inéditos compostos por grandes autores como José Mário Branco, Sérgio Godinho, Amélia Muge, Rui Veloso, Vitorino, Janita Salomé, Victorino d’Almeida, Mário Laginha, Carlos Bica, João Paulo Esteves da Silva e Ricardo Dias.

Acompanhada por Bernardo Couto na guitarra portuguesa, Alexandre Silva na viola de fado, Fernando Maia na guitarra baixo e Ricardo Dias no piano, Cristina Branco apresentou Kronos, dia 2 de Outubro de 2009, no Lisboa ao Parque.

LISBOA AO PARQUE | DA WEASEL
Inauguração | Parque Mayer |19 Agosto | 21h

 

Formaram-se em 1993 e já contam - em 2009 - com 9 álbuns editados (7 originais e 2 ao vivo) e variados prémios musicais. São uma das bandas mais famosas e influentes do país, arrastando multidões de fãs para os seus concertos.
Em dia de inauguração do Lisboa ao Parque, os Da Weasel não poderiam faltar.

LISBOA AO PARQUE | DEOLINDA
Noite Grande Concerto | Parque Mayer | 29 Agosto | 21h30

 

Há uma longa série de clichés associados ao fado. Por exemplo, o fado tem que ter guitarra portuguesa. Os Deolinda não usam guitarra portuguesa. Ou, o fado tem que ser sisudo, sério, compenetrado, fatalista e triste. Os Deolinda não são nada disso. Ou ainda, o fado não pode ser dançado. E dança-se com os Deolinda. Ou, para terminar, a fadista tem que vestir de preto, como se estivesse no seu próprio funeral. Ana Bacalhau, a voz dos Deolinda (a Deolinda, ela própria?), veste roupas garridas, alegres, coloridas.
Mas os Deolinda são... fado, apesar disso tudo, e são muito mais que fado, por causa disso tudo e de tudo o mais que a sua música contém.

LISBOA AO PARQUE | EDUARDO MADEIRA
Noite de Comédia | Parque Mayer |26 Agosto | 21h

 

Humorista, iniciou a carreira a escrever nas Produções Fictícias. Foi também autor e actor nos Contemporâneos (RTP1) e  co-autor e co-intérprete da rubrica Caixilhos e Laminados, na Rádio Comercial. Com Filipe Homem Fonseca escreveu a peça A Verdadeira Treta e partilha o projecto Cebola Mol, a mais famosa banda de nerdrock nacional,.
Nos tempos livres, faz espectáculos de stand-up comedy de Norte a Sul do país.

LISBOA AO PARQUE | FERNANDO MENDES – PESO CERTO
Noite de Comédia | Parque Mayer | 23 Setembro | 21h

 

Fernando Mendes no Lisboa ao Parque com PESO CERTO, um espectáculo que trouxe da televisão para os palcos a performance de um apresentador/comediante singular muito acarinhado pelo público português. 

PESO CERTO com Fernando Mendes, Cristina Areia, António Vaz Mendes e Luís Portugal. 

LISBOA AO PARQUE | FITAS NA RUA
Parque Mayer | 13 Setembro | 21h

 

O Fitas na Rua apresenta, desde 18 de Julho, salas de cinema em locais inesperados da cidade Lisboa. As exibições têm acontecido em sítios tão surpreendentes como jardins, largos ou miradouros. Para completar este imprevisto ciclo de cinema num dos lugares mais emblemáticos da cidade, o Fitas na Rua encerra no Lisboa ao Parque (Parque Mayer).
Dia 13 de Setembro, às 22h, exibimos dos seguintes filmes:

CURTA-METRAGEM
CINEMA AMOR de Jacinto Lucas Pires
Portugal, 1999, Ficção, 16´ - Artistas Unidos
Elenco: António Simão, Sylvie Rocha, Manuel Wiborg, Bruno Bravo, Rita Durão
Joaquim é um romântico empregado de supermercado. Tem como único amigo Gaspar, que fala quase só por citações cinéfilas. Nos tempos livres, passeia pela cidade à procura da mulher certa. Mas quando a encontra, ela atira-se de uma varanda. Segue-se então uma dança como num musical e uma óbvia surpresa. Trata-se de um filme sobre a beleza e glória que há nas más histórias de amor.

FILME
O DESPREZO de Jean-Luc Godard
LE MÈPRIS - França, 1963, Ficção, 98´
Elenco: Brigitte Bardot, Michel Piccoli, Jack Palance, Fritz Lang, Giorgia Moll, Jean-Luc Godard, Linda Veras
Um escritor perdeu toda a confiança em si próprio. Aceita reescrever o guião de uma adaptação da Odisseia do realizador Fritz Lang. Camille, mulher do escritor começa a revelar sinais de descontentamento. Ficção e realidade encontram-se ligadas e impõe-se um paralelo entre o escritor, Camille, o produtor e as personagens da Odisseia...Fritz Lang prossegue as filmagens...tendo Jean-Luc Godard como assistente...

 

LISBOA AO PARQUE | FRANCISCO MENEZES
Inauguração | Parque Mayer | 19 Agosto | 20h20

 

Uma das 7.200 melhores vozes de Portugal. Música e comédia aliaram-se num espectáculo que é foi verdadeiro espectáculo, e vice-versa. Numa só palavra: "docaraças!!!"
Notabilizou-se pelas suas participações no Levanta-te e Ri (SIC), mas também já esteve na RTP e TVI; antes disso, fez rádio e cantou em casinos. É o mais excitante artista português ao vivo, depois de Ana Malhoa.  Francisco Menezes é um nome que ainda vai dar muito que falar, principalmente se conseguir perder um quilito e meio.

LISBOA AO PARQUE | HERMAN JOSÉ
Noite de Comédia | Parque Mayer | 2 Setembro | 21h

 


Longe vão os tempos em que Herman José dava os primeiros passos da sua carreira, tocando viola baixo ao lado do maestro Pedro Osório. No pós 25 de Abril, estreia-se no Parque Mayer na revista Uma No Cravo, Outra Na Ditadura.  O seu sucesso sucesso fez com que Nicolau Breyner o convidasse, em 1975, para parceiro na dupla Feliz e Contente.

Desde então, não mais parou, assumindo-se como o “verdadeiro artista”. Teatro, cinema, rádio e televisão são áreas onde marcou pontos... sem nunca esquecer a música.

Dia 2 de Setembro de 2009, Herman José regressou ao Parque Mayer para apresentar a sua  aventura. Adeus Vou Ali Já Venho é o seu disco, onde recupera temas antigos como "Mentirosa", "O Meu Automóvel" ou "Apaixonada”, que o maestro Pedro Duarte orquestrou ao melhor estilo swing.

LISBOA AO PARQUE | HOMENS DA LUTA
Noite de Comédia | Parque Mayer | 30 Setembro | 21h

 

A Luta Continua - Dá-lhe Falâncio

Neto e Falâncio são os Homens da Luta, personagens humorísticos do programa da SIC Radical, Vai tudo abaixo. As suas vidas regem-se pelos valores de Abril de 1974 e desde da indumentária ao vocabulário, tudo remete o público para esse período da história do nosso país. É como se estes dois personagens tivessem saído de uma máquina do tempo, um a vociferar ao megafone sobre os direitos da classe operária e o outro a cantar o inconfundível “kirikirikirkirki”,  imagem de marca desta dupla.

Nos últimos 3 anos, Neto e Falâncio tornaram-se incontornáveis no panorama do humor português tendo conquistado o reconhecimento do público e da crítica. O sucesso deste original sketche motivou os irmãos Nuno e Vasco Duarte,  autores, a criar um espectáculo  de comédia musical, A Luta Continua - Dá-lhe Falâncio, que transporta para o palco as incursões televisivas de os Homens da Luta. Para isso, a dupla formou uma banda inspirada na riquíssima tradição musical deste período histórico, com repertório de Zeca Afonso a Francisco Fanhais, de José Mário Branco a Manuel Freire, criando uma viagem no tempo que mistura a comédia, a música e as imagens da época num espectáculo que é um autêntico acontecimento revolucionário.

Disponível na internet, “E o povo, pá?” é o primeiro videoclip da banda. Foi com este tema que Os Homens da Luta venceram o 1º Festival Alternativo da Canção, garantindo a sua presença, dia 16 de Maio, em Moscovo, em representação de Portugal no Festival Eurovisão da Canção.

O Lisboa ao Parque participou na “revolução” de A Luta Continua - Dá-lhe Falâncio!

http://www.youtube.com/watch?v=oY2OSKljvyE

LISBOA AO PARQUE | JORGE FERNANDO TRIO
Noite de Fado | Parque Mayer | 25 Setembro | 21h30

 


Jorge Fernando estreou o seu disco no dia 25 Setembro de 2009, no Lisboa ao Parque, Jorge Fernando (voz e viola), acompanhado de Fábia Rebordão na voz, Custódio Castelo na guitarra portuguesa e alguns convidados surpresa propocionaram uma noite de encanto.

LISBOA AO PARQUE | JUST GIRLS
Noite de Grande Concerto | Parque Mayer | 10 Outubro | 21h30

 

Após o sucesso do concerto no Campo Pequeno, as Just Girls regressaram a Lisboa para mais um espectáculo cheio de energia, dança e músicas que atravessaram a ficção da série Morangos com Açúcar, até aos palcos nacionais.

Kiara, Diana, Ana Maria e Helga, protagonizaram momentos onde interpretaram temas dos dois discos de originais "Just Girls" e "Play Me", assim como as coreografias de "Canta e Dança com Elas", à semelhança do que acontece no DVD "Ao Vivo no Campo Pequeno".

Desta vez, foi o emblemático Parque Mayer o local de encontro com a banda feminina de maior sucesso da altura.

LISBOA AO PARQUE | LISBON FILM ORCHESTRA
Noite de Música Clássica | Parque Mayer | 6 e 20 Setembro | 21h

 

Dia 20 de Setembro o Lisboa ao Parque recebeu a banda sonora da sua vida tocada pela Lisbon Film Orchestra.

Dos clássicos aos contemporâneos, o registo vai percorrer grandes temas de filmes de animação e fantasia como Ratatouille e Feiticeiro de OZ, dramas históricos como A Missão,  de aventura como Indiana Jones e o Jurassic Park, perigosos ao estilo do King Kong ou musicais como Chicago.

A Lisbon Film Orchestra, dirigida pelo Maestro Nuno Sá e, para este espectáculo, foi composta por 34 músicos.

LISBOA AO PARQUE | MAFALDA VEIGA
Noite de Grande Concerto | Parque Mayer | 12 Setembro | 21h30

 

Depois de ter esgotado o Coliseu dos Recreios em Janeiro de 2009 e de uma digressão nacional de sucesso, Mafalda Veiga regressou a Lisboa com ESTRADA. Baseado no seu mais recente álbum da altura, CHÃO, neste espectáculo a canta-autora não esqueceu outros temas da sua carreira. Neste seu reencontro com a capital, Mafalda Veiga prometeu e  "uma noite para comemorar que faça com que o Verão e as férias levem um pouco mais tempo a chegar ao fim”, e cumpriu.


Ao seu lado, em palco, António Pinto (guitarra acústica, guitarra dobro e coros), João Barbosa (guitarra eléctrica, guitarra dobro e coros), Filipe Raposo (piano, Wurlitzer, Fender Rhodes e coros), Paulo Jorge Ferreira (baixo) e Miguel Casais  (bateria). Ainda, os convidados Lars Ahrens (trombone e eufónio), Johannef Kriegger (fluggel e trompete), João Carlos (trompa) e Miguel Ferreira (philicorda).

LISBOA AO PARQUE | NILTON & LISBON FILM ORCHESTRA
Parque Mayer | 11 Outubro | 20h20

 

Dia 11 de Outubro de 2009  convidámo-lo a ir ao Lisboa ao Parque rir-se às bandeiras despregadas com Nilton, um dos precursores da stand-up comedy em Portugal!

Quer saber mais sobre Nilton? Actua para as maiores empresas nacionais e multinacionais, já editou livros e DVDs, fez rádio, criou e apresentou programas de televisão. Em 2006, fundou um canal de televisão na internet, a Nilton TV, e, neste momento, dedica-se ao projecto de música e humor Maria Amélia e ao talk-show “5 Para a Meia-Noite” que apresenta  às 4ªs, na RTP2. No futuro, Nilton pretende descobrir se as batatas doces sofrem ou não de diabetes...

E depois, para  que a sua noite terminasse em grande, convidámo-lo também a ouvir a  banda sonora da sua vida tocada pela Lisbon Film Orchestra.

Dos clássicos aos contemporâneos, o registo desta noite percorreu  grandes temas de filmes tão divertidos como Mamma Mia ou Madagáscar, de suspense e terror como Psycho, aventureiros como Piratas das Caraíbas, intensos como A Lista de Schindler ou ritmados  como Grease.

A Lisbon Film Orchestra, dirigida pelo Maestro Nuno Sá e, para este espectáculo, esteve composta por 34 músicos.

LISBOA AO PARQUE | NOITES DE DANÇA
Noite de Dança | Parque Mayer | 20, 27 Agosto | 3, 10, 17, 24 Setembro | 1, 8 Outubro

 

Noite de Dança com Alexandra e Tinita (Dança Comigo/RTP)
Alexandra e Tinita assinaramm a coreografia de um espectáculo de Danças de Salão, Latinas e Clássicas. Neste, 12 dançarinos apresentaram estilos diferentes desde o Samba ao Merengue, do Jive ao Quick Step, sem esquecer o Cha-Cha-Cha, Rumba Cubana, Paso Doble, Rock’n’Roll, Valsa Vienense, Slow Fox Trot, Disco, Tango e Salsa.

Este espectáculo contou ainda com a participação de Marco de Camillis que coreografou "Gaivota", um tema dos The Gift incluído no álbum Amália Hoje.

No dia 24 de Setembro - Convidados especiais Pedro e Ricardo Guedes dançaram Jive

LISBOA AO PARQUE | ÓPERA VIVA
Parque Mayer | 30 Agosto


Quando se fala em Ópera, ouve-se dizer muitas vezes "que aborrecido."
Mas imaginemos as melhores e mais bonitas árias encadeadas num único espectáculo...como se de uma ópera só se tratasse.
As personagens de diferentes óperas cruzaram-se e criaram um novo espectáculo. Envolvente e dinâmico.

Cantores:
Yolanda Soares - Soprano
Juliana Mauger - Mezzo Soprano
João Azevedo - Tenor
Diogo Oliveira - Barítono
Pedro Alexandre Correia - Barítono
Pianista - Marina Dellalyan
Actores/Bailarinos- Alexandre Fernandes e Carlos Martins

ÁRIAS:
Barcarolle (Belle nuit ô nuit d'amour) - Les Contes D'Hoffmann - Jacques Offenbach
La Vendetta - Bodas de Figaro - Mozart
Pa-pa-pa-pa - Flauta Mágica - Mozart
La Donna é Mobile - Rigoletto - Verdi
Habanera (L'amour est un oisseau rebelle)- Carmen- Bizet
Votre Toast -Carmen- Bizet
Seguidilla ( Près des remparts de Séville) - Carmen - Bizet
Non più andrai - Bodas de Figaro - Mozart
Quando m'en vo soletta per la via - La Bohème - Puccini
La ci darem la mano -Don Giovanni - Mozart
Oh Mimì, Tu Più Non Torni - La Bohème -Puccini
Bella siccome un angelo- Don Pasquale-Donizetti
Giovinette che fate all'amore - Don Giovanni - Mozart
Bella figlia dell'amore - Rigoletto - Verdi
Brindisi (Libiamo ne'lieti calici) - La Traviata - Verdi

 

LISBOA AO PARQUE | PAULO GONZO
Noite de Grande Concerto | Parque Mayer | 26 Setembro | 21h30

 

Paulo Gonzo, cantor e compositor, é uma referência obrigatória da música pop portuguesa dos últimos 20 anos. O álbum Perfil reuniu os melhores temas da sua carreira, acrescentando 2 inéditos: «Leve Beijo Triste», um dueto com Lúcia Moniz, e «Call Girl», tema principal do filme de António Pedro Vasconcelos.

Com a segurança de quem soube conquistar o seu espaço na música portuguesa e de quem conhece o encanto das histórias que canta em temas como ‘Sei-te de Cor’, ‘Falamos Depois’, ‘Jardins Proibidos’, ‘Acordar’, ‘Dei-te Quase Tudo’ ou ‘So do I’, Paulo Gonzo apresentou Perfil no dia 26 de Setembro de 2009, no palco do Lisboa ao Parque.

LISBOA AO PARQUE | PEDRO ABRUNHOSA
Noite Grandes Concertos | Parque Mayer | 19 Setembro | 21h30

 

Há algum tempo ausente dos palcos da capital, Pedro Abrunhosa regressou a Lisboa com uma nova banda e um... segredo!
Fazer O Que Ainda Não Foi Feito na altura, era a mais recente criação de Abrunhosa, que foi apresentada por todo o país, numa digressão que tem rendido fãs e recolhido as melhores críticas ao desempenho dos Komité Kaviaré, ou seja, de Marco Nunes e Paulo Praça (guitarra), Cláudio Souto (teclas), Edgar Caramelo (saxofone), Miguel Barros (baixo) e Pedro Martins (bateria). 
Dia 19 de Setembro, em exclusivo, Abrunhosa revelou o primeiro single do que seria o seu próximo disco de originais, a lançar no final desse ano. Do alinhamento fizeram ainda parte temas de grandes autores como Leonard Cohen e Lou Reed.

LISBOA AO PARQUE | PEDRO MOUTINHO
Noite de Fado | Parque Mayer | 4 Setembro | 21h30

Pedro Moutinho acredita que “o fado é como a vida e que para construir uma carreira é preciso viver”. Estreou-se com Primeiro Fado, depois seguiu-se Encontro e apresentou Um Copo de Sol, um álbum que surgiu num momento de celebração após ter recebido o reconhecimento dos seus pares com a atribuição do Prémio Amália em 2008, que o confirmou como um dos mais seguros valores da nova geração do fado.

Em Um Copo de Sol, Pedro Moutinho rodeou-se de grandes poetas – Pedro Tamen, Aldina Duarte, Manuela de Freitas –  e cantou melodias imaginadas por Rodrigo Leão, Tiago Bettencourt, Amélia Muge e Pedro Campos, com a segurança de quem conhece o fado de forma íntima e profunda.

 

LISBOA AO PARQUE | PEDRO TOCHAS | O PALHAÇO ESCULTOR
Noite de Comédia | Parque Mayer | 7 Outubro | 21h

 

Em o Palhaço Escultor, Pedro Tochas comunica sem falar, construíndo imagens com os movimentos do próprio corpo e com as esculturas de balões que vai manipulando. Com recurso às técnicas de teatro físico e de rua, bem como ao ambiente do cinema mudo, o Palhaço Escultor relaciona-se com o que o rodeia e com o público, emocionando-se a cada momento, quase esquecendo que está em palco.

Aplaudido pelo público, o Palhaço Escultor venceu o Adelaide International Buskers Festival (2006) e o prémio The Biggest Fool (2003) para melhor espectáculo de rua no Streets of Fools (Festival Internacional de Teatro de Porsgrunn ( http://www.pit.no/ ), Noruega). Em 2008, obteve o prémio para Melhor Número no Landshuts Internationales Stadtspektakel (Alemanha), seguindo-se uma digressão internacional que visitou o Canadá, Noruega, Inglaterra, Alemanha, Escócia, Suécia e Irlanda. Dia 7 de Outubro de 2009,  Pedro Tochas - O Palhaço Escultor terminou esta digressão no palco do Lisboa ao Parque. 

LISBOA AO PARQUE | RAQUEL TAVARES
Noite de Fado | Parque Mayer | 21 Agosto | 21h30

 

BAIRRO (2008) é um álbum que documenta uma série de momentos fulcrais no percurso musical da fadista Raquel Tavares. Só ela terá a chave para abrir cada um dos segredos que aqui se encerram, mas o segredo que já deixou de o ser é que Raquel Tavares, vencedora do Prémio Relevação Amália Rodrigues 2006, já não é apenas uma voz que promete muito. Aqui, em Bairro, é onde ela se começa a cumprir.
Raquel Tavares esteve acompanhada por Eurico Machado (guitarra portuguesa), Marco Oliveira viola de fado) e Fernando Araújo (viola baixo).

LISBOA AO PARQUE | REVIVER MOZART
Parque Mayer | 23 Agosto

Árias incomparáveis numa encenação que nos transportou ao século XVIII. Ideal para a família!

LISBOA AO PARQUE | RITA GUERRA
Noite de Grande Concerto | Parque Mayer | 22 Agosto | 21h30

 

O Melhor de Rita Guerra-Acústico Ao Vivo foi editado em Dezembro de 2008 e resume os quase 20 anos de carreira desta cantora. Duplo de platina, este álbum é a base do mais recente espectáculo da artista da altura.
Em Lisboa ao Parque pôde conehecer O Melhor de Rita Guerra!

LISBOA AO PARQUE | RUI VELOSO
Noite de Grande Concerto | Parque Mayer | 3 Outubro | 21h30

 


O Pai do Rock Português subiu ao palco do Lisboa ao Parque no dia 3 de Outubro às 21h30 de 2009. O criador de “Chico Fininho” trouxe na bagagem a retrospectiva do seu repertório para um grande concerto onde fez uma “Jura” que se iriam ecoar as memórias de “Porto Côvo”, sendo possível que também houvessem Estrelas no Céu.

LISBOA AO PARQUE | SUPER MULHER
Noite de Comédia | Parque Mayer |16 Setembro | 21h

 

Ana Brito e Cunha faz rir muito a sério com as duras realidades do dia-a-dia de uma mulher igual a tantas outras com que nos cruzamos nos seus papéis de colegas, amigas, filhas, mães... enfim, de SUPER MULHER!
Os monólogos enérgicos, mas recheados de ternura, conseguem traduzir de forma brilhante as pequenas misérias e também as grandes lutas quotidianas das mulheres. Super-Mulher, um espectáculo recheado de humor feminino... para todos os públicos!

LISBOA AO PARQUE | TRIO KüHN, VITOUS, HUMAIR
Noite de Grande Concerto | Parque Mayer | 5 de Setembro | 21h30

 

Joachim Kuhn, Miroslav Vitous e Daniel Humair são três das maiores figuras históricas do jazz europeu. Individualmente, são referências neste género musical, tendo contribuído decisivamente para tornar o jazz no que este é hoje. Olhando para os seus percursos, parece já terem feito tudo e com todos, mas têm a profunda convicção de que há muito mais a conquistar. No dia 5 de Setembro de 2009, inseridos no Festival Jazz.PT, apresentaram-se no Lisboa ao Parque, não para comemorar os seus feitos do passado, mas para darem um novo passo em direcção ao futuro...

MONÓLOGOS DA VAGINA
Auditório dos Oceanos | 26 Maio a 26 Julho | Digressão pelo país

 

Ana Brito e Cunha, Guida Maria e São José Correia partilharam histórias ao mesmo tempo comoventes e divertidas.

Escrita em 1996 por Eve Ensler, Os Monólogos da Vagina é uma peça de sucesso mundial, com apresentações em mais de 119 países e traduzida em mais de 45 línguas. Baseada em entrevistas realizadas pela autora a mais de 200 mulheres de todo o mundo e diversas realidades, a peça narra histórias do quotidiano feminino, revelando intimidades, vulnerabilidades, temores e vitórias próprias deste universo.

Com um título propositadamente irreverente, a peça pretendia chamar a atenção para assuntos tão particulares como a violação, a menstruação, a mutilação, o prazer, as infidelidades conjugais ou as terapias de grupo. 

Já protagonizada por actrizes como Jane Fonda, Whoopi Goldberg, Susan Sarandon, Oprah Winfrey ou Meryl Streep, estreou em Portugal em Outubro de 2000 com interpretação de Guida Maria e obteve um grande sucesso.

MÚSICA no Arena Lounge
Palco Multi-Usos

Diariamente, actuaram no Arena Lounge do Casino Lisboa:

3 Pack
80 à Hora
Akunamatata
Anna & The Goodfellas
Balangandã
Bando à Margem
Banho Maria
Black Rose
Boogie Nights
Buffalo Soldiers
Chauffer Navarrus
Chill Bill 
City Delight
Clara Ghimmel
Cool Jam
Corsage
Dynamite
Elle
Funk&Soul Collective
Garage Ensemble
Global Quartet
Groovalistas
Jazz me Brown
Jazzafari (João Mendes)
Jim Dungo
Li’lTwister
Light
Lisboa Não Sejas Francesa
Manif3stos
Maria Anadon
Olissipo Eléctrico
PIM PAM PUM
Playground
Quinteto Jazz Lisboa
Slowhand
Sylvie C
Terrina Band
Terrina Trio
The Soaked Lamb
Tributo aos Xutos & Pontapés
Trio Naranjus
Vira-Lata
Voodoo Marmelade
XL Femme

MÚSICA no Lounge D

Diariamente, actuaram no Lounge D do Casino Estoril: 

Anna & The Goodfellas
Black Rose
Boogie Nights
Bus Stop
Chauffeur Navarrus
Check Out
Clara Ghimel
Corsage
Dynamite
Freakassé
French Swing Café
Gamalataki
Garage Ensemble
Gatos Vadios
Groove Box
Habacuque
Jazz Me Brown
Jazzafari
Magma
Maria Anadon
No Stress
Olissipo Electrico (jazz fusão)
Pedro Pestana
Plug 'n Play
Pop'Art
Ram Gang
Rockoff
Roma
Satisfaction
Skape Blues Band
Space Invaders
Suzie Velvet
Sylvie C com “French Jazz Café”
The Lucky Duckies
Trifene
Trio Naranjus
What?!
White Room
Xl Femme
Zoey Jones Quartet

RAPAZES NUS A CANTAR
Auditório Casino Estoril | 9 Novembro a 19 Dezembro

 

Rapazes nus a cantar... Será que o título diz tudo?      

O elenco de Rapazes Nus a Cantar dançava, cantava e representava  livre de convenções, concentrando-se na sua arte e nos temas originais que trazia a palco.

A partir de uma ideia base de Robert Schrock, Rapazes Nus a Cantar é uma comédia musical, ao melhor estilo Vaudeville, que celebra o esplendor da nudez masculina.

Com dez anos de existência na altura  fez furor junto de públicos variados, surpreendendo todo o mundo e provando que o talento não se mede pelo guarda-roupa do artista.

, "Rapazes Nus a Cantar" estreou em 1999 no The Actor's Playhouse, um teatro Off-Broadway. Desde então, o conceito espalhou-se pelo mundo com produções em Roma, Sidney, Cidade do Cabo, Londres, Oslo, Amesterdão, Hamburgo, Joanesburgo, Madrid, Paris e Tóquio, para além das produções em diversas cidades dos Estados Unidos, como Houston, São Francisco, Forte Lauderdale, Portland, Chicago e São Diego.

Direcção, Tradução e Adaptação | Henrique Feist
Direcção Musical | Nuno Feist
Coreografia | Paula Careto
Cenografia | Carlos Mendonça
Desenho de Luz | Paulo Sabino
Direcção Vocal | Sara Belo
Elenco | Alexandre Ferreira, Hugo Goepp, Hugo Martins, João Carvalho, Nuno Martins, Pedro Pernas, Pessoa Júnior, Ricardo Spínola

Reveillon Casino Estoril | Herman José e Pedro Abrunhosa & Comité Caviar
Lounge D | Salão Preto e Prata

  
Herman José, entre o colorido das suas personagens, a loucura do seu "stand up" e o ritmo dos seus muitos êxitos musicais, temperados por uma mini/big band, composta por oito dos melhores músicos portugueses e dirigida pelo maestro Pedro Duarte, apresentou Vou Ali, Já Venho, um cocktail explosivo a que ninguém conseguiu ficar indiferente.
 
Do charme de "Serafim Saudade" ao portismo de "Estebes", da singeleza de "Maximiana" ao colorido de "Nelo", passando pelas inúmeras histórias e recriações vividas ao longo de mais de trinta anos a percorrer os palcos de todo o mundo, ninguém ficou indiferente à arte humorística e musical do criador do "Tal Canal".
 
"Adeus Vou Ali, Já Venho", para além de título do seu  disco, é também o nome do espectáculo hilariante e inesquecível, que marcou o regresso do nosso maior humorista aos espectáculos ao vivo, e que lhe proposumos para a noite de Passagem de Ano como vacina contra todos os pessimismos.

Imaginava melhor maneira de começar o novo ano ? 
Nós também não!


Pedro Abrunhosa, acompanhado pela sua nova banda, os Comité Caviar (Paulo Praça e Marco Nunes nas guitarras, Cláudio Souto nas teclas, Edgar Caramelo no saxofone, Miguel Barros no baixo e Pedro Martins na bateria), recordarou as canções mais emblemáticas da sua carreira, assim como temas de compositores referenciais, entre eles Leonard Cohen, Prince ou Serge Gainsbourg.
Esta, tornou-se numa noite memorável.

Reveillon Casino Lisboa | Deolinda & Aldo Lima
Arena Lounge | 31 Dezembro

 

A UAU e Casino Lisboa convidaram-no a passar a noite de fim de ano com  Aldo Lima e os Deolinda!


Aldo Lima é um dos pioneiros da Stand-Up Comedy em Portugal. Conhecido do público, tem sido convidado para diversos projectos, desde o programa “Levanta-te e Ri” (SIC) ao actual “Clube de Comédia”.

O som dos Deolinda revoluciona todos os clichés associados ao fatalismo do fado mas ainda assim...é fado. 

Rodrigo Leão
Salão Preto & Prata | 5 Junho

RODRIGO LEÃO
Apresentou Mãe, o seu projecto de 2009.

Rodrigo Leão apresentou o álbum, «A Mãe», num espectáculo especial no Casino Estoril com o Cinema Ensemble que contou com a presença da Sinfonieta de Lisboa, que também participou no trabalho. Dono de uma das mais interessantes discografias do nosso país, o músico e compositor Rodrigo Leão tem conhecido o sucesso dentro e fora de portas, facto que lhe tem permitido ter convidados de peso nos seus discos, como aconteceu com Ryuichi Sakamoto ou Beth Gibbons (Portishead).

O Cinema Ensemble passou para o palco momentos seleccionados da aplaudida carreira de Rodrigo Leão, onde se contam êxitos como «Voltar» ou «Solitude» que contribuíram para o arrebatamento de plateias em todo o mundo, e, claro, repertório mais recente como «Vida Tão Estranha» ou «One Day», marcantes na banda sonora da super-produção «Equador», bem como alguns momentos altos da recente digressão.

Nas melodias de Rodrigo adivinham-se tradições e modernismos, arranjos sofisticados e tendências pop, numa combinação que é, a um tempo, perfeitamente única e mágica.

 «A Mãe», título com que Rodrigo Leão homenageia as raízes e o mais puro dos amores. Com material composto em locais tão distantes como Goa ou Nova Iorque, o novo álbum é descrito por Rodrigo Leão como «mais vincadamente melancólico». Ao vivo, com Celina da Piedade, Ana Vieira, Viviena Toupikova, Marco Pereira, Bruno Silva, Luís Aires e Luís San Payo, o encantamento prossegue.

Dia 5 de Junho, o Salão Preto & Prata conhecue uma nova disposição da sua plateia, em anfi-teatro e sem mesas, recebeu em primeira mão o novo projecto de Rodrigo Leão, que se apresentou acompanhado dos Cinema Ensemble, Sinfonieta de Lisboa e 2 convidados internacionais.

Sky Fest | Edson Cordeiro
Auditório dos Oceanos | 14 Maio

 

Edson Cordeiro é um daqueles casos raros de sucesso estabelecido antes da gravação de um álbum. A cantar desde os sete anos, Edson fez parte de vários coros de igreja, reconhecendo a influência destes na estética que adoptou posteriormente no seu trabalho.
Ecléctico, é por muitos considerado um “músico de culto”, devido à sua abrangência  e à-vontade em géneros tão diversos como a ópera, o rock, a MPB, o funk, o gospel, o jazz, o flamenco e o samba, cantando em português, inglês, francês, espanhol e alemão.
Depois do sucesso no Brasil, Edson Cordeiro conquistou a Europa, apresentando-se em numerosos palcos e festivais, como o Festival de Montreaux e o North Sea Jazz Festival.
Com os Klazz Brothers, 3 virtuosos músicos de Dresden em constante busca de novas abordagens na interpretação das peças mais clássicas e sua adaptação à sonoridade jazzística, Edson Cordeiro apresentou um espectáculo de fusão onde Konigin der Nacht, de Mozart, e Garota de Ipanema, de Jobim, se harmonizaram com grande perfeição num alinhamento surpreendentemente encantador.

Sky Fest | Lila Downs
Auditório dos Oceanos | 17 Maio

De origem mexicana, Lila Downs é filha de Allen Downs, um britânico professor de cinema no Minnesota, e de Ana Sanchéz, uma cantora mexicana. Cresceu no estado mexicano de Oaxaca e passou a sua adolescência na Califórnia, onde começou a cantar. Frequentou depois a Universidade do Minnesota onde completou as licenciaturas em canto e antropologia.
Esta sua experiência familiar e o facto de ter tido a possibilidade de viver fora do México-Natal, permitiram-lhe conhecer realidades diversas da sua origem e pessoas que a ajudaram a crescer como artista, definindo caminhos próprios que a transformaram no fenómeno internacional que é hoje.
Em parceria com o músico e produtor americano, Paul Cohen, Lila Downs assina as próprias composições caracterizadas pela mescla perfeita entre o tradicional folclore mexicano (charangos, kenachos e zampoñas) e os sons modernos das guitarras eléctricas, baixos e baterias.
Desde o seu primeiro álbum, Ofrenda (1994), Lila Downs e a sua banda têm-se apresentado em numerosos concertos no México, América do Sul, Estados Unidos e Europa. Contribuiu para a banda sonora do filme Frida com vários temas entre os quais Burn it blue, que seria nomeada para o Óscar de Melhor Canção e interpretado pela própria (tornou-a a primeira cantora latina a participar neste evento)  na 75ª Cerimónia de Entrega dos Óscares.  Em 2005 ganha o Grammy Latino para Melhor Álbum Folk com One Blood. Mais recentemente, participou no filme de Carlos Saura, Fados, ao lado de outros grandes nomes como Caetano Veloso, Chico Buarque, Camané e Mariza.
Com 7 álbuns editados, Lila Downs tem conseguido anular fronteiras, apresentando-se como uma cantora e compositora global capaz de esgotar salas por todo o mundo. Em Portugal apresentou-se pela primeira vez em 2003, regressando 3 anos depois para concertos em Lisboa e Porto.
Inserindo-se no Sky Fest regressou dia 17 de Maio de 2009, para apresentar no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa, Ojo de Culebra.

