A Peça Que Dá para o Torto

1 a 3 Julho 2021 M12

Sucesso interrompido em 2020, A PEÇA QUE DÁ PARA O TORTO regressa em 2021 ao Porto.

Porto: Os bilhetes já adquiridos para as sessões agendadas anteriormente para o Coliseu Porto AGEAS são válidos para as novas sessões, não sendo necessária a sua troca. Assim, quem tiver bilhetes para uma 5ª feira, deverá assistir ao espectáculo de dia 1 Julho, 5ª feira, e sucessivamente.

Estreou em Londres há 6 anos e já passou, regressou ou ainda está a passar por mais de 30 países, de todos os continentes excepto a Antártida pois teme-se uma recepção demasiado gelada: Alemanha, Itália, Bulgária, Argentina, Hungria, França, Polónia, Turquia, Austrália, Japão, Finlândia, Grécia, China, Israel, Roménia, Chile, Noruega, Holanda, Espanha, Brasil, Islândia, Bélgica, Croácia, Coreia, Estónia, Perú, Suécia, Dinamarca, República Checa, India, Luxemburgo, Suíça, Áustria, Rússia África do Sul, México. Sem esquecer os Estados Unidos, tanto na Broadway como off-Broadway, o que vale por dois!

Já arrecadou prémios muito importantes:

Na Broadway em 2017: Tony para melhor Cenografia, Escolha do Público da Broadway.com para Novo Espectáculo de Teatro, Broadway World para Melhor Novo Espectáculo de Teatro, Broadway World para Melhor Desenho de Som e Melhor Encenação. Em 2016 ganhou o Prémio da Crítica para Melhor Produção Comercial (Hungria), Especial Haldun Dormen para Melhor Comédia ou Musical (Turquia) e o Molière para Melhor Comédia (França). Aquando da estreia em 2015 em Inglaterra ganhou o Olivier para Melhor Nova Comédia, o Broadway World Inglaterra para Melhor Novo Espectáculo de Teatro e o WhatsOnStage para Melhor Nova Comédia.

Em 2020 chegou a Portugal para ganhar o Globo de Ouro em todas as categorias, mas ficou para mais tarde. A PEÇA QUE DÁ PARA O TORTO tem tradução e adaptação de Nuno Markl e interpretação de Afonso Lagarto, Alexandre Carvalho, Brienne Keller, Cristóvão Campos, João Veloso, Madalena Brandão, Miguel Thiré, Rita Silvestre, Telmo Mendes, Telmo Ramalho e Valter Teixeira , encenação de Hannah Sharkey e encenação residente de Frederico Corado. O texto é de Henry Lewis, Jonathan Sayer e Henry Shields.

É um formato replica show “Ridiculamente divertida.” (The Timese  “Um triunfo técnico.” (Time Outcom comentários como “Por momentos pensei que ia hiperventilar.” (Daily Mailou “Rimos até as lágrimas nos escorrerem pela cara.” (Joanna Lumley)

Nota da produção: O público deve apresentar-se no teatro preparado com um analgésico e uma garrafa de água pois há riscos sérios de o espectáculo causar dores... de tanto rir!

 

Ok
Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho e lhe oferecer uma melhor experiência de utilizador. Saber Mais