Sky Fest | Nneka
Auditório dos Oceanos | 15 Maio

 

Residente em Hamburgo, a cantora e compositora nigeriana Nneka regressou com o álbum, No Longer at Ease.
Depois do muito aclamado Victim of Truth (2005), que o Sunday Times descreveu como sendo "tão bom quanto o álbum The Miseducation of Lauryn Hill, de Lauryn Hill", Nneka regressa com um projecto em que os seus instintos criativos foram aplicados na música, explorando um vasto leque de sonoridades inovadoras, numa verdadeira odisseia Afrobeat.
Tal como muitos africanos que, afectados pela falta de desenvolvimento e estabilidade no seu país natal, optam por viver na Europa, Nneka vive em constante busca de compreensão das suas raízes africanas e da forma como estas se conjugam com a cultura alemã em que se encontra inserida desde os 19 anos.
Neste seu segundo álbum conta com a produção do seu colaborador e amigo de longa data, DJ Farhot, responsável pela maioria das pistas das canções de "No Longer At Ease" e, pela primeira vez, colaborou com o aclamado produtor francês, Jean Lamoot (Salif Keita, Noir Desi,r entre outros).
Este novo álbum de Nneka é muito pessoal e, apesar de ser musicalmente mais ambicioso, Nneka não se afasta do seu estilo ou rumo habituais, numa oferta de amor, esperança e optimismo, dedicado ao povo de Warri e do delta do rio Níger, na Nigéria, naturalmente esotérico e com um apelo mais mainstream.
Neste álbum, Nneka expressa-se de forma mais notável em pidgin inglês, demonstrando a sua alma e dor, abordando temas sociais que ilustram as dificuldades do seu povo e, tal como o primeiro álbum 'Victim of Truth', inclui também uma certa carga dramática.
'Kangpe' possui uma energia positiva ao estilo de "Hey Yah" dos Outkast; 'Gypsy' apresenta uma textura hip-hop mais obscura, com as harmonias típicas de Nneka e a cantora exibe a sua força no tema mais acústico, 'Come with me' - uma canção dedicada ao mundo. 'Heartbeat' é a faixa mais espectacular do álbum, repleta de batidas hipnotizantes e um ritmo drum & bass a fazer lembrar Massive Attack.
A personalidade independente de Nneka é, aqui, claramente evidente. A cantora integra uma nova revolução na música africana contemporânea. O seu estilo de composição cru mas distinto e as suas harmonias distinguem-na dos demais. É uma compositora, fenomenal no que faz, com muita alma e groove também.
Nneka confessa sentir-se em casa quando está em palco a actuar, quer seja para um "exército" de fãs em grandes festivais ou simplesmente a tocar nas ruas de Londres. Detendo actualmente uma crescente reputação de intérprete ao vivo, Nneka continua a fazer digressões e concertos por toda a Europa, acompanhando os seus compatriotas, banda de R&B, Styl-Plus, a super estrela do dancehall Sean Paul, Seeed, Bilal e Gnarls Barkley, estando simultaneamente a concluir o seu curso de Antropologia na Alemanha e gravando também novas canções.
O verdadeiro talento prevalece sempre e, com o passar do tempo, esta "simples rapariga de Warri" - tal como a própria se auto-define – brilhou. Mas o mais importante de tudo é, tal como a cantora afirma, que "deixem que seja a música a decidir'. A estética não é importante!
http://www.nnekaworld.com

Sky Fest | The Dynamics
Arena Lounge | 16 Maio

 

Existem desde 2004 e o seu sucesso internacional já bateu recordes. Com origem em Lion, França, a música dos Dynamics é fortemente marcada pelo soul americano harmonizado com os ritmos jamaicanos. O seu estilo único caracteriza-se pela fusão de sonoridades estabelecidas com as mais modernas técnicas de produção, permitindo um sabor vintage que surpreende qualquer público, por muito exigente que seja.

A voz principal é de Mounam, uma figura incontornável na cena musical de Lion dada a sua longa experiência nos estilos afro-americanos, como o gospel, soul, blues e jazz.

Ao seu lado, Mr. Day, um dos mais conceituados representantes franceses de soul e deep house, e Patchworks um dos mais estimados criadores musicais de França e responsável pela produção dos Dynamics. Para Patchwork, produzir os Dynamics permite-lhe concretizar o sonho antigo de fundir a sonoridade reggae com as vocalizações próprias do soul.

De Bristol (Reino Unido), Steve Levi junta-se aos Dynamics conferindo-lhes uma original presença em palco, plena de energia e paixão.

Por fim, Flab Master Flab, oriundo de Boston (Estados Unidos) empresta ao grupo toda a sua experiência de anos em estúdios de gravação onde desenvolveu técnicas únicas de efeitos que alimentam o som dos Dynamics nos seus concertos, onde o seu equipamento "antigo" garante uma intemporal qualidade dub.

Enquanto banda, os Dynamics assumem influências tão variadas como Slim Smith & The Uniques, Ernest Ranglin, Rico Rodriguez, King Tubby, Curtis Mayfield, The Chosen Few, Ken Boothe, Smokey Robinson & The Miracles, Jackie Mittoo, Phil Pratt, Northern Soul, Reggae, Ska, Rocksteady, entre outros.

Pela primeira vez no Arena Lounge do Casino Lisboa, os Dynamics apresentaram Version Excursions, dia 16 de Maio de 2009.

Sky Fest- World Music Jazz & Blues Festival
Arena Lounge e Aud. dos Oceanos | 14 a 17 Maio

 

Um festival multicultural que junta o Jazz, a World Music e o Blues no mesmo espaço, o SKY FEST reúne nomes consagrados com novos talentos, garantindo grande abrangência de sonoridades e revelação de novas tendências nas áreas musicais em destaque.

STOMP
Auditório dos Oceanos | 6 de Janeiro a 15 de Fevereiro | Coliseu do Porto | De 18 a 22 Fevereiro

 

Os fãs portugueses pediram, os STOMP regressaram.

Ritmo e movimento num espectáculo a (re)viver!

Os STOMP caracterizam-se pelo ritmo e movimento de corpos, objectos e sons aos quais não se consegue ficar indiferente!

Concebido a partir de teatro de rua, cheio de humor, ritmo e com um sapateado exuberante, STOMP é o espectáculo ideal para reunir pessoas de todas as idades e gostos.

Para eles, a beleza e a música são uma constante quotidiana, presente em tudo. Das botas aos baldes, das tampas dos caixotes de lixo aos isqueiros e vassouras, dos lava-loiça aos garrafões, tudo é motivo e base para o movimento e o som. Com mais de 15 anos de vida, os STOMP deixaram de ser um fenómeno teatral britânico para serem um sucesso mundialmente aclamado.

O segredo está na sua linguagem universal que conquista fãs por todo o mundo. Portugal não foi excepção e os fiéis fãs portugueses pediram a sua presença regular em solo nacional.

Disse a Imprensa:
“Espectáculo físico e divertido, fantástico e excitante”, Destak, Janeiro 2007
“Sinfonia inesperada de ritmo e humor (...) Interactividade com o público na base do êxito”, JN, Janeiro 2007
“Um espectáculo bom. Aliás, um espectáculo muito bom.”, O Primeiro de Janeiro, Março 2007

SUPERLEAGUE FORMULA
Circuito Estoril | 5 e 6 Setembro

 

The Beautiful Race

Dias 5 e 6 de Setembro de 2009, a Superleague Formula regressou a Portugal. Ao todo, foram 18 os clubes de futebol presentes no Circuito do Estoril, num evento produzido pela UAU, que detém os direitos da corrida para Portugal.

Neste evento, que aliava a paixão do futebol com a emoção das corridas de alta velocidade, estiveram presentes o Futebol Clube do Porto e o Sporting Clube de Portugal, conduzido por Pedro Petiz, o único piloto português em competição.

 

TANGO PASIÓN | ÚLTIMO TANGO
Auditório dos Oceanos | 1 a 13 Setembro | Digressão Internacional

 

ÚLTIMO TANGO , mais um espectáculo da prestigiada companhia argentina, Tango Pasión.

Numa notável homenagem ao Tango, ÚLTIMO TANGO dividiu-se em duas partes, apresentando o tango mais tradicional na primeira parte enquanto a segunda parte esteve reservada para uma abordagem mais contemporânea, embora não menos sensual e apaixonada.

Com música ao vivo pelo Sexteto Tango Pasión sob direcção de Juan Carlos Zunini, os casais de bailarinos apresentaram números a solo e em grupo, ao som de compositores como Carlos Gardel e Astor Piazzolla.

Estreado em Dezembro de 2008 no Theatre des Champs Élysées, em Paris, foi aplaudido por mais de 25.000 espectadores. Em Maio, esteve em Munique e Atenas. Em Setembro chegou ao Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

www.tangopasion.com

TUTANKHAMON
Museu Marítimo de Barcelona | 6 Junho a 4 Outubro

Os segredos escondidos no túmulo de Tutankhamon, um dos mais enigmáticos faraós do Antigo Egipto.

Por encontrar durante séculos, o túmulo de Tutankhamon foi descoberto em 1922 pelo arqueologista Howard Carter.
Na Exposição Túmulo e Tesouros de Tutankhamon, pôde conhecer passo a passo a "viagem" de Howard Carter ao interior da tumba de Tutankhamon, os objectos que encontrou nas 3 câmaras, a sua disposição e o próprio faraó mumificado. Os efeitos de luz ajudaram na recriação destes momentos históricos, permitindo ao visitante "ver" o interior do túmulo "pelos olhos de" Howard Carter.

Ao todo, foram cerca de 1.000 os objectos dispostos nas 3 câmaras, como originalmente descobertos. Para completar o enquadramento, estiveram também disponíveis diversos documentários sobre o Egipto, Rio Nilo e Vale dos Reis. 

Se em 1922 os tesouros escondidos nas areias do deserto fascinaram o mundo, 87 anos depois, ainda maravilharam todos os que visitaram a exposição Túmulo e Tesouros de Tutankhamon.

VAI-SE ANDANDO
Auditório dos Oceanos | 15 Setembro 2009 a 14 Fevereiro 2010

 

José Pedro Gomes andou à volta das grandes e das pequenas questões que fazem dos portugueses, portugueses.

As certezas e dúvidas, angústias e felicidades, preferências gastronómicas, provérbios e demais características do povo português rumaram à Invicta, subindo ao palco do Coliseu do Porto entre 25 e 27 de Fevereiro de 2009.

Com textos de Eduardo Madeira, Filipe Homem Fonseca, Henrique Dias, Luísa Costa Gomes, Marco Horácio, Nilton, Nuno Artur Silva e Nuno Markl, José Pedro Gomes numa comédia encenada por António Feio.

VAREKAI | CIRQUE DU SOLEIL
Parque Tejo | 15 de Maio a 27 de Junho

 

Um ano após o sucesso de Quidam, o Cirque du Soleil apresentou Varekai em Lisboa.
             

Embrenhado na floresta profunda , no cume de um vulcão, existe um mundo extraordinário onde tudo é possível. Um mundo chamado Varekai.

Do céu surge um jovem rapaz e a história de Varekai tem início. Atirado para as profundezas de uma floresta mágica, um mundo caleidoscópico habitado por criaturas fantásticas, o jovem inicia uma viagem absurda mas maravilhosa. Neste dia de final de era, neste lugar de pura e virgem possibilidade, tem início um encantamento inspirador para uma nova existência a descobrir numa busca através dos mistérios do mundo e da mente.

Varekai (pronunciado ver•ay•’kie) significa “onde quer que seja” na linguagem cigana, os eternos viajantes. Criada e dirigida por Dominic Champagne, esta produção presta homenagem à alma nómada, ao espírito e arte da tradição circense e a todos aqueles que desafiam com infinita paixão os longos caminhos que levam a Varekai.
Varekai nasce da explosiva fusão do teatro com a acrobacia. O impossível torna-se possível em espantosas demonstrações de perícia e poder, com banda sonora original e cenários do “outro mundo”, perfeitamente harmonizados com as fantásticas coreografias que “falam” a universal linguagem do movimento.

O pêndulo do tempo anda para trás numa homenagem às antigas e especiais tradições circenses dos Icarian Games, Water Meteors e Georgian Dance. 

Depois, Varekai transporta-se para o futuro através de revolucionários movimentos de contorção em números como Russian Swings, Slippery Surface e Triple Trapeze.


Desde a sua estreia mundial em Montreal (2002), Varekai já foi apresentado no Canadá, Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia e chegou à Europa em 2007.

VISIONS | ESPÍRITO DOS SONHOS
Salão Preto & Prata no Casino Estoril | Setembro 2008 a 30 Julho 2009

VISIONS – ESPÍRITO DOS SONHOS


Com 46 artistas em palco, Visions: O Espírito dos Sonhos consistia numa viagem imaginária, mas ao mesmo tempo muito real, ao universo do adormecido Sonhador, personagem principal e fio condutor de toda a acção.

Durante o sono, o que pensa o Sonhador? Que sentimentos, medos, angústias, ilusões, maravilhas o assaltam? De que realidades antagónicas é ele protagonista?

Visions: O Espírito dos Sonhos ensaia uma interpretação do que se passa no interior da cabeça de todos nós enquanto dormimos, tornando-nos  heróis ou vilões, sempre capazes de indescritíveis façanhas, cujas limitações apenas dependem da capacidade imaginativa de cada um.

No caso do Sonhador esta capacidade é (quase) ilimitada. Com apoio de sofisticados, e nalguns casos inéditos em Portugal, recursos técnicos, Visions: O Espírito dos Sonhos apresenta um mundo recheado de cor e movimento, onde o espectador se vê envolvido numa desenfreada cadeia de acontecimentos. Ao seu redor, projectam-se imagens ritmadas pela música ao vivo, ao mesmo tempo que acrobatas e ilusionistas articulam as suas artes em coreografias subtis mas de incontornável poder visual.

O risco da inovação foi muito forte neste espectáculo que colocou 5 german wheels ao mesmo tempo em palco, numa coreografia arrojada e plena de mestria. A par com uma dupla de contorcionistas mongóis e um quinteto de lenços aéreos, muitas foram as surpresas que Visions: O Espírito dos Sonhos trouxe.

Por fim, há que realçar que a magia imperou pelas mãos de 5 ilusionistas que, em palco, recriaram números memoráveis e de cortar o fôlego mesmo aos mais cépticos.

Criado por Michael MacPherson especialmente para o Salão Preto & Prata, VISIONS: O Espírito dos Sonhos, que voltou a juntar Michael MacPherson, Patrice Marques e Paulo Dias na produção,  foi o espectáculo para todos os que não têm medo de sonhar e para todos os que achavam que já perderam essa capacidade. Nós sonhámos fazer melhor!

Ano 2008

Animação Casino Estoril

Animação Casino Lisboa

40º Aniversário Casino Estoril
Xutos & Pontapés e The Gift | 28 Março

No seu 40º aniversário, o Casino Estoril contou com um dia inteiro de festa.
Inspirado no tema “40 Anos de Casino Estoril e de Grandes Espectáculos”,  mais de 60 animadores desfilaram pelos espaços do Casino Estoril, revivendo os protagonistas mais emblemáticos dos espectáculos temáticos, da autoria de Júlio César, que estiveram em cena no Salão Preto e Prata, nos últimos 20 anos.

Depois, foi a vez dos Xutos & Pontapés (Salão Preto & Prata) e The Gift (Duarte Lounge) celebrarem este aniversário, que continuou pela madrugada com os DJs Rui da Silva e Kenny Carpenter.

50º Aniversário Estoril Sol
Mariza, Kiri Kanawa e Donna Maria | 28 Junho

Para celebrar o 50º aniversário da Estoril-Sol, o Salão Preto & Prata receberam Kiri Te Kanawa. Acompanhada pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, sob direcção de Juliann Reynolds a soprano neozelandesa, contando com a participação especial de Mariza, uma das mais internacionais vozes portuguesas, com a qual fez o dueto “Summertime”, de George Gershwin.
Com uma carreira iniciada em 1971, Kiri Te Kanawa é uma das mais famosas sopranos do mundo, tendo já sido acompanhada pelas mais prestijiadas orquestras do mundo coroa.
Além do repertório clássico, a soprano fez várias incursões na música ligeira, nomeadamente no álbum «Blue Skies», e interpretou temas dos musicais «My fair lady», «South Pacific» e «West side story».

A VERDADEIRA TRETA
Auditório dos Oceanos | 19 Setembro a 21 Dezembro

 

Tóni e Zezé regressaram ao Auditório dos Oceanos! 

A "filosofia do disparate" na sua essência!

Em A VERDADEIRA TRETA, ZEZÉ e TÓNI vão levantar dinheiro a uma caixa Multibanco e, como conversa puxa conversa, ou melhor, no caso deles, como conversa da treta puxa conversa da treta, passam uma infinidade de tempo a falar de tudo e mais alguma coisa.
Desde o preço do petróleo, às operações plásticas, desde a paranóia com a segurança, até à educação, à saúde, passando pelo aumento dos juros, tudo é esmiuçado pela óptica arrevesada e demente destes dois mamíferos da famosa espécie “Chico-Espertus Lusitanus”. Uma raça que, infelizmente para uns, e, felizmente para outros, está muito longe da extinção.

A aventura Conversa da Treta começou no Auditório Carlos Paredes, em 1997, e desde então já correu o país, esgotou o Coliseu dos Recreios várias semanas, foi um programa de rádio e uma série televisiva. O DVD, o livro e o filme vieram mais tarde confirmar o sucesso da dupla. Em 2008, apresentaram  A VERDADEIRA TRETA, um regresso à essência da “filosofia do disparate” que  fez rir milhares de espectadores...que há muito reclamavam por mais!

Diz a Imprensa:
"Já fomos ver e fartámo-nos de rir", 24 Horas, 8 Set
"Os dois actores divertem a plateia", Destak, 9 Set
"Tiradas anadóticas disparadas à velocidade da luz", CM, 9 Set
"O espectáculo é de chorar a rir", O Jogo, 9 Set

Encenação e Interpretação - António Feio e José Pedro Gomes
Texto - Eduardo Madeira e Filipe Homem Fonseca
Música - Alexandre Manaia e Manuel Faria
Ass. Encenação - Sónia Aragão

ALUMINIUM SHOW
Auditório dos Oceanos | 18 Março a 6 Abril

 

The ALUMINIUM SHOW é um espectáculo único que combina movimento, dança e teatro visual. Através do uso de efeitos especiais, mecanismos criativos e dança acrobática, objectos inanimados ganham vida com uma energia, emoção e personalidade apenas comuns ao ser humano, criando um mundo luminoso e pleno de reflexos.
O conceito surgiu na cabeça de Ilan Azriel, bailarino e coreógrafo israelita, nascido em Dinoma, em 1968, muito antes de o ter conseguido concretizar. Foi com o apoio de Yuval Kedem, especialista em efeitos especiais, que conseguiu concretizar o projecto de animação de materiais de vulgar utilização industrial, transformando-os no instrumento de entrada num mundo mágico e brilhante, onde as figuras se sucedem através da manipulação humana, sem qualquer mecanismo de controlo remoto.
Simplicidade, humor e respeito profundo pela estética fazem de Aluminum um espectáculo progressista no seu retorno às técnicas básicas do teatro de sombras e marionetes. Acima de tudo, The Aluminum Show é um espectáculo para todas as idades e linguagens ao permitir interpretações individuais a todos os que o vêem ou revêem.

Animação Verão | Dâna
25 Julho a 7 Setembro

Depois do sucesso da sua participação no Sky Fest, em Abril de 2008. Dâna regressou ao Arena Lounge do Casino Lisboa.

“Quando cantamos mesmo sem saber estamos ligados á natureza e á harmonia dos sons que fazem vibrar as partículas do corpo físico, podendo assim melhorar e caminhar para a harmonia universal.” Dâna em sânscrito significa “o dom”, uma das seis etapas da carreira do BODHISSATAVA. Ao adoptar este nome Dâna agradece aos Deuses a capacidade que lhe foi concedida de poder transmitir a Luz, a Esperança, a Liberdade e o Amor, formas de despertar os seres. Dâna, que pertence à nova geração da música portuguesa, é a compositora e poetisa que ama as tradições. Nascida no meio da cultura popular com tradições herdadas do seu avô, poeta popular, escritor e mentor da cultura tradicional na região da Azambuja, foi através dos seus pais que nasceu embalada pelo fado e abraçou o folclore. Daí o seu gosto pela Música Popular Portuguesa. 

Apesar de ter apenas 27 anos participou no Festival da Canção em 2001 e em vários trabalhos discográficos, como convidada. Lançou o seu primeiro trabalho a solo em 2003 com o titulo “CANTAR PORTUGUÊS”. Foi um projecto que teve como objectivo, além de uma fusão entre a música popular portuguesa, sons mediterrâneos e electrónica, juntar o Rural ao Urbano como uma ponte de ligação às tradições portuguesas, e mostrar que a Música Tradicional/Popular pode seguir outros caminhos de evolução. Este trabalho reflectiu algumas influências culturais que Portugal e os portugueses mantiveram desde sempre com culturas diversas, dando origem a uma fusão musical multiétnica. Foi editado no Japão, Países de Leste e Norte da Europa, e em colectâneas juntamente com nomes como Deep Forest, Enigma e Air.
O seu segundo trabalho reflecte um crescimento e amadurecimento interior da artista. ”SEI FINALMENTE” é a expressão de uma fadista em ascensão que pela voz vai colorindo poemas monocromáticos. O Fado nasce de um encontro entre a emoção e a razão, ou seja, a vida, esse mistério que acontece sem se ver apenas ouvindo e sentindo. Pelo Fado somos levados numa viajem que nos transporta às ruas e vielas típicas dos bairros de Lisboa, e através do sentimento e emoção com que Dâna canta, somos inundados pelas cores, perfumes e raízes das tradições e da essência da expressão musical portuguesa maior que é o Fado. Com arranjos de João Chitas, produção de Dâna e Vasco Lima, este trabalho representa, de forma peculiar, a emoção da fusão das guitarras e da voz num só como de um elemento único da natureza. O repertório foi escolhido pela profunda admiração da grandeza da palavra portuguesa, desde os poetas populares aos mais eruditos. Alguns destes fados são bastante antigos e, de uma maneira geral, pouco cantados, tornando este disco rico em originalidade, patente também na forma de cantar de Dâna.. “Sei Finalmente” é muito mais que um simples disco de Fados, é antes uma experiência avassaladora em que a voz de Dâna conquista ao primeiro acorde da guitarra portuguesa e que deixa saudade, ainda antes de a última nota ser executada, pela mestria dos músicos que acompanham esta jovem promessa do Fado.

Animação Verão | Dream Bodies
Arena Lounge | Agosto

Noites de glamour na melhor tradição do burlesco clássico. Pôde-se ver e ouvir uma fábula de inocência e perversão que celebra o erotismo e a magia da dança, unidos pela arte da sedução e da sensualidade.
Com muito humor e interactividade com o público, Dream Bodies regressou, um ano após a sua estreia no Arena Lounge do Casino Lisboa.
Com coreografia de Isabel Martins, Dream Bodies tratava de um novo olhar sobre uma arte secular, numa perfeita harmonia dos seus elementos essenciais reinventados para o século XXI

Animação Verão | Feio & Friends
Arena Lounge | 23, 24, 25, 30 Junho, 1 e 2 Julho, 11 e 12 Agosto

 

António Feio, rodeado por um grupo de amigos, decidiu formar uma banda para dar um concerto num registo descontraído, bem humorado e de grande cumplicidade com o público. Ao todo vamos poder ouvir um alinhamento de canções que nos marcaram a todos de forma indelével.

Desde as bandas sonoras de filmes, até às canções de genéricos de séries infantis, passando ainda pelas publicidades clássicas, tudo cabe no repertório desta banda.
Tudo, tudo não é bem assim. Um dos músicos, que Feio com o seu bom feitio permitiu que fizesse parte da banda, contrariando a vontade dos outros elementos, insiste em fazer versões de músicas e solos em... Flauta de Pan. Mas, nem esta nota dissonante conseguiu desafinar o harmonioso, fabuloso e mais outra coisa acabada em "oso"(que não nos lembramos agora), concerto dos...FEIO & FRIENDS.

Com António Feio e Miguel Camilo nas guitarras, Alexandre Manaia no teclado, Nuno Oliveira no baixo, Mauro Ramos na bateria, Paula Teixeira e Paulo Ramos na voz. Participação especial de Jorge Mourato e convidados surpresa.

Animação Verão | FM Stereo
Arena Lounge | 25 Julho a 7 Setembro


Os grandes êxitos da banda sonora das nossas vidas num espectáculo musical que é uma brincadeira feita muito a sério. Pura sintonia de música e comédia, com Sting, U2, Bee Gees, Madonna, Rolling Stones, Michael Jackson, Abba, Elvis Presley, e muitos outros, para além de Francisco Menezes e os músicos com quem ele divide a culpa em palco. A única Jukebox do mundo que funciona a gargalhadas!
Francisco Menezes, que se notabilizou pelas suas participações no Levanta-te e Ri, já passou pelos três grandes (SIC, RTP e TVI) e antes disso fez rádio e cantou em casinos. É o mais excitante artista português ao vivo, depois de Ana Malhoa, um nome que ainda vai dar muito que falar, principalmente se conseguir perder um quilito e meio.

Animação Verão | Sylvie C
Arena Lounge | 25 Julho a 7 Setembro

Nasceu em França mas cresceu na Ilha de Reunião. Voltou para Paris já adolescente e, aí, descobriu a paixão pela arte de representar, tendo participado em múltiplos projectos de televisão, cinema e teatro.
Desde 1989 em Portugal, o seu currículo é vastíssimo com inúmeras participações em projectos de Michel, Anamar, Jorge Palma, Trio Lusíada, Armando Gama, entre outros.


Em 2008 lançou o seu prímeiro álbum a solo, apoiada por uma banda cosmopolita composta pelo italiano Enzo d’Aversa (direcção musical e teclado), o espanhol Jaume  Pradas (bateria e percussão), a moldava Mariana Anton (violino) e os dois portugueses Marco Reis e Nuno Oliveira (respectivamente, guitarra eléctrica e baixo eléctrico/contrabaixo).
Em Agosto, o Arena Lounge do Casino Lisboa, recebeu Sylvie C. para uma pré-apresentação do projecto, que identificava como pop poético-rock e composto por temas originais com temáticas poético-eróticas  apresentadas em versões trilingues. 

Ainda, neste projecto o poder da palavra é sublinhado pelo trabalho multimédia do VJ André Mathez, cujas projecções em tempo real no ecrã gigante evidenciaram a expressividade do rosto e corpo da cantora, numa verdadeira encenação sonora pensada para vibrar e fazer vibrar. De facto, as orquestrações requintadas vivem da hamonia entre os poderosos balanços rítmico e os solos oníricos, resultanndo numa música carnal, sempre interpretada de maneira ardente e com abandono, marcada pelo desejo de tocar o corpo e dar emoções.

Aniversário Casino Lisboa | Natalie Choquette, Pedro Abrunhosa
Arena Lounge | 19 Abril

No diia 19 Abril de 2008 o Casino Lisboa celebrou o seu 2º aniversário e propôs-se a dois dias de festa.
Natalie Choquette, Pedro Abrunhosa, Yves Larock, Fat Freddy’s Drop e Carl Graig foram  as propostas deste “2 Anos, 2 Dias em Festa”.

Dia 19, Natalie Choquette subiu ao palco do Arena Lounge acompanhada pela Orquestra Metropolitana de Lisboa .
Dois anos após ter inaugurado o Auditório dos Oceanos, Natalie Choquette, La Diva, regressou. Conhecida pela sua peculiar capacidade de interpretação de temas de Turandot com rolos no cabelo e a comer esparguete ou a cantar “Summertime” enquanto arranja as unhas, são apenas alguns dos exemplos que fazem desta cantora, no mínimo, original.
Quem acha que a ópera não pode ser divertida, não conhece Natalie Choquette, La Diva.
Depois , a festa continuou no Arena Lounge com Pedro Abrunhosa onde apresentou  Luz, o seu mais recente projecto da altura.
A noite terminou com o DJ Yves LaRock.


Dia 20, foi a vez de Fat Freddy’s Drop, liderados pela dupla Joe Dukie e DJ Fitchie, que encantaram com a sua viagem pelo dub, reggae, ‘future-punk-voodoo’, namorando com a soul e também o jazz.
Continuou-se a animação com o DJ Carl Craig, e a sua magia algo electrónica, algo afro-americana, numa tensão conseguida de techno, jazz e soul.

Arena Live | Cooligação
Arena Lounge | 8 Dezembro

Um Diálogo Intercultural com banda sonora dos Cool Hipnoise e dos convidados especiais Sam the Kid, Kalaf, Kika Santos, Conductor, Messias Santiago, Prince Wadada, Romi & Junior, DJ Ride, Regula, Bezegol, Bob da Rage Sense, Batoto Yetu, Dino, VJ Roka e Groove Brass Ensemble.
Uma banda sonora com música, palavras e imagens dos Cool Hipnoise, dos convidados e dos heróis musicais deles.
No Ano Europeu do Diálogo Intercultural esta foi a noite em que a Lisboa urbana se assumiu como ponte para os sons que viajam de África e da América para a Europa.
Os Cool Hipnoise formaram-se em 1995 com Tiago Santos na guitarra, João Gomes no teclado, Paulo Muiños no saxofone, Nuno Reis no trompete, Francisco Rebelo no baixo e Melo D na voz. Em 13 anos de carreira e com 7 álbuns editados, os Cool Hipnoise continuam centrados no funk em português.
Em 2005, editaram  Groove Junkies 1995/2005, um resumo de todo o seu trabalho até então. Com fortes marcas impressas no jazz, funk, hip-hop e soul nacionais, os Cool Hipnoise não se consideram muito diferentes do que eram quando começaram. Para o colectivo, Lisboa continua a ser uma inspiração de eleição; foi nesta cidade que cresceram e se afirmaram como músicos; é nesta cidade que se encontram os sons vindos de África, Brasil, América e Europa; é nesta cidade que a sua música nasce e se fortifica.
Antecedendo o álbum que seria edita em 2009, os Cool Hipnoise prepararam um concerto surpresa para a noite de dia 8 de Dezembro de 2008. Cerca de 20 amigos (entre os quais  Sam The Kid, Kalaf, Messias Santiago, Kika Santos, Conductor, Prince Wadada, Romy & Junior) juntaram-se à banda para um concerto de memórias e mix de sonoridades.
Esta Cooligação ocupou os 3 palcos do Arena Lounge no Casino Lisboa, num verdadeiro happening musical, único e imperdível.

Arena Live | David Fonseca
Arena Lounge | 10 Novembro

 

Dreams in Colour, o terceiro álbum de originais de David Fonseca a solo, editado em Outubro de 2007, foi galardoado com o Disco de Platina, por vendas superiores a 20.000 unidades, sendo essa a primeira vez que David Fonseca o obtém na sua carreira a solo.
Desta álbum destacam-se os singles “Superstars” e “Kiss Me, Oh Kiss Me”, que chegaram ao primeiro lugar do airplay nacional.
Depois de correr o país com o concerto Dreams In Colour, David Fonseca actuou em Milão e Atenas. Para além da Itália e Grécia, também Espanha editará o álbum ainda este ano. Por fim, o concerto no Coliseu dos Recreios (Novembro) será gravado para posterior edição em DVD.
Entretanto, para delícia dos inúmeros fãs, David Fonseca voltou a presenteá-los num concerto no Arena Lounge do Casino Lisboa, no dia 10 de Novembro de 2008.

Arena Live | De La Soul + King Britt DJ Set
Arena Lounge | 1 Dezembro

Trouxemos ao palco mais um desfile de estrelas com os ritmos hip-hop contagiantes dos DE LA SOUL e KING BRITT, que prossegue a jornada cósmica por entre coordenadas do deep house, funk e disco.

“3: That's the Magic Number”: Pos, Dave e Maseo formam os DE LA SOUL. “3 Feets Hight and Rising”, o álbum de estreia (1989), foi considerado uma obra-prima do hip-hop. A colorida e neo-psicadélica colagem de samples e estilos, os ritmos inteligentes e o humor refinado de canções emblemáticas como "Me, Myself and I", “Eye Know” e “Saturday”, foram vistos como uma nova tendência e uma alternativa ao rap hardcore que dominava o hip-hop nessa altura.
Bastante ecléticos para a sua época, os De La Soul trouxeram para os seus discos não só o funk e o soul, mas também o pop, o Jazz, o Reggae e o Psicadelismo. Rapidamente foram vistos como líderes de um contingente alternativo de rappers que incluia “A Tribe Called Quest”, “Queen Latifah”, “Jungle Brothers” e “Monie Love”. Juntos formaram os “The Native Tongues”.
O trio de Posdnus ou Pos (Kelvin Mercer), Trugoy the Dove ou Dave (David Jude Jolicoeur) e Pasemaster Mase ou Maseo (Vincent Masson), juntou-se ainda nos tempos de escola. Nessa altura, a sua demo tape “2Plug Tunin’” chamou a atenção do produtor Prince Paul, que os ajudou a assinar com a Tommy Boy Records e que acabou por produzir o álbum de estreia.  Passados quase 20 anos e com sete discos editados,  o colectivo continua a provar a sua força a desafiar estereótipos. Vale a pena rever!
www.myspace.com/delasoul

A jornada cósmica prosseguiu com KING BRITT. Este produtor, teclista e Dj de Filadélfia, tem mostrado que, apesar da sua carreira se ter iniciado no hip-hop, encontrou uma forma de escapar às estruturas de uma única categoria musical, expressando as suas criações através do deep house, hip-hop, broken beat, nu-jazz, funk e afro-tech.
Começou a sua carreira na música com o hit underground “Tribal Confusion” (1990); mais tarde começou também a produzir com os alter ego Sylk 130 e Scuba. Em Tour com a banda de Ishmael “Butterfly” Butler, Doodlebug e Ladybug, mudou a visão do hip-hop através da fusão de skat-style jazz com uma vocalização lírica.
Entre produções musicais para Hollywood, uma pista de dança em Tokyo ou consultadoria para marcas de lifestyle líderes de mercado, não há limites para o que King Britt fará a seguir. Os seus sets, onde se pode ouvir house, hip-hop, funk e até música dos anos 80, continuam a surpreender os fãs de todo o mundo.     
www.myspace.com/kingbritt

 

Arena Live | Guru’s Jazzmatazz feat. Solar and the 7 Grand Players + Moodyman Dj Set
Arena Lounge | 3 Novembro

 

Mais um serão recheado de surpresas...

A imperdível cruzada através dos clássicos de GURU’S JAZZMATAZZ e o DJ Set de MOODYMAN, que comandar a pista para uma sessão de dança interminável.
"Gifted Unlimited Rhymes Universal". Verdadeiro ícone da cultura Hip-Hop, o rapper americano GURU é o verdadeiro precursor do cruzamento desta cultura com o jazz, que começou em 1993 com as célebres colecções JAZZMATAZZ.
Esta é uma estimulante cruzada musical que percorrer os clássicos incontornáveis deste colectivo. Em palco esttiveram GURU e SOLAR - os mestres de cerimónia  - acompanhados pelos 7 Grand Players - DJ Doo Wop (uma mixtape), um trompetista e um talentoso multi-instrumentista.     
www.myspace.com/gurusjazzmatazz  e  www.gurusjazzmatazz.net/

Kenny Dixon Jr. é MOODYMAN, uma das mais geniais e enigmáticas personalidades da história da música de dança de raiz electrónica.
Oriundo de Detroit, ele é, provavelmente, de todos os extraordinários produtores e DJs que a cidade industrial norte-americana tem gerado, aquele que melhor capta a essência da história da música negra. Moodyman é inclusivamente uma das vozes críticas ao actual estado do Techno, apontando o dedo ao que qualifica como o “domínio branco” deste estilo.
Quem já assistiu aos seus sets comprovou uma sessão de dança interminável.  
www.myspace.com/moodymann313

Arena Live | Hollywood, mon Amour + Africa Bambaataa DJ Set
Arena Lounge | 17 Novembro

 

Nesta noite, embarcámos com HOLLYWOOD, MON AMOUR numa viagem glamorosa por clássicos do cinema dos anos 80. Seguimos noite dentro em busca da batida perfeita, guiados pelo DJ Set de AFRICA BAMBAATAA.

Depois do êxito do projecto Nouvelle Vague, o produtor Marc Collin surgiu com mais uma atraente proposta. HOLLYWOOD, MON AMOUR onde reuniu uma série de vozes conhecidas que revisitaram grandes clássicos de bandas sonoras dos anos 80.
A prova está à vista. ”A View to a Kill”, ”Eye of the Tiger”, “Flashdance”, “Together in Electric Dreams”, “Call me”, “This is not America” ou “Don’t You (forget about me)” são apenas algumas das canções que desfilaram no palco do Arena Lounge. Nadeah Miranda, Jody Ann Sternbverg e Marc Collin são as vozes que nos seduziram, acompanhados pelos músicos Sebastien Brun, Mathieu Jérome, Thibaut Barbillon e Nicolas David. 

Do coração do Bronx, partiu-se noite dentro em busca da batida perfeita. Ao comando esteve o DJ norte-americano BAM, considerado o fundador oficial do Hip-Hop e um dos principais responsáveis por espalhar esta cultura pelo mundo. Com o projecto AFRIKA BAMBAATAA foi um dos propulsores do deejaying break-beat e do electro-Funk – com o notável “Planet Rock” – que originou depois outros géneros musicais como o Freestyle, Freestile Latino, Miami bass, House e Hip House. Bam alterou a forma como o R&B e outras formas de música negra eram gravadas, devido ao uso da música produzida por computador.
Reconhecido pelas suas acções humanitárias e como um homem de paz, o seu legado é infindável: criou a “Nação Zulu” - um colectivo que reunia dj’s, rappers, break dancers e writers – e a Soul Sonic Force, influenciado por George Clinton.

Arena Live | Incognito + DJ Premier
Arena Lounge | 27 Outubro

Emoções fortes no palco do Casino Lisboa com INCOGNITO fizeram-se sentir. Uma das referências incontornáveis do Acid Jazz, a que se seguiram as manobras magistrais do grandioso DJ PREMIER.
Unanimente reconhecidos como um dos elementos-chave do movimento Acid Jazz, os INCOGNITO, formados em 1979 por Joy Malcolm, Pamela Anderson, Simon Hale e Jean-Paul "Bluey" Maunick, firmaram-se como um dos maiores fenómenos da música inglesa dos últimos 20 anos.
Os primeiros discos, editados nos inícios dos anos 80, tomaram o Jazz e a Soul como ponto de partida para chegar a algo absolutamente diferente.
Canções como "Always There", “Everyday” e "Don't You Worry 'Bout A Thing" foram verdadeiros sucessos nas tabelas, vendendo mais de 750,000.
“Tales From The Beach” (2008) é o mais recente capítulo desta história ... Quinze deliciosas canções, ritmos e vozes sensuais, com as participações especiais de Maysa Leak, convidada para vocalizar “I’ve Been Waiting” e Tony Momrelle, que surge com uma deslumbrante performance vocal na balada “When the sun Comes Down”.

A jornada musical prosseguiu nesta noite com um convidado muito especial. DJ PREMIER figura entre os mais importantes e prolíficos produtores da sua categoria na década de 90. Os seus temas contêm um som instintivamente reconhecível - o seu “toque de midas” - resultado do cruzamento de uma batalha de loops e de scratch pesado, perfeitamente conjugados, que evoca, como nenhum outro, o som de Brooklin.

Arena Live | João Pedro Pais
Arena Lounge | 24 Novembro

 

Nasceu e cresceu em Lisboa, no seio de uma família de músicos, dividindo a sua atenção entre a viola e os treinos de luta greco-romana. Em 1995 decide deixar a competição para se dedicar de corpo e alma à música.

A tocar covers de música portuguesa em bares, participa no programa Chuva de Estrelas. O seu registo chamou a atenção dos editores da EMI, para quem grava o primeiro álbum em 1997. Segredos é, desde logo, bem acolhido pelo público, tornando-se um campeão de vendas.
Faz espectáculos por todo o país, movendo legiões de fãs que, com ele, cantam “Ninguém (é de ninguém)” e “Louco (por ti)”.
Mais de uma década depois, com 5 álbuns de originais editados, João Pedro Pais editou mais um projecto no final do anos de 2008.
Dia 24 de Novembro, João Pedro Pais fez uma retrospectiva da sua carreira no palco do Arena Lounge no Casino Lisboa.

Arena Live | Lady G. + Dr. Bastard DJ Set
Arena Lounge | 8 Dezembro

 

LADY G BROWN é Luiza Gabriel e DR. BASTARD é Pedro Caetano. Juntos são os Lady G Brown & Dr. Bastard.
Dr. Bastard é desde sempre apaixonado pela música,  grande admirador da cultura jamaicana e representante por excelência de uma onda alternativa  que cada vez mais se tem vindo a massificar. Criou a Bastard Productions no ano 2000 por necessidade de dar a conhecer a cultura do Reggae aos amigos e conhecidos. O 1º evento, “Festa da Liberdade”, aconteceu em 25 de Abril de 2000, no Hula Hula ( Praia do Rei – Caparica ). Em 2002 abre o único bar de Reggae, Dancehall, ragga, dub e ska ( Bob Rasta ) situado na Rua do Século (Bairro Alto), no qual era o responsável pela selecção musical,  tornando-se um dos primeiros e principais impulsionadores do reggae em Lisboa .
Lady G Brown & Dr. Bastard conheceram-se num jardim de Lisboa através de amigos comuns e aí nasceu uma união de irmãos. Começou por incentivar Lady G a misturar, convidando-a a tocar no Bob Rasta. Foi apenas um pequeno passo para passarem a tocar regularmente juntos. A primeira actuação em conjunto foi em Peniche, no Baleal Beach Camp, em 2005 e, desde então, não mais pararam. São residentes em vários clubes nocturnos de Lisboa, dos quais se destacam o Musicbox,  Crew Hassan, Le Chat Qui Pêche, Bicaense ou o Mexe Café. Misturam os sons do Reggae com Afrobeat ou o Funk, passando pelo Ska, o Dub, o Dancehall e até a música dos balcãs ou da América do Sul  não são esquecidas. Utilizam as vozes e a melódica nas suas performances. Actuaram no Sky Fest no Casino Lisboa em Abril, com enorme sucesso.

Arena Live | Mafalda Veiga
Arena Lounge | 20 Outubro

Nasceu em Lisboa em 1965, no seio de uma grande família com costela alentejana.  Depois de viver alguns anos em Espanha, Mafalda regressa a Portugal e, a partir de 1983, estreia-se como autora. Ao mesmo tempo que se torna aluna do Curso de Línguas e Literaturas Modernas da Faculdade de Letras de Lisboa, grava as suas primeiras maquetas, com a ajuda de António Ferro e António Vacas de Carvalho.
O êxito do álbum Pássaros do Sul (1987), produzido por Manuel Faria (Trovante), fica a dever-se quase exclusivamente a “Planície”, acabando inclusivamente por não valorizar outras canções que já permitiam um esboço inicial do perfil da cantora, como “Restolho”, “Sol de Março”, “Velho”, “Nós” ou “O Menino da Sua Mãe” (que aproveita um poema de Fernando Pessoa, numa das raras ocasiões em que Mafalda não assume o pleno no campo criativo).
Chão (2008) pôde-se descobrir dia 20 de Outubro no Arena Lounge do Casino Lisboa.
www.mafaldaveiga.com

Arena Live | Rita Redshoes
Arena Lounge | 15 Dezembro

 

Os sapatos vermelhos são a sua imagem de marca; a sua música uma agradável surpresa. Em 2007, o seu tema “Dream Girl” integrou a colectânea Novos Talentos/FNAC, valendo-lhe a nomeação para Canção do Ano na rádio Radar.
A sua carreira musical começou há mais de 10 anos, como bateristas do grupo de teatro Ita Vero; em 2000 gravou o seu primeiro álbum, love.noises.and.kisses, como elemento dos Atomic Bees, a banda que formara em 1997 com um grupo de amigos. Participou no projecto Rebel Red Dog e gravou com David Fonseca (2003/2004).
Em Junho de 2007, apresentou “The Beginning Song”, 2º single de Golden Era, o seu primeiro álbum a solo. Com um clip inspirado em programas de televisão de música country dos anos 50 e 60, como o Grand Ole Opry, “The Beginning Song” revela um outro lado do universo criativo da cantora, que também assina, com Nelson Carvalho, a produção do álbum. 
Desde então, Rita Redshoes não tem parado, apresentado o seu trabalho por todo o país. A sua apresentação no Palco Principal do Festival Sudoeste valeu-lhe ser considerada pela comunicação social como “melhor concerto da noite”.
Rita Redshoes  pode ser descoberta, por quem ainda não a conhecia, no palco do Arena Lounge no Casino Lisboa, a 15 de Dezembro de 2008.
www.myspace.com/ritaredshoes.com

Arena Live | Rui Veloso
Arena Lounge | 25 Dezembro

Nasce em 1957 e com apenas 6 anos de idade começa a estudar música, primeiro harmónica e depois guitarra. Ainda adolescente forma a sua primeira banda, a Magara Blues Band, onde as influências de Eric Clapton, Bob Dylan, B.B.King e Muddy Waters são claras.  Tocam em bares aos fins-de-semana e cantam em inglês.

Em 1976 conhece Carlos Tê, ainda hoje seu parceiro de composição. Em 1979, assinam com a Emi-Valentim de Carvalho, gravando Ar de Rock no ano seguinte.
Com diversos prémios e galardões, Rui Veloso, apelidado de “pai do rock português”, é um dos mais acarinhados músicos nacionais, com inúmeros temas a integrarem a playlist nacional. De “Chico Fininho” a “Porto Côvo”, de “Rapariguinha do Shopping” a “Lado Lunar”, Rui Veloso já vendeu mais de 1 milhão de discos, tendo ganho 25 Discos de Platina.
A celebrar os 28 anos de carreira, Rui Veloso deu um concerto no Arena Lounge do Casino Lisboa a 25 de Dezembro de 2008.
www.ruiveloso.net

Carnaval | Boney M. e Louie Vega
Arena Lounge | 4 Fevereiro


A contagiante época do “disco sound” constituiu o mote para a festa de Carnaval do Casino Lisboa. À meia-noite, os Boney M. convidaram o público a reviver os seus grandes êxitos que marcaram a década de setenta. A banda de Bobby Farrel percorreu temas como “Take the Heat off Me” ou “I See a Boat on the River”. Em noite de folia, o famoso Louie Vega trouxe também, a melhor música de dança ao Arena Lounge, prolongando a animação até às quatro horas da madrugada.

Espectáculo: “Night Fever”
Pelas 23 e 30, foi a vez da representação do espectáculo “Night Fever”. Com uma coreografia adequada ao Carnaval, um conjunto de 15 bailarinos assinam uma original actuação, que evoca o “glamour” e o perfil de época dos anos 70.
Louie Vega - Vega Records Sessions…

A partir da meia-noite e meia, Louie Vega foi o grande protagonista no Arena Lounge, apresentando temas que se tornaram obrigatórios nas pistas de dança em todo o mundo, com remisturas para nomes como Tito Puente, Saint Ettiene e Debbie Ginson. No Arena Lounge, Louie Vega esteve acompanhado, também, pela cantora Anané e Luisito Quintero, percussionista que faz parte do projecto Elements of Life.
Detentor de uma invulgar criatividade, Louie Vega criou com Kenny Dope uma dupla de produção que revolucionou a música de dança: Masters at Work. Aliás, a sigla MAW é sinónimo de música de dança da mais fina estirpe.
Com um alinhamento exclusivo para o Casino Lisboa, Louie Vega inicia o “set” com tonalidades mais disco, algo inédito nas suas apresentações em Portugal, seguindo-se do Live PA de Anané e a percussão explosiva de Luisito Quintero.

 

CELTIC LEGENDS
Auditório dos Oceanos | 8 a 20 Julho

 

Com música ao vivo, cerca de 20 artistas recriam a magia celta num espectáculo que reúne sons tradicionais e contemporâneos, onde não faltam os violinos, as gaitas-de-fole, os acordeões, as guitarras e as tradicionais flautas celtas (Tin Whistle), à voz de Michael Londra, um dos mais importantes cantores irlandeses da actualidade.
A dança, vibrante e entusiástica, recorda tempos longínquos, renascidos das brumas, em coreografias assinadas por Ger Hayes. Durante 80 minutos, o sapateado é o elo de ligação dos diferentes ambientes apresentados, numa recriação inovadora da história do folclore tradicional da Ilha Esmeralda.
Criado em 2002, CELTIC LEGENDS já se apresentou em mais de 2 dezenas de países, de diferentes continentes. Similar a espectáculos como River Dance ou Lord of the Dance, CELTIC LEGENDS conquistou o seu próprio público com a sua vivacidade e alegria em palco.


“Este espectáculo não se centra nos bailarinos; a música, tocada ao vivo, é de cortar a respiração”, Le Monde
“Música tradicional irlandesa, dança e canções, conjugadas num espectáculo que é o melhor no seu género”, Nice Matin
“Não é o habitual espectáculo de dança irlandesa”, Irish Independent

DE TABLAO | Companhia Antonio El Pipa
Auditório dos Oceanos | 31 Janeiro a 2 Fevereiro

 

DE TABLAO é uma fiel mostra da raça flamenca, com espaços cheios de mulheres sensuais, de bonitas formas e vestes típicas. Com os mantones, as peinetas, os grandes sombreros e as sempre presentes castañuelas, que recriam na perfeição a essência deste espectáculo, DE TABLAO trás até ao público uma visão do mais verdadeiro e puro flamenco, uma Espanha típica, presente no criativo imaginário de Antonio El Pipa e sua companhia de bailarinos.
DE TABLAO reproduz a história simples, mas verdadeira, da rivalidade entre os bailarinos de flamenco, os seus relacionamentos e grandes paixões vividas nos tablaos. Este espectáculo é a prova de que o Flamenco para existir apenas necessita de uma boa guitarra, um bom cantor e um excepcional dançarino: Antonio El Pipa.

Estoril Dance Sessions | Dj Kid Loco
Salão Preto e Prata | 19 Dezembro

No dia 19 Dezembro foi a vez do Dj Kid Loco animar mais uma Estoril Dance Session, no Salão Preto & Prata.

O produtor e disc-jockey natural de França apresentou registos como Oh Lord, Motocycle Angel, Pretty Boy Floyd, 10-15, Ann, Love is All Around, Confessions, The Specialist, Nijack Blues e The Times of Our Lives, entre outros.
O seu nome artístico é explicado pela tenra idade de 13 anos com que Jean-Yves Prieur iniciou o seu percurso na música, tocando guitarra e tendo colaborado com diversas bandas punk.
Editou o álbum «Blues Project EP» em 1996, pelo seu próprio estúdio – Yellow Productions. No ano seguinte lançou A Grande Love Story, que recebeu apreciações muito

ESTRELLA MORENTE
Auditório dos Oceanos | 12 Abril

 

Depois de em Junho de 2007 ter surpreendido com um memorável e esgotado concerto no CCB, a nova diva do flamenco e intérprete de “Volver”, regressou a Lisboa em 2008 para participar no 1º Sky Fest.

«O concerto tem início com 5 músicos sentados, Guitarra, Percussão e 3 “Palmas” em acção!
Estrella aparece de mantilha de renda a abanar um grande leque. Após esta entrada dramática canta algumas músicas acompanhada apenas pela guitarra. É inebriante e também desconcertante escutar uma voz tão autoritária e antiga vinda de uma mulher tão jovem! O diálogo com o público é constante.», The Guardian UK

Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

GONZALO RUBALCABA E JACINTA
Auditório dos Oceanos | 11 Abril

 

Gonzalo e Jacinta uniram-se para um espectáculo único, de grande cumplicidade, a 11 de Abril de 2008 no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa, onde criaram  momentos de grande intensidade num ambiente bastante intimista.
“Um dos maiores virtuosos do piano jazz” (The New York Times), juntou-se àquela que foi considerada a melhor jovem artista de jazz do continente europeu em 2007, com o intuito de criar, recriar e suscitar o gosto pelo jazz.
Com uma abordagem francamente contemporânea, Gonzalo e Jacinta trouxeram-nos um repertório baseado em standards de jazz, procurando ainda aliar harmonias e ritmos da América Latina.  Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

 

 

| Gonzalo Rubalcaba
Filho e neto de músicos, Gonzalo Rubalcaba nasceu em Havana, em 1963. Iniciou os seus estudos musicais aos 8 anos. Em 1985, durante uma visita a Cuba, Dizzy Gillespie, a lenda do jazz, ficou impressionado com o talento do jovem pianista, o que abriu portas para que consolidasse uma carreira internacional de instrumentista.
“Muito como Keith Jarrett, Rubalcaba tem a habilidade de elevar o tradicional a algo fora do ordinário”. JazzTimes
“Dotado de uma técnica prodigiosa, com uma profunda imersão e conhecimento do jazz, com fortes raízes na nuance rítmica Afro-Cubana” (Down Beat), Gonzalo é reconhecido hoje no panorama do Jazz Mundial como um dos maiores génios do piano.
O pianista vencedor de um Latin Grammy em 2002, apresenta as suas virtuosidade e profundidade musicais, tornando a sua actuação num ambiente intimista e sempre crescente.
Gonzalo já partilhou o palco com grandes nomes do jazz americano e da musica brasileira como Herbie Hancock, Shirley Horn, Chick Corea, Gal Costa, Ivan Lins e Tom Jobim.

 

| Jacinta
A melhor jovem artista de jazz do continente europeu em 2007, no âmbito da iniciativa “O Melhor da Europa”, transmite uma grande emoção e garra no timbre da sua voz que se define como quente, redonda e possante, sendo complementada com um swing sólido e natural.
Jacinta deu os seus primeiros passos artísticos através do estudo da música clássica em piano e composição, percurso pouco comum numa cantora de jazz. No entanto é neste mundo do jazz que a sua energia musical encontra plena expressão.
A primeira artista portuguesa a ser editada na prestigiada Blue Note Records, bebeu o Jazz na sua essência ao realizar o Mestrado de Jazz performance na Manhattan School of Music, tendo actuado diversas vezes com grandes nomes do Jazz como Jane Monheit, Peter Eldridge, Greg Osby, entre muitos outros.
O seu primeiro disco, Tribute to Bessie Smith, detém o recorde de vendas nacional, tendo sido galardoado com disco de Ouro pelas suas vendas superiores a 25.000 exemplares, feito nunca antes conseguido na história portuguesa do jazz.
“Uma presença em palco cheia de confiança e à-vontade, ... voz forte e extremamente bem dominada...scat, digno de uma cantora cheia de maturidade, de um nível que nunca apareceu neste país.”, António Rubio, Correio da Manhã
“...a revelar Jacinta como uma das grandes vocalistas do momento.”
Rodrigo Afreixo, Blitz

JAMES COTTON
Auditório dos Oceanos | 10 Abril

Apesar de um problema de garganta que lhe torna  voz rouca, James Cotton mantém a sua carreira e as digressões mundiais. Conhecido pela sua harmónica, James Cotton canta e escreve temas memoráveis preferindo os blues em todos os seus sub-géneros. Começou em 1955 na Muddy Waters Band mas depressa formou  a James Cotton Blues Band com a qual já ganhou várias nomeações para os Pémios Grammy.
Integrado no programa do 1º Sky Fest, James Cotton subirá ao palco do Auditório dos Oceanos, dia 10 de Abril para relembrar temas como Cotton Crop Blues, Rocket 88 ou Baby Don't You Take My Clothes. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

JORGE PALMA
Campo Pequeno | 14 Novembro

O último metro para si será, sem dúvida, o primeiro para Jorge Palma...
Apanhe este metro e junte-se a um dos maiores génios musicais portugueses da nossa geração num concerto inesquecível...

LOS VIVANCOS | 7 HERMANOS
Auditório dos Oceanos | 22 Abril a 4 Maio

Los Vivancos são 7 irmãos unidos pela necessidade de dançar flamenco, expressando a sua liberdade através do movimento que exploram até à exaustão do corpo e sublimação do espírito. “Se acreditarmos que o destino existe, então consideramos que o nosso é dançar juntos...como um todo”.
Filhos do músico e bailarino Pedro Vivanco, estes 7 irmãos desde cedo contactaram com a música, tocada e dançada. Muitos aprenderam a tocar um instrumento ainda antes de saber ler. Oriundos de Barcelona, Catalunha, estudaram no Institut del Teatro de Barcelona, onde aperfeiçoaram a herança artística recebida do seu pai.
Artistas completos, reuniram-se numa companhia familiar, que honra a memória do seu pai, e enaltece a paixão comum pelo flamenco. Juntos já actuaram com sucesso em grandes cidades como Amsterdão, Londres, Tel-Aviv, Vancouver e Las Vegas. Em 2007, esgotaram o Estádio de Bercy, em Paris, durante um mês, tendo actuado para cerca de 400.000 pessoas.  Com um inquestionável sentido rítmico, respeitam as diferenças que têm, transformando-as em palco em movimentos fluídos, plenos de força, sensualidade vibrante e muita garra.

Los Vivancos- 7 Hermanos, um espectáculo diferente para quem gosta de ser surpreendido.

LOU REED | BERLIN
Campo Pequeno |19 Julho

 

Considerado um dos maiores génios do rock, Lou Reed foi criticado há mais de 35 anos atrás por BERLIN, um álbum demasiado emocional, introspectivo e psicologicamente devastador para quem o ouvia. Para a Rolling Stone este álbum era de tal forma ofensivo para o ouvinte que este deveria ter direito de vingança; sem dúvida, era o final de uma promissora carreira. Felizmente, o prognóstico estava errado e Lou Reed tem sido reconhecido ao longo dos anos com diversos prémios e distinções, tais como o Heroes Award e o Chevalier Commander of Arts and Letters. O seu nome foi inscrito no Rock&Roll Hall of Fame, em 1996, em reconhecimento da sua participação na criação dos Velvet Underground.
A 19 de Julho de 2008, a arena do Campo Pequeno recebeu um memorável concerto onde se festejavam os 35 anos de BERLIN.
Com direcção musical de Bob Ezrin, produtor original de Berlin, Reed esteve em palco acompanhado por cerca de 30 pessoas, onde se incluíram Steve Hunter, guitarrista original do álbum, Mike Rathke (guitarra), Rupert Christie (teclas), Fernando Saunders (baixo e coro), Rob Wasserman (contra-baixo), Tony “Thunder” Smith (bateria) e o New London Children’s Choir. Os arranjos foram assinados por Hal Willner com a London Metropolitan Orchestra.

MARK KNOPFLER
Campo Pequeno | 4 Abril

 

Considerado um dos melhores 100 guitarristas de todos os tempos, MARK KNOPFLER, voz e guitarra dos Dire Straits, esteve de volta a Portugal para um concerto único. Neste dia, a arena do Campo Pequeno encheu-se com os fãs deste talentoso guitarrista, autor de álbuns como Ragpicker's Dream (2002), Golden Heart (1996), All The Roadrunning (2006) e, mais recentemente, Kill to Get Crimson (2007).

MOMIX | OPUS CACTUS
Auditório Oceanos | 26 Fevereiro a 16 Março

 

Famosa pela sua habilidade e talento em conjugar mundos de imagens surrealistas usando adereços, luzes, sombras, humor e corpos, MOMIX é uma companhia de bailarinos-ilusionistas sob a direcção de Moses Pendleton. Em Opus Cactus, renascem poeticamente num universo quente e árido, inspirado pela imensidão e diversidade do deserto. Esta é uma coreografia que apresentou infindáveis visões desérticas permitindo a criação de ambientes evocativos de rara beleza.

MÚSICA no Arena Lounge
Palco Multi-Usos

Diariamente, actuaram no Arena Lounge do Casino Lisboa:

3 Pack
80 à Hora
Akunamatata
Anna & The Goodfellas
Balangandã
Bando à Margem
Banho Maria
Black Rose
Boogie Nights
Buffalo Soldiers
Chauffer Navarrus
Chill Bill 
City Delight
Clara Ghimmel
Cool Jam
Corsage
Dynamite
Elle
Funk&Soul Collective
Garage Ensemble
Global Quartet
Groovalistas
Jazz me Brown
Jazzafari (João Mendes)
Jim Dungo
Li’lTwister
Light
Lisboa Não Sejas Francesa
Manif3stos
Maria Anadon
Olissipo Eléctrico
PIM PAM PUM
Playground
Quinteto Jazz Lisboa
Slowhand
Sylvie C
Terrina Band
Terrina Trio
The Soaked Lamb
Tributo aos Xutos & Pontapés
Trio Naranjus
Vira-Lata
Voodoo Marmelade
XL Femme

MÚSICA no Lounge D

Diariamente, actuaram no Lounge D do Casino Estoril:

80 à Hora
Boogie Nights
Box of Blues
Dynamite
Freakassé
Funky & Soul Collective
Gonzaga Coutinho
Habacuque
Jazz Me Brown
Lisboa não sejas Francesa
Magma
Maria Anadon
Marta Plantier
No Funk no Fun
Nicole Eitner
Nobody’s Bizness
PIM PAM PUM
Quintento Maria João Matos
Soulbreezz
The Lucky Duckies
The Soaked Lamb
Trio Naranjus
Trio Pagú
Vicky e os Blues Jeans
Whiteroom
Xl Femme

Natal | Feio & Friends
Arena Longe | 22,23,28,29 e 30 Dezembro

António Feio, rodeado por um grupo de amigos, decidiu formar uma banda para dar um concerto num registo descontraído, bem humorado e de grande cumplicidade com o público. Ao todo pudemos ouvir um alinhamento de canções que nos marcaram a todos de forma indelével.

Desde as bandas sonoras de filmes, até às canções de genéricos de séries infantis, passando ainda pelas publicidades clássicas, tudo cabe no repertório desta banda.

Tudo, tudo não é bem assim. Um dos músicos, que Feio com o seu bom feitio permitiu que fizesse parte da banda, contrariando a vontade dos outros elementos, insiste em fazer versões de músicas e solos em... Flauta de Pan. Mas, nem esta nota dissonante conseguiu desafinar o harmonioso, fabuloso e mais outra coisa acabada em "oso"(que não nos lembramos agora), concerto dos...FEIO & FRIENDS.

Com António Feio e Miguel Camilo nas guitarras, Alexandre Manaia no teclado, Nuno Oliveira no baixo, Mauro Ramos na bateria, Paula Teixeira e Paulo Ramos na voz. Participação especial de Jorge Mourato e convidados surpresa.

NATALIE CHOQUETTE , LA DIVA
Auditório dos Oceanos | 17, 18 e 19 Abril

 

Depois de ter inaugurado o Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa, em 2006, Natalie Choquette voltou a  Portugal para dar três concertos comemorativos dos dois anos do mais recente Casino do Grupo Estoril-Sol.
Filha de diplomatas, Natalie desde sempre contactou com diferentes culturas, absorvendo conhecimentos e tornando-se fluente em diferentes línguas como inglês, espanhol, russo, alemão e italiano. Aos 11 anos, a viver em Itália, descobriu a ópera para nunca mais a esquecer.
Estudou canto e piano um pouco por todo o mundo e, em 1993, em viagem pela Suíça, decidiu aliar a sua poderosa voz de soprano ao seu inesgotável sentido de humor, criando a sua personagem Diva Cómica. De Vigneault à Mozart foi o primeiro espectáculo, em 1994 e, desde então, não mais parou, ganhando inúmeros prémios e fãs por todo o mundo.


Quem acha que a ópera é aborrecida, não conhece Natalie Choquette nem a sua capacidade de interpretação de temas de Turandot com rolos no cabelo e a comer espaguete ou a cantar “Summertime” enquanto arranja as unhas, ou...

Natalie Choquette, La Diva, um espectáculo único para um momento único!!!

OS MELHORES SKETCHES DOS MONTY PYTHON
Coliseu do Porto | 19 a 23 Fevereiro

Depois de ter esgotado o Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa, OS MELHORES SKETCHES DOS MONTY PYTHON conquistaram também o Coliseu do Porto. António Feio, Bruno Nogueira, Jorge Mourato, José Pedro Gomes e Miguyel Guilherme deram vida ao humor especial dos Monty Python, numa selecção de sketches escolhidos, traduzidos e adaptados por Nuno Markl.

PEDRO TOCHAS | WORK IN PROGRESS
Auditório dos Oceanos | 7 a 9 Fevereiro

 

Quando se vê um artista de rua surgem várias questões:
Quais as histórias por trás dos truques?
Quais as motivações para os aprender?
Qual o resultado da sua apresentação?
Este espectáculo tratou-se do relato do percurso de um artista de rua através dos truques que vai aprendendo. Partindo do malabarismo, passando pelo teatro físico e de rua, juntando elementos de stand-up comedy, temos como resultado um trabalho multidisciplinar em tom de contador de histórias, que nos mostra como muitas vezes o percurso pode ser a parte mais divertida da criação artística.

PLAY | KATAKLÓ
Auditório dos Oceanos | 20 Maio a 1 Junho

 

Do grego “eu danço, dobrando-me e contorcendo-me”, os Kataklò são formados por jovens atletas que em palco quebram a rígida disciplina desportiva, aplicando a sua mestria em coreografias inovadoras que aliam a dança e a ginástica com o teatro e a poesia.


Com cerca de uma década de existência, os Kataklò têm Giulia Staccioli como fundadora. Ex-campeã olímpica de ginástica rítmica, Giulia Staccioli participou em diversas competições internacionais, onde se destacam as participações nos Jogos Olímpicos de Los Angeles (1984) e de Seoul (1988).  No final da sua carreira de atleta, integrou a Companhia Momix onde confirmou a potencialidade da aliança entre o seu treino como ginasta e a sua paixão pela dança.
A mistura de disciplinas, à partida tão díspares e incompatíveis, originou Indiscipline (1996), o primeiro espectáculo, com Giulia a assinar a direcção artística. O sucesso foi grande, dando à companhia uma imensa visibilidade internacional.

Desde então, os Kataklò já correram o mundo apresentando os seus espectáculos, bem como foram convidados para eventos como a Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Turim (2006), as festas de Passagem de Ano de Hong-Kong, os JO de Sidney, o Festival Fringe de Edimburgo. Pela primeira vez em Portugal, em 2008,  PLAY foi o espectáculo escolhido para o palco do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

Com humor, os Kataklò transgrediram as regras,e evidenciaram  os lugares comuns, olhando para a realidade às avessas e animando tudo o que é inanimado. Esta é a vocação de um grupo inovador e ousado que, acima de tudo, conquistou um espaço para além das fronteiras habituais do teatro.

QUIDAM | Cirque du Soleil
Grand Chapiteu, Passeio Marítimo de Algés | 18 Abril a 25 Maio

 

QUIDAM, pronunciado “key-dam”, vem do latim e significa transeunte anónimo, uma figura solitária numa rua qualquer, alguém que passa à pressa, que se sente sozinho no meio da multidão. Dirigido por Franco Dragone, Quidam transforma um mundo anónimo num espaço de esperança e de relacionamentos.
Com mais de 50 artistas de mais de dez países, esta produção é uma rara combinação de arte acrobática, mestria técnica, criações extravagantes e  inspiração musical excepcional, harmoniosamente entrelaçadas por um fio emocional dramático. Quidam apresenta a German Wheel, Banquine, Spanish Webs, Diabolos, Aerial Contortion in Silk, e os aclamados Crazy Clowns. Uma impressionante banda sonora tocada ao vivo, resulta de mi.sturas culturais eclécticas, instrumentos de corda clássicos e sintetizadores, misturadores e guitarras.

Um espectáculo Cirque du Soleil, visto pela primeira vez em Portugal em 2008.

Reveillon Casino Estoril | Sister Sledge & Contrabando
2008 | 2009

SISTER SLEDGE 
A viver em Filadélfia, as irmãs Debbie, Kim, Joni e Kathy Sledge formaram uma banda em 1971, quando as suas idades se compreendiam entre os 12 e os 16 anos. O seu primeiro single, Time Will Tell, foi gravado pela editora Money Back, mas rapidamente assinaram com a Atco com quem gravaram os temas Weatherman e Mama Never Told Me.
Ao longo da década de 70, as Sister Sledge foram crescendo e conquistando o seu lugar no meio musical. Em 1974, Love Don’t You Go Through No Changes On Me tornou-se o seu primeiro hit nacional, chegando ao 31º lugar da tabela de R&B e abrindo caminho à gravação do 1º álbum, Circle of Love. Em 1977 chegou Together, o seu segundo álbum com o single Blockbuster Boy.
No entanto, foi apenas em 1979 que o conquistaram o estatuto de estrelas internacionais com a canção We Are Family. Nas décadas seguintes, o sucesso manteve-se com temas como He's the Greatest Dancer, Got to Love Somebody, My Guy, Reach Your Peak e Frankie.
Apesar de algumas incursões a solo, as irmãs Sledge mantém-se unidas e estiveram no Casino Estoril a celebrar a passagem de ano de 2008/2009.

 

CONTRABANDO
Os Contrabando são um grupo de talentosos jovens músicos cubanos com o objectivo de imprimirem novas sonoridades à música popular cubana. Preservando as características essenciais da  música popular cubana, o seu repertório baseia-se na fusão do Songo com outras vertentes musicais como o flamenco, blues, jazz, rap e ritmos afro-cubanos.
Liderados por Andrés Fernández Ordoñez (ex-trombonista da banda Pupy y Los Que Son Son), os Contrabando apresentam composições originais com forte conteúdo social e centradas em temas como a vida, as relações amorosas e a mulher enquanto indivíduo.  Apesar da comunhão temática, as canções são diversificadas entre si pois são vários os autores a contribuírem para o repertório da banda.
Formados em 2005, começaram por pequenos concertos em festivais de verão e editaram o primeiro álbum, En Mi Habana, em 2007. Em 2008, fazem uma série de concertos na Benelux e participam no festival Marés de Agosto, nos Açores.

Reveillon Casino Lisboa | Xutos & Pontapés
Arena Lounge

 

A 20 de Dezembro de 1978, Zé Pedro (guitarra), Zé Leonel (voz), Kalú (bateria) e Tim (baixo) juntam-se pela primeira vez para um ensaio. Duas semanas depois, fazem a sua primeira actuação ao vivo, nos 25 anos do Rock and Roll, na sala dos Alunos de Apolo...e não mais pararam.
Quase 3 décadas depois, os Xutos & Pontapés mantêm uma agenda de concertos anuais sempre recheada. De norte a sul do país, são sempre bem recebidos por multidões que com eles cantam temas como “Contentores”, “Remar, Remar”, “P’ra Ti Maria”, “Não Sou o Único” e “À Minha Maneira”. Em 2006, viram os seus temas consagrados no musical Sexta-Feira 13 (Toyotabox), uma justa homenagem à mais emblemática banda rock nacional.
Na noite de fim-de-ano, regressaram  ao Casino Lisboa para um concerto especial no Arena Lounge. 
www.xutos.pt

RODRIGO LEÃO E CINEMA ENSEMBLE
Auditório dos Oceanos | 21 e 22 Junho

 

A assinalar o 50º Aniversário do Grupo Estoril Sol, Rodrigo Leão compôs uma peça original com 9 temas, com arranjos de Pedro Moreira, evocativos da história deste grupo empresarial.
CONCERTO EM SOL, reuniu  Rodrigo Leão ao Cinema Ensemble mas também à Orquestra Sinfonieta de Lisboa, sob direcção do maestro Vasco Pierce de Azevedo.
Um momento único e irrepetível, CONCERTO EM SOL, uma homenagem à Estoril Sol da iniciativa do seu presidente do concelho de administração, Dr. Mário Assis Ferreira, apresentou duas partes distintas. A primeira, constou da apresentação da peça original comemorativa do aniversário da Estoril Sol, da que fizeram parte os temas: Sol, Estoril, Histórias, Segredos, Ventos de Fora, Melancolias, Renascer, Consagração e Futuro; a segunda,  uma viagem pela singular e não menos maravilhosa obra de Rodrigo Leão.

SHEIKS
Jardim de Invernos (Teatro Municipal São Luíz) | | 11, 12, 18 e 19 Janeiro

A mítica banda dos anos 60, composta por Paulo de Carvalho, Carlos Mendes, Fernando Chaby e Edmundo Silva, esgotou os concertos no Jardim de Inverno do Teatro Municipal de São Luiz. 
O ambiente é simples, mas os pormenores são não são deixados ao acaso. Quatro músicos destacam-se num palco de uma casa lotada. As calças apertadas deixam transparecer as botas de bico. Ouvem-se os primeiros yeah-yeah e o público entra em êxtase. As meninas aos gritos temem o descontrolo dos impulsos. O som dos amplificadores arcaicos é abafado pela multidão que canta de cor todas as músicas. Os rapazes movidos pela adrenalina daquela nova forma de energia eléctrica sobem ao palco e entregam-se aos ritmos diabólicos do shake-shake que lhes sai da alma e do corpo...Poderiam ser os Beatles, mas esta tratou-se da mais fiel reprodução de um concerto dos SHEIKS, uma banda que marcou o panorama musical português na década de 60.

Sky Fest
Casino Lisboa | 7 a 13 Abril

 

SKY FEST é um festival multicultural que junta o Jazz, a World Music e o Blues no mesmo espaço.
SKY FEST reúne nomes consagrados, bem como impressionantes novos talentos dos 3 universos musicais que serão, seguramente, uma agradável revelação para o público.
SKY FEST oferece uma série de concertos gratuitos assim como a oportunidade de um encontro informal com os artistas. O programa desta primeira edição vai ao encontro dos apaixonados do Jazz, World Music e Blues. Paralelamente, realizar-se-ão workshops de instrumentos musicais etnográficos, bem como conferências direccionadas para o futuro da indústria musical lideradas por conceituados oradores.

Sky Fest | Olissipo Electrico
Palco Multiusos | 7 Abril

OLISSIPO ELÉCTRICO está longe de ser mais um quarteto a interpretar as já sobejamente conhecidas versões de standards de jazz. Divertido, groovy, impregnado de soul, funk e sabores latinos, é concebido para agradar quer a puristas e amantes, quer a curiosos do jazz.
O projecto reúne músicos consagrados residentes em Lisboa mas oriundos de todo o mundo. Dan Hewson é de Londres: compositor e pianista formado em Cambridge, é conhecido pelos arranjos que fez para projectos como Groove Armada, entre outros. Gustavo Roriz é brasileiro e é uma conhecida figura na cena musical lisboeta. João Ferreira é angolano. Guida de Palma é portuguesa. É a simbiose global perfeita!
O repertório é constituído sobretudo por temas Jazz e a maioria das canções são standards ainda não muito popularizados e com um cunho profundamente lisboeta. Haverá quem reconheça certamente temas celebrizados por Miles Davis, Milton Nascimento, Henri Salvador, Gal Costa, Sarah Vaughn, Nat King Cole, Carlos Santana, Dizzy Gilespie, Joe Sample, James Moody, entre tantos outros. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Canto da Terra
Palco Multiusos | 13 Abril

 

Os Canto da Terra apresentam um espectáculo alegre e cheio de energia, interpretando antigas melodias que atravessam diferentes gerações. Tocados com arranjos originais, estes temas de fusão de ritmos populares contagiam as plateias, criando ambientes onde não existem os conflitos de gerações. Os mais novos são surpreendidos pela sonoridade com que apresentamos as antigas melodias, transformadas com enérgicos arranjos, arrojados e descomplexados. Os menos novos relembram melodias de outrora, sempre presentes na memória. Canto da terra é sinónimo de Festa!
A música tradicional portuguesa não só faz parte do nosso passado como representa o presente da cultura de todos nós. Continuaremos a contribuir para que tal não seja esquecido.
Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Dâna
Palco Multiusos | 9 Abril

 

"Quando cantamos mesmo sem saber estamos ligados à  natureza e à harmonia dos sons que fazem vibrar as partículas do corpo físico, podendo assim melhorar e caminhar para a harmonia universal.”

DANA em sânscrito significa “o dom”, uma das seis etapas da carreira do BODHISSATAVA.
Ao adoptar este nome Dâna agradece aos Deuses a capacidade que lhe foi concedida de poder transmitir a Luz, a Esperança, a Liberdade e o Amor, formas de despertar os seres.
Dâna, que pertence à nova geração da música portuguesa, é a compositora e poetisa que ama as tradições.
Nascida no meio da cultura popular com tradições herdadas do seu avô, poeta popular, escritor e mentor da cultura tradicional na região da Azambuja, foi através dos seus pais que nasceu embalada pelo fado e abraçou o folclore. Daí o seu gosto pela Música Popular Portuguesa. Apesar de ter apenas 27 anos participou no Festival da Canção em 2001 e em vários trabalhos discográficos, como convidada.
Lançou o seu primeiro trabalho a solo em 2003 com o titulo “CANTAR PORTUGUÊS”. Foi um projecto que teve como objectivo, além de uma fusão entre a música popular portuguesa, sons mediterrâneos e electrónica, juntar o Rural ao Urbano como uma ponte de ligação às tradições portuguesas, e mostrar que a Música Tradicional/Popular pode seguir outros caminhos de evolução. Este trabalho reflectiu algumas influências culturais que Portugal e os portugueses mantiveram desde sempre com culturas diversas, dando origem a uma fusão musical multiétnica. Foi editado no Japão, Países de Leste e Norte da Europa, e em colectâneas juntamente com nomes como Deep Forest, Enigma e Air.
O seu segundo trabalho reflecte um crescimento e amadurecimento interior da artista. ”SEI FINALMENTE” é a expressão de uma fadista em ascensão que pela voz vai colorindo poemas monocromáticos. O Fado nasce de um encontro entre a emoção e a razão, ou seja, a vida, esse mistério que acontece sem se ver apenas ouvindo e sentindo. Pelo Fado somos levados numa viajem que nos transporta às ruas e vielas típicas dos bairros de Lisboa, e através do sentimento e emoção com que Dâna canta, somos inundados pelas cores, perfumes e raízes das tradições e da essência da expressão musical portuguesa maior que é o Fado.
Com arranjos de João Chitas, produção de Dâna e Vasco Lima, este trabalho representa, de forma peculiar, a emoção da fusão das guitarras e da voz num só como de um elemento único da natureza.
O repertório foi escolhido pela profunda admiração da grandeza da palavra portuguesa, desde os poetas populares aos mais eruditos. Alguns destes fados são bastante antigos e, de uma maneira geral, pouco cantados, tornando este disco rico em originalidade, patente também na forma de cantar de Dâna..
“Sei Finalmente” é muito mais que um simples disco de Fados, é antes uma experiência avassaladora em que a voz de Dâna conquista ao primeiro acorde da guitarra portuguesa e que deixa saudade, ainda antes de a última nota ser executada, pela mestria dos músicos que acompanham esta jovem promessa do Fado. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Deolinda
Arena Lounge | 12 Abril

 

"O seu nome é Deolinda e tem idade suficiente para saber que a vida não é tão fácil como parece, solteira de amores, casada com desamores, natural de Lisboa, habita um rés-do-chão algures nos subúrbios da capital. Compõe as suas canções a olhar por entre as cortinas da janela, inspirada pelos discos de grafonola da avó e pela vida bizarra dos vizinhos. Vive com 2 gatos e um peixinho vermelho..."
Deolinda é um original projecto de música popular portuguesa (MPP), inspirado pelo fado e as suas origens tradicionais. Formado em 2006 por 4 jovens músicos com experiências musicais diversas (jazz, música clássica, música étnica e tradicional), que procuram, através do cruzamento das diferentes linguagens e pesquisa musical, recriar uma sonoridade de cariz popular que sirva de base às composições originais do grupo.
Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Jazz Me Brown
Palco Multiusos | 8 Abril

 

JAZZ ME BROWN é uma banda formada por músicos experientes que trás na bagagem musical gravações e concertos com artistas como Ed Motta, Gilberto Gil, Gabriel o Pensador, Banda Black Rio, Roberto Menescal, Cássia Eller, Howard Levy, Pappa Winnie, D'zrt, entre outros grandes nomes. Com várias influências mas primordialmente a fusão do Jazz, Soul e Funk, Jazz me Brown apresentam versões electrizantes de temas conhecidos, bem como composições próprias. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Lady G Brown & Dr. Bastard
Palco Multiusos | 11 Abril

LADY G BROWN é Luiza Gabriel e DR. BASTARD é Pedro Caetano. Juntos são os Lady G Brown & Dr. Bastard.
Dr. Bastard é desde sempre apaixonado pela música,  grande admirador da cultura jamaicana e representante por excelência de uma onda alternativa  que cada vez mais se tem vindo a massificar. Criou a Bastard Productions no ano 2000 por necessidade de dar a conhecer a cultura do Reggae aos amigos e conhecidos. O 1º evento, “Festa da Liberdade”, aconteceu em 25 de Abril de 2000, no Hula Hula ( Praia do Rei – Caparica ). Em 2002 abre o único bar de Reggae, Dancehall, ragga, dub e ska ( Bob Rasta ) situado na Rua do Século (Bairro Alto), no qual era o responsável pela selecção musical,  tornando-se um dos primeiros e principais impulsionadores do reggae em Lisboa .
Lady G Brown & Dr. Bastard conheceram-se num jardim de Lisboa através de amigos comuns e aí nasceu uma união de irmãos. Começou por incentivar Lady G a misturar, convidando-a a tocar no Bob Rasta. Foi apenas um pequeno passo para passarem a tocar regularmente juntos. A primeira actuação em conjunto foi em Peniche, no Baleal Beach Camp, em 2005 e, desde então, não mais pararam. São residentes em vários clubes nocturnos de Lisboa, dos quais se destacam o Musicbox,  Crew Hassan, Le Chat Qui Pêche, Bicaense ou o Mexe Café. Misturam os sons do Reggae com Afrobeat ou o Funk, passando pelo Ska, o Dub, o Dancehall e até a música dos balcãs ou da América do Sul  não são esquecidas. Utilizam as vozes e a melódica nas suas performances. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Madame Godard
Palco Multiusos | 10 Abril

Para quem gosta de encontrar sonoridades diferentes e descomplexadas, os MADAME GODARD poderão ser a (re)descoberta acertada.
Inicialmente composto por seis elementos, o grupo revelou desde a sua formação um grande eclectismo, assumindo um vasto e variado leque de influências musicais.  
As tonalidades sonoras da banda pintadas por trompetes, violinos e teclados vintage dificilmente passam despercebidas, transportando quem os ouve para cenários verdadeiramente singulares.
Provenientes de Viana do Castelo, os Madame Godard anseiam por chamar a atenção de uma audiência mais vasta. Participar no Termómetro Unplugged, o mais influente e reconhecido concurso de música moderna portuguesa, foi apenas o primeiro passo. Com a experimentação e a liberdade criativa como denominadores comuns do seu trabalho, os Madame Godard depressa conquistaram o júri e o público, alcançando um respeitável segundo lugar. O concerto do grupo foi o mais aplaudido da noite, e a sua actuação acabou por ser distinguida com o Prémio Rádio Comercial.
Os Madame Godard começavam então a saborear os primeiros frutos do seu trabalho e, em menos de um ano, actuavam já no palco principal do Festival de Paredes de Coura. Acompanhados por uma orquestra de quinze elementos, entusiasmaram público e crítica, e a sua actuação foi considerada uma das melhores de todo o festival. Iniciava-se uma longa digressão que os levou a actuar dentro e fora do país, partilhando palcos com vários ícones do rock, tais como Iggy Pop e Sonic Youth e tantas outras bandas de renome como dEUS, Lamb, Gomez e Suede. 
Apostando na diferença como base da sua obra e sem nunca ter tido pressa de agradar tendencialmente, o grupo procurou consolidar ideias, em busca de uma constante superação. Por vezes torna-se necessário inverter ritmos e subverter processos para avançar depois com renovada inspiração.
Os seus temas cruzam a chanson française com ritmos sul-americanos, a pop e o rock de sessenta com o funk de setenta, a confusão concertada da música de leste com a lógica desconcertada das bandas sonoras de Tarantino.
Com menos um elemento na sua formação, a maturidade sonora surge agora, fruto de uma musicalidade contemplativa, para dar lugar a um trabalho ao mesmo tempo delicado e colorido, despojado e complexo.
Actualmente a gravar o seu primeiro disco com Paulo Miranda, que já trabalhou com vários projectos de referência, tais como Old Jerusalem, The Unplayable Sofa Guitar e The Legendary Tiger Man, os Madame Godard regressam agora aos palcos depois de um inesperado e prolongado silêncio. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Nancy Vieira
Arena Lounge | 10 Abril

 

Nancy Vieira nasceu em África e está quase tudo dito; na sua forma de estar e de interpretar as coisas da vida, emerge um caudal de emoções que para além de uma tristeza ou nostalgia, reflecte também uma doce esperança de um mundo melhor.
Não há ódio nem raiva nem revolta na sua voz. Em vez disso há uma coerência absoluta e uma subtileza tão doce e tão superior que só um cabo-verdiano pode ter.
Nasce por casualidade na Guiné-Bissau em 1975. Aos 4 meses muda-se para a Cidade da Praia em Cabo-Verde, terra de seus pais, onde cresce e vive até aos 10 anos de idade, altura em que a família se muda para São Vicente. Desse tempo tem memórias de uma infância feliz: “À noite dispensávamos a televisão, juntávamo-nos na pracinha do liceu e brincávamos às escondidas”.
Liceu da Praia, Praia de Quebra Canela, São Francisco, Praia Baixo e Tarrafal, passeios de carro com os pais ocupam as suas recordações. Frequentou os Escuteiros, aulas de dança e nessa altura cantava, mas para se entreter: “Gostava de ir cantar com as minhas colegas à igreja protestante que ficava em frente à minha casa”. Confessa que não tinha nada a ver com a religiosidade, até porque é de formação católica; ia simplesmente pelo prazer de cantar.
Aos catorze anos vem para Portugal. Enquanto prossegue os estudos em Lisboa, continua a cantar entre amigos, à semelhança do que acontecia em Cabo Verde e, em 1995, apresenta-se pela primeira vez em público num concurso do qual foi vencedora e cujo prémio se concretizou na gravação do seu primeiro disco Nos Raça.
Este disco chamou de imediato a atenção do seu povo, na sua terra e na diáspora, e arranca definitivamente Nancy do anonimato. Começando a marcar pontos no panorama da música das suas raízes, ao lado de outros nomes sonantes como Cesária Évora, Titína, Bana, Tito Paris, Ildo Lobo, Boy Gê Mendes entre outros.
Participou em espectáculos tão importantes como “Women Of Cape-Verde” no Reino Unido (Tour 2003) ao lado de outras revelações de então como Maria Alice, Lura e Rita Lobo.
Este foi apenas mais um passo para o resto da sua carreira, com visibilidade e uma excelente crítica no The Independente parte para uma nova etapa e agora para um novo disco a cargo de Toy Vieira (Produção e Direcção Musical) e Djim Job (Arranjos e Orquestração). Parte definitivamente para o lugar onde a musica de Cabo-verde pertence: O Mundo Inteiro. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | O’Questrada
Arena Lounge | 8 Abril

O espírito do Fado na “pulsão” do Ska!
Universal e indescritível, a sua sonoridade ousa uma fusão única impregnada do espírito do fado, do ska, do pop, do funáná e de outras histórias que cruzam o seu caminho. Este clã desenha o seu mapa de fronteiras musicais e traça a estrada no encalço de todos nós, numa saga de enredo, fugas, amor, mistério e acção. Com os seus instrumentos base: a guitarra portuguesa, a contra-bacia, a guitarra rítmica, a voz e o acordeão, falam entre eles uma língua singular, energética e popular numa viagem sonora 99% acoustic style.
“A sua vitalidade é impressionante, a sua capacidade comunicativa também. Impressionantes são, também, a competências musicais, a versatilidade e a disponibilidade de cada um e do grupo. Populares e de grande qualidade.”                      Revista Expresso – João Carneiro. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Rosa Negra
Arena Lounge | 7 Abril

Rosa Negra é uma proposta surpreendente dentro dos caminhos do novo fado, seu passado e seu futuro. Sendo a voz do fado sempre a voz do destino, porque um e outro são o mesmo, é natural que se olhe para eles com respeito mas também com liberdade, a liberdade de encontrá-los à nossa maneira, dentro da nossa alma fadista.
Matizada por tons quentes e sombras profundas, os lamentos melódicos da sua música misturam-se com movimentos tribais, ritmos do deserto acompanhando uma voz profundamente fadista e aventureira, batendo o pé à fatalidade, numa teia de arranjos de inspiração ibérica/ mediterrânica/ desértica, com cordas/ trompete/ piano e acordeão, sempre apontando para o Oriente, cruzando caminhos imaginários de ir e vir, “num oásis de esperança eterna, um sentimento de jasmim, memórias do meu coração”.
«Fado Ladino» é o nome do poema ao qual pertencem as frases anteriores e é também o nome deste álbum. Se nos debruçarmos nos significados do termo, encontraremos toda a carga do seu sentido: ladino é cigano, é judeu, é espanhol, é mouro, é latino. Mas também é puro, legítimo, astuto e vivo. Enfim, ladino é o nosso fado porque ladina é a nossa origem.
Carmo é a cantora de Rosa Negra, com a sua voz e a sua presença cheia de véus, ocultando movimentos e sons, palavras que nos fazem olhar para dentro, perguntando-nos porque nos soa tão natural esta música. Será que foi beber a sua inspiração à fonte de onde viemos?
Rosa Negra é uma produção de RAGA, produtora totalmente comprometida com a procura de uma estética musical com voz própria, nossa mas de todos e para todos.
PS: Rosa Negra, ao vivo, é um espectáculo envolvente e excitante, que enche o olho e a alma. Uma cantora, sete músicos, duas bailarinas e uma VJ, num contexto único e novo, tanto como tudo o que sempre cá esteve e sempre cá há de estar. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Sara Valente
Palco Multiusos | 12 Abril

Sara Valente nasceu em Setúbal em 1977 e, a partir de 1999, começou a integrar alguns grupos de jazz locais. Após terminada a licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais, na Universidade Nova de Lisboa, no ano de 2000, matriculou-se na Escola de Jazz do Barreiro e, desde então, vem aumentando a sua experiência tocando em bares e auditórios do país com diversos músicos da cena do Jazz nacional, tais como João Maurílio, Carlos Vieira, Nelson Cascais, Paulo Bandeira, Gonçalo Marques, Hugo Antunes, Ricardo Pinheiro e o saxofonista dinamarquês Martin Jacobsen, entre outros.
Dos locais onde tem actuado destacam-se o Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal, o Auditório Luísa Tody, o Fórum Municipal do Seixal e de Almada, o Centro Cultural Vila Flor, o Teatro Sá da Bandeira e o Hot Clube. 
Em 2006 editou em CD alguns dos seus temas preferidos e algumas versões de conhecidos temas instrumentais, para os quais escreveu letras em português. Intitulado “Blue in Green”, este CD propõe autores como Miles Davis, Wayne Shorter, Horace Silver, Thelonious Monk numa leitura diferente trabalhada nos arranjos e em algumas letras originais.
A voz de Sara Valente é acompanhada por Gonçalo Marques no trompete, João Maurílio no piano, Nelson Cascais no contrabaixo e Paulo Bandeira na bateria.
Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Sweet Vandals
Arena Lounge | 11 Abril

 

Funk! Soul!
Os Sweet Vandals encontraram-se na paixão por estes géneros musicais.
Comparados frequentemente aos Sharon Jones & the Dap Kings , Nicole Willis & the Soul Investigators e aos New Mastersounds, encontraram o seu caminho que conseguem realizar em palco como nos álbuns. O seu primeiro single, I Got You Man,  é considerado um clássico, apesar de tão recente. Produzido por Carlo Coupé, foi gravado com equipamento de alta qualidade de forma a garantir uma pureza de som que não deixa ninguém indiferente...mesmo se (ainda) não é fã. Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | Tango Crash
Palco Multiusos | 13 Abril

Almada e Iannaccone são os fundadores de Tango Crash. Editaram o seu primeiro trabalho em 2003. Cinco anos depois, Bailá Querida, o seu terceiro álbum, apresentou uma sonoridade electrotango, numa conseguida mescla de tango, música electrónica e improvisação. Neste 3º trabalho contaram com a colaboração de Marcio Doctor e Gregor Hilbe na percussão, Lopecito na voz, Nicolas Nobili, Rodrigo Domínguez  no saxo, Susana Andres no violino e Christian Gerber no Bandoneón.
Reconhecido pelo público e crítica europeia, receberam o prémio Ruth para Grupo Revelação (Prémio Deutsche welt &folk musik) em 2005.
A sua música visa a dança mas também pretende reflectir, o mais fielmente possível, as novas tendências e experiências vividas pelos seus criadores, sem desprezo das contribuições que recebem de todos quantos esporadicamente colaboram no projecto.
Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

Sky Fest | The Soaked Lamb
Arena Lounge | 9 Abril

 

The Soaked Lamb é uma banda de roots, com predominância para os blues dos anos trinta e quarenta e influências do jazz dessa mesma época. É uma banda de seis pessoas: Mariana Lima é a voz principal; Miguel Lima na bateria e percussão; Gito no contrabaixo; Tiago Albuquerque no saxofone, clarinete, concertina e guitarra; Vasco Condessa no piano e órgão; Afonso Cruz na guitarra, banjo, harmónica e voz.
The Soaked Lamb gravaram um CD de blues, com bocadinhos de swing, ragtime, boogie woogie. Um grande concerto! Concerto inserido no 1º Festival Sky Fest (7 a 13 Abril no Casino Lisboa).

STAR WARS | THE EXHIBITION | Bruxelas e Ornskoldsviks
Bruxelas | 15 Fev a 1 Junho | Suécia | 27 Junho a 28 Setembro

Depois de Lisboa, Porto e Londres, Star Wars-The Exhibition inaugurou-se também em Bruxelas. Tour&Taxis é o local onde os cerca de 250 objectos que constituem o espólio desta exposição puderam ser apreciados de 15 de Fevereiro até dia 1 de Junho de 2008

Na Suécia, a exposição esteve patente no Museu Och Konsthall, em Ornskoldsviks, até 28 de Setembro do mesmo ano.

STAR WARS | THE EXHIBITION | Madrid
Centro de Exposições El Canal | 15 Novembro 2008 a 19 de Abril 2009

 

A saga continua...

Depois de Lisboa, Porto, Londres, Bruxelas, Ornskoldsvik (Suécia), a Exposição Star Wars foi até  Madrid, estando patente no Centro de Exposições El Canal.

Darth Vader, C3-PO e R2-D2 são apenas alguns dos personagens que pôde conhecer ou rever na Exposição Star Wars. Foram mais de 250 objectos, entre desenhos, cenários, naves e guarda-roupa, patentes ao público naquela que é a exposição oficial da saga Star Wars.

Visite o site em www.starwars-theexhibition.com

TANGO PASIÓN | com Orquestra sexteto menor
Auditório dos Oceanos | 6 a 18 Maio

 

Em palco, 6 pares de bailarinos, acompanhados peça Sexteto Mayor Orchestra, vencedora de um Grammy, criam quadros únicos embeleza e sensualidade.
Coreografado por Hector Zaraspe e com orquestração e arranjos musicais de José Libertella e Luis Stazo, TANGO PASIÓN conta a história do tango, desde as primeiras milongas (danças) bailadas nos bordéis até aos tangos sofisticados e contemporâneos de Astor Piazzola, passando pela época áurea do cabaré, numa atmosfera intimista que desperta os sentidos e emoções.
TANGO PASIÓN já foi aplaudido em toda a Europa , Ásia e América, revelando-se um verdadeiro sucesso em palcos como o Teatro de Champs-Elysées (Paris), o Teatro do Kremlin (Moscovo), A Sistina (Roma) e o Longacher Theatre (Broadway). Este foi ainda o espectáculo escolhido para a  cerimónia de celebração dos 700 anos da Dinastia Grimaldi, no Stade Louis II (Mónaco).

TAP DOGS
Auditório dos Oceanos | 12 a 24 Fevereiro

 

Pegue em seis homens de Newcastle, uma cidade industrial a norte de Sidney, Austrália; junte-lhes o coreógrafo Dein Perry e o designer/director Nigel Triffitt e obtém TAP DOGS: noventa minutos de puro sapateado, reinventado para os dias de hoje. Com uma história incrível recheada de talento e perseverança este grupo proporciona momentos de dança de rara beleza e força. É o poder masculino ao seu mais alto nível.

2 AMORES
Teatro Villaret | 19 Setembro 2006 a 26 Maio 2007 | Coliseu do Porto | 5 a 9 Junho

Nesta comédia de tirar o fôlego, João, um motorista de táxi em Lisboa, é muito feliz no seu casamento com Maria e, ao mesmo tempo, muito feliz no seu casamento com Ana. Trava conhecimento com dois inspectores da polícia devido ao seu envolvimento num assalto onde, corajosamente, salva uma velhinha. Este seu acto heróico acaba por causar uma grande confusão que rapidamente vai crescendo... e crescendo... e crescendo... A ajudar aos equívocos estão Simão e Beto, os vizinhos de cima de cada uma das suas casas. De novo juntos em palco, António Feio e José Pedro Gomes protagonizaram 2 AMORES.
2 AMORES é uma comédia de Ray Cooney, com tradução de Ana Sampaio e encenação de António Feio, com interpretação deste último, José Pedro Gomes, António Machado, Claúdia Cadima, João Didelet, Joaquim Guerreiro, Maria Henrique e Martinho Silva.

Animação Verão | Dream Bodies
Arena Lounge | 1 a 31 Agosto

Tenha o prazer de se sentir tentado! Foi a proposta que lhe fizemos em 2007

Que mulher desperta a sua atenção, mexe consigo? O Anjo ou o Demónio?
O perigoso e sedutor, o alucinante jogo da conquista e sensualidade contado por mulheres bem diferentes. Um espectáculo envolvente onde o poder do feminino prevalece ao ritmo e sabor de uma dança.

Animação Verão | Francisco Menezes
Arena Lounge | 17, 18, 24, 25 e 31 Agosto e 1, 7 e 8 Setembro

 

Francisco Menezes, o próprio! Um espectáculo onde o humorista, sozinho, deu corpo e voz a inúmeros disparates, imitações, interpretações musicais, enfim...tudo faz sentido, quando se fala de Portugal e dos portugueses.
Francisco Menezes, presença assídua no “Levanta-te e Ri” (SIC), voz de “O verdadeiro FM” (RFM), autor e actor de “N cromos” e “O Desterrado” (Ntv) e de “Portugal FM” (RTP1), levou o seu humor para o Casino Lisboa.

Animação Verão | Nilton
Animação Verão | Arena Lounge | 3, 4, 10 e 11 Agosto e 14 e 15 Setembro | Tratado de Lisboa | Arena Lounge | 13 Dezembro

Nilton já foi Disc Jockey e decorador de interiores, mas desde sempre se viu atormentado por várias ideias surrealistas e realidades distorcidas. Durante alguns anos guardou-as em sebentas. Os textos sucederam-se, as ideias ganhavam forma e a partir de uma certa altura começava a ser difícil segurá-las no papel, ganharam vida própria!
Gravou em 2002, o primeiro DVD de Stand Up Comedy feito em Portugal. “Nilton ao vivo no Teatro Maria Matos”. No ano seguinte é convidado para o programa da SIC, “Levanta-te e Ri”. O sucesso das suas prestações valeram um convite para criar o seu próprio programa. Surge o K7 Pirata onde consegue concretizar o sonho de juntar entrevistas e humor. Os espectáculos ao vivo são a grande força do seu trabalho. Faz mais de uma centena e meia por ano, o que o obriga a viajar semanalmente de norte a sul.

Animação Verão | Vozes da Rádio
Palco Multiusos | Domingos, 2ªs e 3ªs de Agosto

 

Os VOZES DA RÁDIO, um quinteto de vozes que canta “à moda antiga”. aqueceram as noites de Verão de 2007.
Formados em 1991, no Porto, os Vozes da Rádio são frequentemente convidadas para inúmeros concertos e espectáculos, sendo comum as suas colaborações discográficas com outros artistas, sendo Rui Veloso e Ala dos Namorados apenas alguns dos mais recentes exemplos. Versões a capela de temas bem conhecidos, tais como, "Índios da Meia Praia" fazem parte de um repertório bem recheado.

Aniversário Casino Lisboa | The Gift
Arena Lounge | 19 Abril

Nascidos em 1994, os The Gift surgiram inicialmente como projecto paralelo dos Dead Souls, banda de então de Nuno Gonçalves e Miguel Ribeiro.
De dois os The Gift passaram a ser uma banda de quatro elementos, encabeçando o microfone, a potente voz de Sónia Tavares. Com uma mão cheia de êxitos nacionais, os The Gift fazem parte do nova sonoridade nacional, tendo-se já firmado em muitos outros países europeus.

Arena Live | Ala dos Namorados
Arena Lounge | 29 Outubro

 

Mentiroso Normal é o nome do álbum da Ala dos Namorados que conta com a colaboração de João Martins e Rui Guerreiro.
Mantendo a vitalidade criativa que caracteriza a Ala dos Namorados, este trabalho tem produção de Manuel Paulo. Com a ausência de João Gil, este colectivo de músicos não deixou ninguém desapontado e elevou a qualidade do seu som ao convidar alguns nomes sonantes da música portuguesa, como Jorge Palma, Nancy Vieira, José Medeiros e dos músicos Alexandre Frazão (bateria), Mário Delgado (guitarra), Massimo Cavalli (contrabaixo) e Ruben Santos (trombone). Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | André Sardet
Arena Lounge | 25 Dezembro

Conhecemo-lo através de diversos programas televisivos, mas longe estava a ideia do sucesso que iria ter nos anos vindouros. No ano de 1995, André Sardet assina um primeiro contrato discográfico e junta uma banda de sólidos músicos como: Filipe Larsen (baixo), Francisco Martins (guitarras), Miguel Braga (pianos e sintetizadores), Zé zé N’Gambi e Cenoura (bateria), Tomés Pimentel (trompete), Edgar Caramelo e Naná Sousa Dias (saxofone), entre muitos outros músicos.
Cedo, André, se destacou pela sua voz límpida e intensa, uma forma original que causava transparência nas suas interpretações. Imagens é o nome do primeiro álbum, de onde saiu o primeiro single “O Azul do Céu”, um sucesso instantâneo.
Mais de dez anos passaram desde este início promissor, e André Sardet nunca deixou de acreditar na música portuguesa e no seu elevado potencial. O acústico lançado em 2006 é o álbum que comemora este marco na sua carreira artística, altura em que se vê novamente catapultado para o primeiro lugar dos tops nacionais. Quem não se lembra do tema “Quando Te Deixei de Falar de Amor”?
Um espectáculo que ainda hoje é recordado. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Coldcut
Arena Lounge | 22 Outubro

 

Uma viagem inesquecível com um live act dos britânicos COLDCUT.
COLDCUT é um projecto da dupla de produtores ingleses Jonathan More e Matt Black que se começou a distinguir a meio da década de 80 pelas produções e remisturas feitas para uma série de artistas dos mais diferentes quadrantes, do rock ao hip-hop, passando também pela electrónica. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Delfins
Arena Lounge | 12 Novembro

 

Powerpop” é o nome do concerto que os Delfins deram. O tempo passa a correr e ainda agora era o ano de 1984, altura em que nasciam os Delfins. 23 anos depois o grupo de Cascais que alcançou uma linguagem simples, mas eficaz, relançou-se com um álbum de nome igual ao seu. Delfins reúne as canções que permanecem, que empolgam e que seduzem, aumentando as nossas já saudosas expectativas.
Com um total de doze canções interpretadas por Miguel Angelo, Fernando Cunha, Rui Fadigas, Luís Sampaio e Jorge Quadros e com produção e misturas de Chris Tsangarides, este concerto recarregou as  baterias de quem o assistiu, com o som dos baixos, das guitarras e dos teclados com o grupo que marcou a nossa música. Os Delfins prepararam-se para tudo, e o público  também esteveà alturao do balanço que veio depois de um “Momento de Reflexão”, em vez de ficar “À Espera de Godot” ou de procurar outra vez a “História Antiga”, mais vale saber preparar a viagem “Da Terra Ao Céu” e, ouvindo a “Rádio Mundo”, saber que é indispensável estar “Disponível Para Amar” e teimando em “Viver A Valer”, vamos acabar “Para Lá do Universo”. Nem é preciso “Cuidado Com O Sol”. Neste caso, “Fiat Lux”,  que é como quem diz “Faça-se Luz”: como ficou provado, os Delfins nunca foram gente de dormir à sombra. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Fingertips
Arena Lounge | 3 Dezembro

 

Tudo começou quando em 2003 o álbum All’ Bout Smoke N’Mirrors chegou às lojas. A banda portuguesa FINGERTIPS ganhava cada vez mais fãs e os êxitos repetiam-se de uma forma consecutiva. Esses eram escritos por Zé, vocalista do grupo, que na altura deslumbrou pelo seus precoces dotes de composição aos 16 anos de idade.
“Mellancholic Ballad (For The Leftlovers)” e “How Do You Know Me”, foram dois dos singles mais rodados nas rádios portuguesas, nesse mesmo ano, integrando a banda sonora de telenovelas portuguesas e uma com produção da TV Globo. As influências melodramáticas que se conjugam com um lado manifestamente poético das canções, eleva este grupo a um estatuto de referência, e os concertos sucedem-se, com uma componente visual irreverente. A imagem é uma ferramenta cuidada ao dispor deste colectivo. Mais tarde, também o tema “Picture Of My Own” foi eleito para banda sonora, mas desta vez para a campanha publicitária de uma conhecida marca portuguesa de cervejas.
O ano de 2006 torna-se um prolongamento do sucesso passado e a aceitação do segundo álbum de originais, Catharsis, não poderia ser melhor. Rapidamente alcança os tops de vendas nacionais, sendo que o seu primeiro single “Cause To Love You”, torna-se o mais tocado, nesse início de ano. A este seguem-se outros temas que ganharam grande destaque: “18th March”, retirado para segundo videoclip deste trabalho e “Something Has Broken”, escolhido para mais uma banda sonora de uma série televisiva em horário nobre.
Com mais de seis singles de sucesso nacional e internacional, este segundo disco deu provas de ser um excelente trabalho. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Nicole Willis & the Soul Investigators
Arena Lounge | 26 Novembro

 

Nesta noite, o Casino Lisboa deu um verdadeiro delírio de doses energéticas de groove e ritmos contagiantes da soul e do funk, numa sessão de dança interminável. Ao vivo, NICOLE WILLIS & THE SOUL INVESTIGATORS.
Nicole Willis é "Ouro Negro", como já lhe chamaram. Estiliza a Soul e faz uma simbiose perfeita entre o funk, jazz, house, downtempo e electrónica. Originária de Brooklin, integrou projectos como os Brand New Heavies, os saudosos Deee-Lite e colaborou com os The The, o lendário Curtis Mayfield, Leftfield, Jimi Tenor, entre outros.
Em 2000 inicia uma carreira a solo e, após a edição de dois álbuns (Bet it  e Soul Makeover), em 2005 junta-se aos Soul Investigators, a banda de funk de culto por excelência na Finlândia. A parceria é perfeita, o resultado é “Keep Reachin 'Up”, o melhor disco que a Motown nunca gravou. "…Keep Reachin' Up é o cálice sagrado no vasto movimento de regresso à «vintage soul»…". Quem não recorda a canção ”If This Ain’t Love”, nomeada por Gilles Peterson como o melhor single de 2005. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Paulo Gonzo
Arena Lounge | 10 Dezembro

 

O espectáculo tem o nome do homónimo, Paulo Gonzo. E não deixou ninguém indiferente a este concerto onde predominaram os elementos gráficos e visuais muito fortes, do princípio ao fim, com um único mote os blues passando, também, pela soul e obrigatoriamente pelos seus mais conhecidos êxitos: “Jardins” e “Sei-te de Cor”, são apenas alguns exemplos desta play list diversificada.
Multifacetado, poderá ser o adjectivo que melhor se enquadra para tipificar o percurso artístico deste cantor. Desde o início, em 1975, quando começou a sua carreira como co-fundador, compositor e vocalista do grupo Go Graal Blues Band, que lhe valeu a assinatura de um contrato discográfico no ano de 1986, até à gravação do seu primeiro álbum a solo, Pedras da Calçada, que tinha doze músicas portuguesas, de onde existe uma que se destaca pela sua melodia e sensualidade,  “Jardins Proibidos”, que Paulo Gonzo tem marcado o panorama da música nacional portuguesa.
Mais de 20 anos volvidos, o álbum By Request representa um conjunto de canções que surpreendem pela sua emotividade e arranjos sofisticados, Paulo Gonzo continua imune a modas e tendências e a impor-se com uma grande voz nacional. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Roy Ayers & Gilles Peterson
Arena Lounge | 17 Dezembro

 

Nesta noite, o mote foi imperdível: partimos em busca do groove interminável com ROY AYERS UBIQUITY em concerto, a que se seguiram as manobras magistrais de GILLES PETERSON em DJ Set.
Considerado uma das figuras principais dos movimentos r&b, funk e acid jazz, ROY AYERS é o verdadeiro showman. É um músico virtuoso e um dos mais lendários vibrafonistas da América, fonte de inspiração para artistas como Mary J Blige, Groove Colective, Masters at Work e Guru Jazzmatazz, entre tantos outros. Privou com o mestre do afrobeat, o nigeriano Fela Kuti, com quem editou dois discos e, no decorrer dos anos 70, cria uma das constelações musicais mais brilhantes de sempre: a ROY AYERS UBIQUITY, que se apresentará ao vivo no palco do Casino Lisboa. Integrada, ao longo dos anos, por nomes como Sonny Fortune, Billy Cobham, Omar Hakim ou Alphonze Mouzon, a banda criou uma fusão muito peculiar de sonoridades r&b, funk e disco, originando enormes sucessos comerciais como "Running Away" e "Everybody loves the sunshine".
Nesta noite, houve ainda um convidado muito especial: no comando da cabine de DJ, GILLES PETERSON, uma verdadeira referência na origem do acid jazz e na club culture. Influente gira-disquista, é mentor das editoras Acid Jazz, Talkin’ Loud e mais recentemente, da Brownswood. Centradas na procura de novos produtores e músicos destinados a serem os melhores da sua geração - Erykah Badu e Tony Rich são alguns dos talentos descobertos por este A&R - Gilles Peterson é ainda universalmente conhecido pelos seus programas de rádio e as suas eclécticas selecções musicais. Primeiro na London Kiss FM e, desde 1998, com o programa Worlwide, na BBC Radio 1, este opinion-maker revelou algumas das maiores pérolas mundiais do dub ao reggae, jazz, nu-jazz, soul, neo soul, R&B ao drum’n’bass, house, broken beat, hip-hop e jazz-funk. Nesta noite, partimos em busca do beat perfeito … Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Santos & Pecadores
Arena Lounge | 5 Novembro

 

Os Santos & Pecadores dispensam apresentações. O seu estilo é inconfundível e a forma como Olavo Bilac interpreta cada canção é única. Os ingredientes mais fortes desta música são o rock, soul e funky, uma fusão de vários estilos protagonizada pelo citado vocalista, Pascoal Simões (teclas), Ruy Martins (metais), Pedro Cunha (bateria), Artur Santos (baixo) e Pedro Almeida (guitarra).
Em 1987 eram apenas uma banda de garagem, mais de vinte anos mais tarde são uma das mais famosas bandas portuguesas da actualidade. Popularizada entre as massas com o êxito “Não voltarei a ser fiel”, o primeiro álbum dos Santos & Pecadores, Onde Estás, só é editado em 1995 com produção de Fernando Cunha e letras da autoria de Miguel Ângelo (dos Delfins).
Mais de duas décadas se passaram e eis que surgiu, novamente, com a ajuda de Hugo Costa nas letras, a composição dos seus novos temas. Uma nova era se iniciou para os Santos & Pecadores. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

Arena Live | Tiago Bettencourt & Mantha
Arena Lounge | 19 Novembro

 

Primeira apresentação em Lisboa do projecto de Tiago Bettencourt, cara e voz dos “adormecidos” Toranja.
Acompanhado pelos Mantha (João Lencastre e Tiago Maia), Tiago Bettencourt traz na bagagem as 12 novas canções de O Jardim, o álbum de estreia recentemente editado, onde se inclui o primeiro single “Canção Simples”. E, numa primeira apresentação de um artista que já experimentou o sucesso com outros projectos, há que contar com momentos memoráveis, com visitas a outras vidas, com convidados muito especiais. Concerto integrado no Ciclo Arena Live/Outono 2007.

BUGS BUNNY ON ICE
Campo Pequeno | 1 a 11 Novembro

 

BUGS BUNNY ON ICE contou com a presença dos personagens Looney TunesTM numa alucinante viagem à volta do mundo em...80 minutos. Baseado no best-seller de Júlio Verne, A Volta ao Mundo em 80 Dias, BUGS BUNNY ON ICE reuniu os personagens Bugs Bunny, Tweety, Sylvester e Daffy Duck numa competição pelo 1º lugar duma corrida através dos 5 continentes.
Dos Estados Unidos ao México, do Brasil à Austrália, da China à Índia, passando por África, Rússia e França, os nossos amigos vão cruzar-se com outros personagens como Yosemite Sam, Speedy Gonzalez, Beep-Beep, Coiote...dando a conhecer diferentes culturas e deslumbrantes ambientes recriados por coloridos cenários e guarda-roupa.
Com direcção artística de Marc Forno, BUGS BUNNY ON ICE reuniu mais de 30 dos melhores patinadores no gelo do mundo num espectáculo de elevada qualidade produzido pela Holiday On Ice, empresa especializada em espectáculos sobre o gelo há mais de 65 anos.

Carnaval | José Cid
Arena Lounge | 19 Fevereiro

José Cid lidera a renovação da música popular portuguesa no fim dos anos 60 e início dos anos 70 com “A Lenda D’El Rei D. Sebastião”, o tema mais emblemático do Quarteto 111, para além do primeiro Álbum 1111, logo retirado das bancas pela censura.
Até à Revolução de 1974 foi um dos mais censurados cantautores pela ditadura de Salazar com dois Lp e vários singles proibidos.
A sua criatividade, inspiração e ousadia como compositor respondem por grandes êxitos como as baladas “Na Cabana Junto à Praia” ou “Cai Neve em Nova York”.
Com uma atitude mais vanguardista inicia a música de rock sinfónico em Portugal com o legendário “10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte” com uma edição em Portugal em 1977 e reeditado por “Art Sublime”, de Los Angeles em 1994, que é votado pela crítica mundial (“Q” e “Bilboard”) entre os melhores 100 álbuns do milénio (em nº57).
Nos anos 80 e 90 explora o lado da música étnica com o CD “Ode a Federico Garcia Lorca” e “Camões, as Descobertas e Nós” sempre com guitarras portuguesas de Coimbra e de Lisboa como sons de prioridade. Em 1995 dedica o CD “Pelos Direitos Humanos” dedicado à causa Timor Lourosae recebendo mensagem de Ramos Horta, Prémio Nobel da Paz.
O Fado, a música tradicional Portuguesa, e o jazz são outras áreas menos conhecidas mas exploradas pelo Artista de forma bastante ousada e vanguardista.
Em 2006 produz o seu próprio Label Vinyl onde edita (em colaboração com a  Farol) o Álbum “Baladas da Minha Vida”, disco de Platina nos primeiros 2 meses de venda, tendo o reconhecimento nacional de todas as gerações pela sua originalidade e vanguardismo.
Morando numa bonita casa que data do princípio do último século, onde vai gravando e produzindo tanto para si como para outros artistas. No tempo livre participa em concursos hípicos.

CRAZY HORSE
Auditório dos Oceanos | 3 Abril a 28 Julho

 

Símbolo de Paris, CRAZY HORSE, a mais emblemática sala de espectáculos de Paris, abriu as suas portas em 1951. A visão artística de Alain Bernardin, seu fundador, tornou-a um verdadeiro templo da Arte do Nu, onde os corpos femininos, plenos de expressão poética, se sublimam e elevam a inovadoras dimensões artísticas.
Considerado um classicista na modernidade, o CRAZY HORSE de Alain Bernardin apresenta o ideal da beleza feminina de hoje, actualizando este conceito de acordo com a evolução ditada pelos criadores de sectores tão variados como a moda, os audiovisuais, o cinema e a publicidade. Em CRAZY HORSE, apenas existe o belo, sucedendo-se ritmada e continuamente, num audacioso movimento perpetuado no espaço.

FOUR | ESPÍRITO DOS ELEMENTOS
Salão Preto & Prata do Casino Estoril | Janeiro 2007 a Julho 2008

 

Depois de Circo Luci, Luminaire e Glace-Cirque on Ice, a Poet Productions assinou FOUR: ESPÍRITO DOS ELEMENTOS, uma deslumbrante extravagância cénica centrada  na crueza poética dos elementos Ar, Fogo, Água e Terra.
Com direcção criativa de Michael McPherson, ex-performer do Cirque de Soleil, FOUR: ESPÍRITO DOS ELEMENTOS quebra as barreiras tradicionais do espectáculo, abandonando o palco para envolver o público, lançando-o num turbilhão de emoções, onde o som e o movimento se tornam o fiável guia duma alucinante viagem através dos sentidos.  Fantásticos efeitos especiais, aliados ao surrealismo de inúmeras imagens vídeo, servem de cenário a  sensacionais números aéreos e acrobacias diversas plenas de energia e ritmo.
Na inauguração de um novo ciclo de espectáculos, o Casino Estoril apresentou no poder etéreo do AR, na flamejante paixão do FOGO, na suave fluidez da ÁGUA, na vibrante pulsação da TERRA, as componentes de FOUR: ESPÍRITO DOS ELEMENTOS.
Tratou-se de um verdadeiro desafio à ousadia e ao (re)descobrimento das sensações. 

HERMAN JOSÉ | SUPERHERMAN
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa | 7 e 8 Março

 

Seguramente o espectáculo menos chato do mundo. 30 anos de carreira revistos em hora e meia de muito humor. Não recomendável a cardíacos!

MÚSICA no Arena Lounge
Palco Multi-Usos

Diariamente, actuaram no Arena Lounge do Casino Lisboa:

80 à Hora
Absolute Beginners
Adriana Miki
Akunamatata
Azzimute
Balangandã
Banho Maria
Be Bossa
Black Rose
Boogie Nights
Brasil a Dançar
Chauffeur Navarros
Clara Ghimel Quinteto
Cool Jam
Djambalaya
Dynamite
Earth
Felipe Fontenelle
Garage Ensemble
Global Quartet
Inês Santos
Magnolia
Maria Anadon
Night Jazz
Nouvelle Vague
Paula Teixeira
Perfect Stranger
Rui Drummond
Slowhand-Tributo a Eric Clapton
Soul City
Swing City
Teresa Velez
Trifene
Trio Manaia
Velez
Vira-Lata
XL Femme

Nouvelle Vague Acústico
Arena Lounge | 7 Dezembro

 

Formados por Marc Collin e Olivier Libaux, os Nouvelle Vague são uma banda francesa dedicada aos covers de temas punk e new wave dos anos 80. Com 2 álbuns editados, orgulham-se de apenas tocar as canções que gostam, interpretando-as de forma muito individual. Para tal, contribui o gosto especial pelo estilo Bossa Nova que adoptam e adicionam nos arranjos que produzem.
Dos New Order aos Joy Division, dos Echo & The Bunnymen aos Siouxsie, não esquecendo os Depeche Mode, Tuxedo Moon, Clash, The Cure ou Sisters of Mercy, os Nouvelle Vague utilizam temas clássicos para interpretações que ganham vida para além dos concertos e álbuns, tendo já sido utilizadas em anúncios, bandas sonoras de filmes e séries de televisão.
Indiferentes às modas, os Nouvelle Vague, tal como a corrente cinematográfica que lhes dá o nome, trilham o seu próprio caminho musical, agradando a velhos e novos públicos, como provam os números relativos às vendas de discos e concertos.
A 7 de Dezembro de 2007, a banda regressou a Lisboa para um concerto na Aula Magna. Esgotado, este concerto não satisfez as expectativas de todos os fãs nacionais...mas...a banda prometeu continuar a festejar o seu sucesso em terras lusas com um concerto acústico no Arena Lounge do Casino Lisboa. 

OS MELHORES SKETCHES DOS MONTY PYTHON
Auditório dos Oceanos Casino Lisboa | 18 Setembro 2007 a 27 Janeiro 2008

 

Os Monty Python abriram os sentidos do mundo não só para a comédia, mas também para alguns temas importantes para as sociedades modernas, como: como trocar papagaios mortos; piadas enquanto armas mortíferas; canibalismo em agências funerárias; a presença de cangurus na Última Ceia.
A UAU, o Casino Lisboa e os actores António Feio, Bruno Nogueira, Jorge Mourato, José Pedro Gomes e Miguel Guilherme prestaram a devida homenagem aos génios que lhes ensinaram boa parte daquilo que sabem sobre comédia, sobre o lado bonito da vida e sobre a arte de evitar ser esmagado por um pé gigante vindo sabe-se lá de onde, numa sucessão imparável de sketches clássicos dos Monty Python, traduzidos e adaptados por Nuno Markl.

(Nota: Este espectáculo não conteve alces. Um responsável da UAU tentou incluí-los à força, mas já foi despedido.)

PEDRO TOCHAS | MAIORES DE 18
Auditório dos Oceanos | 28 Fevereiro a 3 Março

 

Este espectáculo pode mudar a tua vida...ou talvez não!
Todos nós temos uma faceta pervertida, radical, de extremos, que escondemos das outras pessoas, onde dizemos, fazemos ou pensamos coisas que temos vergonha de mostrar à nossa mãe.
Este é o mundo de Maiores de 18. Sexo, política, raiva e ainda mais sexo num espectáculo que vai do ofensivo ao poético, com uma comédia agressiva para uma sociedade agressiva.

Reveillon Casino Lisboa | The Gift & Francisco Menezes
31 Dezembro

Com um programa especial de “réveillon”, o Casino Lisboa ofereceu aos seus visitantes uma noite original e diversificada. Tratou-se de uma surpreendente proposta de Fim de Ano, na qual pontificou a animação, a música, a comédia, assim como alguns momentos de sensualidade.
O concerto dos The Gift e a actuação de Francisco Menezes, em versão de “stand Up Comedy” foram, apenas, algumas das sugestões agendadas para o Arena Lounge. Pelos diferentes espaços do Casino Lisboa desfilaram, ainda, dezenas de figurantes e bailarinas Burlescas, bem como uma banda de jazz e um caricaturista que ofereceu recordações a quem desejava ser modelo por alguns minutos.
Animação musical
Inspirados em grandes sucessos que marcaram a década de setenta, os Boogie Nights abriram o “réveillon” do Casino Lisboa, às 20 horas, criando um ambiente revivalista. Conhecida já do público do Arena Lounge, a banda prestou uma homenagem a nomes consagrados como os Bee Gees, Kool and the Gang, Village People, Boney M. ou Jackson 5.
“Stand Up Comedy” com Francisco Menezes
Com uma inesgotável criatividade, Francisco Menezes assegurou a atmosfera ideal para as doze badaladas, dando as boas vindas a 2008. A partir das 23 e 20, o comediante, trouxe uma surpresa a quatro corpos, onde a arte do “body painting” marcarou presença.
The Gift
Num dos pontos altos do “réveillon”, o Casino Lisboa recebeu os The Gift meia hora depois da meia-noite. Com os seus contagiantes temas, Sónia Tavares assegurou um genuíno ambiente de festa nas primeiras horas de 2008.
Com um sugestivo formato de luz, som e imagem, os The Gift convidaram o público a reviver êxitos como “Music”, “Driving You Slow” e “Fácil de Entender”, o tema que, aliás, empresta o título ao último álbum.
Buraka Som Sistema DJ Set
Enquadrados numa inovadora solução luminotécnica, os Buraka Som Sistema DJ Set seleccionaram os seus melhores registos, seguindo-se os DJs Kamala e Rui Murka, que prolongaram a festa até às quatro horas da madrugada.
 

RODRIGO LEÃO E CINEMA ENSEMBLE | O MUNDO
Auditório dos Oceanos |16 e 17 Março | Coliseu do Porto | 21 Abril

Acompanhado pelos Cinema Ensemble, Rodrigo Leão fez uma retrospectiva da sua carreira, recheada de músicas e canções. Um trabalho onde o compositor reflecte sobre o seu passado e perspectiva o seu futuro como criador.

SALAZAR | THE MUSICAL
Teatro Villaret | 5 Junho a 28 Julho

 

Veio ver? Se veio, ninguém o censura!
48 anos de História de Portugal em torno dessa figura que foi António de Oliveira Salazar numa comédia visual/musical (jeitosa) dirigida por John Mowat e com José Pedro Vasconcelos, Miguel Melo, Margarida Gonçalves, José Conde, José Oliveira e Rita Nunes. Música ao vivo.

SHEIKS
Jardim de Inverno (Teatro Municipal São Luíz) | 8 a 28 Novembro

A mítica banda dos anos 60, composta por Paulo de Carvalho, Carlos Mendes, Fernando Chaby e Edmundo Silva, esgotou os concertos no Jardim de Inverno do Teatro Municipal de São Luiz.O ambiente é simples, mas os pormenores não são deixados ao acaso. Quatro músicos destacam-se num palco de uma casa lotada. As calças apertadas deixam transparecer as botas de bico. Ouvem-se os primeiros yeah-yeah e o público entra em êxtase. As meninas aos gritos anunciam o descontrolo dos impulsos. O som dos amplificadores arcaicos é abafado pela multidão que canta de cor todas as músicas. Os rapazes movidos pela adrenalina daquela nova forma de energia eléctrica sobem ao palco e entregam-se aos ritmos diabólicos do shake-shake que lhes sai da alma e do corpo...Poderiam ser os Beatles, mas esta foi a mais fiel reprodução de um concerto dos SHEIKS, uma banda que marcou o panorama musi

Spring Experience | Dazkarieh
Arena Lounge | 9 Abril

 

Vasco Ribeiro Casais, Joana Negrão, Luis Peixoto e Baltazar Molina estão juntos desde 1999 no projecto a que deram o nome de DAZKARIEH. Definem o seu som como “único que brota da raiz para voar sem fronteiras e sem limites para fora do mundo real”. Com passados tão variados como a música erudita, experimental, rock ou tradicional, os Dazkarieh fundem diversas culturas através da utilização de instrumentos típicos suecos, irlandeses, árabes e portugueses. Com diversas participações em festivais de world music, este grupo garante que é ao vivo que se realizam, maximizando a sua criatividade. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Jazzinho
Arena Lounge | 19 Junho

 

Nascida em Setúbal, Guida de Palma fez carreira em Londres Paris, Nova Iorque e Tóquio, nunca tendo cantado no seu próprio país. Dia 19 de Junho, em estreia absoluta, Guida de Palma estará no Arena Lounge do Casino Lisboa, acompanhada pelos JAZZINHO, um grupo de latin funketeers oriundos do Reino Unido e Brasil. Com um “som cru mas verdadeiro”, prometem um concerto afro-luso-brasileiro, num mix de lusofonia roots music com rare groove de 70. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Joana Machado
Arena Lounge | 4 Junho

 

Um espectáculo musical poético e de grande sofisticação. Um quarteto de jazz com JOANA MACHADO na voz, Afonso Pais na guitarra e direcção musical, Bernardo Moreira no contrabaixo e Bruno Pedroso na bateria. Numa visita aos clássicos dos cancioneiros americano e brasileiro, a que se aliam temas originais, Joana Machado, já considerada a grande revelação do jazz nacional, revela a sua alma desafiadora através da sua voz doce e cristalina. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Liza Veiga
Arena Lounge | 21 Maio

 

Com apenas 26 anos, LIZA VEIGA é a 1ª soprano lírica a “casar” a pop com o clássico. Num registo clássico, Liza Veiga apresenta temas como “A Whiter Shade of Pale” (Procol Harum), “Everybody Hurts” (REM), “Drive” (Cars), “Pride (In the Name of Love)” (U2) ou “Sete Mares” (Sétima Legião). Ainda, são de não perder as suas interpretações de “Adágio”, de Albinoni, com letra de José Ary dos Santos, ou “Traviata”. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Loto
​Arena Lounge | 16 Abril

 
Oriundos de Alcobaça, os LOTO são um trio de músicos que tiveram a coragem de arriscar e avançar com um projecto que, para muitos, é um ponto de partida para a nova música portuguesa. Beat Riot é o segundo álbum da banda que contou com a participação de ilustres convidados como Peter Hook (Joy Division e New Order), Del Marquis (Scissor Sisters), o produtor Roger Lyons e o The Cultural Fusion Choir (Manchester). Com um som influenciado pela por, rock, funk e electrónica, os Loto declinam as classificações preferindo dizer que o “ambiente acaba por ser sempre um bocado à Loto...seja lá isso o que for”. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Maria Anadon & Five
Arena Lounge | 14 Maio

 

MARIA ANADON & FIVE PLAY é um projecto de jazz internacional no feminino. Após onze anos sobre a primeira gravação de Maria Anadon com o quarteto feminino norte-americano Unpredictable Nature, mantém-se um trabalho de referência dedicado ao jazz, às suas raízes e à sua divulgação. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Mau (Man and Unable)
Arena Lounge | 28 Maio

 

Projecto electrónico e multiétnico nascido em 2003 e composto por um português, um dinamarquês, um israelita, um alemão e um francês. Com uma variedade de sons inovadores que vão do pop ao rock, passando pelo hip-hop e electrónica, com um pouco de new age, os MAU cantam em inglês mas também em francês, alemão e espanhol. Tudo começou como uma brincadeira mas tornou-se um projecto a tempo inteiro, cativando o público pela musicalidade e pela cinematografia dos seus suportes de imagem.
Com a incerteza do que virá a seguir, mas com a certeza de que já valeu a pena, os MAU estão aí para a brincar fazer coisas a sério. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | OIOAI
Arena Lounge | 30 Abril

 

Com o primeiro álbum acabado de editar, os OIOAI são a mais recente banda de rock portuguesa. Composta por Pedro Puppe  (voz e guitarra), João Neto (guitarra), Fred Ferreira (bateria) e Nuno Espírito Santo (baixo), no seu trabalho de estreia contaram com as participações de Tiago Bettencourt (Toranja) e Kalu (Xutos & Pontapés). Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Robin McKelle
Arena Lounge | 19 Março

 

Já partilhou o palco com artistas como Herbie Hancock, Wayne Shorter, Terence Blanchard, Michael McDonald e Jon Secada, ROBIN McKELLE é uma incontornável voz do jazz actual. A sua sonoridade inspira-se no jazz do pós-guerra, transpondo-o para a actualidade, num perfeito balanço entre um potente swing e os tons sentimentais. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Rocky Marsiano
Arena Lounge | 7 Maio

 

Fruto do produtor D – Mars, o projecto Rocky Marciano, funde a magia do jazz com o universo da música urbana. The Pyramid Sessions transpira as influências do jazz coordenado com hip hop, num espectáculo que vive do improviso das suas actuações.
Acompanhado por músicos da escola do jazz, como André Fernandes, Anthony Wheeldon (guitarra) e Rodrigo Amado (saxofone), e pelo scratch do DJ Ride, D-Mars manipula em tempo real o seu sampler proporcionando o espaço perfeito para o cruzamento destas linguagens musicais através do improviso. O improviso é, aliás, o elemento-chave que permite com que cada espectáculo seja diferente e único. Ao quarteto habitual, juntam-se agora Melo D na voz, um vibrafonista, um percussionista e um teclista, transformando o projecto numa autêntica big band. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Room 74
Arena Lounge | 26 Março

 

Os ROOM 74 eram uma banda portuguesa que fez uma visita sonora - e visual – ao passado recente dos anos 60/70. Sob o véu da nostalgia, os ambientes da Motown, as noites loucas do Studio 54, o disco-sound, o soul, os tamancos, as golas, o brilho e o glamour eram transportados para a actualidade. Embora com uma identidade muito própria, referências como os Earth Wind & Fire, Boney M., Stevie Wonder, Bee Gees, Prince, Jamiroquai ou Scissor Sisters foram  uma forte influência para o som dos The Room 74. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Spaceboys
Arena Lounge | 23 Abril

 

Os Spaceboys têm origem nos Cool Hipnoise. Visando aprofundar livremente todas as dimensões, mesmos as mais abstractas, do groove, João Gomes, Francisco Rebelo e Tiago Santos fundaram, em 1998, os Spaceboys. O 1º álbum foi editado em 2003 e a sua sonoridade recebe influências da música de dança e do electro-funk mas também da música africana e brasileira. Apoiados nas novas tecnologias, este trio tem obtido grande sucesso nos vários concertos que tem dado. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

Spring Experience | Tora Tora Big Band
Arena Lounge | 11 Junho

 

Colectivo formado em 2001 por dois compositores e arranjadores alemães residentes em Portugal, o trompetista Johannes Krieger e o trombonista Lars Arens. O seu propósito era criar uma orquestra que tocasse música para dançar, recuperando o espírito das antigas Big Bands e acrescentando outros elementos sonoros como o afro, o arabic, o latin e o funk.
Doze músicos reunidos numa consistente formação de metais e secção rítmica, criam uma paleta sonora abundante gerada pelo intercâmbio geográfico e cultural dos seus elementos, disperso por territórios tão diversos como Portugal, Brasil, Alemanha, E.U.A., Dinamarca e Itália. TORA TORA BIG BAND: jazz para encontrar o futuro. Concerto integrado no Ciclo de Concertos Primavera do Arena Lounge.

STAR WARS | THE EXHIBITION | Porto e Londres
Exponor, Porto | 2 Fevereiro a 15 Abril | County Hall, Londres | 5 Maio a 12 Janeiro 2008

Em 1977 surgiu no grande écran, pela mão de George Lucas, uma "Ópera Galáctica" que revolucionou a história do cinema e marcou o imaginário de uma geração de espectadores de todo o mundo. Trinta anos mais tarde, depois de ter dado origem a seis filmes, livros e inúmeros materiais de merchandising, aquela que é afinal a história de todos nós, veio a Lisboa numa exposição oficial com o selo da Lucas Film Lda.
Star Wars - The Exhibition contou com mais de 250 objectos originais, entre os quais diversas maquetas de cenários, desenhos e muito guarda-roupa. Para fãs e não só!

STOMP
Auditório dos Oceanos |16 Janeiro a 25 Fevereiro | Coliseu do Porto | 28 Fevereiro a 4 Março

 

Os STOMP, já bem conhecidos pelo público português, caracterizam-se pelo ritmo e movimento de corpos, objectos e sons aos quais não se consegue ficar indiferente!
Concebido a partir de teatro de rua, cheio de humor, ritmo e com um sapateado exuberante, STOMP é o espectáculo ideal para reunir pessoas de todas as idades e gostos. Para eles, a beleza e a música são uma constante quotidiana, presente em tudo. Das botas aos baldes, das tampas dos caixotes de lixo aos isqueiros e vassouras, dos lava-loiça aos garrafões, tudo é motivo e base para o movimento e o som. Com mais de 15 anos de vida, os STOMP deixaram de ser um fenómeno teatral britânico para serem um sucesso mundialmente aclamado.

Tributos
Arena Lounge | Agosto

Tributo Gabriel o Pensador

Palco Multiusos | 1 e 2 Agosto

Esta é uma banda muito divertida que traz ao nosso país a irreverência e a crítica social implícita nos temas de Gabriel o Pensador, artista brasileiro que move multidões. Na voz, Felipe Andrade juntou diversos músicos de onde se destaca a participação especial de Ciro Cruz, nada mais nada menos, que o verdadeiro baixista de Gabriel o Pensador. Uma grande oportunidade, que mostrou a todos o som deste famoso carioca.

 

Tributo Stevie Wonder

Palco Multiusos | 8 e 9 Agosto

A ideia de criar uma banda que prestasse um tributo surgiu depois de um concerto com similar objectivo. Logo decidiram que se queriam homenagear alguém, Stevie Wonder seria o ícone perfeito. Este cantor, produtor e compositor, que já ganhou vinte e dois Grammy Awards é uma das personagens mais relevantes do panorama musical norte-americano. O que os olhos não vêem, neste caso, o coração sente. E este grupo prestou um grande tributo a um homem que se imortalizou através dos seus intemporais êxitos. No Arena Lounge do Casino Lisboa.

 

Tributo Anos 80

Palco Multiusos | 15 e 16 Agosto

Fizeram-se à estrada em Janeiro de 2007, mas a sua recente formação não deixa antever a qualidade desta simbiose musical entre estes cinco músicos que adoram os grandes clássicos dos anos 80. As músicas que fazem parte do seu repertório foram imortalizadas há muito, mas o que este quinteto se propôs a fazer é quase um ressuscitar de velhas memórias. Interpretram temas como: “Material Girl” de Madona, “Chico Fininho” de Rui Veloso, “Time After Time” de Cindy Lauper,  “New Sensation” dos INXS e muito, muito mais!

 

Tributo Dave Mathews

Palco Multiusos | 22 e 23 Agosto

Considerado como uma das principais referências musicais norte-americanas, Dave Matthews é um dos cantores que reúne uma legião de fãs em todo o mundo. Para homenagear esta reconhecida banda, Pedro Couceiro na voz, Luís Monteiro na guitarra semi-acústica, Luís Ribeiro na guitarra eléctrica, Rui Ribeiro na bateria e José Lúis Ribeiro no baixo juntaram-se para proporcionar uma interpretação original de temas como “Jimi Thing”, “Tripping Billies” ou “Crush”. Se é um seguidor incondicional desta banda, não pode ter perdido este concerto.

 

Tributo a Sting

Palco Multiusos | 29 e 30 Agosto

Com uma formação invulgar de oito elementos (todos eles apresentando um vasto currículo na área musical) esta banda recriou alguns dos temas mais emblemáticos da carreira de Sting. Partilhe momentos da melhor música de Sting desde dos tempos dos Police até aos seus mais recentes êxitos a solo.

 

Xutos & Pontapés | 28º Aniversário
Auditório dos Oceanos | 12 e 13 Janeiro

 

A mais amada banda rock portuguesa celebrou o seu 28º aniversário com dois concertos acústicos onde passou revisão aos seus maiores hits: “Pr’a Ti Maria”, “Contentores”, “Chuva Dissolvente”, “Remar, Remar” são alguns dos temas que se puderam (re)ouvir.

2 AMORES
Teatro Villaret | 19 Setembro a 26 Maio 2007

 

Nesta comédia de tirar o fôlego, João, um motorista de táxi em Lisboa, é muito feliz no seu casamento com Maria e, ao mesmo tempo, muito feliz no seu casamento com Ana.
Trava conhecimento com dois inspectores da polícia devido ao seu envolvimento num assalto onde, corajosamente, salva uma velhinha. Este seu acto heróico acaba por causar uma grande confusão que rapidamente vai crescendo... e crescendo... e crescendo... A ajudar aos equívocos estão Simão e Beto, os vizinhos de cima de cada uma das suas casas.
De novo juntos em palco, António Feio e José Pedro Gomes protagonizaram 2 AMORES, no Teatro Villaret.
2 AMORES é uma comédia de Ray Cooney, com tradução de Ana Sampaio e encenação de António Feio, com interpretação deste último, José Pedro Gomes, António Machado, Claúdia Cadima, João Didelet, Joaquim Guerreiro, Maria Henrique e Martinho Silva.

ANA CAROLINA
Auditório Oceanos | 29 Abril

 

Nasce em 1974 e, desde logo, a música invadiu a sua vida através da avó, cantora na rádio, e seus tios-avós, instrumentistas de percussão, piano, violoncelo e violino. Cresceu a ouvir Chico Buarque, João Bosco e Maria Bethânia, bem como, a nível internacional, Nina Simone, Alanis e Bjork.
Em 1999 edita o seu primeiro álbum onde os clássicos da MPB se cruzam com a pop de Lulu Santos, em perfeita harmonia. A sua voz grave atrai o público que se rende a esta artista que, para além de cantar e tocar (violino, percussão, violão, guitarra e pandeiro), também é responsável pelos arranjos e algumas das composições. Já comparada a Cássia Keller e Zélia Duncan, ANA CAROLINA é a mais recente descoberta brasileira e Estampado o seu mais recente trabalho que a própria compara a ”um diafragma ligado ao coração”.
Um espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

Animação Verão | Aldo Lima
Arena Lounge no Casino Lisboa |5,11,25 e 26 Agosto + 4 Outubro

Arena Lounge no Casino Lisboa | 5,11,25 e 26 Agosto + 4 Outubro
Pioneiro na Stand-Up Comedy portuguesa, ALDO LIMA escreveu e interpretou sketchs de humor para televisão (SIC), foi a cara de três campanhas publicitárias da TMN  para TV e uma das figuras no programa de humor "Levanta-te e Ri" (SIC) no qual se destacam os números "Tourada e os Forcados", "O Futebol Pendurado por um Cabide" ou "Rock e Cinema in Douro/Rapar o Cabelo".
Aldo Lima é humorista e escreve os seus próprios textos baseando-se no quotidiano do ser humano, na sociedade...seja ela qual for.

Animação Verão | Eduardo Madeira
Arena Lounge no Casino Lisboa | 12 Agosto

Membro fundador dos Cebola Mol e guionista, Eduardo Madeira mantém uma carreira a solo no stand-up nacional. Se não sabia, não pode ter perdido esta oportunidade.

Animação Verão | Francisco Menezes
Arena Lounge no Casino Lisboa | 4,18,19 Ago. e1 Setembro

Francisco Menezes, presença assídua no “Levanta-te e Ri” (SIC), voz de “O verdadeiro FM” (RFM), autor e actor de “N cromos” e “O Desterrado” (Ntv) e de “Portugal FM” (RTP1), levouo seu humor para a estrada. Disparates, imitações, música, tudo faz sentido, quando se fala de Portugal e dos portugueses.

Animação Verão | Wanda Stuart
Arena Lounge | 2 a 10 Setembro, 5, 7 e 14 Outubro

Nos seus 25 anos de carreira, WANDA STUART já cantou acompanhada pelo pianista de Judy Garland e Liza Minelli e já encenou musicais no Brasil com Wolf Maia.
Em 2004, gravou Animais Nocturnos e o espectáculo homónimo foi estrado no Casino Estoril.
No Arena Lounge, Wanda Stuart apresentou um espectáculo intimista acompanhada ao piano pelo maestro Mário Rui. Kurt Weil, Kate Bush, os musicais, MPB e os clássicos da canção francesa e alemã foram os ambientes escolhidos pela cantora com carreira reconhecida internacionalmente.

ANTONIO MÁRQUEZ
Auditório dos Oceanos | 27 Setembro a 1 Outubro

 

Com uma carreira de quase 25 anos, Antonio Márquez é o maior representante da  dança clássica espanhola da altura. Nascido em Sevilha em 1963, muda-se para Ibiza aos 12 anos de idade, onde começa a estudar dança com María Martin e Paco Torres. Em 1981, já em Madrid, ingressa na Escuela del Ballet Nacional de España e, 1 ano mais tarde, no próprio Ballet Nacional de España, onde chega a primeiro-bailarino. Desde então, a Companhia de Flamenco Antonio Márquez não tem parado e os prémios de reconhecimento multiplicam-se por todo o mundo, tendo sido a escolhida para a inauguração do Teatro Real de Madrid, em 1997, com a apresentação de El Sombrero de Tres Picos.
Em Portugal, ANTONIO MÁRQUEZ apresentou os seus trabalhos: Después de Carmen, La Vida Breve e Bolero.

Arena Live | Jorge Palma
Arena Lounge | 4 Dezembro

A sua qualidade interpretativa e o genuíno sentido de improviso asseguram um concerto único com renovados pontos de interesse. Um artista português que dispensa apresentações. Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

Arena Live | José Cid
Arena Lounge | 20 Novembro

40 anos depois de ter iniciado a sua vida artística, José Cid continua a encher salas com os seus êxitos. Uma oportunidade para ver um ícone kitch da nova época da música pop portuguesa. Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

Arena Live | Koop
Arena Lounge | 11 Dezembro

O projecto liderado por Óscar Simonsson e Magnus Zingmarck vem promover o seu mais recente álbum, Koop Island, sucessor do muito elogiado Waltz for Koop, de 2001. Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

Arena Live | Luís Represas
Arena Lounge | 18 Dezembro

Um espectáculo de viagem no tempo desde os clássicos dos Trovante até todos os seus êxitos da sua carreira a solo.
Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

Arena Live | Quantic Soul Orchestra
Arena Lounge | 27 Novembro

O que pode resultar do encontro entre um peso pesado do soul e um dos novos produtores da nova geração? São eles Spanky Wilson e Will “Quantic” Holland, a voz e produção deste refinado álbum de soul/jazz/funk do século XXI. “I’m thankful” sumaria o resultado deste encontro de duas gerações. Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

Arena Live | Ritual Tejo
Arena Lounge | 30 Outubro

A banda que durante treze anos marcou a cena musical da musica pop portuguesa, volta novamente a actuar para um público saudosista de grandes momentos musicais. A abrir o Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

Arena Live | Toranja
Arena Lounge | 13 Novembro

São ricos em temas que transpiram força. Excelentes compositores, proporcionam arranjos musicais de grande originalidade conjugados com letras de grande profundidade lírica. Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

Arena Live| João Pedro Pais
Arena Lounge | 25 Dezembro

Começou a sua carreira em 1997 e em 2003 fez a primeira parte da digressão ibérica de Brian Adams. Apresentou um concerto com os seus maiores êxitos. Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

AVALANCHE
Teatro Villaret | 15 Março a 15 Julho

 

Vera Cruz, produtora de moda da Revista Fashion Victim, e Branca Swarovski, proprietária da mesma, escolhem os Alpes Suíços para a produção de moda da colecção de biquinis e fatos-de-banho da próxima estação. O comandante Alexandre de Noronha e o seu jovem co-piloto, Pepe Andrade, aproveitam um “stop” de dois dias para praticar ski.
Os quatro chegam de madrugada ao Nostress Hotel onde apenas a recepcionista, Gina Maria, os espera. Uma inesperada avalanche torna-os prisioneiros e cúmplices nos equívocos que Gina Maria, convencida de que os seus hóspedes são quatro perigosos traficantes de droga, consegue engendrar. Ana Bola, Bruno Nogueira, Maria Rueff, Maria Vieira e Miguel Guilherme num nevão de gargalhadas, com texto de Ana Bola e encenação de António Pires.

BARBARA HENDRICKS AND THE MAGNUS LINDGREN QUARTET JAZZ PROJECT
Auditório Oceanos | 26 Abril

 

Nascida no Arkansas, estudou canto lírico na Julliard School of Music de Nova Iorque, após se ter licenciado em química e matemática.
Apaixonada por jazz, estreou-se nesta área no Montreaux Jazz Festival em 1994 e, desde então, não mais parou, apresentando-se por todo o mundo com o Magnus Lindgren Quartet. Em paralelo, desenvolve actividades a favor da paz e da reconciliação entre os povos, tendo fundado a Barbara Hendricks Foundation for Peace and Reconciliation, em 1998. Cole Porter, Duke Ellington e George Gershwin serão os seus homenageados neste concerto integrado no ciclo de Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

CARLOS BICA
Auditório dos Oceanos | 28 Outubro

 

CARLOS BICA, o mais internacional dos músicos portugueses de jazz e uma referência no panorama do jazz europeu, tem novo disco a ser editado após o Verão. Contrabaixista e compositor, Carlos Bica divide o seu tempo em áreas tão diversas como o teatro, o cinema e a dança e, há 14 anos, é parte integrante do Trio Azul, juntamente com  Frank Möbus e Jim Black, tendo já editados álbuns como Azul (o primeiro), Twist e Look What They’ve Done To My Song.
Believer, o trabalho a editar após o Verão de 2006, conta com a participação do DJ Illvibe como convidado e, uma vez mais, vem provar a enorme criatividade e originalidade do seu autor.

CARLOS DO CARMO
Auditório dos Oceanos | 4 Novembro

 

CARLOS DO CARMO é, sem dúvida, um dos mais importantes intérpretes portugueses do nosso tempo. Em 1963 iniciou uma sólida carreira mas, também, internacional, como sempre gosta de afirmar, "pelos portugueses que saíram da minha terra à procura de uma vida melhor e que foram passando para as mãos dos empresários e agentes culturais dos vários países onde residem".
Já cantou nos cinco continentes e as suas passagens no Olympia, em Paris, nas óperas de Frankfurt e de Wiesbaden, no Canecão de Rio de Janeiro, no Savoy de Helsínquia, no Auditório Nacional de Madrid, no Teatro da Rainha em Haia, no Teatro de São Petersburgo, na Place des Arts em Montreal, no Tivoli de Copenhaga e no Memorial da América Latina em São Paulo são momentos muito altos de sua carreira. Os concertos no Mosteiro dos Jerónimos, na Fundação Gulbenkian, no Coliseu dos Recreios, no Casino do Estoril e no Centro Cultural de Belém demarcam a sua posição a nível nacional. Neste espectáculo, Carlos do Carmo presenteou-nos com o seu trabalho, num espectáculo único.

CATS
Coliseu do Porto | 12 a 30 Setembro | Coliseu dos Recreios | 4 a 28 Outubro

 

CATS, o mais famoso musical do mundo, regressou a Portugal para uma grande estreia no Porto, e voltando a Lisboa. Depois de mais de 20 anos em cena no West End londrino e na Broadway, foi a vez do Coliseu do Porto receber os Jellicle Cats e se juntar à legião de fãs que este grupo de 29 gatos tem por todo o mundo.
O sucesso de CATS em Lisboa, há dois anos, exigiu este regresso tão aguardado a Portugal. Desta vez, a cidade invicta recebeu, em grande estreia, o espectáculo baseado na obra de TS Eliot, Old Possum’s Book of Practical Cats. Este musical tem assinatura de Andrew Lloyd Webber e conta a história da Gata Grizabella e do seu regresso à família que abandonou pela descoberta de outros “mundos”.
CATS, em versão original com legendagem em português, um espectáculo mágico para ver e sonhar...

COÇAR ONDE É PRECISO
Auditório dos Oceanos | 14 Junho a 7 Julho

 

O sucesso de COÇAR...ONDE É PRECISO não parou. Por todo o país mais de 40.000 pessoas riram com as várias facetas do ‘PORTUGA’ analisadas por José Pedro Gomes, um homem incomodado, inquieto e muito, muito...humorado. Bem ou mal...mas humorado!!
Quando vai de férias quantas malas leva? Diz “bom dia” quando entra num elevador? Costuma agradecer quando lhe abrem a porta? Será o sexo mesmo importante para si? Defende as suas opiniões ou fica à espera que alguém faça alguma coisa?
José Pedro Gomes esteve em palco uma hora e tal sozinho, de pé (“stand-up”?). Deu a conhecer o seu ponto de vista sobre a velhice, as tabuletas, os mirones e muito, muito mais.
 

COOL HIPNOISE
Auditório dos Oceanos | 6 Novembro

 

Em 1995 inicia-se a carreira discográfica dos COOL HIPNOISE e desde então, esta banda, tem sido uma fonte inesgotável de boa música, irreverência e frescura sendo hoje uma referência na moderna música portuguesa.
Dos ritmos doces do soul ao balanço do jazz e do funk, passando pela irreverência do reggae, as diversas influências predominam a forma como os Cool Hipnoise nos contagiam. Esta banda de Lisboa que encontra no dub, funk, reggae o seu estilo peculiar produz de forma exemplar canções simples e irrequietas, tocadas pela urbanidade extrema do rap.
Temas como “Ela era o meu estilo”, “Meu amigo”, “Passa-me o vinho” ou “Funk é mem’bom” rapidamente se transformaram na banda sonora da mais insatisfeita cultura jovem nacional.
Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

DULCE PONTES
Auditório dos Oceanos | 3 Novembro

 

O seu talento contribuiu para o renascimento do fado nos anos noventa. DULCE PONTES distingue-se pela sua voz versátil, dramática e com uma invulgar capacidade de transmitir as emoções. É considerada uma das melhores dentro do panorama musical português.
Ao vivo, Dulce Pontes apresentou o seu disco O CORAÇÃO TEM TRÊS PORTAS, acompanhada em palco por 7 músicos: Amadeu Magalhães na guitarra clássica e portuguesa, Davide Zaccaria no violoncelo e baixo, José Soares na guitarra clássica, Oscar Viana no oboé, Paulo Feiteira na guitarra clássica, Filipe Lucas na guitarra portuguesa e Beto Betuk nas percussões.

FANFARE CIOCARLIA
Auditório dos Oceanos | 29 Julho

 

"Às vezes, quando eu digo às pessoas que somos oriundos de Zece Prajini (Roménia), pensam que vimos do fim do mundo. Mas aqui, no fim do mundo, é o sítio perfeito para compor música”, diz o trompetista Costica "Cimai" Trifan.
Situada na Roménia de Leste, Zece Prajini (trad: dez campos), na fronteira com a antiga República da Moldávia, é uma pequena vila com 400 habitantes. Famosa pela sua reclusão e teimosia poética de quem a habita, é lar dos 12 romenos que compõem a FANFARE CIOCARLIA, o mais famoso conjunto musical cigano da actualidade.
As origens dos conjuntos musicais ciganos remontam às bandas militares turcas do início do século XIX. A ocupação otomana à zona dos Balcãs transportou esta sonoridade até às regiões da Bulgária, Macedónia, Sérvia e Roménia, passando-a oralmente de geração em geração, até aos dias de hoje.
Considerada por muitos a mais rápida banda de metais do mundo, a FANFARE CIOCARLIA é a herança viva da música cigana oriunda da Roménia, compilando os segredos ancestrais da magia cigana e preservando o espírito desta sonoridade única que transporta no talento dos metais, ritmos e tempos vertiginosos. Nesta tradição musical, cada momento da vida tem o seu som: geamparale, sîrba, hora e ruseasca.

FARRUQUITO & FAMÍLIA
Auditório Oceanos | 21 Abril


Flamenco na sua mais pura representação. A essência dos ritmos apaixonados em constante improvisação, criando a cada instante uma magia que não deixa lugar à indiferença do espectador.
Neste espectáculo, Rosario Montoya, a “Farruca” (mãe de Farruquito), é a artista convidada. A sua temperamental força interior é sinónimo de flamenco e a combinação da sua arte com a de Farruquito permite momentos raros e inesquecíveis, num espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

FOREVER TANGO
Auditório dos Oceanos | 2 a 21 Maio

 

A mais sensual tradição argentina dançada por bailarinos que, a cada movimento, sublimam o drama, cultura e modo de vida de toda uma nação.
Contou com uma orquestra ao vivo, onde o bandonéon, instrumento típico do tango, teve lugar de destaque e com a voz de Carlos Morel numa homenagem a Carlos Gardel. 

É o espectáculo de Tango por excelência da Broadway.

GORAN BREGOVIC WEDDING AND FUNERAL BAND
Auditório Oceanos | 24 Abril


Nascido em Sarajevo, de mãe sérvia e pai croata, GORAN BREGOVIC desde cedo estudou violino, embora sem grande entusiasmo. Aos 16 anos fundou os The White Button, onde era compositor e guitarrista, concretizando o seu gosto pelo rock. Para além da popularidade entre as raparigas, a banda permitiu-lhe verbalizar o seu descontentamento político sem ser preso. Ícone cultural na Europa Oriental, no final dos anos 80 aceita o convite de Emir Kusturica para compor a banda sonora do filme Times of the Gipsies, a que se seguiu Arizona Dream. Em 1994, ganha a Palma de Ouro, em Canes, pela música de A Rainha Margot, de Patrice Chereu e, no ano seguinte, repete o feito com Underground, de Kusturica. Em paralelo, compõe para teatro, faz concertos e participa em trabalhos de outros músicos por todo o mundo.
Karmen with a Happy End é o seu mais recente trabalho que, como é sua característica, alia sonoridades ciganas a tradicionais polifonias búlgaras, guitarras eléctricas com percussão tradicional, tendo sempre o rock como base. Estreado em 2004, em Itália, esta ingénua conjugação de teatro e ópera já percorreu mundo coleccionando  sucessos. Um espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

GREASE
Coliseu dos Recreios | 3 a 27 Maio

 

Imagina-se extravagante, exuberante, descontroladamente feliz a (re)viver momentos de pura diversão...com uma energia que contagia...preparado para um grande espectáculo bem ao estilo dos anos 50?
As poupas, patilhas e brilhantinas os T-Birds e a moda "pink" e todas aquelas músicas, inesquecíveis, que marcaram definitivamente uma época e as suas gerações seguintes e que foram imortalizadas no grande écran por John Travolta e Olivia Newton-Jones.

JOBIM TRIO
Auditório dos Oceanos | 11 e 12 Julho

Paulo Jobim, Daniel Jobim e Paulo Braga: Ninguém melhor do que esses três músicos para divulgar a obra de Tom!
Se uns são herdeiros de facto e a genética lhes permite que sigam o caminho musical criado pelo pai/avô Tom Jobim, o maestro soberano de quem Chico Buarque fala, o outro é herdeiro adquirido da música de Tom, com quem trabalhou por longo período e de quem absorveu a elegância, a sofisticação e, ao mesmo tempo, a simplicidade. JOBIM TRIO.

JOSÉ PEIXOTO COM MARIA JOÃO | PELE
Auditório Oceanos | 20 Abril

 

A colaboração destes dois músicos não é nova. Em PELE, o projecto de ambos, a música de José Peixoto voltou a brilhar na voz de Maria João. Com letras de Tiago Torres da Silva, Eugénia de Vasconcellos e do próprio José Peixoto, Pele relembrou temas desde o início dos anos 90,  mas enfatiza o eclectismo que  os caracteriza.
Acompanhados pelo contrabaixista brasileiro Yuri Daniel e pelo percussionista Vicky, Maria João e José Peixoto desenvolveram o seu trabalho nos sons de todo o mundo, afastando-se da linha tradicional do jazz. Em Pele, provaram mais uma vez que há novos territórios a explorar e fronteiras a ultrapassar. Pele foi um dos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

KODO | TAMBORES DO JAPÃO
Salão Preto e Prata Casino Estoril | 16 e 17 Março | Coliseu do Porto | 18 Março 19 Março | CAE - Figueira da Foz

É um grupo cuja actividade se centra no tambor japonês ou taiko. Ao mesmo tempo que exploram os inúmeros trilhos das artes de representação tradicionais, estão empenhados na criação de algo novo para os tempos modernos. O nome KODO tem dois significados. Por um lado, temos a decomposição da palavra em “tambor” e “criança”, transmitindo a ideia de desejo de Kodo enquanto vontade de tocar o taiko com pureza, com o coração de uma criança.

Por outro lado, Kodo é sinónimo de batimento do coração, a mais fundamental fonte de ritmo do ser humano, o primeiro som que se ouve no ventre materno.
Desde tempos ancestrais o taiko tem sido símbolo de comunidade, servindo de elo entre os povos e os céus. Nos seus espectáculos, os KODO continuam a levar o som do taiko além fronteiras, com a capacidade ímpar de transcender as barreiras de línguas e hábitos, não deixando esquecer que somos membros de uma comunidade mais vasta: o mundo.

MADREDEUS
Auditório dos Oceanos | 21 Julho

Os MADREDEUS dedicam-se a escrever e a tocar ao vivo a sua música, tendo editado o primeiro disco em 1987. Apresentando o seu trabalho como sendo “uma fantasia musical de raíz portuguesa”, os Madredeus são ainda hoje uma oficina de repertório para voz, guitarra clássica e sintetizadores.
Desde o início, têm por objectivo oferecer recitais de poesia cantada, procurando realizar concertos em espaços propícios à tranquilidade de quem os escuta, como teatros, jardins, monumentos ou outros espaços em que o público, sentado e isolado de ruídos urbanos, possa apreciar a insinuação da sua arte. Ao longo dos anos, têm procurado apurar a arte da amplificação dos seus instrumentos acústicos até um patamar quase perfeito, facto que lhes permitiu apresentar-se para audiências de milhares de pessoas, com excelente resultado artístico.

MARIZA
Auditório dos Oceanos | 2 Julho

 

Nascida em Moçambique, cresceu na Mouraria, onde ouviu cantar fado pela primeira vez. Reconhecida internacionalmente, MARIZA é uma fadista de corpo e alma, para quem o fado não é limitado, mas um desafio a ser tratado com todo o cuidado e dignidade.
O seu mais recente trabalho, Transparente, tem produção de Jaques Morelenbaum e homenageia Fernando Maurício, Amália Rodrigues e Carlos do Carmo. Dupla platina em Portugal, Transparente está editado em 35 países, tendo chegado ao Top10 em Espanha e Finlândia.
O registo de dupla platina da artista "transparente" continua a ser motivo para ver e ouvir os espectáculos desta artista internacionalmente conhecida.

MISS SAIGON
Coliseu dos Recreios | 17 Janeiro a 26 Fevereiro

 

Depois de mais de uma década em cena no West End londrino e na Broadway, MISS SAIGON (versão original, legendada) chega a Lisboa
Durante a Guerra do Vietname, um recruta apaixona-se por uma jovem vietnamita dando origem a uma condenada história de amor....
Em 1975, as tropas vietnamitas invadem a Embaixada Americana em Saigão e as tropas americanas são evacuadas pelo telhado em helicópteros. Chris, desesperado, procura Kim na multidão. Não quer partir sem a levar; não quer partir sem o seu grande amor. Sem outra hipótese, é empurrado para o helicóptero e afasta-se da caótica Saigão. Para trás deixa uma existência que não compreende, um amor verdadeiro e um filho que desconhece existir. Três anos depois, já casado, Chris descobre Kim em Banguecoque e vai ao seu encontro…
Baseada em factos reais, MISS SAIGON retrata os momentos e as situações vividas durante a guerra do Vietname, através de uma abordagem fortemente emocional, de paixão e drama. Miss Saigon actualiza as mais clássicas histórias de amores impossíveis como Madame Butterfly onde os autores, Alain Boublil e Claude Michel Schonberg, confessam ter procurado inspiração. 
Estreado em 1989, MISS SAIGON, é um dos 3 mais famosos e rentáveis musicais de sempre na história do teatro inglês, tendo conquistado mais de 31 milhões de espectadores em todo o mundo.

MOMIX | Sun Flower Moon
Auditório dos Oceanos | 21 Novembro a 10 Dezembro

Conhecida internacionalmente por apresentar trabalhos de grande beleza e imaginação, MOMIX é uma companhia de bailarinos-ilusionistas sob a direcção de Moses Pendleton.
É famosa pela sua habilidade e talento em conjugar um mundo de imagens surrealistas usando adereços, luzes, sombras, humor e corpos. Em SUN FLOWER MOON, o espectáculo que celebrou os 25 anos da companhia, os MOMIX reinventaram-se poeticamente num universo misterioso onde os astros são flores, as flores são estrelas e onde uma sensual lua se acende todas as noites. Utilizadas por Moses pela primeira vez, as técnicas do teatro negro (caracterizado pelos efeitos de contraste de cores e escuro) permitiram a criação de ambientes evocativos  de rara beleza.

MÚSICA no Arena Lounge
Palco Multi-Usos

Diariamente, actuaram no Arena Lounge do Casino Lisboa:

Absolute Beginners
Azimute
Banho Maria
Be Bossa
Bluesíadas
Deeper Underground
Dynamite
Earth
Global Quartet
Inês Santos
Kalaf & The Clappers
Luisa Maio
Maria Anadon
Night Feelings
Patricias SA
Rock Marsiano
Shamwaris
Slowhand
Swing City
Tributo a Djavan
Trifene
Vira Lata
XL Femme

NATALIE CHOQUETTE , LA DIVA | com a Orquestra Metropolitana de Lisboa
Auditório Oceanos | 19 Abril

 

Filha de diplomatas, Natalie desde sempre contactou com diferentes culturas, absorvendo conhecimentos e tornando-se fluente em diferentes línguas como inglês, espanhol, russo, alemão e italiano. Aos 11 anos, a viver em Itália, descobriu a ópera para nunca mais a esquecer.
Estudou canto e piano um pouco por todo o mundo e, em 1993, em viagem pela Suíça, decidiu aliar a sua poderosa voz de soprano ao seu inesgotável sentido de humor, criando a sua personagem Diva Cómica. “De Vigneault à Mozart” foi o primeiro espectáculo, em 1994 e, desde então, não mais parou, ganhando inúmeros prémios e fãs por todo o mundo.
“La Diva et le Maestro” foi o espectáculo escolhido para a inauguração do Casino Lisboa, no qual LA DIVA esteve acompanhada pela Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Quem acha que a ópera é maçadora, não conhece Natalie Choquette nem a sua capacidade de interpretação de temas de Turandot com rolos no cabelo e a comer esparguete ou a cantar “Summertime” enquanto arranja as unhas, ou...

Natalie Choquette, “La Diva”, um espectáculo único para um momento único!!!

NEY MATOGROSSO | Canto em qualquer canto
Auditório Oceanos | 28 Abril

 

De funcionário público a ícone da MPB, NEY MATOGROSSO já conta 30 anos de carreira. De início, integrou os Secos&Molhados mas rapidamente o grupo se desfez e Ney inicia uma carreira a solo, plena de excentricidade, onde o seu canto agudo marcava a diferença.
Em Canto em Qualquer Canto, dá azo à sua total liberdade e despe as fantasias e pinturas que o caracterizavam. A seu lado estão Marcelo Gonçalves (violão de sete cordas), o português Pedro Jóia (alaúde e violão) e Ricardo Silveira (guitarra e violão), instrumentistas com quem já trabalhou no passado. Na autoria conta com nomes maiores como Carlinhos Brown, Marisa Monte, Arnaldo Antunes, Waldir Rocha, entre outros. Ressalva, ainda,  para Tiago Torres da Silva, poeta português, autor de referência para os fadistas da actualidade. Um espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

NNENNA FREELON
Auditório Oceanos | 30 Abril

“Billie Holiday cantava o que tinha para dizer, à sua maneira. É uma das suas características mais impressionantes; era uma sobrevivente e detinha um absolutamente brilhante e inovador conceito do que tinha a dizer. Cantava para o seu tempo...e eu também.”

 

Nomeada 5 vezes para os Grammy, NNENNA FREELON presta homenagem a Billie Holiday, uma mulher do seu tempo, lutadora e com algo para dizer. Neste seu sexto álbum, Nnenna constrói um mapa para desvendar a arte de Billie Holiday, utilizando a voz para mostrar a artista, construindo algo novo e sem tentar soar igual.
Para além dos temas revisitados, conta-se com “Only You Will Know”, um original de N. Freelon, onde esta imagina um diálogo com Holiday que termina com Freelon a receber o conselho para ser verdadeira, para ser ela própria.
Pela primeira vez em Portugal, Nnenna Freelon: Um espectáculo de uma grande senhora sobre outra grande senhora.
Um espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

QUEEN | IT'S A KINDA MAGIC
Auditório dos Oceanos | 13 a 30 Dezembro

 

QUEEN, IT’S A KINDA MAGIC recria toda a energia e emoção dos concertos dos Queen, a mítica banda liderada por Freddy Mercury, entre 1971 e 1991.
Desde o primeiro instante somos transportados para o universo único que Freddy Mercury criava ao seu redor. Longe de ser um simples vocalista, Mercury era uma presença intransponível, à qual era impossível ficar indiferente. A sua energia, irreverência e sentido estético tornaram-no uma lenda, odiado por uns e amado por muitos.
Em IT’S A KINDA MAGIC, Craig Pesco, também fisicamente parecido com Mercury, desempenha o papel da sua vida: “Craig Pesco, na verdade, não precisa de cantar ‘Bohemian Rhapsody’. Ele compreende a sua magia. Bem como toda a audiência compreende. É a nossa canção e tudo o que Pesco precisa fazer é tocar as notas iniciais no piano para que a festa comece” (George Huitker, HMT Website). Para os produtores, Craig Pesco é uma aposta ganha, capaz de fazer o público esquecer onde está para, livremente, poder remontar à glória doutros tempos.
Para todos aqueles que tiveram a sorte de ver os Queen ao vivo, IT’S A KINDA MAGIC é a oportunidade de reviver velhas memórias; para todos aqueles que nunca os viram ao vivo, a hipótese de sentirem as emoções de um verdadeiro concerto Queen!!! Em qualquer das situações, IT’S A KINDA MAGIC é um espectáculo a não perder.
“Existem diversos espectáculos sobre os Queen mas QUEEN-IT’S A KINDA MAGIC é o único que recria a magia de Freddie ao vivo, num palco!”, Peter Freestone (amigo e assistente pessoal de Freddie nos últimos 12 anos da sua vida).

RAT PACK | FRANK, DEAN AND SAMMY
Auditório dos Oceanos | 7 a 19 Novembro

 

THE RAT PACK-FRANK, DEAN AND SAMMY é um tributo a Frank Sinatra, Dean Martin e Sammy Davis Jr, três dos mais famosos representantes do showbiz americano.
As suas vozes, humor, energia e charme tornaram-nos únicos no showbiz mundial e THE RAT PACK-FRANK, DEAN AND SAMMY é a justa homenagem aos intérpretes de canções como “My Way”, “Mac The Knife”, “Me And My Shadow”, “Memories Are Made Of This”, “What Kind Of Fool Am I” e “New York, New York”, entre tantas outras. Uma orquestra e um coro feminino completam o espectáculo.
Na gíria americana, RAT PACK significa um grupo de amigos boémios, para quem sair e beber até de madrugada é um estilo de vida. Porém, RAT PACK é também sinónimo de entretenimento e refere-se a um grupo de artistas que, nos anos 50 e 60, fizeram história nos palcos americanos.

Reveillon Casino LIsboa | Pedro Abrunhosa
Arena Lounge | 31 Dezembro

O autor e compositor de Momento sobe ao palco do Arena Lounge na última noite de 2006, tornando-a muito especial. Concerto integrado no Ciclo de Concertos de Outono do Arena Lounge.

RODRIGO LEÃO E CONVIDADOS (IRENE CARACOL E BETH GIBBONS)
Auditório Oceanos | 27 Abril

 

A obra de RODRIGO LEÃO é feita de talento e amizade. Quem é e o que faz são as realidades indissociáveis que tornam a sua música tão absolutamente sincera e verdadeira. Neste concerto, Rodrigo Leão apresentou vários temas inéditos, preparados expressamente para esta sua apresentação no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.
O artista fez parte dos Sétima Legião, onde se afirmou como compositor. Mais tarde, integrou os Madredeus, até que, em 1987, lançou o seu primeiro trabalho a solo, a banda sonora do filme de Manuel Mozos, Um Passo, Outro Passo e Depois...
Já em 1991, como Rodrigo Leão & os Vox Ensemble, apresenta Ave Mundi Luminar, um álbum onde se afasta do formato clássico de canção para abraçar sonoridades mais contemporâneas, misturadas com influências clássicas vocais e musicais. Aclamado pela crítica e pelo público, Rodrigo continuou o seu trajecto, tornando frequente o convite a outros músicos para participarem nos seus álbuns. Na verdade, a música de Rodrigo nasce das cumplicidades que cultiva, da troca de ideias e amizades.
Beth Gibbons, vocalista dos Portishead, e Irene Caracol, vocalista dos Garoto, acompanharam-no no palco do Auditório dos Oceanos num concerto integrado no ciclo de Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

SALIF KEITA
Auditório Oceanos | 22 Abril

 

O seu nascimento polémico marcou o seu destino, tornando-o um sobrevivente. Filho de nobres africanos foi rejeitado pelo pai por ser albino e pelos seus pares por querer ser músico. Na década de 60, integrou duas das mais emblemáticas orquestras do Mali (seu país de origem), a Rail Band e a The Ambassadeurs, tornando-se parte da transformação que, atraída pelas novidades oriundas da Europa e América, a música africana vivia. 
Dono de uma voz potente e sedento por novos horizontes, mudou-se para Washington onde, em 1987, editou o álbum Soro, o primeiro registo de música pop africana. Aclamado por todos, faz parcerias com outras estrelas como Joe Zawinul, Wayne Shorter e Carlos Santana.
Nas suas palavras assume que a aproximação ao rock, ao jazz e ao soul foi uma necessidade. Sendo um autodidacta, tocar com Carlos Santana significou progresso, permitindo-lhe a confiança para continuar a tocar a música do seu país com maior segurança, profundidade e intensidade.
M’Bemba é o culminar de toda essa experiência. É o regresso às raízes, às tradições. É o trabalho de um artista mal-querido pela sua comunidade que insiste em a venerar e homenagear, provando estar cada vez mais presente. Em M’Bemba, Salif Keita revisita os sons da sua infância, adicionando-lhes tudo o que o rock, o soul e o funk têm de melhor.
Um espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

SEXTA-FEIRA 13 | O Musical dos Xutos & Pontapés
Toyota Box | 1 Março a 29 Abril

 

SEXTA-FEIRA 13 | O MUSICAL DOS XUTOS&PONTAPÉS é um projecto que faltava na cultura portuguesa. Inédito, este espectáculo veio homenagear a banda rock mais amada do país e é fruto do encontro de vontades de diferentes pessoas. A começar por António Feio e Susana Félix.
Tudo começou em 2004, durante os ensaios de Portugal, Uma Comédia Musical, em que António encenava e Susana participava como actriz e cantora. Um dia, Susana falou com António sobre um projecto de um musical português em que andava a pensar. Por sua vez, António disse já ter pensado em algo semelhante sem nunca ter avançado para a fase de produção; no entanto, estava interessado em participar...muito interessado.
Passaram as semanas, os meses e, 1 ano depois (mais coisa menos coisa), estavam reunidos os alicerces: o texto foi entregue a Eduardo Madeira e a direcção musical a Renato Júnior...que contou com o total apoio dos próprios Xutos&Pontapés, entusiasmados e surpresos com o projecto. “É um privilégio!”, diz  Zé Pedro.
Em Novembro de 2005, já decidido o espaço para os espectáculos, fizeram-se audições para o elenco onde saber cantar, dançar e representar era obrigatório. Depois de uma pré-selecção, cerca de 200 pessoas apresentaram-se perante o júri para as provas iniciais, passando 35 à segunda fase. Em Dezembro estava definido o elenco e a 2 de Janeiro de 2006 começaram os ensaios.
Na história, Maria João namora com Calado, o líder do grupo, temido por uns e fielmente seguido pelos outros; Didi, o melhor amigo de Calado, quer vencer no mundo da música e está apaixonado por Maria João. Luisa, a melhor amiga de Maria João, namora com Tozé que quer ir para a universidade e ser alguém. O Molas é boa pessoa mas totalmente dependente de drogas. Juntos, vão para todo o lado e desafiam convenções; vivem a juventude em tudo o que esta tem de bom e de menos bom; vivem amores, ódios e convivem com a morte. São histórias de uma geração que se cruzam  NO FUNDO DA RUA com a música dos Xutos&Pontapés.


Encenação ANTÓNIO FEIO  

Texto EDUARDO MADEIRA 

Direcção Musical RENATO JR. 

Cenografia ERIC DA COSTA 

Figurinos Barbara Gonzalez Feio

Coreografia SÓNIA ARAGÃO e CARLA RIBEIRO 

Desenho de Som FERNANDO ABRANTES 

Desenho de Luz MANUEL ANTUNES 

Imagem Gráfica e Multimédia NEON 

Coordenação Artística SUSANA FÉLIX 

Assistente de Encenação SÓNIA ARAGÃO

Direcção Vocal Carlos Coincas

Produção UAU, Xutos&Pontapés e MDL
Banda: Carlos Coincas / Renato Jr. – Teclas, Fred – Bateria, Jorge Courela – Guitarra, Marco Nunes – Guitarra, Nuno Espírito Santo - Baixo

SHEMEKIA COPELAND BAND
Auditório Oceanos | 23 Abril

 

Chamada de “a nova Tina Turner”, SHEMEKIA COPELAND nasceu no Harlem e cresceu no meio da música. Ainda na casa dos vintes, Shemekia partilhou o palco com nomes como B.B.King, Taj Mahal e Buddy Guy. Filha da lenda texana do blues, Johnny Clyde Copeland, Shemekia apenas aos 15 anos percebeu que cantar era uma necessidade essencial. As suas extraordinárias capacidades vocais tornam-na numa das mais importantes e surpreendentes intérpretes de rock, soul e blues, a par com Etta James, Koko Taylor, Aretha Franklin e Ruth Brown.
Um espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

SOWETO GOSPEL CHOIR
Auditório dos Oceanos | 12 a 24 Setembro

 

Originário da África-Sul, o SOWETO GOSPEL CHOIR, liderado  pelo maestro David Mulovhedzi, personifica o melhor do Gospel africano, combinando elementos culturais das diversas tribos do sul de África.
De origem africana, o Gospel tem a voz como veículo principal da mensagem sendo o ritmo marcado pelos tambores. É, desde sempre, cantado por uma voz masculina, à qual responde a comunidade em coro e destaca-se pelo colorido das suas vestes tradicionais e o movimento das suas danças rituais.
Cheia de ritmo e movimento, esta tradição musical aborda temas da vida de um povo, tão variados como os hinos de guerra, as canções de embalar, o envelhecimento, o casamento e a glorificação de grandes líderes e heróis, diferenciando-se do Gospel americano onde a religião é o tema essencial.
Exemplo cultural de um povo e de uma tradição musical, o Soweto Gospel Choir reúne cantores de todo o continente, cantando em diferentes línguas e dialectos como o zulu, o sotho, o xhosa e o inglês.

STACEY KENT AND HER MUSICIANS
Auditório Oceanos | 25 Abril

 

De uma viagem pela Europa, para estudar literaturas comparadas, a estrela internacional de jazz. Foi este o início da carreira de uma das mais importantes intérpretes de jazz da actualidade, STACEY KENT. Com 6 álbuns editados, já ganhou vários prémios como o 2001 British Jazz Award e o 2002 BBC Jazz Award para Melhor Vocalista.
Romântica, canta as clássicas histórias de amor, granjeando fãs em todas as idades e gerações. O seu timbre de voz, único, agarra o público ao desejo de ouvir mais, e mais, e mais, fazendo brilhar os poemas e seus autores. Ouvi-la é amá-la!
Um espectáculo integrado nos Concertos Inaugurais do Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

STAR WARS | THE EXHIBITION | Lisboa
Museu da Electricidade | 1 Novembro a 14 Janeiro 2007

 

Em 1977 surgiu no grande écran, pela mão de George Lucas, uma "Ópera Galáctica" que revolucionou a história do cinema e marcou o imaginário de uma geração de espectadores de todo o mundo. Trinta anos mais tarde, depois de ter dado origem a seis filmes, livros e inúmeros materiais de merchandising, aquela que é afinal a história de todos nós, veio a Lisboa numa exposição oficial com o selo da Lucas Film Lda.
Star Wars - The Exhibition contou com mais de 250 objectos originais, entre os quais diversas maquetas de cenários, desenhos e muito guarda-roupa. Para fãs e não só!

TEMPESTADE
Auditório dos Oceanos | 20 a 27 Outubro

 

Com assinatura da 4D Art, companhia artística multi-disciplinar  dirigida por Michel Lemieux e Victor  Pilon, cujo objectivo é a concepção de espectáculos onde o real se alia ao virtual através da fusão das artes cénicas com as tecnologias multimédia, A TEMPESTADE é uma original versão da famosa peça de William Shakespeare, numa encenação a 3 dimensões onde os efeitos multimédia se aliam à interpretação, criando um espectáculo absolutamente inovador.
Escrita por Shakespeare em 1613, A TEMPESTADE é a sua última peça de teatro e conta a história de Próspero, duque de Milão, e de sua filha, Miranda, exilados numa misteriosa ilha, após um golpe de estado engendrado pelo seu inimigo, o rei de Nápoles. Um dia, anos passados, a frota do rei de Nápoles passa ao largo da ilha e Próspero, com o auxílio de Ariel, um espírito de quem se tornara amigo, desencadeia uma tempestade que faz naufragar toda a comitiva. Vingativo, Próspero faz uso dos poderes mágicos da ilha onde mora e provoca em todos os sobreviventes um turbilhão de ilusões onde o real se torna irreal. Porém, perante o amor que entretanto nasce entre a sua filha Miranda e Fernando, herdeiro do rei de Nápoles, Próspero renúncia à vingança e regressa ao ducado de Milão.
De conteúdo muito actual, A TEMPESTADE é considerada uma metáfora da realidade social de hoje, onde as tecnologias tomam o lugar da magia, dominando a vida de cada um e definindo as fronteiras do poder nas relações sociais. Com 4 actores em cena e 6 actores virtuais, A TEMPESTADE caracteriza-se pela harmonia conseguida na conjugação das diferentes formas de expressão artística como a interpretação, a cenografia, o vídeo, a dança, a poesia, as artes visuais e a música. Esteve em cena no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa em versão francesa com legendagem em português.

UTE LEMPER
Auditório dos Oceanos | 13 e 14 Julho

 

As suas interpretações de Berlin Cabaret Songs, French Chanson e Kurt Weill granjearam-lhe os aplausos da crítica e do público. Os seus concertos sinfónicos incluem parcerias com as orquestras London Symphony, Boston Symphony, Berlin Symphony e a San Francisco Symphony.
Vive em Nova Iorque mas nasceu na Alemanha. UTE LEMPER é uma artista completa, com carreira firmada no teatro, cinema e música. Começou por estudar dança em Colónia e Viena, tendo integrado os elencos de Peter Pan, Cabaret, The Blue Angel e The Weill Revue. Foi a estrela do ballet La Mort Subite, criado por Maurice Béjart de propósito para ela.
Em paralelo, desenvolve uma carreira na música, tendo já 12 álbuns editados, muitos prémios e parcerias importantes com artistas como Elvis Costello, Nick Cave, Tom Waits e Laurie Anderson. Em 2003, edita But One Day onde, para além de homenagear compositores como Weill, Brel, Piazolla, Heymann e Eisler, inclui diversas composições em nome próprio. Já em 2005, edita um novo disco, Blood & Fethers – Ute Lemper Live From the Cafe Caryle.

WILD WOMEN BLUES
Auditório dos Oceanos | 22 Maio a 11 Junho

 

Ter a oportunidade de ouvir uma diva do blues já é uma experiência única, ter duas é memorável e três é foi uma oportunidade imperdível.
WILD WOMEN BLUES com Linda Hopkins, Maxime Weldon e Mortonette Jenkins, as três divas do blues norte-americano ainda no activo,  estiveram acompanhadas por uma das melhores orquestras da actualidade.

B! BEAT BOX DANCE FESTIVAL
Toyotabox | 21, 22, 23 Julho

O antigo espaço do ToyotaBox, nas Docas de Alcântara, foi palco de um grande espectáculo cheio de música, dança e animação.

Ao todo foram três eventos com uma programação de excelência das 19h até o sol nascer! Um verdadeiro palco de dança, animado por uma equipa de Drag Queens cheia de energia e adrenalina, que contou com prestigiados DJs do panorama nacional e internacional da dance music!

 

CIRQUE INVISIBLE
CCB | 8 a 12 Março

 

É difícil definir um espectáculo como este, idealizado e encenado por Victoria Chaplin e Jean Baptiste Thierrée. Na realidade, duas horas são pouco para o sentimento de magia que nos invade...não a magia num sentido hábil e teatral, mas aquela magia que pertence ao puro e ingénuo imaginário infantil de todos nós.

COÇAR ONDE É PRECISO
Casa do Artista | 21 Setembro a 21 Dezembro

 

COÇAR ONDE É PRECISO reafirmou as qualidades humorísticas de José Pedro Gomes, que se apresentou sozinho em palco. Histórias verdadeiras, contadas por verdadeiros portugueses, compuseram o texto que José Pedro Gomes elaborou e onde retratou o  verdadeiro "portuga".Esta foi a primeira vez que este actor se "atreveu" a montar um espectáculo só com material seu.

D. QUIXOTE | Companhia Moscow City Ballet
Coliseu do Porto | 1 e 2 Abril | Coliseu dos Recreios| 7 a 9 Abril

 

O romântico clássico D. QUIXOTE regressou aos palcos nacionais. D. QUIXOTE, Cavaleiro de La Mancha, interpretado pela Companhia Moscow City Ballet. Sempre acompanhado pelo seu inseparável Sancho Pança, D. Quixote viaja em busca de glórias e valores que o dignifiquem aos olhos da amada Dulcineia.
A música é assinada por Ludwig Minkus, o libreto é de Marius Petipa e Victor Smirnov-Golovanov, com adaptação e direcção de Victor Smirnov-Golovanov.

 

DE LA GUARDA
Toyotabox | 24 Maio a 2 Julho

 

Tudo começou pelo desejo incontrolável de experimentar, de explodir, de eleger um espaço e tomá-lo por completo, sem deixar nada fora do jogo; o nosso desejo é a rebelião absoluta. DE LA GUARDA é um espectáculo único e indiscritível onde o teatro nos cai do céu. Actores realizam performances pendurados em cabos de doze metros, por cima do público. O grupo não propõe nada para além de diversão, sendo que o objectivo é despertar no público novas sensações a partir de fortes estímulos visuais, físicos e manuais.

Trata-se do espectáculo inter-activo e de origem argentina que inaugurou a sala Toyotabox.

FUERZABRUTA
Toyotabox | 9 Novembro a 18 Dezembro

 

Não é teatro do futuro nem é uma obra que se repete desde o passado. FUERZA BRUTA é hoje e agora. É uma contínua busca de criatividade e inovação. FUERZA BRUTA foi, então, o espectáculo que motivou a construção do novo espaço cultural que é a Toyotabox, em Lisboa. Da autoria de Diqui James e com música de Gaby Kerpel, FUERZA BRUTA define-se como ‘uma sensual viagem onírica, onde a teatralização  do espaço é levada ao extremo’.
FUERZA BRUTA é um espectáculo grandioso, pleno de exigências técnicas e equipamento, para o qual não havia sala de espectáculos no país que reunisse as condições necessárias para o acolher, tendo a UAU construído uma, a TOYOTABOX, de propósito para o acolher.

GISELLE | Companhia Moscow City Ballet
Coliseu do Porto | 3 Abril | Coliseu dos Recreios | 10 Abril

 

Jovem e encantadora GISELLE, humilde camponesa de uma pequena aldeia no Vale do Reno, é alvo das atenções de todos os jovens que a rodeiam. Do mais pobre camponês ao mais rico e poderoso nobre, todos desejam um olhar de Giselle, duelam por um momento da sua atenção.
Com música de Adolphe Adan, adaptação e direcção de Victor Smirnov-Golovanov, coreografia de Jules Perro, Jean Correli, Marius Petipa, Leonid Lavrovsky e Victor Smirnov-Golovanov, GISELLE contou com música ao vivo a cargo da orquestra do Moscow City Ballet.

LORD OF THE DANCE
Coliseu do Porto | 18 a 20 Fevereiro | Coliseu dos Recreios | 22 a 27 Fevereiro

 

As tradicionais danças Irlandesas, onde braços e mãos estão alinhados com o corpo, foram recriadas por Michael Flatley.  Este espectáculo é já considerado um fenómeno internacional de dança.
Verdadeiros embaixadores de toda uma cultura, a companhia de Flatley transporta por todo o mundo a magia etérea da fantasia e mitos irlandeses. LORD OF THE DANCE é uma experiência única de movimentos, plenos de sincronismo e rigor, reunidos em coreografias únicas de cortar a respiração.

O CHATO
Teatro Villaret | 20 Outubro a 26 Fevereiro

 

Divertida peça que decorre num hotel onde um fotógrafo e um assassino estão hospedados, cada um pelos seus motivos. Num quarto do hotel, com vista para o tribunal, está o assassino (Virgílio Castelo) contratado para matar o mafioso que vai a julgamento. No quarto ao lado, com ligação directa através de uma porta que devia estar fechada, mas que se abre constantemente, está hospedado um fotógrafo (António Feio) encarregue da cobertura fotográfica do julgamento, só que o seu casamento acabou e o homem quer suicidar-se. Escusado será dizer que o assassino vai ter grandes dificuldades em levar a cabo o seu propósito. Pior mesmo, é ter de "tomar conta" do seu chato vizinho de quarto, enquanto tenta esconder as razões que o levaram a hospedar-se ali. Pelo menos, não se pode queixar de falta de afecto e companheirismo. 
Junte-se a isto um empregado de hotel curioso (Jorge Mourato), a mulher do fotógrafo (Helena Isabel) e o novo marido desta (Luís Esparteiro), um psiquiatra com os nervos à flor da pele. Todos juntos conseguem envolver-se numa série de hilariantes confusões e peripécias que vão contribuir para que assassino e fotógrafo se aproximem cada vez mais e talvez acabem juntos...
Esta divertida comédia assinada por Francis Veber (autor de Jantar de Idiotas, a peça que esgotou o Teatro Villaret e outras salas pelo país durante 6 meses),  com encenação de António Feio e interpretações de António Feio, Virgílio Castelo, Helena Isabel, Luís Esparteiro, Jorge Mourato e Joaquim Guerreiro.

SLAVA'S SNOWSHOW
CCB | 6 a 18 Dezembro

 

Dizem que à terceira é de vez...SLAVA SNOWSHOW voltou a Portugal!
Considerada a principal referência do Teatro Cómico do século XXI, SLAVA consegue reunir um grande número de espectadores e fãs por todo o mundo.
SLAVA SNOWSHOW é uma obra-prima da comédia que conta com a ajuda de inúmeros palhaços que recorrem a água, teias de aranha, bolas de sabão e gelo para criar um efeito mágico e hilariante em todo o espectáculo. SLAVA SNOWSHOW é um mundo de magia onde uma cama facilmente se transforma num barco, onde uma teia de algodão envolve a audiência e onde um pequeno pedaço de papel desencadeia uma estonteante tempestade de gelo que ameaça atingir toda a plateia com flocos de neve. Para todas as idades.

TAP DOGS
CCB | 1 a 6 Fevereiro

 

Pela segunda vez em Portugal, os seis homens de Newcastle fizeram as delícias do público português que tinha exigido o seu regresso. Um espectáculo de puro sapateado reinventado para os dias de hoje, com coreografia de Dein Perry e com design e direcção de Nigel Triffitt.

TURANDOT | Companhia Kiev State Opera
Coliseu dos Recreios | 29 Abril a 1 Maio

 

Coro, solistas e a Orquestra da Ópera Nacional de Kiev, num total de mais de cento e cinquenta artistas, dão vida a esta obra de Puccini.
Uma imortal história de amor passada na China Imperial. A Princesa Turandot, tão cruel como bela, jurou matar qualquer pretendente à sua mão. Assim, a todos os candidatos eram colocados três enigmas, sendo decapitados os que falhassem.
Calaf, apaixonado, propõe-se e acerta os três enigmas. Perante a tentativa de TURANDOT de anulação do resultado, Calaf apresenta-lhe uma saída: caso a princesa descobrisse o seu verdadeiro nome até ao amanhecer, Calaf desistiria do casamento e morreria, tal como os seus antecessores. Desesperada, TURANDOT manda torturar o pai e a escrava apaixonada de Calaf. Não conseguindo resistir, Liú, a escrava, suicida-se. Horrorizado com a crueldade da princesa, Calaf recrimina-a e confessa-lhe que o amor a pode tornar humana. De seguida, beija-a, fazendo TURANDOT apaixonar-se. Em resposta, Calaf revela-lhe o seu nome entregando-lhe a sua vida. Ao amanhecer, perante uma multidão suspensa nos acontecimentos, o casal surge feliz, louvando o amor.

VINCENT
Teatro Villaret | 4 Maio a 26 Junho

 

Paris, 1890, Théo Van Gogh, irmão de Vincent, reúne um grupo de amigos numa sala de conferências: “Na semana passada, quando enterrámos o meu irmão, houve muita coisa que eu quis dizer, mas não fui capaz.” Este é o início de uma emocionante viagem pela vida e obra de Vincent Van Gogh; uma vida  perturbada por uma genialidade incontida, narrada por quem sempre o apoiou, por quem melhor o conheceu. Descoberta por António Feio, VINCENT foi, pela primeira vez, levada à cena em Portugal em 1990, ano do centenário da morte do pintor. Um diálogo para um só actor: Virgílio Castelo em VINCENT: O Retrato da Vida de Van Gogh.

WORLD OF BARBIE
Toyotabox | 16 Setembro a 23 Outubro

 

WORLD OF BARBIE! Uma iniciativa que recriou o imaginário em redor da boneca mais famosa do planeta, contando a história dos seus 46 anos de existência e oferecendo entretenimento e diversão a miúdos e graúdos.

AIDA | Comp. Varna State Opera
Coliseu de Lisboa | 18 a 21 Março

 

Um clássico de Giuseppe Verdi, AIDA, filha do Rei da Etiópia, está presa como escrava e em igual circunstância que os outros prisioneiros capturados pelos egipcíos em campanhas passadas... A história de uma vida num espectáculo puro de magia e emoção, cantada e tocada pelo coro e orquestra do Teatro Estatal de Ópera de Varna (Bulgária), sob as orientações do maestro Hristo Ignatov.

BÉJART BALLET | Programa Misto
Coliseu do Porto | 23 e 24 Abril | Coliseu dos Recreios | 30 Abril a 2 Maio

 

O mar, símbolo de vida, que será dançado como diz a canção de Trenet, ao longo das suas margens claras...a morte, que está presente nos Víer letzte Líeder de Richard Strauss...
O mar, a morte...É com esta dupla invocação que BÉJART BALLET DE LAUSANNE se apresentou, mais uma vez em Portugal, com um novo espectáculo que compreendeu três partes que se interligam: ‘La Musique Souvent Me Prend Comme Une Mer’, ‘Ciao Federico’ e uma terceira parte ainda surpresa. Um programa rico de emoções contrastantes que evocou a relação profunda de Maurice Béjart com o mar. Este espectáculo fez uma emocionante homenagem ao amigo e cineasta Fellini, que ainda se estendeu a Gianni Versace (amigo pessoal de Béjart que, ainda em vida, criou o guarda-roupa usado no espectáculo).

CASA DE FADO
Teatro Villaret | 30 Julho a 12 Setembro

 

CASA DE FADO é um espectáculo onde o fado é encenado recorrendo a quatro artistas de créditos mais que firmados no meio musical e que, dadas as suas diferenças etárias e de personalidade artística, asseguram a passagem de testemunho de quase todas as facetas do fado. Este é um espectáculo que parte a alma de quem o faz e que só termina ao tocar a alma de quem o escuta.
CASA DE FADO foi encenado por Tiago Torres da Silva com interpretação de Ana Sofia Varela, António Vasco Moraes, Maria João Quadros e Pilar Homem de Melo, acompanhados por Carlos Gonçalves, Dinis Lavos, João Penedo e Miguel Ramos.

CATS
Coliseu dos Recreios | 6 Outubro a 13 Novembro

 

O musical de maior sucesso e há mais tempo em cartaz, depois de uma recorde de 21 anos na Broadway e em Londres, iniciou uma digressão no reino de Sua Majestade, interrompida para uma passagem por Lisboa.
CATS, de Andrew Lloyd Webber, baseado na obra de TS Eliot ‘Old Possum’s Book of Pratical Cats’, tem encenação de Trevor Nunn, director associado, coreografia de Gillian Lane e cenários de John Napier.
O espectáculo estreou-se no New London Theatre a 11 de Maio de 1981, onde fez quase 9000 actuações até ao encerramento do teatro no dia 11 de Maio de 2002, no 21º aniversário do espectáculo. CATS recebeu em 1981 o Oliver Award na categoria de Melhor Musical e, depois de estrear na Broadway, recebeu 7 Tony Awards, incluindo o de Melhor Musical e Melhor Encenação.
Em Portugal, CATS foi apresentado na sua versão original inglesa, com legendagem em português. Produzido por David Ian para Clear Channel Entertainment e baseado na obra de T. S. Eliot ,‘Old Possum’s Book of Pratical Cats’, CATS foi originalmente produzido em Londres por Cameron Mackintosh e pelo The Really Useful Theatre Company.

CINDERELA NO GELO | Comp. St. Petersburg State Ballet on Ice
Coliseu do Porto | 10 a 14 | Novembro Coliseu dos Recreios | 17 a 21 Novembro

 

O St. Petersburg State Ballet On Ice, jóia do ballet russo no gelo, apresentou CINDERELA NO GELO, de Prokofiev.
Da companhia fizeram parte 31 campeões russos de patinagem no gelo, treinados por Konstantin Rassadin de Kirov, da qual fez parte o então director artístico do St. Petersburg State Ballet On Ice.

DEIXA-ME RIR
Teatro Villaret | 20 Janeiro a 26 Junho

 

Um discurso, um ministro, um assessor, uma jornalista (ex-mulher do assessor), uma secretária cheia de vontade de agradar…um fim-de-semana num hotel de província…um escândalo agrícola capaz de derrubar o partido no governo da nação!
Em apenas dois dias, duração do Congresso anual do partido no poder, toda a realidade da nação dá uma volta de 180°. Entre muito stress e muitos gritos fazem-se revelações íntimas, chantagens, manipulações, “rolam” cabeças!
DEIXA-ME RIR é uma peça de Alistair Beaton, com encenação de António Feio e interpretação de José Pedro Gomes, Virgílio Castelo, Margarida Marinho, Rita Lello, Jorge Mourato, Pedro Laginha e António Machado.

GUMBOOTS
CCB | 11 a 15 Fevereiro | Coliseu do Porto | 20 e 21 Fevereiro

 

Doze dos melhores jovens performers da África do Sul extravasam a sua arte nos palcos nacionais. Há dança, música e uma contagiante energia, própria dos ritmos africanos, numa mostra singular de poder, quase sobrenatural.

JANTAR DE IDIOTAS
Teatro Villaret | 15 Outubro a 27 Março e 1 a 31 Julho

 

Imagine-se um grande editor de romances que tem o curioso hábito de não só publicar os melhores textos que há no mercado, como também, o de conquistar as respectivas autoras. Uma comédia de costumes onde as peripécias se sucedem a um ritmo de fazer chorar a rir!
JANTAR DE IDIOTAS,  da autoria de Francis Veber, tem encenação de António Feio e interpretação de Miguel Guilherme, João Lagarto, António Feio, Rita Lello, Helena Isabel, Jorge Mourato e José Eduardo.

LARANJA AZUL
Sala Polivalente do Hospital Júlio de Matos | 16 Novembro a 16 Janeiro

 

Num hospital psiquiátrico um doente de origem africana aguarda alta. Dois médicos, com posições hierárquicas diferentes, esgrimam argumentos em defesa de interesses distintos. Rapidamente, a divergência de opiniões entre os dois médicos coloca Pedro no centro de um debate que vai do racismo ao etnocentrismo. Subjacentes estão as ambições de cada uma das personagens. Um conflito perturbador e recheado de humor negro.
LARANJA/AZUL, da autoria de Joe Penhall, tem encenação de Natália Luíza e interpretação de José Pedro Gomes, Pedro Laginha e Carlos Paca.

PETER PAN | Comp. Nevada Ballet Theatre
CCB | 1 a 5 Dezembro

 

Mais um clássico do nosso imaginário infantil, dançado pelos bailarinos da Companhia Nevada Ballet Theatre, que nos transporta para a "Terra do Nunca", um mundo cheio de aventuras, onde o Peter Pan, a fada Sininho, os Meninos Perdidos e todos os outros vão ter de enfrentar o temido Capitão Gancho. Este é um bailado para todos os apreciadores de histórias de encantar num espectáculo imperdível até mesmo para os mais crescidos.
Por excelência um espectáculo para crianças que apela à criança que há em todos nós, PETER PAN é baseado na obra de J. M. Barrie e conta com a direcção artística de Bruce Steivel. A partitura,assinada por Carmon DeLeone, compositor de renome já galardoado com o prémio Illinois Music Director do Ano (1995).

PORTUGAL, UMA COMÉDIA MUSICAL
Teatro Municipal São Luiz | 28 Abril a 3 Julho

 

Esta é a história de Tozé, um rapaz das Beiras que veio para a cidade com o objectivo de ser famoso. Faz inúmeros castings sem nunca ser escolhido e quase desespera no seu quarto alugado, na periferia de Lisboa, quando acontece o "milagre". A peça conta esse caminho televisivo para a fama em que Tozé vai defrontando os obstáculos e os imprevistos até conseguir, com a ajuda dos Deuses, tornar-se o homem mais conhecido do país. E para quê? Para que a esperança na mudança para um futuro melhor não termine….
PORTUGAL, UMA COMÉDIA MUSICAL é da autoria de Nuno Artur Silva e Nuno Costa Santos, com encenação de António Feio e interpretação de António Cordeiro, Bruno Nogueira, Carla Vasconcelos, Manuel Marques, Marco Horácio, Marisa Cruz e Susana Félix. A música, tocada ao vivo, é assinada por Sérgio Godinho.

RAUL SOLNADO | Conversas à Solta (acolhimento)
Teatro Villaret | Março

Porque rir consola a alma e anima o corpo... A partir de um testemunho de vida a ideia de Raul Solnado é estar dentro e fora do palco, falando de pessoas e de histórias, de casos e de acontecimentos, de emoções e de sensibilidades. Uma merecida ilustração à sua grande vivência como actor e como ícone da comédia portuguesa.

 

SHAOLIN
CCB | 24 a 27 Março

 

Integrado nas comemorações dos 1500 anos do mosteiro de Shaolin, o ilustre Shi Wang Heng e os seus mestres de Shaolin com o apoio do governo provincial de Henan/República Popular da China e do director de digressão da delegação Chinesa Cao Wei, apresentam este grandioso espectáculo. Uma mostra completas das técnicas mais avançadas de exercícios clássicos de combate.

STOMP
Coliseu do Porto | 28 a 31 Outubro | CCB | 2 a 14 Novembo

 

A cada ano um novo espectáculo! Os STOMP não se cansam de regressar a Portugal e o público português já os adoptou como grupo de entretenimento favorito. O espectáculo mais esperado! Não há muito mais a dizer... STOMP é sobre ritmo, elemento comum a todas as culturas. Todos conhecem o ritmo, quer seja apenas o do bater do coração, que é a base de toda a música.

TANGO PASIÓN
CCB | 29 Junho a 4 Julho | Coliseu do Porto | 9 e 10 Julho

 

Toda a força, drama e ritmo do Tango num espectáculo surpreendente que tem vindo a emocionar audiências de todo o mundo desde 1992.
A melhor orquestra de Tango do mundo, Sexteto Mayor, alguns dos mais impressionantes bailarinos da actualidade e a fabulosa coreografia de Hector Zaraspe num espectáculo pleno de sedução e erotismo.

YAMATO
CCB | 14 a 18 Abril

A espiritualidade e o diálogo com os antepassados, não fosse a religião o princípio de tudo no Japão, potenciam as actuações de Yamato inspirando a utilização dos instrumentos tradicionais japoneses, como o Taiko, capazes de produzir sonoridades ímpares.

A TRETA CONTINUA
Coliseu dos Recreio| 8 a 13 Julho | Teatro Rivoli | 8 a 27 Abril | Teatro Villaret 14 Janeiro a 30 Março

 

Cinco anos depois, A TRETA CONTINUA PARTE II.
Visto por mais de 200.000 espectadores, o espectáculo esgotou todas as salas por onde passou. Com textos e imagens renovados, a dupla António Feio e José Pedro Gomes deu continuidade às conversas do quotidiano, sobre tudo e sobre nada!
Com interpretação de António Feio e José Pedro Gomes e textos de Eduardo Madeira, Filipe Homem Fonseca e Rui Cardoso Martins.

ARTE
Teatro Villaret | 1 Outubro a 21 Dezembro

 

Depois do sucesso em 1998, ARTE regressa ao Teatro Villaret.
ARTE, de Yasmina Reza, desenvolve-se a partir da compra de uma obra de arte por um dos três amigos que nela se apresentam. Trata-se de uma tela, um "quadro branco com riscas brancas, transversais", assinada pelo famoso pintor, Antrios. O valor desta obra de arte acaba por ser o detonador de todos os conflitos e revelações que se vão fazendo no decorrer da peça.
ARTE, de Yasmina Reza, conta com a interpretação de António Feio, José Pedro Gomes e Miguel Guilherme e com encenação de António Feio.

AVÔ CANTIGAS | 20 ANOS
Teatro Rivoli | 8 a 24 Abril

Em 1982, nascia no programa da RTP1, Passeio dos Alegres, o AVÔ CANTIGAS, personagem criada por Carlos Vidal e António Pinto, que o primeiro assumiu até hoje.
Dedicando-se exclusivamente à criação de canções para a infância, os discos do Avô Cantigas rapidamente atingiram enorme sucesso... sucesso que ainda hoje, passados mais de vinte anos, se mantém.  Esta é a celebração, que alguns amigos lhe quiseram fazer, oferecendo-lhe o melhor dos presentes: cantigas originais que, de novo, farão a felicidade de pequenos e graúdos.
Com direcção artística de António Pinho e interpretação de Carlos Vidal.

HAMLETS (acolhimento)
Teatro Villaret | 4 Junho a 6 Julho

Dois actores desempregados dispostos a tudo, numa adaptação e textos de Eric Bogosian, que propõem uma reflexão contemporânea, mordaz e provocadora da própria condição de actor. Numa sociedade sem heróis, em que o indivíduo é cada vez menos individual, ser ou não ser, é a grande questão.

Interpretação de Diogo Infante 

MANOBRAS DE DIVERSÃO | Fechado para Férias
Jardim de Inverno (Teatro Municipal São Luiz) | 20 a 28 Junho 3 a 26 Julho

 

Ah, o Verão! O sol, as férias, a praia, as miúdas em biquini, o apartamento na Quarteira, a roulotte junto ao esgoto a céu aberto, o “Ó Bruna Carina não vás para a água!”, as bichas para chegar à praia, o jet-ski e o jet-set, o rádio em altos berros, os telemóveis, as escutas, a Moderna e o Portas, a Felgueiras, a PJ e a Felícia… e um espectáculo para descansar de tudo isto.
Este é um espectáculo de Bandeira Azul com interpretação de Bruno Nogueira, Carla Salgueiro, Manuel Marques, Marco Horácio, Sofia Grillo e Ana Ribeiro. FECHADO PARA FÉRIAS  tem a direcção geral de Nuno Artur Silva e conta com Marco Horácio e Sónia Aragão na direcção de actores; nos textos, Luís Filipe Borges, Maria João Cruz, Nuno Artur Silva, Nuno Costa Santos e Nuno Markl.

MANOBRAS DE DIVERSÃO | Manobras completas
Jardim de Inverno (Teatro Municipal São Luiz) | 19 a 31 Dezembro e 2 a 4 Janeiro

 

Dezembro. O verdadeiro espírito de Natal está no Chiado. Nas decorações luminosas, nos sorrisos das crianças, no som do visa a passar nas máquinas, nos magotes de gente carregada de sacos aos empurrões para disputar o último par de peúgas com raquetes da prateleira para oferecer já nem se sabe bem a quem… Tudo isto num país onde já não há dinheiro. Não há jantares com os amigos. Não há roupinha de marca. Não há fins‑de‑semana no Algarve. Não há carrinho novo. Não há trabalho. Não há rendimento mínimo. Não há pão para malucos. Olé! Por supuesto! O que vale é que há um espectáculo sobre tudo isto. Um Best Of! E inclui uma faixa escondida!
Depois de O Espírito de Natal, depois de Não Há Crise, depois de Fechado para Férias, as Manobras de Diversão orgulham-se de apresentar… O Espírito de Natal, Não Há Crise e Fechado para Férias – MANOBRAS COMPLETAS, um espectáculo original.
Com Bruno Nogueira, Carla Salgueiro, Manuel Marques, Marco Horácio, Sandra Celas, Sofia Grillo e Ana Ribeiro, encenação e direcção de actores de Marco Horácio com Sónia Aragão. Com direcção geral de Nuno Artur Silva, MANOBRAS COMPLETAS apresenta textos de Luís Filipe Borges, Maria João Cruz, Nuno Artur Silva, Nuno Costa Santos e Patrícia Castanheira.

MANOBRAS DE DIVERSÃO | Não há crise
Jardim de Inverno (Teatro Municipal São Luiz) | 31 Janeiro a 15 Março

 

Não há dinheiro. Não há jantares com os amigos. Não há roupinha de marca. Não há fins de semana no Algarve. Não há carrinho novo. Não há aumentos no trabalho. Não há rendimento mínimo. Não há pão para malucos.
Mas há uma comédia sobre isto tudo. NÃO HA CRISE é o novo espectáculo das Manobras de Diversão. Com interpretação de Bruno Nogueira, Carla Salgueiro, Manuel Marques, Marco Horácio, Sandra Celas, Sofia Grillo e Ana Ribeiro. NÃO HA CRISE tem a direcção geral de Nuno Artur Santos e conta com Marco Horácio e Sónia Aragão na direcção de actores; nos textos, Luís Filipe Borges, Maria João Cruz, Nuno Artur Silva, Nuno Costa Santos.

MARCEL MARCEAU
CCB | 27 e 28 Dezembro

 

Aos 80 anos de idade, MARCEL MARCEAU é a prova viva de que o amor pelas artes não escolhe idades. Este mímico internacional destaca-se pelo seu lirismo e expressividade corporal. Um espectáculo impressionante que destaca as qualidades interpretativas deste performer.

MARILIA PÊRA CANTA ARY BARROSO
CCB | 22 e 23 Setembro

 

Uma das mais carismáticas actrizes brasileiras prestou uma homenagem merecida, nestes cem anos de sucesso, a Ary Barroso. Com direcção da própria Marília, o público pôde desfrutar das aguarelas de Ary num total de 21 temas.

O HOMEM QUE MORDEU O CÃO (acolhimento)
Teatro Tivoli | 30 e 31 Maio | Teatro Villaret | 21 Janeiro a 10 Abril

 

Uma hora de radiodifusão bizarra a começar logo pelo facto de não estar a ser difundida para lado nenhum! Um novo espectáculo todas as semanas, um bombástico convidado musical diferente e um novo e explosivo comediante. Interpretação de Nuno Markl com Maria de Vasconcelos e Pedro Ribeiro; encenação de Nuno Markl.

PARIS CAN CAN
CCB | 5, 6, 7 Junho

 

O espectáculo PARIS CAN CAN começou como um sonho... O sonho de conjugar a energia electrizante do Can Can clássico com os ritmos alucinantes e cheios de erotismo do presente...
PARIS CAN CAN chega-nos directamente de Paris onde cem anos de tradição de Music Hall deram lugar a uma nova alegria de viver que se tornou apanágio dos inúmeros talentos que criaram espectáculos de renome mundial nas salas de Paris.
Os elaborados cenários e guarda-roupa criados por Rangel Wright recriam o universo de Toulouse-Lautrec para esta aventura musical. Artistas, cantores e dançarinos de excelência completam o quadro de uma noite perfeita.

PORGY AND BESS
CCB | 9 a 21 Dezembro

 

A obra-prima de Gershwin chegou a Portugal numa produção da Living Arts, a única autorizada pelos herdeiros do autor, trazendo um musical imperdível, com direcção de Will Roberson.
Precedendo no tempo os grandes musicais da Broadway, PORGY AND BESS, reflecte os ritmos afroamericanos através dos clássicos temas como ‘Summertime’, ‘I got plenty o’nuttin’ e ‘It ain’t necessarily so’. Não só pela vertente musical mas, também, pela força dramática do argumento, PORGY AND BESS agradou a todos os tipos de público. A ópera, que dispensa apresentações, arrebata e comove, por isso mesmo é, desde 1935, considerada uma obra-prima.

PUPPETRY OF THE PENIS
Teatro Tivoli | 8 a 19 Abril

 

PUPPETRY OF THE PENIS celebra a antiga arte do origami genital. Hilariante, surpreendente, ridículo e cru! PUPPERTRY OF THE PENIS permite-nos assistir, maravilhados, à apresentação destes australianos cheios de ‘talentos’, que manipulam os seus órgãos genitais (com imenso charme) para os transformar nos mais variados objectos, formas e conceitos. Entretanto, uma câmara de vídeo projecta os mais íntimos pormenores deste fenómeno sem precedentes para um ecrã gigante, permitindo à assistência, mesmo na última fila, não perder um único detalhe!

QUEBRA NOZES | Companhia St. Petersburg State Ballet on Ice
Coliseu dos Recreios | 11 a 16 Novembro | Coliseu do Porto | 19 a 22 Novembro

 

O St. Petersburg State Ballet on Ice voltou a Portugal, desta vez, com o clássico de Tchaikovsky, QUEBRA NOZES.
Dançado por uma fabulosa companhia de trinta campeões de dança no gelo, O QUEBRA NOZES ON ICE, seguindo a tradição do mundialmente conhecido Kirov Ballet, trouxe até nós, numa combinação única de arte e entretenimento, momentos inesquecíveis de fantasia e beleza numa história para sempre ligada ao nosso imaginário. O QUEBRA NOZES ON ICE é um espectáculo com coreografia de Konstantin Rassadin e música de Tchaikovsky.

SLAVA'S SNOWSHOW
CCB | 7 a 11 Outubro | Coliseu do Proto | 15 e 16 Outubro

Na sua segunda  vez em Portugal, Slava voltou a fascinar pequenos e graúdos. Considerada a principal referência do Teatro Cómico do século XXI, SLAVA consegue reunir um grande número de espectadores e fãs por todo o mundo.

SLAVA SNOWSHOW é uma obra-prima da comédia que conta com a ajuda de inúmeros palhaços que recorrem a água, teias de aranha, bolas de sabão e gelo para criar um efeitos mágicos e hilariantes em todo o espectáculo. SLAVA SNOWSHOW é um mundo de magia onde uma cama facilmente se transforma num barco, onde uma teia de algodão envolve a audiência e onde um pequeno pedaço de papel desencadeia uma estonteante tempestade de gelo que ameaça atingir toda a plateia com flocos de neve.

THE DOORS | XXI Century
Pavilhão Atlântico | 6 e 7 Dezembro

Mito.... lenda... realidade... THE DOORS. É o decorrer da história com mais de 37 anos de uma das bandas com mais influência no rock’n’roll.

Numa celebração do grupo que conta com mais de 30 anos, em versão século XXI, os THE DOORS iniciaram uma digressão europeia que os trouxe a Lisboa, única cidade onde tocaram duas noites. Esta é a banda que reúne no mesmo palco Ray Manzarek e Robby Krieger, da formação original, e Ian Astbury, vocalista dos The Cult. Esta foi uma celebração de canções, que são rituais de passagem clássicos deste século, e não de saudade ou nostalgia.

TOM JONES
Pavilhão Atlântico | 21 Junho

 

Senhoras e senhores...É com prazer que anunciamos o ‘Sex Bomb’ original...a voz de ‘Delilah’ e ‘Kiss’...TOM JONES!
Raros são os artistas que se podem gabar de uma carreira tão longa e constante como a de TOM JONES que comemora, este ano, 40 anos de carreira. Cumprem-se, de facto, em 2003, 40 anos sobre a formação da primeira banda onde TOM JONES cantou, a Tommy Scott & The Senators. Foi o primeiro passo de um percurso brilhante que transformou este antigo mineiro de uma vila do País de Gales numa das mais reconhecidas vozes da música popular contemporânea.

3 VERSÕES DA VIDA
Teatro Villaret | 5 Março a 19 Maio

3 VERSÕES DA VIDA, três dimensões do quotidiano, três variações do mesmo quotidiano, do mesmo encontro com desfechos dramáticos diferentes como se o acaso e o caos tivessem a última palavra, independentemente da nossa vontade.
3 VERSÕES DA VIDA, de Yasmina Reza, conta com encenação de Miguel Guilherme e interpretação deste com Rita Blanco, Rita Lello e Adriano Luz.

7 ANOS
Teatro Villaret | 19 Novembro a 22 Dezembro

Rita Blanco e Fernando Luis “casam” uma vez mais...nos palcos, bem entendido. Desta vez, encarnaram um casal que subitamente se viu confrontado com a chamada crise dos sete anos, passando por todas as fases de discussão da relação e expondo, ao fazê-lo, todos os pequeninos tiques, amuos e reconciliações tão típicas de qualquer casal.
O texto de Rosa Lobato Faria é uma sátira hilariante à instituição do casamento, obrigando, através do riso, a reflectir sobre as nossas próprias relações e expondo as pequenas cumplicidades e ritos próprios de qualquer relacionamento...inclusive o nosso!

A ILHA DOS SONS
Teatro Villaret | 11 Março a 5 Maio

A música no centro da ficção!
A música é o ponto central de toda a história, onde se fala e se interpreta a música enquanto motor de amizades, de comunhão com a natureza, como linguagem universal de expressão de sentimentos e emoções. Este espectáculo, pretendeu atingir o público infantil, privilegiando uma ligação muito forte entre a palavra e a música, interpretada ao vivo durante o desenrolar das cenas, para que as crianças pudessem participar e cantar acompanhando os intérpretes.
A ILHA DOS SONS é da autoria e encenação de José Sousa, com textos de Ana Morais, música de António Gomes e Rui Duarte e interpretação de Carlos Custódio, Nuno Rodrigues e Sara do Vale.

A TRETA CONTINUA
Auditório Carlos Paredes |31 Outubro a 2 Novembro

Cinco anos depois, A TRETA CONTINUA PARTE II.
Visto por mais de 200.000 espectadores, o espectáculo esgotou todas as salas por onde passou. Com textos e imagens renovados, a dupla António Feio e José Pedro Gomes  deu  continuidade às conversas do quotidiano, sobre tudo e sobre nada!
Interpretação de António Feio e José Pedro Gomes e textos de Eduardo Madeira, Filipe Homem Fonseca e Rui Cardoso Martins.

AVÔ CANTIGAS | 20 ANOS
Teatro Villaret | 7 Outubro a 21 Dezembro

Dedicando-se exclusivamente à criação de canções para a infância, os discos do AVÔ CANTIGAS rapidamente atingiram enorme sucesso que, ainda hoje, passados mais de vinte anos, se mantém.  Esta é a celebração que alguns amigos quiseram fazer-lhe, oferecendo-lhe o melhor dos presentes: cantigas originais que, de novo, farão a felicidade de pequenos e graúdos.

BÉJART BALLET LAUSANNE | Programa Misto
Coliseu dos Recreios | 6 a 10 Novembro

O mar, símbolo de vida, é dançado, como diz a canção de Trenet, ao longo das suas margens claras...a morte, que está presente nos Víer Letzte Líeder, de Richard Strauss...
O mar, a morte...Foi com esta dupla invocação que o BÉJART BALLET DE LAUSANNE se apresentou, mais uma vez em Portugal, com um novo espectáculo de bailado contemporâneo, que compreendeu ainda uma terceira parte que interliga o K538, de Mozart. Com coreografia de Maurice Béjart, música de Wagner e figurinos de Henri Davila, este espectáculo destacou-se  pela sua beleza e qualidade.

FERNANDO TORDO
Teatro Rivoli | 26 Julho Teatro Villaret | 23 e 24 Julho

Um grande concerto de memórias com um grande compositor e cantor português. Conhecido pelo grande público pela sua participação no Festival RTP da Canção de 1969 com "Cantiga", Fernado Tordo rapidamente se notabilizou pela sua capacidade lírica que diversas vezes utilizou como forma de intervenção política e social.

ILDO LOBO
CCB | 2 Fevereiro

Ildo Lobo nasceu e cresceu numa família de músicos e cedo se apaixonou pela música. Tido como o maior cantor caboverdiano de todos os tempos, Ildo Lobo, durante anos, foi o vocalista e estrela do popular grupo Os Tubarões, levando além fronteiras as influências tradicionais da música de Cabo Verde, popularizando o seu característico funáná.
Com uma vida dedicada aos caboverdianos, este cantor é uma referência incontornável na história e vivência musical deste povo.

INOX
Coliseu do Porto | 3 a 5 Julho | Teatro Tivoli | 10 Abril a 16 Junho

Peça de teatro com textos de Ana Bola, Carlos T., Clara Ferreira Alves, Herman José, João Cardoso, José Pedro Gomes, José Topa, Luísa Costa Gomes, Rui Zink e Eduardo Madeira/Henrique Cardoso/João Quadros (Script Doctors), encenação de José Pedro Gomes e interpretação de António Feio, José Pedro Gomes, Maria Rueff e a banda Morcegos Benz.
Só por esta ficha técnica, esta peça de teatro é inigualável em brilhantismo e humor, mas a história que a envolve merece também o seu destaque pela originalidade.
É uma mistura de textos sem ligação aparente que nasceram da vontade de fazer teatro e que ganharam vida com a música de Zé Nabo. Não tinha um nome e Herman José sugeriu um. INOX, disse ele logo, como se fosse óbvio.
O conceito de INOX ainda hoje está por explicar. Será revista? Será musical? Só porque tem música ao vivo? É teatro-música? Música-teatro? É pós-qualquer coisa? Isso também não é importante. É apenas INOX.

JORGE PALMA
Teatro Villaret | 21 e 22 Junho

É, sem dúvida, um dos melhores canto-autor actuais, um criador com sonhos feitos canções, que consegue cativar diferentes públicos.
Este ano, Jorge Palma venceu o prémio José Afonso, pelo seu disco Jorge Palma, e foi nomeado para os Globos de Ouro, nas categorias de Melhor Intérprete Individual e Melhor Canção. Estes concertos, onde foi acompanhado pelo filho Vicente, foram editados num CD duplo, com o título No Tempo dos Assassinos.

LAGO DOS CISNES NO GELO | St. Petersburg State Ballet on Ice
Coliseu dos Recreios | 8 a 13 Outubro

O St. Petersburg State Ballet on Ice apresenta, pela primeira vez em Portugal, uma fabulosa companhia composta por mais de trinta campeões de dança no gelo de prestígio mundial.
A companhia, seguindo a tradição do mundialmente conhecido Kirov Ballet, trouxe até nós, numa combinação única de arte e entretenimento, a beleza do ballet aliada à magia da patinagem no gelo, proporcionando-nos um inesquecível LAGO DOS CISNES.

Sob a direcção artística de Konstantine Rassadin, que fez parte do Kirov Ballet como seu coreógrafo e Primeiro-Bailarino, esta produção apresentou um guarda-roupa com mais de 100 magníficos fatos e exuberantes cenários de acordo com a tradição Russa, conjugados com a música de Tchaikovsky.

LUÍS DE MATOS | Close Up
Teatro Villaret | 5 a 7 e 12 a 14 Julho

CLOSE-UP é uma noite de ilusão passada na companhia de LUIS DE MATOS.
Durante quase duas horas, o público é conduzido ao longo de uma fantástica viagem pelo maravilhoso mundo da magia, com uma alusão a sonhos e pesadelos que, no fundo, são os do Homem.

MAFALDA ARNAUTH
Casino da Figueira | 9 Novembro

 

No princípio era o fado...é este o lema de MAFALDA ARNAUTH. Com a frescura característica de uma voz jovem e pronta a dar mostras de talento, cedo o mundo do fado acolheu esta cantora que cativou pela sua espontaneidade e pelas memórias despertas com as suas reinterpretações de sucessos antigos.

MANOBRAS DE DIVERSÃO | O Espírito de Natal
Jardim de Inverno (Teatro Municipal São Luiz)| | 23 e 24 Novembro, 17 a 22 e 26 a 29 Dezembro

 

Dezembro. O verdadeiro ESPÍRITO DE NATAL está no Chiado. Nas decorações luminosas, nos sorrisos das crianças, no som do visa a passar nas máquinas, nos magotes de gente carregada de sacos aos empurrões para disputar o último par de peúgas com raquetes da prateleira para oferecer já nem se sabe bem a quem, tudo sempre ao som daquela maravilhosa música de natal com muitos sininhos…É tempo de fazer uma Manobra de Diversão e refugiar-se no Jardim de Inverno do São Luiz, onde poderá assistir a um espectáculo sobre o verdadeiro ESPÍRITO DE NATAL.
O grupo Manobras de Diversão foi formado com o objectivo de fazer espectáculos ao vivo de humor alternativo e irreverente sobre o mundo contemporâneo. A ideia fundadora deste projecto é, pois, a de realizar espectáculos cómicos - um misto de stand-up comedy e sketches - com o mínimo de meios possível, apostando tudo na força dos textos e na qualidade das interpretações.
Com Bruno Nogueira, Carla Salgueiro, Manuel Marques, Marco Horácio, Sandra Celas e Sofia Grillo, encenação e direcção de actores de Marco Horácio com Sónia Aragão. Com direcção geral de Nuno Artur Silva, O ESPIRITO DE NATAL apresenta textos de Ana Ribeiro, Bruno Nogueira, José Diogo Quintela, Marco Horácio, Maria João Cruz, Nuno Artur Silva, Nuno Costa Santos, Pedro Ribeiro, Patrícia Castanheira e Tiago Dores.

MONÓLOGOS DA VAGINA (acolhimento)
Coliseu do Porto | Teatro Villaret | 10 Janeiro a 24 Fevereiro | Teatro Villaret | 19, 20, 26 e 27 Julho

Uma peça no feminino sobre o feminino. No palco, uma actriz conta histórias sobre as experiências de outras mulheres: a violação, a menstruação, as idas ao ginecologista, os lamentos dos maridos infiéis, prazeres e terapias de grupo. A autora, Eve Ensler, reuniu um aglomerado de testemunhos apresentando-os sob um título polémico mas que, ao mesmo tempo, desafia a curiosidade. Cerca de duzentas mulheres, de diferentes países e com diferentes idades, foram entrevistadas pela autora. A actriz Guida Maria assistiu à peça e, em conjunto com Celso Cleto, fez a adaptação do texto aos nossos palcos. Na versão portuguesa, Guida Maria é a actriz que deu voz a mais de duas centenas de mulheres.

MÚSICA E DANÇA DO TAJIQUISTÃO
CCB | 3 Março

 

Badakhshan faz parte da região oriental do Tajiquistão, situado no coração das altas montanhas de Pamir, fazendo fronteira com a China e o Afeganistão. Nesta parte do mundo, habita o povo de Pamir a que pertencem a diversos grupos étnicos com diferentes origens e idiomas.
Os músicos do Badakhshan utilizam poemas persas clássicos, obras ismaelitas relativamente modernas e diferentes cantos folclóricos nas suas línguas regionais. Dividem o seu repertório em três géneros: madâkhani, ghazalkhâni e cantos folclóricos.

NOITES DE TCHAIKOVSKY | Klev State Orchestra
CCB | 28 Fevereiro a 2 Março

 

Criada em 1984 a orquestra do State Musical Theatre de Kiev é considerada uma das mais importantes da Ucrânia. O seu repertório inclui mais de trinta óperas e bailados, bem como, vários programas de música sinfónica clássica e contemporânea, como Requiem, de Mozart, e Stabat Mater, de Rossini, entre muitas outras obras mundialmente aclamadas.

NUNO GUERREIRO
Teatro Villaret | 17 e 18 Junho

NUNO GUERREIRO, o singular vocalista da banda Ala dos Namorados, num concerto acústico que promete surpreender. Possuidor de uma das mais distintas e invulgares vozes portuguesas, este cantor português cedo ganhou popularidade.
Graças às diversas sonoridades que consegue facilmente produzir, fruto da sua classificação vocal como contra-tenor, Nuno Guerreiro possui a capacidade de interpretar repertório barroco, árias de Handel, assim como, fado, pop ou música soul.

O TROVADOR | Bulgaria State Ópera
Coliseu dos Recreios | 26 a 28 Setembro

O TROVADOR, de Giuseppe Verdi, com libreto de Salvatore Cammarano, sobre a obra de Garcia Gutièrrez, é uma extraordinária ópera e uma das mais populares Do compositor.

Esta ópera romântica desenvolve-se em Espanha, no início do século XV, e está dividida em quatro actos. A acção gira em torno da paixão de Magriço, o trovador, por Leonora, uma criada da rainha de Biscaia.
O TROVADOR surge agora apresentado pela Bulgaria State Opera, actual referência da cultura musical deste país. A Bulgaria State Opera naceu no ano de 1996 pela mão de Ivan Kyukchiev e baseia a construção dos seus espectáculos nas grandes tradições da ópera búlgara, apresentando produções únicas.

 

ROGER WATERS
Pavilhão Atlântico | 4 e 5 Maio

 

Roger Waters, um dos fundadores dos míticos Pink Floyd, esteve em Portugal para um concerto memorável de grande qualidade artística e criativa. Este músico e compositor inglês de rock, depois de ter saído dos Pink Floyd, embarcou numa carreira a solo, editando três álbuns e uma banda sonora.

SARA TAVARES
Teatro Villaret | 20 Junho

 

Dona de uma voz singular, SARA TAVARES interpretou neste concerto acústico o seu trabalho mais recente deixando escapar as suas fortes raízes africanas. Nascida a 1 de Fevereiro de 1978, Sara Tavares tornou-se conhecida do grande público ao ganhar a 1ª edição (1993/1994) do concurso Chuva de Estrelas  (SIC), onde interpretou um tema de Whitney Houston. Esta cantora e compositora portuguesa com ascendência cabo verdiana continua, há mais de uma década, a encantar o público com o calor da sua world music.

SIMONE
Casino da Figueira | 30 Março

 

Nascida a 25 de Dezembro de 1949, Simone Bettencourt de Oliveira, ou apenas SiMONE, é uma cantora brasileira que desde os anos 80 figura como uma das mais carismáticas intérpretes da música popular brasileira.
Desde o seu primeiro trabalho discográfico que SIMONE é sinónimo de espontaneidade e ‘dom natural’ para cantar. Sem nunca ter tido qualquer formação musical, SIMONE recorre à leitura de pautas apenas como recurso à intelectualização dos acordes. A sua peculiar forma de cantar é facilmente distinguida dos demais cantores brasileiros pois o seu sotaque baiano marca a melodia das músicas.
SIMONE, nomeada três vezes para os Grammy Latinos, é conhecida pela sua presença carismática em palco. Trajada de branco, altura incomum e porte atlético, SIMONE contempla as suas canções com o sinal da cruz, encerrando os seus espectáculos com rosas brancas que partilha com o público.

STOMP
Coliseu do Porto | 19 a 23 Novembro CCB | 26 Novembro a 8 Dezembro

 

Pela terceira vez em Portugal, os STOMP voltaram a fazer as delícias dos fãs que começavam a exigir a sua presença anual no nosso país.
A combinação única de percussão, movimento e comédia visual num espectáculo que apela a um grande leque de audiências, atraindo apaixonados pela dança, teatro, música, e a arte de representar, por si própria. A sua mistura única de várias formas de arte, tem atraído um vasto leque de públicos, criando admiradores em todo o mundo.

TAP DOGS
CCB | 9 a 14 Abril

 

Pegue em seis homens de Newcastle, uma cidade industrial a norte de Sidney, Austrália; junte-lhes o coreógrafo Dein Perry e o designer/director Nigel Triffitt e obtém TAP DOGS: noventa minutos de puro sapateado, reinventado para os dias de hoje.

TRIFÁSICO | Paulo Matos
Teatro Villaret | 11 Setembro a 9 Novembro

 

"A cultura resistirá sempre" é este o mote de TRIFÁSICO, uma peça onde o humor predomina do primeiro ao último minuto. Num tom sempre bem disposto, Paulo Matos fala da cultura em geral e da nova forma de representar, em particular.
TRIFÁSICO é uma peça com textos de Luísa Costa Gomes e Paulo Matos, com colaboração criativa de Carmen Santos e interpretação de Paulo Matos.

Xutos & Pontapés
Teatro Villaret | 3 a 5, 10 a 12 Dezembro

 

A mais aclamada banda rock portuguesa preparou-se e deu um concerto acústico, cantando os seus mais famosos temas.
Quem poderia imaginar uma banda de rock como os XUTOS & PONTAPÉS a apresentar um espectáculo numa sala de teatro? Só 444 felizardos em cada noite puderam assistir a estes concertos únicos que ficaram na história do Teatro Villaret e da música nacional.

A LUA VAI AO CIRCO
Teatro Villaret | 12 Novembro a 16 Dezembro

A Lua está aborrecida com a sua rotina. Desde que aparece, até desaparecer do céu, nada, ou muito pouco, se passa, pois tudo dorme.
Depois do Sol lhe mostrar que um novo circo chegou à cidade, a Lua apercebe-se de um buraco que existe na tenda e que lhe permite ver todo o espectáculo através de um binóculo. Encantada com o que vê, a Lua sonha poder conhecer de perto o Circo Capriolli...
Com encenação e concepção de Detlef Schafft, Eva Cabral e José Henrique Neto e com texto de Detlef Schafft, esta peça contou com a participação de Detlefft Schafft, Eva Cabral, Fernado Ferreira, Emília Xavier e Oliveirinha.

ANDRE RIEU
Coliseu dos Recreios | 3 e 4 de Maio

O violinista e líder de orquestra ANDRÉ RIEU conquistou e mudou o mundo da música clássica. Ele e a sua orquestra partilharam a verdade da actuação musical ao mesmo tempo que ensinaram ao público de todo o mundo que ouvir música clássica pode ser tremendamente divertido.

BIBI VIVE AMÁLIA
ccb | 2 Dezembro

Amália está de volta! Podia ser a frase de abertura deste espectáculo. Reviver a grande diva do fado português não é uma tarefa fácil, mas a verdade é que durante hora e meia vive-se a ilusão de que Amália está de volta. Só depois de Bibi Ferreira abandonar o palco inundado em rosas vermelhas e com o público a lacrimejar de emoção, surge a clara noção de que Amália apenas foi revisitada.

BRANCA FLOR (acolhimento)
Teatro Villaret | 16 Abril a 3 Junho

Espectáculo de teatro-dança destinado aos mais novos.
Pedro Wilson, actor e encenador, pegou num conto da autoria de Ana de Castro Osório e acrescentou-lhe movimento, dança e alguns truques do teatro de farsa. O resultado chama-se BRANCA FLOR. Com direcção artística de Cristina Basto, a encenação esteve a cargo de Pedro Wilson.

CINDERELA | Ballet Monte Carlo
Coliseu dos Recreios | 18 a 23 Setembro

Alegre, viva, poética e incisiva, a CINDERELA de Jean-Christophe Mailot evoca as cores vivas da partitura de Prokofiev. Sério e misterioso, este bailado move-se com à-vontade entre o fantástico mundo dos contos de fada e uma percepção crítica das suas personagens e situações.
Desta miscelânea, surge uma estranha atmosfera, na qual, elementos realistas e divertidos se misturam com, ou são mudados por, episódios mágicos . Tal como o conto de fadas que permite várias interpretações, também o bailado recusa uma única leitura.
Um bailado em três actos que contou com direcção e coreografia de Jean-Christophe Maillot e música de S. Prokofiev.

CIRQUE ORCHESTRA | Cirque Eloise
Coliseu dos Recreios | 13 a 15 Julho

O desejo humano de ter asas e voar não é um mito. CIRQUE ORCHESTRA é uma ode à busca da liberdade apenas adquirida através de um voo. O espectáculo conta a história de um músico que, de repente, consegue voar. No decurso desta aventura sucedem-se números de dança acrobática que desafiam a gravidade. Três actores e treze performers multidisciplinares de circo, especializados em contorção, trapézio, aerial stripes e aerial rings, são as estrelas deste CIRQUE ORCHESTRA.
Toda a produção combina, de forma mágica, a arte do Novo Circo e a dança contemporânea, ao som de uma orquestra ao vivo. O resultado é avassalador e inesquecível!
O Cirque Eloise já participou em diversos festivais, eventos e exposições incluindo o Festival de Edimburgo, o Festival de Israel, o Festival de Hong-Kong, o Festival Iberoamericano de Teatro de Bogotá, entre outros eventos internacionalmente aclamados.

COMPAY SEGUNDO
Coliseu dos Recreios | Coliseu do Porto | 21 e 22 Março

Compay Segundo, uma das maiores lendas da música de Cuba e elemento integrante do grupo Buena Vista Social Club. A sua interpretação ajusta-se  ao modelo oriental de Cuba, pelo que é conhecido como um grande representante da cubanía.

COOL HEAT URBAN BEAT
CCB | 5 a 10 Junho

O espectáculo conta com o soberbo bailarino de sapateado Herbin "Tamango" Van Cayseele, com os Jazz Tappers e os Hip-Hop Dancers, da Rennie Harris Puremovement de Filadélfia. A música é tocada ao vivo pelo percussionista Daniel Moreno e com os samplers do famoso DJ Miz.
Desde a sua estreia no Edinburgh Festival, em 1998, o espectáculo tem evoluído numa extraordinária celebração à dança, numa fusão de hip-hop, sapateado, break dance, stepping e capoeira.

EU SEI QUE VOU TE AMAR
Teatro Villaret | 14 Junho a 19 Agosto

A impossibilidade do Amor no Teatro Villaret.

Durante 90 minutos, os espectadores são conduzidos através de uma história de amor comovente, violenta, com momentos de felicidade e outros de grande infelicidade, com agressões, com tristezas e alegrias que, apesar de todas as aparentes verdades, acaba sem chegar a conclusões e sem convencer totalmente. No fim, a pergunta fica no ar: "O amor é uma invenção do cinema americano para facturar? Ou será que o amor, pura e simplesmente, não existe?’

EU SEI QUE VOU TE AMAR é uma peça de Arnaldo Jabor, com os actores Ana Nave e Almeno Gonçalves e encenação de Cristina Carvalhal.

GIL'S LOVERS | Todo o Amor! (acolhimento)
Teatro Villaret | 15 Outubro a 9 Novembro

GIL’S LOVERS – TODO O AMOR!, de Gil Vicente, é uma comédia delirante, interactiva e multimédia que revisita, na obra de Gil Vicente, uma das emoções humanas mais descritas na literatura, o Amor. Nesta peça, o autor mostra toda a sua arte e versatilidade em abordar o tema do amor em tantas, tão variadas, divertidas e sempre acutilantes ópticas.
GIL’S LOVERS – TODO O AMOR!, é uma peça de Gil Vicente, interpretada por Maria Feigning e Bruno Simões e com encenação de Henrique Macedo.

HARLEM GOSPEL SINGERS
CCB | 6 a 11 Março

O gospel dos The Harlem Gospel Singers é muito mais do que um repertório de música espiritual negra, pois reflecte o abraçar espiritual da alma que está, desde sempre, presente na tradição afro-americana e em que a jazzística Blue Note soa tão bem quanto o Rap contemporâneo.
Eles cantam individualmente em New Jersey, Filadélfia, Connecticut ou Luisiana e estão entre os melhores do seu estilo. Em cada indivíduo há um solista de primeira classe e, todos os anos, juntam forças para se tornarem num único e uníssono coro.

MOMIX | Super Momix
CCB | 20 a 25 Fevereiro

Conhecida internacionalmente por apresentar trabalhos de grande beleza física e inventiva, MOMIX é uma companhia de bailarinos-ilusionistas sob a direcção de Moses Pendleton. É famosa pela sua habilidade e talento em conjugar um mundo de imagens surrealistas usando adereços, luzes, sombras, humor e corpos. Em Super Momix, reuniram o melhor dos seus espectáculos, num resumo de tirar o fôlego.

MUMMENSCHANZ | Next
CCB | 3 a 8 Abril

Em 1972 nasceram os Mummenschanz (Mascarada) com o objectivo de, de forma divertida e corajosa, mostrar ao mundo uma nova forma de fazer teatro.
O grande objectivo deste grupo foi criar uma forma de teatro não verbal que pudesse atravessar barreiras linguísticas e culturais. Apesar do sucesso, o grupo não cessou de aperfeiçoar a sua arte, desenvolvendo constantemente novas ideias e encontrando novos materiais para desenvolver novas formas de expressão e criações fantásticas.
O espectáculo NEXT, dos Mummenschanz, é da autoria e direcção de Floriana Frassetto e Bernie Schrurch.

NATALIE CHOQUETTE
CCB | 24 e 25 Julho

Filha de diplomatas, Natalie Choquette desde sempre contactou com diferentes culturas, absorvendo conhecimentos e tornando-se fluente em diferentes línguas como o inglês, espanhol, russo, alemão e italiano. Aos 11 anos, a viver em Itália, descobriu a ópera para nunca mais a esquecer.
La Diva, conhecida pela sua peculiar capacidade de interpretação de temas de Turandot com rolos no cabelo e a comer espaguete ou a cantar “Summertime” enquanto arranja as unhas, é uma cantora, no mínimo, original. Um espectáculo para quem gosta e para quem não gosta de ópera.

O ÚLTIMO A RIR
Teatro Villaret | 18 Janeiro a 1 Abril | Cinema Terço - Porto | 17 A 29 Julho | Teatro Tivoli | 15 a 25 Novembro

O ÚLTIMO A RIR falava de 15 pessoas relacionadas com um casamento.
O noivo, por maioria da razão, o empregado da conservatória (que por acaso tem uma amante), o ex-namorado da noiva (que para além do mais, tem um problema no carro), o condutor da limusina, o padre (que tem um problema com Deus por causa da bebida), os pais dos noivos (que têm problemas uns com os outros) e várias outras pessoas, com os seus  próprios problemas.
O ÚLTIMO A RIR é uma peça de Luísa Costa Gomes, com encenação de Adriano Luz e interpretação de José Pedro Gomes.

OMARA PORTUONDO
Coliseu dos Recreios | 21 Abril

Considerada uma das melhores cantoras de bolero de Cuba, Omara Portuondo é dona de uma voz macia e intensa, que aos 70 anos é considerada a melhor artista cubana nesta vertente, tendo sido a protagonista duma das passagens mais comoventes no documentário "Buena Vista Social Club", do realizador alemão Wim Wenders, filme que acabou por celebrizar internacionalmente a música cubana e os seus intérpretes.

ORFEO
CCB | 10 a 12 Maio

O serão seiscentista que se quer reviver reúne vários intérpretes e agrupamentos. O programa percorre várias zonas do catálogo monteverdiano, abrindo e concluindo com... ORFEO.

PETER PAN | Washington Ballet
CCB | 7 a 11 Novembro

Da autoria da J.M. Barrie, Peter Pan é a história de um menino que se recusa a crescer. Um conto de proporções místicas que promete momentos de altos voos ao público de todas as idades.
Criado e coreografado ao estilo imaginativo e arriscado de Webre, PETER PAN, encanta os jovens de todas as idades, com aventura, exaltação e bailarinos que voam pelos céus, transformando o teatro numa incrível "Terra do Nunca".

PILOBOLUS | Programa Misto
CCB | 5 a 8 Dezembro

A Companhia nasceu em 1971 a partir de uma classe de dança do Darthmouth College.  PILOBOLUS tornou-se numa das companhias de dança americanas mais importantes do mundo. O repertório da companhia evidencia a inventiva coreografia e a teatralidade do grupo, bem como o uso plástico do corpo em infinitas formas de linguagem.
Em PILOBOLUS a direcção artística esteve a cargo de Robby Barnett, Alison Chase, Michael Tracy e Jonathan Wolken.

SE NÃO FOR A MÃE DA FRENTE
Teatro Villaret | 2 Maio a 3 Junho

Partindo da cantiga infantil  ‘Linda Falua’, traça-se, num ritmo alucinante, o percurso de um homem e de uma mulher desde a sua mais tenra idade até à velhice, num registo cómico que a toda a hora surpreende os actores e, consequentemente, o público.
SE NÃO FOR A MÃE DA FRENTE, uma peça com texto e encenação de Tiago Torres da Silva e interpretação de Maria Henrique e João Didelet.

SEXO, DROGAS & ROCK'N ROLL (acolhimento)
Teatro Villaret | Estreia a 30 Setembro | Teatro Villaret | 8 Novembro a 23 Dezembro

Diogo Infante, numa extraordinária interpretação, é o único em palco a dar corpo e voz a sete monólogos. As diferentes metamorfoses que ao longo da peça Diogo Infante vai sofrendo dão vida a momentos psicológicos díspares, que vão do humor à tensão dramática.
Em SEXO DROGAS & ROCK’N ROLL, de Eric Bogosian e encenação de Natália Luíza, Diogo Infante mostra toda a sua capacidade comunicativa, rigor e energia.

SHAOLIN KUNG FU
Coliseu dos Recreios | 25 A 28 Outubro

Integrado nas comemorações dos 1500 anos do mosteiro de Shaolin, o ilustre Shi Wang Heng e os seus mestres de Shaolin, com o apoio do governo provincial de Henan/Républica Popular da China e do director de digressão da delegação Chinesa, Mr. Cao Wei, apresentam uma mostra completas das técnicas mais avançadas de exercícios clássicos de combate.

BEBEL GILBERTO
CCB | 16 Setembro

Isabel Gilberto de Oliveira, mais conhecida por Bebel Gilberto, é uma cantora e compositora brasileira cujo percurso na música começou cedo com a sua participação em coros infantis, tais como Saltimbancos e Pirlimpimpim.
Filha de João Gilberto e Miúcha, Bebel nasceu em Nova Iorque onde os seus pais moravam. Depois de tentar a sua carreira a solo no Brasil, durante a década de 80, quando compôs ao lado de Cauzuza, Dé e outros nomes do pop/rock brasileiro, mudou-se para a cidade que a viu nascer, em 1991. Alternando entre os Estados Unidos e a Inglaterra, Bebel Gilberto já colaborou com David Byrne, Arto Lindsay e Dj Towa Tei procurando sempre fundir a sua bossa nova com novos processos e concepções musicais.

CHICAGO, THE MUSICAL
Coliseu dos Recreios | 26 Outubro a 25 Novembro

Uma sátira à corrupção no sistema de justiça americano, CHICAGO é um musical baseado na peça de teatro da jornalista Maurine Dallas Watkins, escrita em 1926, com base nas suas reportagens sobre os crimes da época. Com coreografia de Bob Fosse, textos e letras de Fred Ebb e música de John Kander, CHICAGO estreou na Broadway em 1975. Em 2002, estreia a versão cinematográfica com Catherine Zeta-Jones e Renée Zellweger nos papeis principais.

CIRQUE LE MASQUE
CCB | 29 Novembro a 3 Dezembro

O CIRQUE LE MASQUE é um sofisticado circo europeu que conseguiu incorporar num só espectáculo a excelência da arte acrobática, da mímica e da dança. Os artistas do CIRQUE LE MASQUE trepam, balançam, dobram-se e dançam em função de um espectáculo memorável e único, de um circo sempre muito elegante.

CONVERSA DA TRETA
Coliseu dos Recreios | 4 a 30 Julho

Depois de esgotar várias salas pelo país, CONVERSA DA TRETA subiu ao palco do Coliseu dos Recreios .

Em CONVERSA DA TRETA dois amigos sentam-se à conversa. Um mais espertalhaço, outro mais obstruído das meninges, cada um no seu estilo, ambos são exemplos do mais bacoco e embrutecido bom senso.
Filósofos do disparate, vão desatar uma torrente de considerações acerca de tudo e de nada. O resultado disso é, claro, uma CONVERSA DA TRETA, um espectáculo divertido, com direcção e interpretação de António Feio e José Pedro Gomes e com texto de José Fanha, António Feio e José Pedro Gomes.

FOREVER TANGO
CCB | 29 Fevereiro a 12 Março

A mais sensual tradição argentina dançada por bailarinos que, a cada movimento, sublimam o drama, cultura e modo de vida de toda uma nação
Com orquestra ao vivo, onde o bandonéon, instrumento típico do tango, teve lugar de destaque e com a voz de Carlos Morel numa homenagem a Carlos Gardel, FOREVER TANGO foi espectáculo de Tango por excelência da Broadway.

GISELLE | Ballet Ópera Maribor
CCB | 13 a 23 Dezembro

Jovem e encantadora, GISELLE, humilde camponesa de uma pequena aldeia no Vale de Reno, é alvo das atenções de todos os jovens que a rodeiam. Do mais pobre camponês ao mais rico e poderoso nobre, todos desejam um olhar de GISELLE, duelam por um momento da sua atenção.
Esta poderosa ópera de Adolf Adam é uma produção da Companhia Nacional de Teatro Esloveno de Maribor que, desde 1919, acolhe espectáculos de teatro, ópera e ballet juntamente com a sua orquestra sinfónica.

IBRAHIM FERRER & RUBEN GONZALEZ
Coliseu dos Recreios | 29 Abril

A reunião de dois grandes monstros da música cubana que estiveram na origem do documentário de